http://revista.ibict.br/ciinf/issue/feed Ciência da Informação 2020-04-15T17:19:50+00:00 Seção de Editoração sedit@ibict.br Open Journal Systems Revista Ciência da Informação, publicação seriada técnico-científica do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - IBICT http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/5085 Editorial 2020-03-20T14:59:33+00:00 Bianca Amaro bianca@ibict.br 2020-03-20T14:59:33+00:00 Copyright (c) 2020 Bianca Amaro http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4795 Revistas científicas brasileiras em acesso aberto de visibilidade internacional: estudo baseado no Fator de Impacto 2020-03-20T14:59:34+00:00 Edna da Silva Angelo ednasangelo@gmail.com Marlene Oliveira marlene@eci.ufmg.br <p class="western"><span lang="pt-BR">Em virtude da importância do acesso à informação para o desenvolvimento social, e sendo o Brasil apontado como o país com maior número de publicação científica em acesso aberto, o objetivo é analisar as características das revistas científicas brasileiras de acesso aberto que obtiveram Fator de Impacto entre os anos de 1997 e 2017. Caracteriza-se como uma pesquisa descritiva e exploratória com abordagem quali-quantitativa, cuja fonte de coleta dos dados foi o</span><span lang="pt-BR"><em> Journal Citation Reports</em></span><span lang="pt-BR"> e a página web dessas revistas. Constatou-se que 150 publicações periódicas de acesso aberto obtiveram Fator de Impacto; a maioria possui no título o termo “Brasil” ou algum estado brasileiro; publica apenas trabalhos em inglês; aborda as temáticas </span><span lang="pt-BR"><em>Ciências das Plantas e Ciências Veterinárias</em></span><span lang="pt-BR">; possui a frequência de publicação trimestral, com periodicidade continuada/atualizada, sendo editada por sociedades profissionais e localizada em São Paulo. Ademais, grande parte adota o modelo acesso aberto dourado puro; é patrocinada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico; 54% cobram taxa para publicação; e não menciona o uso de redes sociais em suas páginas. O panorama delineado contribui para a qualificação, o aumento da visibilidade, a internacionalização e para subsidiar a construção de políticas públicas rumo ao acesso universal à informação científica.</span></p> 2020-03-20T14:59:34+00:00 Copyright (c) 2020 Edna da Silva Angelo, Marlene Oliveira http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4866 Dados abertos CAPES: um olhar à luz dos desafios para publicação de dados na web 2020-03-20T14:59:39+00:00 Emanuelle Torino etorino@gmail.com Gustavo Lunardelli Trevisan g.trevisan@unesp.br Silvana Aparecida Borsetti Gregorio Vidotti silvana.vidotti@unesp.br <p>A Lei de Acesso à Informação instaurou, no Brasil, a necessidade da abertura dos dados governamentais, em benefício do acesso às informações públicas, tais dados, devem ser disponibilizados visando a descoberta, compreensão e reuso. Desta forma, o presente estudo objetivou discutir o atendimento de conjuntos de dados abertos governamentais aos desafios para a publicação de dados na web, apresentados pelo World Wide Web Consortium. A análise verificou a adequação de 29 conjuntos de dados acerca da Avaliação da Pós-Graduação <em>Stricto Sensu</em> disponíveis no portal Dados Abertos CAPES aos 13 desafios para a disponibilização de dados na web, bem como os benefícios alcançados pelo atendimento, de forma a auxiliar os produtores na melhoria dos dados. A partir da análise foi possível verificar que, dos 13 desafios, apenas 1 foi considerado atendido, 6 são parcialmente atendidos, 4 não atendidos e 2 não se aplicam. Os dados disponíveis no portal Dados Abertos CAPES atualmente não atendem à primeira estrela dos dados abertos, contudo, possuem condições de atender à terceira estrela, indicando adequadamente a versão da licença Creative Commons adotada, visto que disponibilizam os dados em formato CSV, além disso, há a necessidade de reestruturar os metadados para favorecer a compreensão e a processabilidade dos dados.</p> 2020-03-20T14:59:39+00:00 Copyright (c) 2020 Emanuelle Torino, Gustavo Lunardelli Trevisan, Silvana Aparecida Borsetti Gregorio Vidotti http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4888 Taxas de APC em revistas brasileiras e portuguesas de acesso aberto: um estudo no DOAJ 2020-03-20T14:59:45+00:00 Eloísa Príncipe eloisaprincipe@gmail.com <p>Análise das revistas luso-brasileiras de acesso aberto registradas no <em>Directory of Open Access Journals </em>(DOAJ) e que adotam a <em>article processing charge</em> (APC) - taxa de processamento de artigo - como um modelo de negócio. Apresenta como objetivos: (a) identificar as revistas brasileiras e portuguesas que adotam o modelo de negócio de APC; (b) classificar as revistas de acordo com o assunto; e (c) identificar os valores cobrados na modalidade APCs. Os resultados apontam para a cobrança de APC por um número reduzido de revistas, o que sugere tímida apropriação desse modelo de negócio pelas revistas brasileiras e portuguesas registradas no DOAJ.</p> 2020-03-20T14:59:45+00:00 Copyright (c) 2020 Eloísa Príncipe http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4924 Garantindo acervos para o futuro: Plano de preservação digital para o Repositório Institucional Arca 2020-03-20T14:59:48+00:00 Andréa Gonçalves do Nascimento aandreafg@gmail.com Claudete Fernandes de Queiroz claudete.queiroz@icict.fiocruz.br Luciana Danielli de Araújo luciana.danielli@icict.fiocruz.br Este trabalho descreve o processo de construção do Plano de Ação de Preservação Digital para o Arca – Repositório Institucional da Fiocruz. A implementação de ações para a preservação digital ainda encontra desafios consideráveis em todos os seus estágios, sendo o primeiro a formulação de políticas institucionais e de outros instrumentos normativos e processuais necessários à sua execução. Um plano de preservação digital tem como objetivo sistematizar as etapas e procedimentos necessários para atender aos requisitos mínimos para a preservação dos objetos digitais depositados no repositório institucional. A construção do Plano de Ação foi composta por quatro etapas: análise dos requisitos, diretrizes e normas nacionais e internacionais que orientam as ações de preservação digital; definição dos elementos e da estrutura do documento; diagnóstico do estado atual do repositório Arca em relação aos elementos mínimos desejados; e definição das estratégias a serem adotadas para o repositório Arca. Como resultado, o Plano de Ação de Preservação Digital do repositório Arca estabelece os padrões que visam garantir que a produção cientifica da Fiocruz ali depositada seja preservada de forma permanente, em um ambiente confiável e seguro, buscando ainda contribuir para o debate teórico e prático sobre a preservação digital em repositórios. 2020-03-20T14:59:48+00:00 Copyright (c) 2020 Andréa Gonçalves do Nascimento http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4974 Em busca de um sistema de comunicação inovador e sustentável para a ciência aberta 2020-03-20T14:59:51+00:00 Eloy Rodrigues eloy@sdum.uminho.pt Kathleen Shearer kathleen.shearer@coar-repositories.org Tony Ross-Hellauer tross@know-center.at Benedikt Fecher fecher@hiig.de José Carvalho jcarvalho@sdum.uminho.pt Esta comunicação apresenta o conceito e a proposta de uma estrutura (<em>framework</em>) de serviços de publicação aberta, designada PubFAIR. PubFAIR visa a criação e estabelecimento de uma plataforma modular e de código aberto (open source) de publicação, baseada numa rede distribuída de repositórios, para assegurar o controlo de qualidade e a divulgação de uma ampla variedade de resultados de investigação, incluindo dados, publicações e outros mais. Esta plataforma pode proporcionar a diferentes partes interessadas (financiadores, instituições, sociedades académicas, cientistas individuais) o acesso a um conjunto de funcionalidades para criar os seus próprios canais de disseminação, com processos de revisão abertos e transparentes. Esse modelo minimizará os custos de publicação, mantendo os padrões académicos, conectando as comunidades com serviços de publicação iterativa ligados aos seus repositórios preferidos. Esse ambiente editorial tem a capacidade de transformar o sistema de comunicação académica, tornando-o mais centrado na investigação, orientado para a disseminação e aberto e favorável à inovação, e, ao mesmo tempo, sendo gerido coletivamente pela comunidade académica. 2020-03-20T14:59:51+00:00 Copyright (c) 2020 Eloy Rodrigues, Kathleen Shearer, Tony Ross-Hellauer, Benedikt Fecher, José Carvalho http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4978 Inserção da produção científica da Fiocruz nas iniciativas de promoção do acesso aberto a dados de pesquisa em revistas nacionais e internacionais 2020-03-20T14:59:53+00:00 Maria de Fátima M. Martins maria.correa@fiocruz.br <p><span style="font-size: medium;"><a name="_Hlk5963693"></a><span lang="PT">O estudo objetivou identificar a inserção da produção científica da Fiocruz nas iniciativas de promoção do acesso aberto a dados de pesquisa em revistas nacionais e internacionais</span><span lang="PT">, no período entre 2012 a 2018. Apresenta reflexões acerca do alinhamento das políticas editoriais com as diretrizes internacionais da Ciência Aberta, de modo a considerar esse indicador como um componente da avaliação e qualificador da aplicação das boas práticas da Ciência Aberta por parte dos pesquisadores vinculados a Fiocruz. </span><span>Para a realização do trabalho e cumprimento dos objetivos foi adotada uma metodologia de caráter descritivo, através do mapeamento sistemático. Para tal, realizou-se uma pesquisa exploratória por meio de revisão bibliográfica, por afiliação, seguida de pesquisa documental no site das revistas selecionadas, que consistiu em diversas etapas, resultando num elenco com </span><span>10 títulos de revistas para comparação e análise, segundo o ranking gerado pela produção científica indexada nas bases de dados. Os resultados obtidos demonstraram que </span><span lang="PT">as revistas devem ser estimuladas para atender os padrões exigidos pelo movimento da Ciência Aberta, os limites e possibilidades de se instituir uma política de gestão, abertura e compartilhamento de dados de pesquisa para a Fiocruz, tanto como instituição produtora como publicadora. O</span><span> tema carece de mais estudos que envolvam essa temática.</span></span></p> 2020-03-20T14:59:53+00:00 Copyright (c) 2020 Maria de Fátima M. Martins http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4958 Acesso aberto a dados de pesquisa no Brasil: mapeamento de repositórios, práticas e percepções dos pesquisadores e tecnologias 2020-03-20T14:59:56+00:00 Rene Faustino Gabriel Junior renefgj@gmail.com Rafael Port da Rocha rafael.rocha@ufrgs.br Sônia Elisa Caregnato sonia.caregnato@ufrgs.br Caterina Marta Groposo Pavão caterina@cpd.ufrgs.br Paula Caroline Schifino Jardim Passos paulacarolinejardim@gmail.com Eduardo Nunes Borges eduardoborges@furg.br Samile Andréa de Souza Vanz samilevanz@terra.com.br Luís Alberto Barbosa Azambuja l.azambuja@gmail.com <p>O Acesso Aberto a Dados de Pesquisa (AADP) tem crescido significativamente em todo o mundo, nos últimos anos; entretanto, ainda é incipiente no Brasil. Este artigo apresenta o projeto RDP Brasil, uma parceira entre a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e a Universidade Federal do Rio Grande (FURG). O projeto foi dividido em cinco etapas: mapeamento de serviços e potenciais usuários de AADP em instituições brasileiras; desenvolvimento de portal web para reunião da comunidade nacional interessada em AADP; levantamento dos serviços e das soluções tecnológicas existentes para compartilhamento de dados; e proposta de solução tecnológica que atenda aos usuários identificados no estudo. Os resultados demonstraram que iniciativas institucionais de AADP ainda são escassas no Brasil; que há receptividade dos pesquisadores brasileiros à ideia do compartilhamento e do reuso de dados, contudo há desconhecimento e falta infraestrutura nas instituições; que as soluções tecnológicas existentes oferecem grande número de opções e, portanto, devem ser constantemente monitoradas; e que a implementação de pilotos de repositórios de dados de pesquisa é viável, no curto prazo. Conclui-se que o projeto foi pioneiro em investigar pesquisadores brasileiros de todas as áreas do conhecimento sobre AADP, trazendo contribuições relevantes para iniciativas governamentais, como o compromisso assumido entre o Brasil e a Open Government Partnership (OGP). No entanto, evidencia-se a necessidade de ampliação das investigações sobre o tema e de esforços públicos para promover e consolidar iniciativas.</p> 2020-03-20T14:59:56+00:00 Copyright (c) 2020 Rene Faustino Gabriel Junior, Rafael Port da Rocha, Sônia Elisa Caregnato, Caterina Marta Groposo Pavão, Paula Caroline Schifino Jardim Passos, Eduardo Nunes Borges, Samile Andréa de Souza Vanz, Luís Alberto Barbosa Azambuja http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/5001 O processo de construção da Política de Governança de Dados, Informação e Conhecimento da Embrapa 2020-03-20T15:00:01+00:00 Patrícia Rocha Bello Bertin patricia.bertin@embrapa.br Juliana Meireles Fortaleza juliana.fortaleza@embrapa.br <p>Dados, informação e conhecimento são ativos corporativos valiosos e, por isso, devem ser bem governados e geridos de modo a maximizar o seu valor. Um dos mecanismos de governança é a implementação de políticas, que são instrumentos formais onde estão definidos os princípios a serem adotados, assim como as diretrizes, responsabilidades e como a estrutura organizacional irá conduzir e monitorar a governança. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), assim como outras instituições de P&amp;D que integram a Administração Pública Federal, tem refletido e mobilizado esforços para atender ao arcabouço legal vigente, acompanhar e beneficiar-se das oportunidades trazidas pela nova economia digital e, ainda, fortalecer-se no novo paradigma científico global. Como parte desse esforço, a Embrapa publicou, em 5 de abril de 2019, a sua ‘Política de Governança de Dados, Informação e Conhecimento’. A elaboração dessa política foi um processo complexo e contou com a participação de diversas instâncias organizacionais, inclusive das 42 Unidades de Pesquisa distribuídas pelo País. Esse trabalho relata o processo de construção da Política de Governança de Dados, Informação e Conhecimento da Embrapa e os resultados de análise qualitativa das contribuições recebidas dos diversos atores institucionais na fase de elaboração do documento, destacando as principais dúvidas, preocupações e questionamentos que emergiram. Como principal resultado, constatou-se uma grande assimetria no entendimento dos principais conceitos abarcados na Política e resistência a alguns dos princípios e diretrizes.</p> 2020-03-20T15:00:01+00:00 Copyright (c) 2020 Juliana Meireles Fortaleza, Patrícia Rocha Bello Bertin http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4976 Integrar a rede de repositórios RCAAP no ecossistema de gestão de ciência – PTCRIS 2020-03-20T15:00:03+00:00 Paulo Lopes plopes@fccn.pt Paulo Graça paulo.graca@fccn.pt Fernando Ribeiro fernando.ribeiro@fccn.pt José Carvalho jcarvalho@sdum.uminho.pt <p>Os repositórios institucionais são parte importante do ecossistema de gestão de ciência. Para integrar estes sistemas num ecossistema mais amplo, é necessário garantir o cumprimento de um quadro normativo que garanta a interoperabilidade entre os sistemas.<br />Este trabalho tem como principal objetivo dar a conhecer o trabalho desenvolvido ao nível dos repositórios digitais no sentido de aumentar o seu nível de interoperabilidade de forma a facilitar os processos de workflow dos utilizadores nas diversas plataformas do ecossistema.</p> 2020-03-20T15:00:03+00:00 Copyright (c) 2020 Paulo Lopes, Paulo Graça, Fernando Ribeiro, José Carvalho http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4996 Análise de Redes Sociais de Periódicos de Acesso Aberto e Fechado: um olhar a partir das escolhas de publicação dos doutores indicada no Lattes 2020-03-20T15:00:05+00:00 Fábio Castro Gouveia fgouveia@gmail.com O presente estudo faz uso da metodologia de Análise de Redes Sociais para apresentar as relações entre os periódicos de acesso aberto e fechado utilizados pelos pesquisadores com doutorado cadastrados na Plataforma Lattes. A partir da consulta aos dados tabulados das principais revistas onde publicam os mais de 300 mil doutores cadastrados na base, uma rede de relações foi gerada nos softwares livres <em>VOSviewer</em> e <em>Gephi</em>. No <em>Gephi</em> os nós foram demarcados quanto ao tipo de acesso para a revista pelo cruzamento do ISSN obtido com os dados do <em>Directory of Open Access Journals</em> – DOAJ. Ao mesmo tempo que a produção de doutores cadastrados na Base Lattes serve como um retrato da produção brasileira, os vínculos estabelecidos entre as revistas podem representar proximidades temáticas e possíveis escolhas para o escoamento de produção científica em opções abertas em detrimento de revistas fechadas. Uma busca por uma revista previamente pretendida apresentará a <em>ego-network</em> desta revista, potencialmente com opções em acesso aberto. Os resultados obtidos estão disponibilizados para consulta e exploração online. 