Repositórios institucionais brasileiros e a transição para a próxima geração.

Juliana Araujo Gomes de Sousa

Resumo


Esta pesquisa objetivou compreender a dinâmica e a visão de futuro que as equipes gestoras dos Repositórios Institucionais brasileiros têm sobre os avanços nesta temática e traçar um paralelo sobre a realidade versus os desafios na adoção das tecnologias, padrões e protocolos indicados pelo grupo de trabalho da Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR) para a Next Generation of Repositories (NGR). Para cumprir o objetivo, adotou-se um método quantitativo utilizado como principal ferramenta de coleta um questionário que foi enviado para 54 gestores de repositórios institucionais brasileiros. Dos 54 questionários enviados aos gestores, retornaram 26 respondidos, o que corresponde a 48%. Observou-se que a maioria dos gestores tem dificuldades em atender as demandas de suas instituições relacionadas ao repositório institucional, tal fator se deve principalmente à quantidade reduzida de profissionais na equipe. O grupo de trabalho definiu 11 tecnologias a serem adotadas pelos repositórios para serem considerados um “repositório NGR”.


Palavras-chave


Repositórios Institucionais brasileiros. Próxima Geração de Repositórios. Confederação de Repositórios de Acesso Aberto.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Juliana Araujo Gomes de Sousa

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.


Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict)
SAUS - Setor de Autarquias Sul, Quadra 5, Lote 6, Bloco H
Seção de Editoração - sala 500
CEP 70070-912
Brasília-DF, Brasil

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo publicado nesta revista está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.