Histórias de aprendizagem e gestão organizacional: uma abordagem ontológica e hermenêutica

Gentil José Lucena Filho, Margarita Maria Morales Villegas, Sheila da Costa Oliveira

Resumo


Neste trabalho, partimos de uma história de aprendizagem (HA) já escrita no formato original (segundo desenho originalmente formulado no Centro de Aprendizagem Organizacional do MIT) a qual foi objeto de uma dissertação no Mestrado em Gestão de Conhecimento e Tecnologia da Informação da Universidade Católica de Brasília. Analisamo-la com o objetivo de evidenciar se a mesma tem impacto na aprendizagem organizacional e se constitui instrumento para a gestão organizacional. Para a análise, utilizamos duas abordagens – a Ontologia da Linguagem de Flores / Echeverría, em uma acepção filosófica do termo “ontologia” (diferente da acepção usual comumente utilizada nas ciências de computação e informação), e a Teoria da Interpretação de Ricoeur – como meio de verificação de evidência de aprendizagem, tanto em nível de primeira ordem, quanto em nível de segunda ordem. Especificamente, os fenômenos observados são declarações de aprendizagem, tipologias conversacionais e fluxos emocionais presentes na narrativa que constitui a HA.

 

Palavras-chave

 

História de aprendizagem. Gestão organizacional. Ontologia da linguagem. Teoria da interpretação. Aprendizagem. Conversações.

 

Stories on learning and organizational management: an ontological and hermeneutical approach

 

Abstract

 

This paper is based on a Story on Learning (according to an original work written in the Organizational Learning Center of Massachusetts Institute of Technology – MIT), which was the subject of a Master Degree dissertation on Knowledge Management and Information Technology, Catholic University of Brasilia. The analysis of this topic is to prove that it has an impact on the organizational learning and that it is an important instrument for Organizational Management. Two different approaches are analyzed: the Ontology of Language by Flores/Echeverría (ontology, a philosophy term, has here a different acceptation from the one used in Computer and Information Science) and Theory of Interpretation by Ricoeur, as a means for verifying the evidence of learning, both on first

order level and second order. The conclusion is that the phenomena observed are statements of learning, conversational typologies and emotional flows present in the narratives of the story on learning.

 

Keywords

 

Learning history. Organizational management. Ontology of language. Interpretation theory. Learning. Conversations.

 


Palavras-chave


História de aprendizagem; gestão organizacional; ontologia da linguagem; teoria da interpretação, aprendizagem, conversações.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2008 Gentil José Lucena Filho, Margarita Maria Morales Villegas, Sheila da Costa Oliveira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.


Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict)
SAUS - Setor de Autarquias Sul, Quadra 5, Lote 6, Bloco H
Seção de Editoração - sala 500
CEP 70070-912
Brasília-DF, Brasil

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo publicado nesta revista está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.