2020-03-20T15:00:05+00:00 Copyright (c) 2020 Fábio Castro Gouveia http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4752 Reflexões sobre a utilização da Lei de Acesso à Informação para a pesquisa científica 2020-03-20T15:00:07+00:00 Rodolfo Almeida de Azevedo rodolfo.ufam@gmail.com Hemmilys Karolinne de Sousa Maia hemmilys.maia@gmail.com <span id="docs-internal-guid-309388e4-7fff-e217-aa74-868c8007db9a"><span>Esta comunicação tem por objetivo fazer uma reflexão sobre a utilização da Lei de Acesso à Informação, com foco no Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão (e-SIC), para pesquisa científica. Através desse sistema, é viabilizada que qualquer pessoa, física ou jurídica, realize pedido de acesso a informação dos órgãos públicos das esferas municipal, estadual e federal. Foram analisados os e-SICs de universidades federais e estaduais, bem como os sites do poder executivo dos 26 estados e o distrito federal. Inicialmente partiu-se da análise da legislação, ou seja, a Lei n° 12.527/2011 e o Decreto n° 7.724/2012, que a regulamenta. Posteriormente foi mapeado os e-SICs, cadastrados no sistema e solicitado informações para verificar a eficiência do sistema. Em se tratando dos e-SICs das esferas estaduais em virtude da autonomia que cada estado possui em regulamentar a lei, foram detectados certas dificuldades, pois cada estado possui sistema diferente, alguns difíceis de serem encontrados, bem como exigência de informações variadas para que seja possível solicitar informações. Em ambas esferas, obteve-se problemas nas informações solicitadas, sendo necessário prorrogar por mais dez dias para que houvesse a resposta, havendo caso em que não houve a resposta. No entanto, de modo geral, o sistema é bem eficiente, sendo uma ferramenta que pode ser eficaz coleta de dados para pesquisa científica, quando se trata de informações produzidas ou recebidas pelo estado, nas mais diversas esferas.</span></span> 2020-03-20T15:00:07+00:00 Copyright (c) 2020 Rodolfo Almeida de de Azevedo, Hemmilys Karolinne de Sousa Maia http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4810 USO DAS REDES SOCIAIS PELOS REPÓSITÓRIOS INSTITUCIONAIS DE ACESSO ABERTO 2020-03-20T15:00:10+00:00 Lucia Seixas Moraes luseixas50@gmail.com Luana Farias Sales luanasales@ibict.br <p>Diante da falta de visibilidade dos repositórios institucionais digitais, esta pesquisa investigar se as redes sociais podem servir como mecanismo de divulgação para tais repositórios e, ainda, de que forma as instituições ou os gestores de repositórios vêm utilizando as redes Facebook e Twitter como mecanismo de visibilidade. A amostra foi composta pelos repositórios institucionais listados no site do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict). Usando a metodologia de pesquisa empírica, de caráter exploratório, o trabalho concluiu que ainda é muito tímido o uso ativo de redes sociais por esses repositórios para fins de divulgação de sua existência e conteúdos. </p> 2020-03-20T15:00:10+00:00 Copyright (c) 2020 Lucia Seixas Moraes, Luana Farias Sales http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4834 A influência do acesso aberto nas citações e nas métricas alternativas: o caso do ISCTE-IUL 2020-03-20T15:00:11+00:00 António Luís Lopes alsl@iscte-iul.pt <p>A bandeira da ciência aberta assenta no princípio de toda e qualquer investigação científica estar disponível e acessível ao mundo inteiro, independentemente da condição social ou económica do indivíduo a que ela pretende aceder. Nesse sentido, e intuitivamente, seria de esperar que o facto de determinada produção científica estar em acesso aberto contribuiria para aumentar o impacto da mesma, nomeadamente ao nível do número de citações que viesse a obter. Os estudos realizados a este nível não chegam a um consenso, sendo que alguns apontam o acesso aberto como um fator que influencia o número de citações e havendo outros que dizem especificamente o contrário. Nesta publicação é exposto o caso do ISCTE-IUL, uma Universidade pública em Lisboa, Portugal, onde é testada a influência do acesso aberto no impacto da divulgação das produções científicas dos investigadores. Conclui-se que, por um lado, apesar da influência do acesso aberto no número de citações existir, esta é muito ténue face a outros fatores como o impacto da própria revista onde se publica. Por outro lado, conclui-se também que a influência do acesso aberto é mais evidente nas métricas alternativas, como as referências em redes sociais que um artigo tem.</p> 2020-03-20T15:00:11+00:00 Copyright (c) 2020 António Luís Lopes http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4839 Biblos – Revista do instituto de ciências humanas e da informação e o uso de plugins 2020-03-20T15:00:13+00:00 Edna Karina da Silva Lira liraa.karina@gmail.com Gilmar Gomes de Barros gilmargomesdebarros@gmail.com Josiane Ribeiro Prestes josiane.caic@gmail.com Tatieli Moraes tatiellymoraes.tm@gmail.com Angélica Conceição Dias Miranda angelicacdm@gmail.com <p>Os plugins permitem expansão na funcionalidade da revistas.<strong> </strong>O objetivo geral do presente trabalho é analisar os plugins do OJS, nas revistas do Portal de periódicos científicos da FURG. Os objetivos específicos são: a) Verificar quais plugins de ferramenta de leitura no Ojs estão habilitados na revista Biblos e b)Analisar as vantagens de ter plugin habilitado numa revista científica. De acordo com Marconi e Lakatos (2010, p. 239), a pesquisa dispõe de procedimentos formais, necessitando diretamente do pensamento reflexivo e um olhar mais científico para o desenvolver dos caminhos da pesquisa. Trata-se de um estudo quantitativo, apoiando-se em dados retirados do referido sistema. Os plugins constam no sistema <em>Open Journal Systems,</em> e podem ser habilitados pelo editor-gerente. Ao verificar os resultados, perce-be que a revista pesquisada utiliza de maneira considerável os plugins. A pesquisa indicou que os plugins, conforme são habilitados, abrangem um desenvolvimento significativo ao suporte a produção científica divulgada. Ao fazer uso dessas ferramentas, facilita-se o direcionamento à pesquisa e à interação, além de proporcionar ao usuário a acessibilidade às informações do artigo, tornando-se visivelmente uma revista notória para a comunidade científica.</p> 2020-03-20T15:00:13+00:00 Copyright (c) 2020 Edna Karina da Silva Lira, Gilmar Gomes de Barros, Josiane Ribeiro Prestes, Tatieli Moraes, Angélica Conceição Dias Miranda http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4907 Um cenário das políticas dos repositórios temáticos brasileiros 2020-03-20T15:00:15+00:00 Diego Martins Silva anderson.silva@icict.fiocruz.br Anderson Silva Araujo moranderson0182@gmail.com Arthur Phillipe Cremonez Vianna arthur.vianna@icict.fiocruz.br Bruna Beltrão Vasconcellos bruna.belinato@icict.fiocruz.br Clarissa Cezario Cunha clarissa.cezario@observatoriodocuidado.org Debora Vilar Melo debora.melo@icict.fiocruz.br Diogo Ramos Marinho diogo.marinho@icict.fiocruz.br Luis Guilherme Gomes Macena luis.macena@observatoriodocuidado.org <p>O presente trabalho propõe-se a identificar os RDs brasileiros cadastrados no diretório <em>Directory of Open Access Repositories</em> (OpenDOAR), analisá-los quanto as características em consonância com a literatura da Ciência da Informação, avaliar se o repositório cadastrado contém quanto as tipologias informadas, identificar a existência de política e qualificar o tipo de política.</p><p>Sendo assim, o estudo, almeja apresentar o panorama dos repositórios cadastrados no OpenDOAR e provocar uma reflexão sobre o cenário brasileiro das iniciativas de RT.</p> 2020-03-20T15:00:15+00:00 Copyright (c) 2020 Diego Martins Silva http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4850 Uso do Open Journal Systems e Repositório nos Institutos Federais 2020-03-20T15:00:19+00:00 Edna Karina da Silva Lira liraa.karina@gmail.com Gilmar Gomes de Barros gilmargomesdebarros@gmail.com Josiane Ribeiro Prestes josiane.caic@gmail.com Tatieli Moraes tatiellymoraes.tm@gmail.com Angélica Conceição Dias Miranda angelicacdm@gmail.com <p>Publicizar o conhecimento produzido é uma importante ferramenta para a ciência aberta, o uso de portais de periódicos científicos e repositórios institucionais viabilizam a ideia. O presente estudo buscou se identificar os Institutos Federais de cada região brasileira, para a partir deles: a) conhecer quais IFs disponibilizam Portal de periódicos científicos; b) Verificar se utilizam o <em>Open Journal Systems</em> (OJS); c) reconhecer a versão utilizada, e; d) Analisar quais possuem Repositório Institucional. A coleta dos dados dividiu-se em três etapas, 1) buscar informações no MEC; 2) analisar os sites dos institutos federais listados pelo MEC e 3) verificar quais possuíam portal de periódico e repositório. Ao verificar os resultados observou-se que a região Centro-Oeste é a que possui mais institutos com portais, em seguida a região sudeste obtém sete institutos, cinco dos quais utilizam portais de periódicos. A região Norte, Sul e Nordeste possuem a mesma quantidade de portais. Quanto aos repositórios institucionais, a região Nordeste se destaca por conter cinco repositórios, em seguida da região Sudeste, que possui três, nos institutos das regiões norte e sul o mesmo número de repositórios, o Sudeste não obtém nenhum repositório. A versão 2.4.4.1 é a mais utilizada, em seguida a 2.4.8.0. Conforme a análise desta pesquisa, entende-se que os Institutos Federais ainda buscam publicizar o conhecimento produzido, pois um número considerável deles mantém portais de periódicos e/ou Repositórios.</p> 2020-03-20T15:00:19+00:00 Copyright (c) 2020 Edna Karina da Silva Lira, Gilmar Gomes de Barros, Josiane Ribeiro Prestes, Tatieli Moraes, Angélica Conceição Dias Miranda http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4853 LA Referencia: uma contribuição para o ecossistema de ciência aberta na América Latina 2020-03-20T15:00:22+00:00 Izabel Antonina de Araujo antoninaizabel@gmail.com Luciana Gonçalves Silva Souza lucianags9@gmail.com Camila Mariana Aparecida da Silva camilamas.silva@gmail.com <p>A pesquisa tem por objeto de estudo o acesso aberto e a visibilidade da produção científica na América Latina por meio da Rede de Repositórios de Acesso Aberto à Ciência (LA Referencia). Identifica ações realizadas pelo órgão nos últimos anos que contribuem para ampliar a visibilidade da produção científica na América Latina, o total da produção dos países que integram a Rede e os repositórios indexados com o maior número de documentos disponíveis. Trata-se de uma pesquisa descritiva que utiliza como procedimentos metodológicos a análise de documentos e fontes de informação disponibilizadas no portal da Rede LA Referencia que indicam os acordos regionais, parcerias com outros países, diretrizes e padrões de qualidade de metadados. Este estudo visa trazer contribuições para explicitação da relevância dos serviços de agregação de repositórios no que se refere à visibilidade e fomento da apropriação do conhecimento científico, além de identificar as ações que auxiliem na promoção da democratização da informação na região, tais como: identificação de políticas e programas para a efetivação do acesso aberto e cooperação na divulgação dos resultados de pesquisas por meio de serviços amplos de consulta.</p> 2020-03-20T15:00:22+00:00 Copyright (c) 2020 Izabel Antonina de Araujo, Luciana Gonçalves Silva Souza, Camila Mariana Aparecida da Silva http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4859 Acesso aberto na área de Artes: uma análise do Qualis periódicos (2010-2012) e (2013-2016) 2020-03-20T15:00:24+00:00 Leandro da Conceição Borges leandrocb@bol.com.br Paulo Melgaço da Silva Junior pmelgaco@uol.com.br Andressa Gonçalves Castro andressagoncalves@iq.ufrj.br Barbara Christian Vitiello babavitiello@gmail.com <p>O presente trabalho apresenta os resultados da pesquisa sobre a composição do cenário dos periódicos de acesso aberto na área de Artes em dois períodos de avaliação da Capes: trienal (2010-2012) e quadrienal (2013-2016). Na etapa metodológica, realizou-se a exportação de duas planilhas por meio da Plataforma Sucupira, com dados dos periódicos nos respectivos períodos de avaliação. Na análise dos dados, separaram-se os periódicos de acesso aberto dos periódicos de acesso restrito e filtraram-se os periódicos de acesso aberto que estão inseridos nas estratificações mais altas (A1, A2 e B1). Em conseguinte, foram realizadas categorizações divididas em nacionalidade do periódico; ligação ou não com universidades; região do país (no caso do periódico nacional) em que são editados e se, de um período a outro de avaliação da Capes, o periódico de acesso aberto era novo, caiu, aumentou ou se manteve nas estratificações analisadas. Com os resultados, concluiu-se que o Comitê da área de Artes está alinhado com a prática, uso e disseminação do acesso aberto, apresentando, nos estratos mais altos, uma grande gama de periódicos que adotam a filosofia aberta. No entanto, acredita-se que é necessário realizar mais práticas de <em>advocacy</em> junto aos seus pares para vislumbrar maior amplitude da discussão da temática dentro da área.</p> 2020-03-20T15:00:24+00:00 Copyright (c) 2020 Leandro da Conceição Borges, Paulo Melgaço da Silva Junior, Andressa Gonçalves Castro, Barbara Christian Vitiello http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4861 Online.ipb.pt e o circuito de dissertações de mestrado: boas práticas 2020-03-20T15:00:28+00:00 Clarisse Pais clarisse@ipb.pt <p>Desde 2013 é obrigatório fazer o registo das dissertações de mestrado na plataforma Renates e de depositar as mesmas num repositório. No Instituto Politécnico de Bragança (IPB), foi desenvolvida uma plataforma que apoia a gestão das atividades académicas. Esta plataforma é utilizada para o registo no Renates e para o depósito das Dissertações de Mestrado. No módulo Pautas estão implementados outros módulos como o Lançamento de Notas, Gestão de submissões e Dissertações.</p><p>Os <a href="http://www.ipb.pt/bibliotecas">Serviços de Documentação e Bibliotecas do IPB</a> (SDIBPB), são o serviço incumbido de registar as dissertações na plataforma Renates e de as depositar no repositório.</p><p>Desde o ano letivo 2015/2016, o IPB regulamentou que todas as dissertações defendidas deixariam de ser impressas e passariam a ser digitais e, portanto, seriam depositadas na plataforma online.ipb.pt. Neste momento estão depositadas 606 dissertações de mestrado.</p><p>Os SDBIPB acedem a esta plataforma e às dissertações defendidas. Faz-se o download do PDF, abre-se e preenchem-se alguns campos (título, palavras-chave e os Orientadores). Esse preenchimento permite exportar um ficheiro em Excel para ser depositado na plataforma Renates e assim fazer-se o registo obrigatório das dissertações de mestrado.</p> 2020-03-20T15:00:28+00:00 Copyright (c) 2020 Clarisse Pais http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4871 Menções à produção científica sobre políticas públicas de pesquisadores da UFMG na web social: um breve estudo altmétrico 2020-03-20T15:00:30+00:00 Maria Clarice Lima Batista clarycelima@gmail.com Leila Aparecida Anastácio leilabiblio@gmail.com Ronaldo Ferreira de Araújo ronaldfa@gmail.com <p>Reflete sobre a utilização de novas métricas para avaliação dos impactos da ciência na<br />sociedade a partir da disseminação dos produtos de pesquisa científica nas redes sociais<br />complementando estudos consolidados da bibliometria e cientometria. Apresenta a altmetria<br />como métrica complementar, não pretendendo substituir os atuais instrumentos de medição. Comprova sua eficácia para analisar o impacto da produção em Políticas Públicas visto a importância das redes sociais para circulação de material político e como nova esfera pública para discussão de temas da hora e de relevância social. A partir da ferramenta Dimensions foram recuperados artigos científicos de acesso aberto sobre Políticas Públicas entre 1983 a 2018 de autores vinculados à Universidade Federal de Minas Gerais. Foram recuperados 1.815 trabalhos em acesso aberto dos quais 279 tiveram menções nas mídias sociais Twitter e Facebook, além do Mendeley com dados do Altmetric Explorer. A autora mais citada, considerando as citações na rede social, aponta para a questão do desarmamento, tema debatido nos últimos tempos no Brasil. A maior parte das interações ocorreu no período que antecedeu as eleições federais, quando o tema do armamento retornou com força. Ao identificar os diferentes discursos sobre Políticas Públicas a partir da análise das interações online, seus contextos e condições, mostra-se possível atender às demandas dos governos objetivando medir o impacto da pesquisa científica para outros públicos e para além das práticas tradicionalmente utilizadas.</p><p>Palavras-chave: Comunicação Científica. Redes Sociais. Atenção</p> 2020-03-20T15:00:30+00:00 Copyright (c) 2020 Maria Clarice Lima Lima Batista, Leila Aparecida Anastácio, Ronaldo Ferreira de Araújo http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4884 Altmetria sobre o museu Mundaneum: estudo panorâmico sobre a difusão da produção científica nas redes sociais 2020-03-20T15:00:33+00:00 Tereza Cristina Fernandes Pontes terezacristinafernandes@gmail.com Ronaldo Araújo ronaldo.araujo@ichca.ufal.br O museu Mundaneum é um local de grande importância representativa e histórica para o campo da Biblioteconomia e Ciência da Informação (BCI), pois é a homenagem póstuma aos anos de trabalho de Paul Otlet e Henri La Fontaine às pesquisas que culminaram em obras clássicas para a Documentação, além do desenvolvimento do Sistema de Classificação Decimal Universal (CDU). Enfatizando a vida e obra destes dois visionários, é objetivo responder a seguinte questão: Qual o impacto os artigos científicos dedicados ao tema “Museum Mundaneum” promovem na web social? Os artigos foram coletados junto ao Portal CAPES e seus dados altmétricos de menções em redes sociais obtidos via Altmetric.com. Foram recuperados 109 artigos no Portal, dos quais 17 atenderam aos critérios de exclusão e inclusões para esta pesquisa, sendo que destes, 59% receberam algum tipo de menção nas redes sociais com destaque para o Mendeley seguido pelo Twitter. Considera a viabilização de novos estudos sobre o museu para atrair novas atenções exponencialmente quantificáveis, com a finalidade de despertar atenção e financiamentos à instituição, e, por conseguinte colaborar com o reconhecimento contemporâneo destes visionários. 2020-03-20T15:00:33+00:00 Copyright (c) 2020 Tereza Cristina Fernandes Pontes, Ronaldo Araújo http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4892 Abrir a pesquisa para além do acesso aberto e dados abertos: a experiência do projeto Documenta?! 2020-03-20T15:00:35+00:00 Anne Clinio anneclinio@gmail.com A apresentação, em formato Pecha Kucha, compartilha aprendizados iniciais da experiência, ainda em desenvolvimento, de abrir o projeto de pesquisa Documenta?! com apoio do programa de mentoria Mozilla Open Leaders. Destaca que a noção de abertura desta iniciativa vai além dos aspectos econômicos, jurídicos, técnicos e editoriais mobilizados pelo discurso dominante da Ciência Aberta e seu “open by default”. Alternativamente, o “open by design” fomentado pelo programa de mentoria propõe o desenvolvimento intencional e consciente de ambientes que não reproduzam estruturas de poder existentes na sociedade. Na prática, o projeto de pesquisa aberta Documenta? desenvolveu estratégias para fomentar a colaboração, a diversidade e a governança compartilhada.<p class="western" style="margin-left: -0.1cm; margin-top: 0cm; margin-bottom: 0cm; line-height: 200%;" lang="en-US" align="justify"><span style="font-family: Times, serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">A apresentação, </span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">em formato Pecha Kucha, </span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">compartilha aprendizados iniciais da experiência, ainda em desenvolvimento, de abrir o projeto de pesquisa Documenta?! com apoio do programa de mentoria Mozilla Open Leaders. Destaca que a noção de abertura desta iniciativa vai além dos aspectos econômicos, jurídicos, técnicos e editoriais mobilizados pelo discurso dominante da Ciência Aberta </span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">e seu “open by default”</span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">. </span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">Alternativamente, </span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">o </span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">“open by design” fomentado pelo </span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">programa </span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">de mentoria</span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">propõe o </span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">desenvolvimento intencional e consciente de ambientes </span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">que não reproduzam </span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">estruturas de poder existe</span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">n</span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">tes na sociedade. </span></span></span><span lang="pt-PT"><span style="font-style: normal;"><span style="font-weight: normal;">Na prática, o projeto de pesquisa aberta Documenta? desenvolveu estratégias para fomentar a colaboração, a diversidade e a governança compartilhada. </span></span></span></span></span></p> 2020-03-20T15:00:35+00:00 Copyright (c) 2020 Anne Clinio http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4895 Inovação pedagógica na Universidade Aberta: um ecossistema de recursos e práticas educacionais abertas 2020-03-20T15:00:40+00:00 Madalena Carvalho maria.carvalho@uab.pt <p style="margin: 0cm 0cm 9pt; text-align: justify;"><span style="font-family: 'Times New Roman',serif; mso-ansi-language: PT;"><span style="font-size: medium;">O movimento Recursos Educacionais Abertos (REA) tem vindo a assumir um papel de destaque nos novos cenários relacionados com a inovação em educação. Perante a necessidade de se ampliar o acesso a educação de qualidade com custos reduzidos, os REA surgem como uma alternativa, e a comunidade académica evidencia uma crescente sensibilização para a incorporação desta tipologia de recursos nas suas práticas educativas. </span></span></p><p style="margin: 0cm 0cm 9pt; text-align: justify;"><span style="font-family: 'Times New Roman',serif; mso-ansi-language: PT;"><span style="font-size: medium;">Neste contexto, a Universidade Aberta de Portugal (UAb) destaca-se, no panorama do ensino superior português, por ser a única instituição que tem no seu repositório institucional – Repositório Aberto, uma comunidade específica para a disponibilização de REA, garantindo a facilidade na localização e a confiança na qualidade dos conteúdos. Simultaneamente, no âmbito da estratégia de educação aberta, através da iniciativa AULAbERTA, a UAb desenvolve um conjunto de práticas que permite associar aos REA, disponibilizados no Repositório Aberto, a descrição e a ligação a contextos concretos de uso. </span></span></p><p style="margin: 0cm 0cm 9pt; text-align: justify;"><span style="font-family: 'Times New Roman',serif; mso-ansi-language: PT;"><span style="font-size: medium;">Neste artigo, para além da contextualização deste projeto, descrevem-se as estratégias e as metodologias que estão a ser seguidas bem como os resultados obtidos no que se refere aos recursos educacionais inseridos em percursos de exploração pedagógica reais. Apresenta-se ainda uma reflexão sobre o modo como, na estrutura da UAb, os diferentes elementos, atores e estruturas se integram e articulam no âmbito deste ecossistema. </span></span></p> 2020-03-20T15:00:40+00:00 Copyright (c) 2020 Madalena Carvalho http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4900 Análise da tendência das políticas editoriais frente ao compartilhamento de dados pelos pesquisadores do INCQS 2020-03-20T15:00:42+00:00 Hataânderson Luiz Cabral dos Santos cabral.santos@fiocruz.br Vanessa de Arruda Jorge vanessa.jorge@fiocruz.br Vera Maria Marques Machado vera.machado@incqs.fiocruz.br <p>O artigo tem como foco verificar práticas de compartilhamento de dados de pesquisa, no âmbito do movimento da Ciência Aberta. Analisa de forma sistematizada a tendência das políticas editoriais em revistas científicas quanto a solicitação dos dados produzidos pelos pesquisadores, no período de 2017 e 2018, no programa de Pós-Graduação em Vigilância Sanitária (PPGVS) do Instituto Nacional de Controle da Qualidade em Saúde (INCQS) e o impacto destas políticas na comunicação dos resultados das pesquisas. Inicialmente foi realizada pesquisa bibliográfica sobre compartilhamento de dados, pesquisa documental através da extração da listagem das revistas selecionadas dos pesquisadores identificadas no Currículo Lattes, e, posteriormente, uma análise das políticas editoriais. Além disso, foram feitas anotações sobre os depoimentos espontâneos de alguns pesquisadores. A análise revela que a maioria das revistas pesquisadas ainda não adotou qualquer política editorial de compartilhamento de dados para pesquisa, em especial as revistas brasileiras arroladas neste estudo. Em relação aos depoimentos espontâneos dos pesquisadores, ficou demonstrado que não há uma unanimidade em relação à relevância do compartilhamento dos dados, até mesmo por falta de conhecimento de conceitos-base sobre a temática.</p> 2020-03-20T15:00:42+00:00 Copyright (c) 2020 Hataânderson Luiz Cabral dos Santos, Vanessa de Arruda Jorge, Vera Maria Marques Machado http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4901 Estudo do êxodo científico brasileiro a partir de dados em acesso aberto da Plataforma Lattes 2020-03-20T15:00:44+00:00 Higor Alexandre Mascarenhas higoralexandre1996@gmail.com Thiago Magela Dias thiagomagela@gmail.com Patrícia Mascarenhas Dias patricia.dias@uemg.br O êxodo de indivíduos por diversos motivos vem ao longo dos últimos anos crescendo significativamente no cenário brasileiro e mundial. Um dos motivos identificados no processo migratório é a formação acadêmica desses indivíduos que buscam se capacitarem em instituições de ensino de melhor qualidade. Logo, o objetivo deste trabalho será analisar como ocorre o êxodo científico do Brasil, em que indivíduos de diversas localidades do país migram em busca de uma melhor formação acadêmica e científica. Logo, será caracterizada e analisada a ocorrência do êxodo científico brasileiro nas diversas áreas do conhecimento. Para isso foi necessária a extração dos dados acadêmicos, disponíveis em acesso aberto na Plataforma Lattes, selecionando todos os indivíduos com doutorado concluído, e totalizando 284.050 currículos. A escolha deste grupo se justifica por se tratar do conjunto de mais alto nível de formação acadêmica, e que possuem dados recentemente atualizados em seus currículos. Para tanto, filtrou-se os dados, selecionando os atributos relevantes a pesquisa, e finalmente, efetuou-se o tratamento dos dados com o intuito de encontrar a localização geográfica das instituições em que se capacitaram. Como resultado utilizado do conjunto de dados abertos extraídos da Plataforma Lattes, foi possível realizar um retrato sobre como ocorre o êxodo científico brasileiro com todo o conjunto de indivíduos analisados. 2020-03-20T15:00:44+00:00 Copyright (c) 2020 Higor Alexandre Mascarenhas, Thiago Magela Dias, Patrícia Mascarenhas Dias http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4914 Recursos Educacionais Abertos: UAb e Fiocruz, um diálogo institucionalmente provável 2020-03-20T15:00:47+00:00 Madalena Carvalho maria.carvalho@uab.pt Ana Cristina da matta Furniel afurniel@gmail.com Ana Paula Bernardo Mendonça anapaulabm@gmail.com Rosane Mendes rosane.mendes@gmail.com José Carvalho jcarvalho@sdum.uminho.pt <p>Este trabalho constitui-se como uma reflexão crítica sobre a parceria institucional, estabelecida entre a Fundação Oswaldo Cruz – FioCruz e a Universidade Aberta de Portugal - UAb, relativa à interoperabilidade na área dos recursos educacionais abertos.</p><p>Dois anos volvidos sobre a assinatura do Protocolo analisam-se os cenários decorrentes das dinâmicas de colaboração entre serviços e sistemas, agregadas ao projeto.</p><p>Referencia-se a metodologia utilizada, nomeadamente os critérios subjacentes à seleção e agregação de documentos, os metadados aplicados à descrição dos conteúdos, as políticas de licenciamento e os mecanismos de aferição da qualidade estabelecidos. Dá-se especial ênfase ao papel desempenhado, neste âmbito, pelo Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais – SARI do projeto RCAAP.</p><p>As percepções gerais e os indicadores colhidos são analisados criticamente de modo a identificar as forças e as oportunidades introduzidas, mas também as fraquezas e eventuais ameaças, decorrentes do estabelecimento de projetos de interoperabilidade específicos.</p><p>Para além da vertente operacional e técnica, o trabalho efetuado consubstancia-se como relevante para a partilha de percepções e desafios, extensíveis a comunidades com interesse na implementação de práticas educacionais abertas.</p> 2020-03-20T15:00:47+00:00 Copyright (c) 2020 Madalena Carvalho, Ana Cristina da matta Furniel, Ana Paula Bernardo Mendonça, Rosane Mendes, José Carvalho http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4869 Publicação em acesso aberto na Universidade Eduardo Mondlane: análise de artigos submetidos ao Programa de Incentivo à Publicação Científica 2020-03-20T15:00:49+00:00 Horácio Francisco Zimba Horacio.Zimba@uem.mz Rui José António ruimadisse@gmail.com Ranito Zambo Waete varela@uem.mz Aidate Mussagy amussagy@uem.mz Este artigo aborda a experiência do Programa de Incentivo à Publicação Científica como mecanismo de promoção de publicação do conhecimento científico produzido pela comunidade académico-científica da Universidade Eduardo Mondlane (UEM). O estudo tinha como objetivo, identificar os veículos de publicação utilizados pelos docentes-investigadores da UEM, fundamentalmente no que se refere ao paradigma de acesso aberto ou restrito, assim como, identificar as temáticas das pesquisas versus preferência de autores afiliados a UEM, em publicar nos paradigmas de acesso aberto ou restrito. Metodologicamente foi adotada a abordagem de estudo descritivo, quantitativo e baseou-se em análise bibliográfica e documental com recurso a técnicas de análise bibliométrica. Os resultados demonstraram que os autores afliados a UEM, tendem a publicar os seus resultados de pesquisa em revistas científicas de acesso aberto, indexados em indexadores de grande relevancia como, a Web of Science, Scopus, AJOL, DOAJ e Scielo. Em relação às principais áreas de pesquisa e o padrão de colaboração dos autores que submeteram suas publicações no programa de incentivo à publicação científica da UEM, nas chamadas de 2016 e 2018, notou-se a predominância das areas de medicina, veterinária, agronomia e engenharia florestal; e publicam quase sempre em colaboração com autores filiados a instituições de investigação estrangeiras. Como principal conclusão deste estudo, destacou-se a tendência, cada vez mais crescente, de autores da UEM que publicam em revistas de acesso aberto. Mas, constatou-se que ainda existe alguma resistência dos mesmos autores em publicar na revista local, apesar de a publicação feita na mesma, dar direito a recebimento do bonos de incentivo a publicação científva da UEM 2020-03-20T15:00:49+00:00 Copyright (c) 2020 Horácio Francisco Zimba http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4935 Gestão do conhecimento no Exército Brasileiro: portfólio baseado em interoperabilidade de plataformas digitais. 2020-03-20T15:00:52+00:00 Isaías de Oliveira Filho ioliveira70@gmail.com Izanete de Fátima Alves Oliveira izaneteoliveira101@gmail.com Jaqueline Santos Barradas jaquebarradas@gmail.com <p class="MsoBlockText" style="text-align: justify; line-height: 200%;"><span style="font-size: 12.0pt; line-height: 200%; mso-ascii-font-family: Calibri; mso-ascii-theme-font: minor-latin; mso-hansi-font-family: Calibri; mso-hansi-theme-font: minor-latin; mso-bidi-font-family: Calibri; mso-bidi-theme-font: minor-latin; mso-ansi-language: PT; mso-bidi-font-style: italic;" lang="PT"> Este trabalho analisa o emprego de plataformas digitais pelo Exército Brasileiro para difusão de sua produção científica, de seus periódicos, de seus documentos ostensivos e de seu acervo imagético histórico e cultural de forma colaborativa, contribuindo com a construção do conhecimento no país. Tal cenário se mostra como campo fértil para a pesquisa de soluções interoperáveis que atendam às demandas da Ciência Aberta. Neste trabalho serão empregados os conceitos de Acesso Aberto Verde, Acesso Aberto Dourado e Movimento de Acesso Aberto num contexto de utilização de softwares livres para delimitar a experiência da instituição no cenário nacional. A importância de utilização de meios da <em>web</em>, incluindo os meios para dispositivos móveis (aplicativo), para alcançar diferentes segmentos da sociedade será apresentada em gráficos que expressam o crescimento significativo na disponibilização de informação em formatos diversos (textos, imagens estáticas, vídeos etc) por intermédio de <em>softwares</em> criados em ambiente acadêmico (<em>DSPACE, Open Journal System, Open Conference System, OMEKA e VU Find</em>). O papel colaborativo desempenhado pela comunidade internacional é apontado como uma consequência positiva desses movimentos na medida em que há grande troca de informações entre os usuários dos softwares de código aberto.</span></p> 2020-03-20T15:00:52+00:00 Copyright (c) 2020 Isaías de Oliveira Filho, Izanete de Fátima Alves Oliveira, Jaqueline Santos Barradas http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4950 Percepção de pesquisadores de instituições públicas acerca da ciência aberta 2020-03-20T15:00:54+00:00 Kátia de Oliveira Rodrigues katiarodrigues10@gmail.com Susane Barros coordeditorialedufba@gmail.com Flávia Goulart Rosa fflaviagoulartroza@gmail.com Bruna Lessa lessbruna@gmail.com <p>O Movimento de Acesso Aberto Livre à Comunicação Científica, iniciado em 2002, vem ao longo do tempo ampliando suas dimensões. Consciente da relevância dessa temática para os diferentes campos científicos, esta pesquisa tem como objetivo identificar a percepção dos pesquisadores bolsistas de produtividade em pesquisa do CNPq, nível 1A, de instituições públicas acerca da ciência aberta. A pesquisa caracteriza-se como descritiva, com abordagem quantitativa. Quanto ao instrumento de coleta de dados, recorreu-se ao questionário, disponível no survey monkey. A amostra foi composta por 53 pesquisadores, de diferentes campos científicos, os quais responderam ao questionário. Os resultados comprovam a aceitação das práticas da ciência aberta entre os pesquisadores investigados. Quanto às dimensões da ciência aberta, os pesquisadores informaram que já utilizaram ou continuam utilizando o “Acesso aberto” e as “Redes sociais científicas”. No que diz respeito às razões que levam os investigados a optarem pela ciência aberta, constata-se a preocupação em “Promover o acesso aberto aos dados e publicações científicas” e “Preservar, valorizar e partilhar a produção científica”.</p> 2020-03-20T15:00:54+00:00 Copyright (c) 2020 Kátia de Oliveira Rodrigues, Susane Barros, Flávia Goulart Rosa, Bruna Lessa http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4988 Pré-registro de teses e dissertações no Repositório Institucional da Universidade Federal de Juiz de Fora: uma alusão aos preprints 2020-03-20T15:00:57+00:00 Adriana A. Oliveira jfadriana@gmail.com <p>A disponibilização de teses e dissertações no Repositório Institucional da Universidade Federal de Juiz de Fora (RI-UFJF) ocorre aproximadamente 90 dias após a defesa do trabalho e aprovação pela banca examinadora. A lacuna existente entre o aceite e o acesso ocorre devido ao processo de homologação tramitado dentro da instituição para registro e validação do título obtido. Em alusão aos <em>preprints</em> utilizados para acelerar o processo de comunicação dos resultados de pesquisas em periódicos, o registro prévio dos principais dados da pesquisa acadêmica foi a solução encontrada para trazer a celeridade para divulgação das produções. O pré-registro de teses e dissertações é realizado a partir das informações contidas na matéria jornalística realizada pela Equipe de Divulgação Científica da Diretoria de Imagem Institucional da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e divulgada no site da instituição. A coleção “Defesas Recentes – Teses e Dissertações” contém os pré-registros – título do trabalho, orientador, autor, banca – e utiliza a matéria como se fosse o resumo do trabalho. O texto completo do arquivo fica pendente e é inserido por ocasião do recebimento do processo homologado no Repositório Institucional. Com a divulgação do pré-registro imediatamente após a defesa, as principais informações, bem como os resultados das pesquisas que foram objeto de tese e dissertações já podem ser recuperados em pesquisas realizadas no RI-UFJF e em serviços de busca.</p> 2020-03-20T15:00:57+00:00 Copyright (c) 2020 Adriana A. Oliveira http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4983 Altmetria e impacto social da ciência na área de Comunicação e Informação: uma pesquisa multidimensional sobre a circulação da produção científica brasileira em sites de redes sociais 2020-03-20T15:00:58+00:00 Thaiane Oliveira thaianeoliveira@id.uff.br José Henrique Cabral de Paiva Filho josehcpf@id.uff.br Camila Ribeiro Parreira camilarparreira@gmail.com Rayane Pantoja rayanepantoja@gmail.com <p>Busca-se refletir sobre o impacto social da ciência pela altmetria, investigando a presença,<br />circulação e atenção online das revistas da área de Comunicação e Informação, utilizando os<br />seguintes procedimentos: 1) coleta de dados sobre as revistas brasileiras em Comunicação e<br />Informação; 2) mapeamento da presença dessas nos sites de redes sociais: Facebook, Twitter,<br />YouTube e Instagram; 3) Análise de redes sociais com foco em análise de conteúdo sobre o<br />engajamento das páginas das revistas identificadas; 4) mapeamento de dados altmétricos das<br />revistas nas plataformas Dimensions e Altmetric. A proposta desta pesquisa mista<br />multidimensional é entender como a produção científica da área tem circulado em redes<br />sociais. Os resultados apontam que a área de Comunicação e Informação tem baixa presença,<br />tanto nas plataformas Dimensions e Altmetric, quanto nos próprios sites de redes sociais. A<br />circulação da produção científica refere-se mais a divulgação de pesquisadores individuais do<br />que perfis institucionais dos periódicos, com baixo engajamento do público não-acadêmico.<br />No entanto, tem havido um aumento progressivo desta presença e atenção online, apontando para um crescimento do uso de sites de redes sociais para a divulgação da produção científica como estratégia de comunicação institucional dos periódicos.</p> 2020-03-20T15:00:58+00:00 Copyright (c) 2020 Thaiane Oliveira, José Henrique Cabral de Paiva Filho, Camila Ribeiro Parreira, Rayane Pantoja http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4860 Explorando o Google Data Search para zika, dengue e chikungunya 2020-03-20T15:01:00+00:00 Maria Simone de Menezes Alencar simone.alencar@unirio.br Jorge Lima de Magalhães jorge.magalhaes@far.fiocruz.br Suzanne de Oliveira Rodrigues Schumacher suzanne@eq.ufrj.br Juliana de Simone Morais ju.s.morais@eq.ufrj.br Mateus Pinheiro Ramos mateusramos@eq.ufrj.br Adelaide Maria de Souza Antunes adelaide@eq.ufrj.br O trabalho visa explorar o Google Data Search, ferramenta instrumento de apoio a Ciência Aberta, composto por vários provedores de diferentes assuntos. O estudo teve por base a área de saúde pública com busca de dados sobre as doenças negligenciadas Zika, Dengue e Chikungunya. O levantamento obteve 75 conjuntos de dados que foram tratados em planilha Excel por: título; nome do provedor com respectivo link; no. de artigos que citam os dados; DOI; datas da criação, atualização, publicação; instituição fornecedora dos dados; autores, licença e formato de download. Após análise, foram criadas mais duas variáveis indexando a região geográfica e tipologia dos dados. Os resultados mostraram que experimentos, casos e modelagem estatística são as tipologias mais frequentes, 45% dos conjuntos de dados são citados em artigos científicos e a região que tem com o maior número de conjunto de dados sobre os temas é o Brasil. Os metadados são originados de 13 diferentes provedores. Conclui-se sobre o potencial que o Google Data Search tem para estimular o reuso dos dados abertos de pesquisa, contribuindo para o avanço da ciência e maximização dos investimentos aplicados em pesquisas. 2020-03-20T15:01:00+00:00 Copyright (c) 2020 Maria Simone de Menezes Alencar, Jorge Lima de Magalhães, Suzanne de Oliveira Rodrigues Schumacher, Juliana de Simone Morais, Mateus Pinheiro Ramos, Adelaide Maria de Souza Antunes http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4973 COMPETÊNCIAS DOS BIBLIOTECÁRIOS NA GESTÃO DOS DADOS DE PESQUISA 2020-03-20T15:01:03+00:00 Maria Helena Ferreira Xavier da Silva Silva mh_xavier@id.uff.br Luana Farias Sales luanafsales@gmail.com Luis Fernando Sayão Lsayao@cnen.gov.br Geisa Meirelles Drumond meirellesdrumond@gmail.com Ana Maria Neves Maranhão anamaranhao01@gmail.com <p>No cenário científico, e-Science é o ambiente de profusão dos dados científicos, que demandam práticas de gestão, que, por sua vez, implicam no surgimento de competências para sua implementação. Conforme análise da literatura, os bibliotecários desempenham um papel importante nos serviços de gestão de dados, o que reforça a necessidade de desenvolvimento de competências, buscando melhorar suas habilidades a fim de dar o suporte necessário aos pesquisadores para a construção de uma metodologia para difundir dados de pesquisa de maneira que possam ser reutilizados. Desse modo, a discussão a respeito de dados de pesquisa e seu impacto no modus operandi da biblioteca tem contribuído para a construção do perfil profissional dos bibliotecários de dados.</p><p> </p><p><strong>Palavras-chave: </strong>Gestão de dados; Bibliotecários de dados; Competência dos bibliotecários.</p> 2020-03-20T15:01:03+00:00 Copyright (c) 2020 Maria Helena Ferreira Xavier da Silva Silva, Luana Farias Sales, Luis Fernando Sayão, Geisa Meirelles Drumond, Ana Maria Neves Maranhão http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4982 Almamater: a herança cultural da Universidade de Coimbra em Acesso Aberto 2020-03-20T15:01:05+00:00 Ana Luísa Silva als@uc.pt Mário Bernardes mjb@uc.pt Bruno Neves bneves@sib.uc.pt Ana Eva Miguéis evamigueis@sib.uc.pt A Universidade de Coimbra (UC), fundada em 1290, detém um importante património cultural que integra a UNESCO World Heritage (2013). Nos últimos dez anos, foi digitalizada uma parte significativa deste património que posteriormente foi agregado em diversas bibliotecas digitais. A UCDigitalis (2012) foi o primeiro projeto global para disseminação de conteúdos digitais oferecendo uma interface comum para todas as bibliotecas digitais, das quais se destaca a Almamater que reúne um valioso património de livro antigo, manuscritos, mapas e gravuras. Com o objetivo de atualizar tecnologicamente a plataforma e permitir o acesso aos conteúdos digitais a um público mais alargado, a UC iniciou um novo projeto focado na qualidade da interface de utilizador, na independência em relação aos dispositivos, na interoperabilidade com outros sistemas aplicacionais e na flexibilidade de agregação e apresentação do seu património digital. Esta apresentação tem por objetivo partilhar a experiência obtida durante a implementação do projeto, descrevendo os aspectos mais críticos, designadamente as funcionalidades da interface de utilizador, a integração de APIs IIIF (International Image Interoperability Framework) de imagem e apresentação, migração de dados e tarefas de curadoria. Serão ainda apresentadas as perspectivas de evolução futura do projeto. 2020-03-20T15:01:05+00:00 Copyright (c) 2020 Ana Eva Miguéis http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4999 Compartilhamento de dados de pesquisa na Fiocruz: diagnóstico e percepção do pesquisador 2020-03-20T15:01:07+00:00 VIVIANE Santos de Oliveira VEIGA vivianesantosveiga@gmail.com Rejane Machado rejane.machado@icict.fiocruz.br Vanessa de Arruda Jorge vanessa.arruda@incqs.fiocruz.br Erick Penedo erick.penedo@icict.fiocruz.br <p>Este artigo apresenta os resultados parciais de pesquisa em andamento para caracterizar os dados de pesquisa produzidos na Fiocruz e analisar a percepção dos pesquisadores quanto ao compartilhamento e abertura destes dados. Foi utilizado como instrumento de coleta de dados um questionário online. O instrumento foi aplicado aos pesquisadores da Fiocruz. A análise dos dados obtidos foi baseada no Modelo de Fatores que influenciam no comportamento de compartilhamento de dados de pesquisa. Os resultados parciais apresentam as barreiras que interferem no compartilhamento de dados de pesquisa e os estímulos à adesão ao movimento Ciência Aberta. Desenha um diagnóstico sobre os dados de pesquisa gerados pelos pesquisadores da Instituição, que pode subsidiar estratégias para o desenvolvimento de infraestrutura para o compartilhamento de dados de pesquisa na Fiocruz. Verificou-se que a principal barreira é a desinformação, das formas de compartilhamento, das plataformas existentes, e das normas vigentes. A maioria dos pesquisadores da Fiocruz compreende a importância do compartilhamento e abertura dos dados de pesquisa principalmente para a transparência na conduta da pesquisa e otimização do avanço científico.</p> 2020-03-20T15:01:07+00:00 Copyright (c) 2020 VIVIANE Santos de Oliveira VEIGA, Rejane Machado, Vanessa de Arruda Jorge, Erick Penedo http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/5002 Uma Análise da Colaboração Científica dos Autores com Publicações em Periódicos de Acesso Aberto 2020-03-20T15:01:09+00:00 Patrícia Mascarenhas Dias patriciamdias@gmail.com Thiago Magela Rodrigues Dias thiagomagela@gmail.com Gray Farias Moita gray@dppg.cefetmg.br Estudos sobre as redes de colaboração científica vêm a algum tempo recebido atenção de analistas de diversas áreas do conhecimento devido seu potencial de identificar como grupos de pesquisadores têm colaborado em suas pesquisas. Em geral, os estudos sobre as redes de colaboração viabilizam com a adoção de métricas específicas compreender como grupos de pesquisa têm colaborado, e ainda, como as redes são estruturadas e evoluem ao longo do tempo. Considerando o aumento na quantidade média de autores na produção de artigos científicos, este trabalho analisa a rede de colaboração científica do conjunto de indivíduos cadastrados na Plataforma Lattes e com publicações de artigos em periódicos de acesso aberto. Apenas artigos publicados em acesso aberto são considerados para as análises, viabilizando a compreensão sobre como as colaborações têm sido realizadas nas pesquisas divulgadas neste meio de publicação. 2020-03-20T15:01:09+00:00 Copyright (c) 2020 Patrícia Mascarenhas Dias, Thiago Magela Rodrigues Dias, Gray Farias Moita http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/5003 Utilizando o framework LattesDataXplorer para Vincular Automaticamente os Currículos da Plataforma Lattes à Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) 2020-03-20T15:01:10+00:00 Thiago Magela Rodrigues Dias thiagomagela@gmail.com Washington Carvalho-Segundo washingtonsegundo@ibict.br Lautaro Matas lmatas@gmail.com Um dos principais problemas em repositórios científicos é identificar relacionamentos e vincular metadados de diferentes fontes. Este trabalho descreve brevemente os últimos resultados de um esforço para construir uma plataforma de software comum capaz de processar metadados de diferentes fontes heterogêneas. O estudo de caso para essa fase inicial é o encadeamento da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) e dos currículos da Plataforma Lattes, aplicando uma estratégia de transformação de <em>string</em>. Os resultados preliminares mostram um caminho promissor a seguir para alcançar uma implementação de nível de produção 2020-03-20T15:01:10+00:00 Copyright (c) 2020 Thiago Magela Rodrigues Dias, Washington Carvalho-Segundo, Lautaro Matas http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/5004 Comparando Softwares gratuitos para criação de repositórios de dados abertos. 2020-03-20T15:01:12+00:00 Leonard Richard Rodrigues Rufino Campêlo leonardcampelo@ibict.br Vanderlino Coelho Barreto Neto vanderlinoneto@ibict.br <span id="docs-internal-guid-52b3ced2-7fff-ff0b-c352-878d9093752c"><span>O estudo apresenta uma comparação entre os softwares livres para construção de repositórios Dataverse, Invenio, DSpace e CKAN. A partir de um conjunto de critérios, é avaliado em que nível estas ferramentas possuem as funcionalidades necessárias para construção de um repositório de dados científicos.</span></span> 2020-03-20T15:01:12+00:00 Copyright (c) 2020 Leonard Richard Rodrigues Rufino Campêlo, Vanderlino Coelho Barreto Neto http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4878 Repositórios de Dados Científicos na Infraestrutura de Pesquisa: adoção dos princípios FAIR 2020-03-20T15:01:13+00:00 Elizabete Cristina de Souza de Aguiar Monteiro ecsamonteiro@gmail.com Ricardo Cesar Gonçalves Sant’Ana ricardo.santana@unesp.br <p>As infraestruturas de pesquisa são implementadas por instituições para apoiar a descoberta, a partilha, a exploração, a análise, a curadoria, a utilização, a replicação e a gestão de dados que, alinhadas aos aspectos debatidos no contexto da Ciência Aberta, tem o potencial de acelerar a descoberta e a inovação científica. Os princípios FAIR para a ciência de dados estão sendo adotados em conexão com infraestruturas de pesquisa como CLARIN que fornecem repositórios de dados para a gestão dos dados. O Objetivo deste artigo é apresentar a infraestrutura de pesquisa CLARIN a qual adotou os princípios FAIR e discutir a relevância dos repositórios de dados nesse contexto. Foi utilizada a metodologia qualitativa como base o levantamento bibliográfico para a discussão sobre as temáticas. Para coleta sobre os repositórios de dados da infraestrutura CLARIN foi utilizado o Registry of Research Data Repositories (re3data.org). Conclui-se que os repositórios de dados propiciam condições para atenderem aos requisitos do FAIR e que a quantidade de repositórios de dados integrados à infraestrutura CLARIN demonstra o valor agregado desses repositórios.</p> 2020-03-20T15:01:13+00:00 Copyright (c) 2020 Elizabete Cristina de Souza de Aguiar Monteiro, Ricardo Cesar Gonçalves Sant’Ana http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4980 A Plataforma Integrada de Apoio à Publicação Científica 2020-03-20T15:01:14+00:00 José Carvalho jcarvalho@sdum.uminho.pt Carla Marques carla.marques@sdum.uminho.pt Paulo Lopes plopes@fccn.pt João Mendes Moreira jmm@fccn.pt Eloy Rodrigues eloy@sdum.uminho.pt <span id="docs-internal-guid-7e7875c4-7fff-d6e0-c7b6-291d9dd86b32"><span>As alterações dos processos de publicação científica são emergentes para se poder cumprir com as necessidades atuais de gestão de informação, fluxos e diferentes contextos de aplicação que as revistas científicas hoje em dia têm como desafios. Pretende-se com este trabalho apresentar um projeto nacional integrador para promover boas práticas de gestão de publicações científicas, implementar serviços de apoio, formação e metodologias testadas e otimizadas para diminuir o esforço humano e aumentar os níveis de interoperabilidade entre sistemas e ferramentas. Prevê ainda a aplicação de processos inovadores ligados à Ciência Aberta.</span></span> 2020-03-20T15:01:14+00:00 Copyright (c) 2020 José Carvalho, Carla Marques, Paulo Lopes, João Mendes Moreira, Eloy Rodrigues http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4979 O Novo Portal RCAAP e o Alinhamento Internacional 2020-03-20T15:01:15+00:00 José Carvalho jcarvalho@sdum.uminho.pt Paulo Graça paulo.graca@fccn.pt Lautaro Matas lmatas@gmail.com Paulo Lopes plopes@fccn.pt João Mendes Moreira jmm@fccn.pt Raquel Truta raquel@sdum.uminho.pt Eloy Rodrigues eloy@sdum.uminho.pt <span id="docs-internal-guid-54ee1661-7fff-21ff-a71e-2fccb427f4a5"><span>Este trabalho apresenta os desenvolvimentos e roadmap do novo Portal RCAAP desenvolvido com base no software La Referencia. O desenvolvimento do novo Portal teve como principais objetivos o alinhamento das funcionalidades à gestão de entidades (autores, publicações, financiamentos, etc…) mas também adequar-se aos requisitos de um portal nacional de publicações e dados de investigação. Descrevem-se o processo de definição de requisitos, bem como os desenvolvimentos integrados ou a integrar para responder aos requisitos identificados. Finalmente, este trabalho apresenta um caso de sucesso de alinhamento internacional da comunidade que gere infraestruturas de ciência nacionais e iniciativas orientadores das boas práticas como o OpenAIRE.</span></span> 2020-03-20T15:01:15+00:00 Copyright (c) 2020 José Carvalho, Paulo Graça, Lautaro Matas, Paulo Lopes, João Mendes Moreira, Raquel Truta, Eloy Rodrigues http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4748 Preservação da memória na área de ciências da saúde 2020-03-20T15:01:17+00:00 Regina Oliveira de Almeida regina.unirio@gmail.com <span style="font-family: 'Times New Roman','serif'; font-size: 12pt; mso-bidi-font-size: 11.0pt; mso-fareast-font-family: Calibri; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: EN-US; mso-bidi-language: AR-SA; mso-bidi-font-weight: bold; mso-bidi-font-style: italic;">O objetivo deste trabalho é mostrar os resultados do projeto de digitalização e publicação on-line dos acervos da Coleção Memória da Enfermagem e da Nutrição, assim como a utilização extensiva das notas do MARC 21 para retratar as especificidades de cada exemplar registrado.<em> </em></span><span style="font-family: 'Times New Roman','serif'; font-size: 12pt; mso-bidi-font-size: 11.0pt; mso-fareast-font-family: Calibri; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: EN-US; mso-bidi-language: AR-SA;">Insere-se nas políticas e práticas de </span><span style="font-family: 'Times New Roman','serif'; font-size: 12pt; mso-bidi-font-size: 11.0pt; mso-fareast-font-family: Calibri; mso-ansi-language: PT; mso-fareast-language: EN-US; mso-bidi-language: AR-SA;" lang="PT">acesso aberto: desenvolvimento derepositórios digitais institucionais, temáticos, de dados de investigação; modelos e padrões de metadados; preservação digital e direitos de autor. </span><span style="font-family: 'Times New Roman','serif'; font-size: 12pt; mso-fareast-font-family: 'Times New Roman'; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: EN-US; mso-bidi-language: AR-SA;">Coleções bibliográficas especiais dentro de uma biblioteca universitária requerem um tratamento diferenciado do acervo geral: necessitam ser tratadas e disponibilizadas ao público, sem desconsiderar as questões de segurança patrimonial, pois seus itens, muitas das vezes, apresentam riscos e problemas de preservação em seu suporte original. O acesso à informação armazenada é um benefício chave do sistema de preservação de imagem digital. O escaneamento digital tem sido uma solução relativamente barata de duplo fim: para a preservação e o acesso, a distribuição e a transmissão da informação. A cópia digital garante por mais tempo o acesso ao conteúdo informacional enquanto o formato original fica preservado.</span><span style="font-family: 'Times New Roman','serif'; font-size: 12pt; mso-bidi-font-size: 11.0pt; mso-fareast-font-family: Calibri; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: EN-US; mso-bidi-language: AR-SA;"> Assim, </span><span style="font-family: 'Times New Roman','serif'; font-size: 12pt; mso-fareast-font-family: 'Times New Roman'; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: EN-US; mso-bidi-language: AR-SA;">as atividades de descrição, conservação, digitalização, armazenamento digital e criação de mecanismos de busca do acervo permitem a preservação da informação, a organização e a proteção física do acervo, democratizando o acesso à informação.</span> 2020-03-20T15:01:17+00:00 Copyright (c) 2020 Regina Oliveira de Almeida http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4749 Open 24 hrs: Curso Online e Guia Temático sobre Acesso Aberto 2020-03-20T15:01:19+00:00 Clara Parente Boavida clara.boavida@iscte-iul.pt Maria João Amante maria.amante@iscte-iul.pt <p align="left">O objetivo deste trabalho é apresentar duas abordagens diferentes do conceito e da evolução do Acesso Aberto:</p><p align="left">- A primeira destaca um curso de formação online sobre Acesso Aberto constituído por 8 módulos com um <em>quizz</em> de sistematização da informação no final de cada módulo;</p><p align="left">- A segunda inclui um guia temático sobre o Acesso Aberto à Produção Científica usando o <em>software</em> <em>opensource</em> <em>SubjectPlus</em> que apoia a produção de guias para Bibliotecas.</p> 2020-03-20T15:01:19+00:00 Copyright (c) 2020 Clara Parente Boavida, Maria João Amante http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4778 Repositório Institucional de Geociências do Serviço Geológico do Brasil como serviço de disponibilização de informações geocientificas para a sociedade 2020-03-20T15:01:21+00:00 Flasleandro Vieira Oliveira flasleandro.oliveira@cprm.gov.br <p>A CPRM – Serviço Geológico do Brasil, através da Rede de Bibliotecas Ametista, envidou esforços para a criação do Repositório Institucional de Geociências (RIGeo). O RIGeo foi implantado em 2015, utilizando-se o software livre Dspace, sendo que sua política mandatória foi aprovada em 2017.</p><p>Os objetivos precípuos do RIGeo são: permitir o acesso integral à produção intelectual dos pesquisadores da instituição, preservar a memória científica gerada ao longo dos anos, fomentar a pesquisa científica na área de geociências e demais áreas do conhecimento e permitir o acesso às publicações dos autores-pesquisadores da instituição. Desta forma, o RIGeo busca estar em consonância com o Movimento Internacional de Acesso Aberto à Informação Científica.</p><p>O RIGeo foi recentemente catalogado no OpenDoar, que se configura no maior diretório de repositórios de acesso aberto do mundo. Isto vem corroborar o compromisso do RIGeo com o acesso aberto e demonstra a relevância da informação geocientífica junto à comunidade acadêmica e a sociedade brasileira.</p><p>Há que destacar também que está em fase de implementação a disponibilização dos dados vetoriais das pesquisas geocientíficas no RIGeo. Nesse sentido, amplia-se o escopo do RIGeo, pois além de arquivos estáticos como o pdf, estarão também disponíveis dados passíveis de serem trabalhados em ambiente SIG (Sistema de Informações Geográficas).</p>Por fim, o RIGeo objetiva dar acesso a informações que possibilitem melhores condições de vida para a sociedade, pois disponibilizar a informação geocientífica é, antes de tudo, aproximar a ciência do cidadão e oportunizar melhorias nas condições de vida das pessoas e, em muitos casos, possibilitar salvar vidas que estão em iminente perigo. 2020-03-20T15:01:21+00:00 Copyright (c) 2020 Flasleandro Vieira Oliveira http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4840 UNIVERSIDADES FEDERAIS BRASILEIRAS E O USO DO OPEN JOURNAL SYSTEMS 2020-03-20T15:01:23+00:00 Gilmar Gomes de Barros gilmargomesdebarros@gmail.com Edna Karina da Silva Lira liraa.karina@gmail.com Josiane Ribeiro Prestes josiane.caic@gmail.com Tatieli Moraes tatiellymoraes.tm@gmail.com Angélica Conceição Dias Miranda angelicacdm@gmail.com <p>A internet mudou os padrões da disseminação de informação científica, permitindo maior abrangência do acesso à essa produção.<strong> </strong>As Universidades federais participam desse cenário com os portais de periódicos científicos. No Brasil, é usado o Open Journal Systems – OJS. Diante disso, o presente estudo buscou analisar quais Universidade Federais brasileiras possuem Portal de periódicos. Tendo por objetivos específicos: a) analisar se utilizam o Open Journal Systems; b) Verificar qual versão utilizam e c) quantas revistas possuem. Trata-se de um estudo exploratório, porque busca-se mais subsídios ao tema, e descritivo, por apenas descrever um cenário, sem nele interferir. O universo da pesquisa são 52 universidades federais brasileiras. Pesquisou-se, em cada portal de periódicos, a versão utilizada do OJS. Dentre os resultados, destaca-se o maior número de revistas portais e revistas na região Sudeste, sendo a versão 2.4.8.0 do OJS a mais utilizada. Nesse sentido, convém ampliar as discussões sobre gestão de dados científicos e a promoção do conhecimento produzido em instituições públicas de ensino.</p> 2020-03-20T15:01:23+00:00 Copyright (c) 2020 Gilmar Gomes de Barros, Edna Karina da Silva Lira, Josiane Ribeiro Prestes, Tatieli Moraes, Angélica Conceição Dias Miranda http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4826 Repositório digital temático aplicado à alfabetização e letramento dos anos iniciais do ensino fundamental em escolas da rede municipal de Manaus 2020-03-20T15:01:25+00:00 Suely Oliveira Moraes Marquez suelymoraes31@gmail.com Zeina Rebouças Corrêa Thomé zeinathome@gmail.com <p>Atualmente a informação e o conhecimento são compartilhados de maneira muito rápida, quase instantânea, dessa forma é primordial para qualquer profissional se manter atualizado. <br />Quando disponibilizamos informação estamos promovendo nova geração de conhecimento, que por sua vez produzirá mais informação e assim sucessivamente. No caso do estudo em questão essa é a pretensão que se tem, pois devemos levar em consideração que todas as informações que serão disponibilizadas no repositório digital temático têm como pressuposto criar novas informações e novos conhecimentos pautadas na vivência dos atores da pesquisa. <br />O repositório digital temático desenvolvido no projeto tem como objetivo colocar à disposição do gestor, coordenador pedagógico e professor, orientações gerais e específicas, formação continuada e informações que favoreçam a formulação de alternativas sistemáticas para a melhoria da aprendizagem e a elevação dos índices de rendimento escolar, centrados na alfabetização, letramento, escrita e leitura nas escolas da rede municipal de Manaus. <br /> O projeto intitulado “Gestão do Conhecimento Escolar, Alfabetização e Formação para a Cidadania” foi desenvolvido no Centro de Formação Continuada, Desenvolvimento de Tecnologia e Prestação de Serviços para a Rede Pública de Ensino (CEFORT/UFAM) em parceria com a Secretaria de Educação do Estado do Amazonas (SEMED).</p> 2020-03-20T15:01:25+00:00 Copyright (c) 2020 Suely Oliveira Moraes Marquez, Zeina Rebouças Corrêa Thomé http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4828 A utilização dos termos Acesso Aberto e Acesso Livre em periódicos científicos nacionais 2020-03-20T15:01:28+00:00 Kethlen Araújo Perdigão kethlen.annesilva@gmail.com Adriana Cavalcante Macêdo adrianachristiny.cavalcante@gmail.com Eliane Silveira Gonçalves gon_eliane@yahoo.com.br Inscrita na área da Ciência da Informação, esta pesquisa partiu da necessidade de um debate sobre a precarização de produções científicas que apresentam uma definição para os termos Acesso Aberto e Acesso Livre. Com isso, notou-se que, apesar de inúmeros debates sobre a democratização de acesso à informação, ainda é necessário compreender como periódicos científicos conceituam os termos Acesso Aberto e Acesso Livre. Metodologicamente, aplicou-se a abordagem quantitativa (GIL, 2017). Assim, selecionou-se três periódicos da área da Ciência da Informação, a partir dos quais foram escolhidos 19 artigos científicos para examinar a presença dos termos Acesso Aberto e Acesso Livre nos seus títulos, resumos e palavras-chaves. Além disso, para identificar como esses termos foram utilizados, recorreu-se à análise de conteúdo, filiada aos estudos de Câmara (2013). Para uma compreensão dos termos em análise, recorreu-se a Kroeff; Mattos; Fátima (2018) e Kuramoto (2006). Os resultados da pesquisa evidenciaram que 6, dos 19 artigos, continham em seus escritos definições para os termos Acesso Aberto ou Acesso Livre. Percebeu-se também que algumas terminologias empregadas para essas palavras são usadas como a tradução de <em>Open Access</em>, sendo que em alguns artigos a conceituação aparece com relação de sinonímia, enquanto em outros, atribui outras características para <em>Open Access</em>. Conclui-se que a compreensão dos termos Acesso Aberto ou Acesso Livre, amplamente utilizados no campo da Ciência da Informação, torna-se imprescindível. Assim, é necessário reforçar ainda mais a implantação do Movimento <em>Open Access</em> no Brasil, pois terminologias claras contribuem para o entendimento dos objetivos de ações na sociedade em geral e na comunidade científica. Desse modo, essas ações podem contribuir para um redimensionamento da democratização do acesso à informação, seja por meio do Acesso Aberto ou por meio do Acesso Livre. 2020-03-20T15:01:28+00:00 Copyright (c) 2020 Kethlen Araújo Perdigão, Adriana Cavalcante Macêdo, Eliane Silveira Gonçalves http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4827 Canal IBciência: divulgação da Produção Científica do Instituto de Biociências da USP 2020-03-20T15:01:30+00:00 Adriana Hypólito Nogueira ahypolito@usp.br Elisabete da Cruz Neves beteneves@usp.br Orlando Gomes da Silva orlando@ib.usp.br A grande quantidade de produções científicas geradas pelos pesquisadores do Instituto de Biociências da USP - IB/USP trouxeram uma demanda nova para a Biblioteca, que é como tornar acessíveis comunicações e divulgações feitas pelos pesquisadores, do andamento e dos resultados de suas pesquisas acadêmicas, disponíveis na plataforma YouTube, que são: aulas, cursos, entrevistas, atividades entre outros. Boa parte deste conteúdo tem linguagem informal e com o propósito de divulgação científica. Para reunir, disseminar e tornar acessível este material, a Biblioteca do IB/USP criou em 2017 o IBciência (https://www.youtube.com/c/IBciênciaDivulgaçãoCientíficadoIBUSP), um Canal no YouTube que reúne as comunicações do Instituto. Para realização, inicialmente foram selecionados vídeos, os quais foram indexados de acordo com os assuntos. Foram feitas inscrições em canais oficiais da USP e diariamente são feitas inclusões de novos vídeos. Atualmente conta com um crescimento considerável de inscritos, inclusive do exterior; as visualizações aumentaram de 2.523 em 2017 para 17.834 em 2018, o que evidencia a relevância do serviço pelos docentes, alunos e imprensa da USP. Ações como o registro no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), acompanhamento periódico das métricas e revisão da indexação das playlists buscam manter a qualidade. Identificou-se até o momento, que o perfil dos usuários buscam principalmente aulas ministradas por docentes do IB/USP. Constata-se que a comunicação científica em plataformas digitais é cada vez maior e a Biblioteca proporciona com este serviço, um espaço para expandir a divulgação científica, aproximar a sociedade das pesquisas desenvolvidas no Instituto e ampliar a visibilidade de seus pesquisadores. 2020-03-20T15:01:30+00:00 Copyright (c) 2020 Adriana Hypólito Nogueira, Elisabete da Cruz Neves, Orlando Gomes da Silva http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4833 Acesso aberto e cidadania científica: o papel das agências Financiadoras de pesquisas no Brasil e Portugal 2020-03-20T15:01:33+00:00 Izabel Antonina de Araujo antoninaizabel@gmail.com <p>Neste artigo se discute a importância de ações proativas das agências de fomento à pesquisa e das universidades para ampliação do acesso aberto à produção científica. Identifica iniciativas de alguns órgãos de fomento à pesquisa de Portugal e Brasil que contribuem para fortalecer as políticas institucionais. Evidencia a importância do apoio governamental, principalmente nos países emergentes como o Brasil em que o financiamento da produção científica em sua maioria advém de instituições governamentais e órgãos de fomento vinculados às agências de pesquisa públicas. Trata-se de uma pesquisa descritiva, utiliza-se como fonte, os portais das agências de financiamento, legislações e diretrizes sobre o tema com o objetivo de verificar se nas políticas de financiamento de pesquisa de algumas agências de fomento de `Portugal e Brasil há existência de alguma norma ou diretriz formalizada para que os resultados de pesquisa financiada com recursos públicos sejam disponibilizados em repositórios institucionais. A relevância deste estudo se destaca pela necessidade de valorizar e estimular o Acesso Aberto por meio dos repositórios institucionais no país com vistas a promover o desenvolvimento científico e estimular outros estudos que possam colaborar para o fomento de políticas para produção científica</p><p> </p> 2020-03-20T15:01:33+00:00 Copyright (c) 2020 Izabel Antonina de Araujo http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4854 Atribuição do DOI (Digital Object Indentifier) em Teses e Dissertações da UFU: relato de experiência 2020-03-20T15:01:35+00:00 Gizele Cristine Nunes do Couto gizele@ufu.br Fabiana de Oliveira Silva fabianas@ufu.br Nelson Marcos Ferreira nemafe@ufu.br Paulo de Assis da Cunha paulocunha@ufu.br <p>O relato de experiência irá contrubuir com informações relavantes sobre a atribuição do DOI em teses e dissertações, sendo uma área de interesse de gestores de repositórios, bibliotecários, gestores de dados de investigação, editores académicos, gestores de tecnologias de informação (programadores, administradores de sistemas e gestores de tecnologias de informação).</p> 2020-03-20T15:01:35+00:00 Copyright (c) 2020 Gizele Cristine Nunes do Couto http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4855 Produção científica do Instituto Nacional de Cardiologia: subsídios para formulação de política de repositório institucional 2020-03-20T15:01:36+00:00 Francijane Oliveira Conceição franolive83@yahoo.com.br Cyntia Mendes Aguiar cy.aguiar@gmail.com Maria Cristina Soares Guimarães cristina.guimaraes@icict.fiocruz.br Perfil da produção científica dos pesquisadores do Instituto Nacional de Cardiologia (INC) - centro de referência na promoção da saúde cardiovascular, que tem como missão formar profissionais, desenvolver e disseminar conhecimentos e tecnologias, com excelência na assistência, ensino e pesquisa - a fim de discutir subsídios para formulação de políticas para o povoamento de seu respectivo repositório institucional (RI). O objetivo principal foi identificar<strong> </strong>e analisar a produção bibliográfica dos profissionais do INC, mais especificamente, os artigos completos publicados por seus mestres e doutores em periódicos científicos. 2020-03-20T15:01:36+00:00 Copyright (c) 2020 Francijane Oliveira Conceição, Cyntia Mendes Aguiar, Maria Cristina Soares Guimarães http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4856 A relevância dos metadados: das infraestruturas à monitorização do Acesso Aberto 2020-03-20T15:01:38+00:00 Ana Inácio ana.inacio@iscte-iul.pt João Dias joao.dias@ucp.pt Maria João Amante maria.amante@iscte-iul.pt O estudo testa as potencialidades oferecidas pelas plataformas de metadados abertos na monitorização do estado do Acesso Aberto (AA), caracterizando parte da produção científica do ISCTE-IUL entre 2014 e 2018 no que se refere a dimensões selecionadas. Possibilita igualmente o levantamento das dificuldades e/ou limitações de interoperabilidade entre diferentes sistemas de informação científica. 2020-03-20T15:01:38+00:00 Copyright (c) 2020 Ana Inácio, João Dias, Maria João Amante http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4865 Preservação da memória e repositório institucional: Uma iniciativa permeada pela equidade no acesso 2020-03-20T15:01:38+00:00 Ana Carolina Freitas Guimarães anadeguima@gmail.com <p><em>A Política Nacional de Memória da Ciência e Tecnologia reforça a importância da criação de mecanismos de preservação da memória da produção científica e tecnológica, sob o risco de não ser reconhecido como parte integrante do amplo processo de construção do conhecimento humano<sup>1</sup>. Uma infraestrutura informacional fundamental para a preservação da memória é o Repositório Institucional (RI)<sup>2-3</sup>. O presente trabalho apresenta iniciativas pioneiras no âmbito da epidemiologia, determinação social da saúde e da promoção da saúde desenvolvidas pelo Laboratório de Epidemiologia e Determinação Social da Saúde (LAPEPIDSS), situado no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e vem acumulando uma extensa produção de documentos desde 2002, que testemunham o histórico de interação e aprendizagem entre pesquisadores e a comunidade, e que se constitui em valiosa memória dessa iniciativa pioneira. Entretanto, essa produção se encontra armazenada de forma pulverizada e com baixo grau de sistematização, comprometendo a capacidade de busca e recuperação desse patrimônio histórico documental. A partir desta observação foi desenvolvido um projeto de pesquisa, atividade final avaliativa do Curso de Especialização em ICTS/ICICT/Fiocruz, intitulado “Plataforma de Saberes (PS): um compromisso com a preservação da memória da ciência e tecnologia”, que teve como objetivo principal desenvolver um estudo de constituição de memória do projeto “PS”, alicerceado pelo RI da Fiocruz (ARCA). Tomando como ponto de partida o ARCA, o projeto propôs sete etapas a serem alcançadas: 1. Treinamento e desenvolvimento de rede de apoio com a gestão do ARCA, 2. Busca de todos os documentos gerados, 3. Digitalização de documentos impressos, 4. Identificação e categorização, 5. Averiguação das questões ético-legais, 6. Proposição de Metadados, e 7. upload dos documentos no ARCA. O projeto ainda se encontra no cumprimento de sua segunda etapa. Defende-se a equidade no acesso à produção intelectual, viabilizando sua disseminação e promovendo o processo de comunicação e visibilidade. Espera-se também motivar outros profissionais e gestores da saúde, impulsionando o processo de engajamento da ciência com a sociedade, em uma perspectiva do acesso livre ao conhecimento.</em></p> 2020-03-20T15:01:38+00:00 Copyright (c) 2020 Ana Carolina Freitas Guimarães http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4872 Proteção autoral de dados e ciência aberta na blockchain 2020-03-20T15:01:41+00:00 Elizabete Cristina de Souza de Aguiar Monteiro ecsamonteiro@gmail.com Jacquelin Teresa Camperos-Reyes jacquelin.camperos-reyes@unesp.br Elaine Parra Affonso elaine.affonso@fatec.sp.gov.br Ricardo César Gonçalves Sant’Ana ricardo.santana@unesp.br <p>Diante da dinâmica da produção científica, o uso de blockchain como alternativa para a gestão dos direitos autorais alinha-se às necessidades do contexto científico, especificamente na conjuntura da ciência aberta pelos desafios relacionados ao compartilhamento e à reutilização de dados e à questão da proteção autoral. Processos desde produção até disponibilização dos dados são relativamente dispendiosos e os detentores de dados têm recorrido a estratégias para proteger à sua autoria. Assim, para minimizar aspectos relacionados à proveniência, a rastreabilidade e garantia da autoridade de dados tem-se utilizado a tecnologia blockchain. Buscou-se analisar a convergência entre o uso da blockchain para registro do direito autoral e a relação com a ciência aberta. Realizou-se pesquisa exploratória que utilizou análise de conteúdo com observação das unidades temáticas “direito autoral” e “ciência aberta”, verificando os núcleos de sentido em documentos a partir dos eixos propostos na taxonomia da FOSTER. Dois eixos dos propostos pela FOSTER estão sendo tratados, <em>Open science evaluation</em> e <em>Open data</em>, o que demonstra que interesses de pesquisadores estão indo além de tópicos técnicos convencionais, emergindo assim para o movimento da ciência aberta. Os autores ressaltaram o uso da blockchain como elemento que outorga segurança nos dados da pesquisa submetida a avaliação. Observando a rastreabilidade no acesso, reutilização e controle no compartilhamento de dados, verificou-se que as pesquisas concedem garantia à blockchain para a proteção autoral dos dados, visto que, esses dados estarão disponíveis para uso da comunidade científica no paradigma da ciência aberta. Há destaque para questões que envolvem transparência no processo de avaliação das pesquisas por pares, rastreabilidade no acesso e reutilização de dados de pesquisa. Destacou-se a importância de contar com sistemas de avaliação que gerem confiança nos pareceres emitidos por ser determinantes em processos da comunicação científica, minimizando assim receio pela perda de originalidade e possibilidades de plágio. A tecnologia blockchain surge como notável possibilidade para o desenvolvimento de estratégias que fomentam a ciência aberta, na perspectiva da consideração e proteção dos direitos dos autores. No âmbito do estudo, o uso dessa tecnologia tornou-se relevante em questões vinculadas à transparência em processos de avaliação por pares, citação, reconhecimento de autoria na reutilização de dados, rastreabilidade, verificação de acessos e uso, autenticidade e integridade dos dados, aspectos integrados aos eixos da ciência aberta.</p> 2020-03-20T15:01:41+00:00 Copyright (c) 2020 Elizabete Cristina de Souza de Aguiar Monteiro, Jacquelin Teresa Camperos-Reyes, Elaine Parra Affonso, Ricardo César Gonçalves Sant’Ana http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4891 O repositório institucional Memoria possibilitando visibilidade das produções acadêmicas. 2020-03-20T15:01:45+00:00 Ricardo Souza Marques ricardosouzamarques@gmail.com Vanessa Cavalcanti vanessa.cavalcanti@ifrn.edu.br Clediane Marques cledianeguedes@gmail.com O Instituto Federal do Rio Grande do Norte possui um Repositório Institucional denominado Memoria. Este possui uma política de informação instituída pela Resolução n. 15/2015-CONSUP que trata, dentre outras linhas, a necessidade de preservar, ampliar e difundir a produção técnico-científica da Instituição. O curso de Edificações é ofertado atualmente em quatro Campi, com uma média de mais de 100 (cem) trabalhos de conclusão de curso por semestre. O Campus São Paulo Potengí, ainda não contempla suas produções de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) no Memoria. Nesse sentido, foi criado um projeto de extensão do curso de edificações com objetivo de promover maior visibilidade da produção técnico acadêmica dos TCCs e relatórios de estágio dos alunos do Curso Técnico de nível médio em Edificações, nas formas Integrado e Subsequente, por meio da disponibilização dos documentos na coleção digital do Repositório Institucional, com propósito de disseminar o texto completo para comunidade, servindo de fonte de informação para pesquisas futuras, apoiando o compartilhamento das temáticas abordadas nos trabalhos finais de curso, visto que os Campi são distantes e que faz-se necessário que todos disponibilizem suas produções. Dessa forma o projeto já reuniu os arquivos e os termos de autorização dos trabalhos que compreendem a produção desenvolvida entre 2016 (primeira formatura) e 2018 (última turma formada) para serem cadastrados e disponibilizados no repositório, como também já solicitou adequações e permissões administrativas para realizar esses depósitos, que serão depositadas de forma mediada. O projeto também aponta necessidades de atualização e ampliação da política de informação do Memoria com fins de atender melhor a disponibilização da publicação institucional acadêmica de acesso aberto. Assim sendo, entre os benefícios esperados com a implementação deste projeto está na disponibilidade e visibilidade dos TCCs de Edificações IFRN/SPP, entre os anos 2016 e 2018; criação de tutorial de depósitos, divulgação e instrução de uso dessa ferramenta de suporte informacional à comunidade, aos alunos e aos professores deste Instituto e demais ambientes de ensino, como também um exemplo (rotina de trabalho) a ser seguido por todos os outros cursos em todos os <em>Campi</em> do IFRN. 2020-03-20T15:01:45+00:00 Copyright (c) 2020 Ricardo Souza Marques, Vanessa Cavalcanti, Clediane Marques http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4893 Boas práticas do Repositório Institucional do IFRN: relato de experiência do campus Natal – Zona Norte 2020-03-20T15:01:48+00:00 Vanessa Oliveira de Macêdo Cavalcanti vanessa.cavalcanti@ifrn.edu.br O Repositório Institucional (RI) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), o <em>Memoria</em>, conforme a sua Política Institucional de Informação Técnico-Científica objetiva reunir as produções acadêmicas, científicas, artísticas e administrativas do Instituto, a fim de aumentar seu impacto da investigação, sua visibilidade e de seus pesquisadores. Desde a implantação do RI, a Biblioteca do <em>campus</em> Natal – Zona Norte vem desenvolvendo ações positivas objetivando o alinhamento com as diretrizes institucionais<em>, </em>assim, destacamos algumas destas que apontamos como boas práticas. Com relação ao deposito de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), após envio de proposta de Instrução Normativa para os <em>campi</em> pelo Comitê Gestor, iniciou-se, por meio de processo administrativo local, ampla discussão do documento. A princípio em reunião com os coordenadores de curso e, posteriormente, em Colegiado da Diretoria Acadêmica com a apresentação e os esclarecimentos para a comunidade docente e setores administrativos vinculados ao ensino, em última etapa sendo aprovado pelo Conselho Escolar do <em>Campus</em>. Neste diálogo coletivo foi construído o fluxo de deposito dos TCCs do <em>Campus</em>, deixando a biblioteca e a secretaria acadêmica de receberem os documentos em formato impresso e passando estes a estarem disponíveis no repositório. O retorno positivo desta ação facilitou a divulgação em reuniões pedagógicas e em Semanas de Integração e Pesquisa. Sobre a Semana de Integração, a biblioteca apresenta aos novos alunos os serviços oferecidos pelo setor, dentre eles destacamos o RI e enfatizamos a sua relevância para a instituição e para a comunidade científica. Com relação a Semana de Pesquisa, exibimos o RI como fonte de informação confiável, além de pontuar considerações significativas sobre estatísticas de uso e o impacto para a ciência. Outro trabalho colaborativo desenvolvido pela biblioteca juntamente com docentes, foi a construção de um plano de marketing para o RI. A coordenação da biblioteca do <em>Campus</em> assumiu a coorientação do TCC desenvolvido por um ex-bolsista do setor e aluno do Curso Técnico em Comércio. Após a conclusão, a produção acadêmcia foi apresentada no XX Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias (SNBU), no ano de 2018 na cidade de Salvador/BA, Brasil. Ainda sobre as ações em benefício ao RI, o <em>Campus</em>, mais uma vez por intermédio da Biblioteca, desenvolveu um projeto de pesquisa sobre interoperabilidade entre sistemas, sendo o próprio <em>Dspace</em> e o Sistema Unificado de Administração Pública (SUAP), objetivando ampliar o povoamento do RI, melhorar o fluxo administrativo de deposito de TCCs e maximizar a divulgação da produção científica institucional. O projeto de pesquisa foi apresentado na 9ª ConfOA, no ano de 2018 em Lisboa, Portugal, e envolveu a coordenação da biblioteca, alunos do curso Superior em Informática e bibliotecária de outro <em>campus</em> da instituição. Diante do exposto, consideramos que as ações desenvolvidas localmente promoveram a sensibilização, facilitando a aceitação do RI, além de ter contribuído para a visibilidade pela comunidade local. Entendemos que o diálogo sistemático com a comunidade é fator considerado essencial para o sucesso de um RI e contribui também para a compreensão da sua relevância para a ciência aberta. 2020-03-20T15:01:48+00:00 Copyright (c) 2020 Vanessa Oliveira de Macêdo Cavalcanti http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4897 Depósito legal da produção académica: reflexões da Universidade Aberta (UAb), instituição de ensino superior público universitário português, premiada pelo RCAAP em 2018 2020-03-20T15:01:52+00:00 Madalena Carvalho maria.carvalho@uab.pt <p>Os estabelecimentos de ensino superior portugueses são responsáveis por facultar o acesso à Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência – DGEEC, aos conteúdos das dissertações de mestrado e teses de doutoramento defendidas nas suas instituições, e depositadas nos seus repositórios institucionais, para fins de recolha e processamento de indicadores estatísticos.</p><p><span style="font-size: medium;">Na Universidade Aberta, a articulação estabelecida entre a Direção de Serviços Académicos e a Direção de Serviços de Documentação, permitiu atualizar a informação relativa à totalidade das teses de doutoramento produzidas e às dissertações de mestrado defendidas desde o início de 2013. </span></p><p><span style="font-size: medium;">Concluída a defesa, os Serviços Académicos enviam as dissertações e as teses aprovadas para os Serviços de Documentação para efeitos de tratamento documental e depósito dos conteúdos digitais e respetivos metadados no Repositório. </span></p><p><span style="font-size: medium;">A certificação de que os documentos depositados são os defendidos e aprovados em provas públicas, é garantida por um procedimento do Sistema de Gestão da Qualidade da UAb. </span></p><p><span style="font-size: medium;">Ao integrar o Repositório, o documento passa a ter um identificador único e permanente “dc.identifier.uri” que é, juntamente com as “palavras-chave” atribuídas, inserido no RENATES pelos Serviços Académicos. Este registo garante a atribuição de um identificador numérico único “TID” ao documento. </span></p><p><span style="font-size: medium;">O procedimento relativo ao registo no RENATES é diferenciado para mestrados e doutoramentos. Nos doutoramentos é ao Conselho Científico que compete efetuar este registo aquando do início do Projeto de Tese, enquanto nos mestrados, a responsabilidade cabe aos Serviços Académicos e é efetuado após a conclusão das provas. </span></p><p><span style="font-size: medium;">A informação relativa ao identificador “TID” é inserida, pelos Serviços de Documentação, no campo de metadados “dc.identifier.tid” do documento, no Repositório. </span></p><p><span style="font-size: medium;">Em 2018 a UAb foi a</span><span style="font-size: medium;"> i</span><span style="font-size: medium;">nstituição de ensino superior público universitário portuguesa </span><span style="font-size: medium;">que evidenciou o maior grau de cumprimento relativo ao Depósito Legal da sua produção académica -</span><span style="font-size: medium;"> 100%.</span></p> 2020-03-20T15:01:52+00:00 Copyright (c) 2020 Madalena Carvalho http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4898 Recursos Educacionais Abertos e Agenda 2030. A Universidade Aberta de Portugal (UAb) 2020-03-20T15:01:55+00:00 Madalena Carvalho maria.carvalho@uab.pt Analisa-se a relevância do Projeto Recursos Educacionais Abertos (REA), desenvolvido pela Universidade Aberta de Portugal (UAb), para o cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, em particular: ODS 4 - Educação de Qualidade e ODS 17 - Parcerias para a Implementação dos Objetivos, dos Objetivos. 2020-03-20T15:01:55+00:00 Copyright (c) 2020 Madalena Carvalho http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4902 Tanatologia e estudo da morte: olhar sobre a produção científica em acesso aberto 2020-03-20T15:01:56+00:00 Rosangela Cordeiro de Souza Assef Neto rosangela.cordeiro@icict.fiocruz.br Cláudia Oliveira da Silva tanathosmaieutica@gmail.com Cícera Henique da Silva cicera.henrique@icict.fiocruz.br Maria Cristina Soares Guimarães cristina.guimaraes@icict.fiocruz.br Rosane Abdala Lins rosane.abdala@icict.fiocruz.br <p>A morte sempre foi um desafio para os profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros e psicólogos, que a tem no cotidiano de sua práxis. A formação de profissionais de saúde não só com as competências inerentes de cada curso, mas cobrindo todas as etapas do ciclo vital, inclusive a terminalidade e a morte, torna-se cada vez mais necessária. Os cursos de Tanatologia no Brasil ainda são poucos, e considerando esse cenário, ressalta-se a importância da publicação científica em acesso aberto sobre o tema. Buscou-se com esse estudo traçar um panorama da produção científica mundial, na tipologia artigo de periódico, e o que desta produção está em acesso aberto. A busca foi realizada na Web of Science para no período 1990 a 2018, filtrando na própria base a produção em acesso aberto. Após o tratamento dos dados, o total de artigos de periódicos resultante foi 872, e dentre estes o número de artigos publicados em acesso aberto foi de 154 registros. Dentre os países que mais publicam sobre o tema, destacam-se os EUA seguidos pelo Reino Unido. Ao olhar a publicação em acesso aberto o Brasil salta para a 4º posição no ranking mundial, com duas pesquisadoras Brasileiras entre os principais autores, Conclui-se com esse estudo que há uma crescente produção sobre o tema e principalmente na perspectiva do acesso aberto, com a participação marcante do Brasil e o interesse de vários países sobre o estudo da temática.</p> 2020-03-20T15:01:56+00:00 Copyright (c) 2020 Rosangela Cordeiro de Souza Assef Neto, Cláudia Oliveira da Silva, Cícera Henique da Silva, Maria Cristina Soares Guimarães, Rosane Abdala Lins http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4905 A influência do movimento Acesso Aberto na orientação de pesquisadores e usuários das bibliotecas da UFAM e IFAM 2020-03-20T15:01:58+00:00 Geyse Maria Almeida Costa de Carvalho geysecarvalho@ufam.edu.br Layde Dayelle dos Santos Queiroz layde.queiroz@ifam.edu.br <em>A presente pesquisa é resultado da análise realizada a partir da identificação das principais necessidades informacionais dos participantes em treinamentos de fontes de informações científicas realizados por bibliotecários da UFAM e do IFAM. </em> 2020-03-20T15:01:58+00:00 Copyright (c) 2020 Geyse Maria Almeida Costa de Carvalho, Layde Dayelle dos Santos Queiroz http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4887 Os princípios da ciência cidadã e a atuação do bibliotecário no processo de democratização da informação. 2020-03-20T15:02:00+00:00 Diego Leonardo de Souza Fonseca diego.fonseca@ifam.edu.br <p>A ciência cidadã pode ser considerada como uma das grandes entusiastas do processo de sociabilização da informação por meio do trabalho colaborativo em prol da democratização do conhecimento. Todo processo de engajamento dos elementos partícipes desse meio é promovido por diversas iniciativas que coadunam entre a colaboração da comunidade na atividade científica com a comunidade tradicional de fomento à pesquisa. O objetivo do estudo foi abordar os 10º princpios da ciência cidadã com base na atuação do bibliotecário como agente influenciador no processo de democratização da informação. O método de estudo pautou-se a análise documental dos 10 (dez) principios estabelecidos pela <em>European Citizen Science Association (ECSA) </em>que foi desenvolvido pelo grupo de trabalho<em> “Sharing best practice and building capacity”</em>em Lisboa, no ano de 2015<em>.</em> Após a análise, observou-se que há uma perspectiva de competência do bibliotecário em cada um dos principios da ECSA. O bibliotecário pode atuar diretamente nesse processo em prol do compartilhamento do conhecimento produzido em uma pesquisa desenvolvida na ciência cidadã. Assim sendo, concluiu-se que o papel de garantir o acesso ao conhecimento é um objetivo precípuo do bibliotecário como gerenciador da informação por meio da mediação entre a sociedade e o pesquisador, que está diretamente conectado aos principios da ciência cidadã como um instrumento de mediação entre a produção da informação, o seu processo de dissemincação e compartilhamento.</p> 2020-03-20T15:02:00+00:00 Copyright (c) 2020 Diego Leonardo de Souza Fonseca http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4908 Uma estratégia para identificação de gênero em repositórios de dados abertos utilizando um modelo de rede neural artificial 2020-03-20T15:02:02+00:00 Sérgio José de Sousa sergio7sjs@gmail.com Monique de Oliveira Santiago moniqueosantiago@gmail.com Thiago Magela Rodrigues Dias thiagomagela@gmail.com <p class="Normal1">Muitas bases de dados abertas não apresentam informações com relação ao gênero o que dificulta analises sobre esse tipo de informação, como identificação das polaridades e desigualdades. Alguns trabalhos tentam realizar essa classificação através do primeiro nome e utilizando técnicas tradicionais como SVM, diferente disso, este trabalho tenta encontrar uma relação entre os caracteres do nome completo com a finalidade de identificar um possível gênero para os nomes. O modelo de rede neural se mostrou bem efetivo chegando a atingir 98,99% de acurácia.</p> 2020-03-20T15:02:02+00:00 Copyright (c) 2020 Sérgio José de Sousa http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4909 Uma estratégia para recomendação de especialistas a partir de dados abertos disponíveis na Plataforma Lattes 2020-03-20T15:02:04+00:00 Sérgio José de Sousa sergio7sjs@gmail.com Thiago Magela Rodrigues Dias thiagomagela@gmail.com Adilson Luiz Pinto adilson@cin.ufsc.br <p>Com o crescente volume de dados e usuários de sistemas de currículos, a dificuldade de encontrar especialistas é cada vez maior. Neste trabalho é proposto metodologia de extração de dados abertos dos currículos da Plataforma Lattes, um tratamento para esses dados e investiga uma abordagem de Agente de Recomendação baseado em redes neurais profundas com autoencoder.</p> 2020-03-20T15:02:04+00:00 Copyright (c) 2020 Sérgio José de Sousa, Thiago Magela Rodrigues Dias, Adilson Luiz Pinto http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4910 Panorama dos repositórios institucionais nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia do Brasil 2020-03-20T15:02:05+00:00 Adélia de Moraes PINTO adeliaifpa@gmail.com Dóris Campos Mendonça doris.ifpa@gmail.com Gisela Fernanda Monteiro Danin giselaufpa@gmail.com Andreia Cristina da Paixao Rodrigues adm.andreiarodrigues@gmail.com Cristian Berrío-Zapata cristian.berrio@gmail.com <p class="normal">Os Repositórios Institucionais (RIs) são ferramentas estratégicas de gestão do conhecimento que promovem a visibilidade das produções científicas. A pesquisa trata de um estudo de caso que utilizou como instrumento para coleta de dados, uma enquete e, como ferramenta, o formulário eletrônico (<em>Google Forms</em>), para verificar a criação, implantação e planejamento dos RIs nos 38 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia do Brasil (IFs). A pesquisa foi realizada de 02 a 09 de abril de 2019 e todos os IFs responderam ao formulário. Resultados mostram que 32% deles possuem repositórios, entre esses, 11 apresentam política interna e 10 disponibilizam endereço URL. Entre os que não possuem RI implantado, cinco estão em fase de implantação e cinco em estudos iniciais. Fatores como falta de gestão e ausência de conhecimento sobre a importância de um RI são mencionados como justificativa para não implantação dos repositórios. Observou-se que somente a partir de 2013 foi registrada a implantação do primeiro RI, destacando-se o ano de 2017 com a criação de cinco repositórios. Conclui-se que, apesar das dificuldades, há uma preocupação crescente para implantação de RIs em diversos IFs.</p> 2020-03-20T15:02:05+00:00 Copyright (c) 2020 Adélia de Moraes PINTO http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4911 Arquitetura da informação em repositório institucional: Um estudo de caso do Memoria – RI do IFRN 2020-03-20T15:02:07+00:00 Bruna Laís Campos do Nascimento brunalaysbib@gmail.com Vanessa Oliveira de Macedo Cavalcanti vanessa.cavalcanti@ifrn.edu.br <p>No hodierno contexto, é perceptível a preocupação das instituições de ensino superior em disponibilizar e disseminar em ambientes digitais suas produções científicas por meio dos Repositórios Institucionais (RI). No âmbito dos Institutos Federais (IFs), tal demanda vem ganhando espaço nas discussões e percebe-se a necessidade premente de ampliar ações que contribuam com o Movimento da Ciência Aberta na Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (RFEPCT).</p><p>Dentre os IFs, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) foi pioneiro na implantação do RI e, em 2015, lançou o <em>Memoria</em> que tem como finalidade armazenar, preservar, disseminar e ampliar o acesso as produções acadêmico e científicas em formato digital. Busca ainda reunir o conjunto das produções artísticas e administrativas deste Instituto Federal, a fim de aumentar seu impacto da investigação, a visibilidade de seus pesquisadores, possibilitar a transparência com a gestão dos recursos públicos, bem como garantir a preservação da memória intelectual do IFRN (MEMORIA, 2019).</p><p>Tendo em vista a importância desses ambientes digitais faz-se necessário que as instituições desenvolvam um planejamento adequado focado na acessibilidade e usabilidade do repositório, de modo que facilitem a interação entre o usuário, a plataforma e o acesso a informação. Ademais, disponibilizar a informação de forma ágil, precisa e de maneira estruturada é requisito fundamental para as instituições. Assim, torna-se essencial avaliar se esses ambientes digitais estão plenamente usuais e acessíveis para os usuários.</p><p>Neste contexto, a Arquitetura da Informação (AI) objetiva facilitar a organização da informação por meio de elementos e processos que auxiliem os usuários a acessarem e se apropriarem da informação de forma mais fácil e clara. O uso dos elementos da AI na estruturação de websites possibilita uma forma mais efetiva de recuperação e disseminação da informação. Segundo Marinho (2012, p. 13), o papel principal da AI é “tornar a navegação, organização, busca e uso em sistemas de informação, o mais simples, claro e direto possível para que o usuário consiga encontrar a informação que necessita”.</p><p>Assim, a presente pesquisa em andamento busca investigar a aplicabilidade dos elementos da AI presentes no <em>Memoria</em>, com o intuito de verificar se a estrutura informacional do RI se encontra de acordo com os princípios da AI. Quanto aos procedimentos metodológicos utilizados fez-se uso da pesquisa bibliográfica como aporte teórico para subsidiar esta pesquisa. Em seguida, proceder-se-á ao levantamento que será realizado a partir da verificação do ambiente informacional à luz dos sistemas da AI propostos por Rosenfeld, Morville e Arango (2015), a saber: organização, navegação, rotulagem, busca e representação.</p><p>Este estudo torna-se relevante por contribuir com a verificação prática dos conceitos da AI, os quais estão intimamente relacionados ao campo da Ciência da Informação, no âmbito dos ambientes informacionais digitais, especificamente nos repositórios institucionais. Além disso, espera-se que esta pesquisa sirva de subsídio para outros IFs que estão na fase de planejamento e implementação de seus repositórios institucionais.</p> 2020-03-20T15:02:07+00:00 Copyright (c) 2020 Bruna Laís Campos do Nascimento http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4912 Responsible research and innovation: função social das bibliotecas como potencializadoras da inovação no contexto Amazônico 2020-03-20T15:02:11+00:00 Layde Dayelle dos Santos Queiroz layde_queiroz@hotmail.com Encontra-se inserido no contexto das áreas de Inovação e Ciência da Informação. Analisa o conceito de Responsible Research and Innovation (RRI), que ficou conhecido na Europa a partir do Horizon 2020, uma estratégia para alavancar a pesquisa e inovação em 2010 rumo ao desenvolvimento e solução de problemas sociais. Investiga este conceito aplicado à realidade Amazônica, de forma a maximizar benefícios sociais resultantes das pesquisas realizadas em conjunto com diversas instituições e membros da sociedade, prevendo impactos sociais, éticos e ambientais de forma aberta e transparente nos processos de pesquisa e da inovação. O paralelo traçado nesta pesquisa é entre os parâmetros usados pelo RRI na Europa e sua relação com o desenvolvimento local da Amazônia brasileira por meio de pesquisa bibliográfica e documental, além de análise de conteúdo. Observou-se que a inovação, pesquisa responsável e acesso aberto podem ser transformadores para sociedades distantes de grandes centros de pesquisa e informação, tendo como elo as bibliotecas, que podem conectar os pesquisadores, não somente pelo ambiente físico que oferecem, mas também pela existência de profissionais que possam mediar esse relacionamento entre pesquisador e comunidade, gerando pesquisas voltadas para o olhar de necessidade social e não somente da ótica do pesquisador, pois a verdadeira necessidade pode ser afirmada pelos que vivem no contexto. Como esse resultado de pesquisa ficará disponível para a comunidade local e sociedade em geral é um fator que pode ser o diferencial para pesquisas futuras e continuidade do fluxo da informação em open access. É necessário identificar as necessidades dos grupos sociais a serem beneficiados com os resultados de pesquisa e envolver a comunidade pode nortear para que seu foco seja a aplicabilidade e solução de problemas locais. Firmar parcerias entre instituições, steakholders proporcionar ações conjuntas para alcançar objetivos comuns às instituições e comunidades locais deve estar em evidência. 2020-03-20T15:02:11+00:00 Copyright (c) 2020 Layde Dayelle dos Santos Queiroz http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4916 Acesso Aberto em saúde suplementar: a construção da memória institucional de uma agência reguladora 2020-03-20T15:02:15+00:00 Luis Guilherme Gomes de Macena guilhermelg2004@gmail.com Maria de Lourdes de Brito mariadelourdesdebrito@bol.com.br A área de saúde suplementar no Brasil tem como marco regulatório a Lei n. 9.656 de 1998 e consequentemente a criação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), pela Lei n. 9.661 de 2000, órgão responsável pela regulação e fiscalização da saúde suplementar no Brasil. Diante desse marco, a ANS assume um papel fundamental como a principal instituição nacional e de referência na temática, contribuindo não apenas como agência reguladora, mas também atuando na difusão de informação em saúde suplementar e apoiando institutos, pesquisadores e estudos sobre o tema. Com o papel de promover e democratizar o conhecimento técnico-científico em saúde suplementar, a ANS propos a criação de um repositório digital cujo objetivo é organizar e disseminar a memória institucional e informação técnica científica em saúde suplementar. A proposta do presente trabalho é abordar o repositório digital (RD) na ANS como ferramenta de preservação, organização e disseminação da memória institucional e apresentar a importância do profissional bibliotecário no processo da captura, organização, recuperação e disseminação da informação tecnico-científica para construção da memória institucional. 2020-03-20T15:02:15+00:00 Copyright (c) 2020 Luis Guilherme Gomes de Macena, Maria de Lourdes de Brito http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4919 Legislações brasileiras e do mundo de Ciência Aberta 2020-03-20T15:02:18+00:00 Lucas Paganine lnpaganine@hotmail.com <p dir="ltr"><span>A presente pesquisa é um estudo sobre o tema Ciência Aberta e suas relações com o Projeto de Lei nº 1.120-B, de 2007 e o Projeto de Lei do Senado n° 387, de 2011, no Brasil. Devido ao crescente do número de repositórios digitais e sua alta demanda é importante rever a proposta de legislação acerca da disseminação da produção científica pelas instituições de ensino superior no Brasil. Para tanto foi realizada uma pesquisa descritiva abrangendo a produção científica atual sobre Ciência Aberta com o objetivo de estabelecer uma discussão teórica que elucide os principais temas envolvidos . Também, busca-se analisar as legislações de outros países acerca do tema existente e compará-las com o Projeto de Lei nº 1.120-B, de 2007 e o Projeto de Lei do Senado n° 387, de 2011. Percebe-se atualmente uma mudança de paradigma na comunicação científica e para acompanhá-la faz-se necessário o desenvolvimento de uma legislação correlata. Percebem-se também esforços em relação ao à Ciência Aberta nas diversas legislações abordadas e ao compará-los é vista uma similaridade ao tratar do conteúdo porém alguns detalhes que poderiam ser importantes não foram ainda abordados, como por exemplo qualquer menção à questão dos dados de pesquisa e como tratá-los.</span></p> 2020-03-20T15:02:18+00:00 Copyright (c) 2020 Lucas Paganine http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4927 Métricas alternativas e dados de citação de publicações em acesso aberto sobre inteligência artificial no campo da saúde 2020-03-20T15:02:20+00:00 Marília Catarina Andrade Gontijo mariliacgontijo@gmail.com Ronaldo Ferreira de Araújo ronaldo.araujo@ichca.ufal.br <span>A inteligência artificial vem protagonizando o cenário de evolução tecnológica com importantes contribuições em vários campos do conhecimento, apresentando elevada quantidade de estudos nos últimos tempos. A presente pesquisa objetiva analisar a produção científica sobre inteligência artificial em artigos de acesso aberto no campo da saúde, averiguando o seu “impacto social” considerado a partir das métricas alternativas e o impacto acadêmico pelos dados de citação. Foram analisados 1.625 artigos nacionais e internacionais publicados entre 2014 a 2018, recuperados na </span><em>Dimensions</em><span> com dados de atenção online detalhados via </span><em>Altmetric Explorer</em><span>, dos quais 54,76% obtiveram dados altmétricos de menções na Web Social e 73,3% possuem citações. Demonstrou-se a preferência pela rede social </span><em>Twitter</em><span> (96,94%) para o compartilhamento das publicações, além de uma ocorrência maior de citações para artigos mais antigos. Considera-se que as métricas alternativas são complementares às tradicionais e que sua aplicação conjunta possibilita uma compreensão mais ampla de impacto.</span> 2020-03-20T15:02:20+00:00 Copyright (c) 2020 Marília Catarina Andrade Gontijo, Ronaldo Ferreira de Araújo http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4874 Análise de redes na produção científica dos egressos de Pós-Graduação da Psicologia de uma universidade pública do Brasil 2020-03-20T15:02:22+00:00 Maria Clarice Lima Batista clarycelima@gmail.com Sérgio Dias Cirino sergiocirino99@yahoo.com Thiago Magela Rodrigues Dias thiagomagela@gmail.com Tales Henrique José Moreira tales.info@gmail.com Estudo bibliométrico interdisciplinar entre a Ciência da Informação e a Matemática Computacional, utiliza o software livre ScriptLattes para extração dos registros da Plataforma Currículo Lattes. Analisa a produção de artigos científicos publicados pelo egressos de doutorado do Programa de Psicologia da UFMG e a partir da coautoria identifica os padrões de colaboração pelas áreas de concentração Psicologia Social, Estudos Psicanalíticos, Desenvolvimento Humano. 2020-03-20T15:02:22+00:00 Copyright (c) 2020 Maria Clarice Lima Batista http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4885 Sistemas de Informação em Pesquisa Corrente na transferência de informação e inovação para o mercado 2020-03-20T15:02:24+00:00 Rosali Fernandez Souza rosali@ibict.br Marcos Gonçalves Ramos marcosgon54@hotmail.com Priscila Ramos Carvalho carvalho.priscila@gmail.com <p>Os Sistemas de Informação em Pesquisa Corrente (CRIS) são meta-sistemas que reúnem informações buscando integrar resultados de pesquisas de diversas unidades e centros. É um instrumento para tomada de decisão sobre fomento, planejamento e políticas públicas. O presente trabalho tem como objetivo identificar os modos de transferência de informação, inovação e conhecimento entre a UFRJ e o setor produtivo do Rio de Janeiro. A metodologia é baseada em survey, revisão sistemática de literatura na área de organização do conhecimento, e a experiência da Universidade do Minho e da Universidade Aberta de Portugal (UAb).</p> 2020-03-20T15:02:24+00:00 Copyright (c) 2020 Rosali Fernandez Souza, Marcos Gonçalves Ramos, Priscila Ramos Carvalho http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4875 Ciência Aberta & Literacia da Informação: estudo de caso num centro de investigação 2020-03-20T15:02:28+00:00 Maria da Luz Antunes mluz.antunes@estesl.ipl.pt Carlos Lopes clopes@ispa.pt Tatiana Sanches tsanches@fpie.ulisboa.pt <p>Em 2016, a publicação das Recomendações para as Bibliotecas do Ensino Superior de Portugal procurou, numa das suas prerrogativas, a construção de uma relação de confiança e de parceria entre as bibliotecas, os seus profissionais e os investigadores. Os ganhos de competências de uns e de outros no apoio à investigação, publicação e disseminação seriam benéficos para ambos.</p><p>No mesmo ano, a unidade de investigação Applied Psychology Research Center Capabilities &amp; Inclusion (APPsyCI) incorporou, no conjunto das suas áreas de atuação, uma linha de investigação no âmbito da Ciência Aberta em articulação com a Literacia da Informação. Com este desiderato, procurou a APPsyCI implementar os pressupostos da Ciência Aberta através de diversas ações: na prossecução da gestão do repositório, na formação dos docentes e investigadores, no apoio à escolha de revistas onde publicar, na divulgação e promoção do conhecimento científico dentro dos princípios FAIR.</p><p>Qual o impacto social desta linha de investigação? Associando a literacia da informação à Ciência Aberta ampliam-se horizontes e é lançada alguma luz sobre o panorama nacional em relação à inovação em investigação. A natureza transversal desta matéria resultou num conjunto de redes nacionais e de grupos de trabalho; num curso de pós-graduação de Literacia em Saúde; no primeiro ebook em língua portuguesa, editado em Portugal, sobre literacia da informação no ensino superior; em workshops, seminários e webinars sobre literacia da informação; na colaboração da tradução do <em>Open Science Training Handbook</em> para o idioma Português; na participação em comités e comissões científicas nacionais (APBAD, APDIS) e internacionais (ConfOA, EAHIL, ECIL, TEEM). De igual modo, os resultados deste trabalho estão a consolidar-se em vários outcomes: artigos, capítulos de livro, proceedings paper, entre outros.</p> 2020-03-20T15:02:28+00:00 Copyright (c) 2020 Maria da Luz Antunes, Carlos Lopes, Tatiana Sanches http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4918 Licenças Creative Commons em periódicos latino-americanos de acesso aberto 2020-03-20T15:02:30+00:00 Enrique Muriel-Torrado enrique.muriel@ufsc.br Fabio Lorensi do canto fabio.lc@ufsc.br Adilson Luiz Pinto adilson.pinto@ufsc.br <p>Identifica as licenças Creative Commons utilizadas por 2.421 periódicos publicados em 16 países latino-americanos indexados no DOAJ. Constatou-se que 83% são publicados no Brasil, Colômbia, Argentina e Chile. As licenças mais utilizadas são: BY (38%), BY-NC (24%), BY-NC-ND (19%) BY-NC-SA (13%). Embora haja uma adesão significativa ao movimento <em>Full Open Access</em>, expresso pela maior proporção de uso de licença BY, verifica-se uma preocupação com o reuso comercial do conteúdo, considerando que 56% dos periódicos adotam licenças com atribuição NC. Pretende-se monitorar os próximos anos, a fim de verificar se os editores vão aderir à recomendação de adoção da licença BY-NC-SA feita pela <a href="http://www.accesoabiertoalyc.org/declaracion-mexico-pt/">Declaração do México em Favor do Ecossistema Latino Americano de Acesso Aberto Não Comercial</a>, ou se vão orientar-se pela <a href="https://www.budapestopenaccessinitiative.org/boai-10-translations/portuguese-brazilian-translation">Declaração de Budapeste</a>, que recomenda a licença mais aberta (BY) para publicação da literatura científica.</p> 2020-03-20T15:02:30+00:00 Copyright (c) 2020 Enrique Muriel-Torrado, Fabio Lorensi do canto, Adilson Luiz Pinto http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4920 Relevância da revista eletrônica no contexto da pesquisa e do acesso à informação acadêmica 2020-03-20T15:02:35+00:00 Rafael de Carvalho Andriollo rafael.andriollo@fatec.sp.gov.br Maria Alda Barbosa Cabreira mabcabreira@yahoo.com.br <p>As mudanças que vêm ocorrendo no mundo globalizado demandam por tecnologias que contribuem para a produção e resultados das pesquisas científicas. Nesse contexto, a prática da publicação de periódicos online, como a revista eletrônica, vem se disseminando de maneira crescente, o que reflete o acesso à informação de forma expandida, acompanhando os avanços ocorridos nas diferentes áreas do conhecimento, que no Brasil vem alcançando avanços consideráveis. O objetivo do trabalho é mostrar a relevância da publicação eletrônica de periódicos, em questão a revista eletrônica e-F@tec, promovendo o acesso à ciência, com qualidade e baixos custos, o que permite rapidez e eficácia na comunicação. A Revista e-F@tec, com 8 anos de existência, já alcançou um público significativo tanto de publicadores como de leitores, contemplando artigos de autoria de alunos e professores extensos aos advindos de outras instituições e à comunidade científica que desejarem publicar suas produções. Motivar alunos e professores para a prática da produção e publicação de trabalhos científicos em periódicos eletrônicos, contribui para o acesso ao mundo virtual em que ciência e tecnologia sejam concebidos como mudanças e instrumento de transformação.</p> 2020-03-20T15:02:35+00:00 Copyright (c) 2020 Rafael de Carvalho Andriollo, Maria Alda Barbosa Cabreira http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4921 Mapeamento de processos no Dspace: uma análise no Repositório Institucional da Ufra. 2020-03-20T15:02:36+00:00 Nilzete Ferreira Gomes nilzetegomes@yahoo.com.br Franciele Marques Redigolo francieleredigolo@gmail.com Robson Augusto Lobato Meirelles robson.meirelles@ufra.edu.br <p>O trabalho trata da gestão de processos no Dspace do Repositório Institucional da UFRA (RIUFRA), apresentando alguns fluxos de processos mapeados, relacionados ao “conteúdo” e “controle de acesso” dos usuários e grupos. Tal proposição se delineou a partir das dificuldades encontradas pela equipe na configuração das comunidades, coleções e grupos do RIUFRA para disponibilização aos usuários, por isto a pesquisa visou mapear as atividades essenciais na utilização do RI, ao nível de administrador. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica e também o mapeamento detalhado dos processos diretamente do Dspace com o login de administrador do sistema. Mapeou-se os processos dos seguintes itens: <strong>comunidades</strong> (criação), <strong>subcomunidades</strong> (criação), <strong>coleções</strong> (criação e migração) e <strong>controle de acesso</strong> (usuários e grupos (edição e exclusão)). Observou-se que a partir do mapeamento do fluxo de processos, houve melhoria na qualidade na execução das atividades, pois diminuiu o retrabalho, padronizou e uniformizou tarefas reduzindo o tempo e permitiu a visualização das tarefas de forma clara. Com isto minimizou-se a possibilidade de erros no sistema.</p> 2020-03-20T15:02:36+00:00 Copyright (c) 2020 Nilzete Ferreira Gomes, Franciele Marques Redigolo, Robson Augusto Lobato Meirelles http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4923 Biblioteca Digital de Trabalhos Acadêmicos (BDTA) da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA): relato de experiência. 2020-03-20T15:02:39+00:00 Nilzete Ferreira Gomes nilzetegomes@yahoo.com.br Letícia Lima de Sousa llsleticia.sousa@gmail.com Cristiana Guerra Matos cristiana.guerra@ufra.edu.br Regiane Vanessa de Souza Baía r.vnessa@gmail.com <p>O trabalho apresenta o relato de experiência da construção da Biblioteca Digital de Trabalhos Acadêmicos(BDTA) dividida em cinco fases: 1) Planejamento (2017); 2) Implantação (2018) (customização do software Dspace e infraestrutura); 3) Aprovação da política, construção do formulário de autorização para publicação e criação de <em>e-mail </em>(2018); 4) Elaboração de tutorial, treinamentos criação de nova comunidade e logotipo. Apresenta o arranjo atual da BDTA com suas comunidades, subcomunidades e coleções criadas a partir da estrutura organizacional da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA). Como procedimentos metodológicos adotou-se a abordagem qualitativa, caracterizando-se como uma pesquisa de natureza descritiva e um estudo de caso. A construção da BDTA/UFRA corrobora com o movimento do acesso aberto à informação científica, pois permite a visualização dos trabalhos de conclusão de curso produzidos, resultado do conhecimento dos discentes adquiridos ao longo dos cursos, indo ao encontro dos regulamentos governamentais de desburocratização do acesso à informação por meio do uso das tecnologias disponíveis. Em suma, promove a visibilidade do conhecimento científico gerado na universidade. </p> 2020-03-20T15:02:39+00:00 Copyright (c) 2020 Nilzete Ferreira Gomes http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4925 Data Mining como estratégia para a composição dos catálogos de periódicos open access no IFAM 2020-03-20T15:02:41+00:00 Layde Dayelle dos Santos Queiroz layde_queiroz@hotmail.com Davilla Vieira Odizio da Silva davilla.odizio@ifam.edu.br Priscila Pessoa Simões priscila.simoes@ifam.edu.br No que diz respeito aos elevados valores das assinaturas de periódicos, itens fundamentais nas avaliações de cursos de nível superior realizadas pelo INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, por meio do Ministério da Educação no Brasil, os serviços oferecidos pelas bibliotecas universitárias brasileiras podem ser adaptados de forma que alternativas garantam a oferta deste serviço, como a elaboração de catálogos de periódicos de acesso aberto. A infraestrutura oferecida pelas Instituições de Ensino Superior no Brasil é objeto de avaliação, responsável por 40% da nota obtida. As bibliotecas estão inseridas neste contexto e, diante do resultado obtido, os cursos ofertados podem ser autorizados, renovados, reconhecidos ou ter sua oferta encerrada. A existência da bibliografia e periódicos no acervo é fator decisivo, onde o conceito máximo (nota 5) depende de uma análise dos avaliadores acerca das condições encontradas na instituição no momento da visita. A partir da percepção da necessidade de oferecer ferramentas de pesquisa confiáveis para a produção de novos conhecimentos no âmbito do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas - IFAM desenvolveu-se no Campus Manaus Centro catálogos que reúnem revistas científicas voltadas para todos os cursos de nível superior ofertados pelo Campus, inclusive a Pós-graduação. A escolha das revistas baseou-se na técnica de data mining, usando métodos estatísticos para a seleção, exploração e modelagem de dados, conforme Witten e Frank (2000), que definem esse processo como obtenção de informações implícitas e potencialmente úteis que podem ser extraídas de grandes bases de dados, trazendo vantagem competitiva. Analisando os temas de Trabalhos de Conclusão de Curso produzidos no Campus e leitura das ementas dos cursos foi possível identificar dados relevantes que nortearam quais periódicos de acesso aberto supririam as necessidades informacionais dos usuários. Os catálogos elencam título, resumo e link. Após divulgação em treinamentos de usuários, página institucional, redes sociais e comunicação informal, os mesmos passaram a ser utilizados em outros dois Campi do IFAM, nas cidades de Lábrea e Tefé, as quais ficam a 853km e 522km, respectivamente, distantes da capital do Amazonas, Manaus. Desta forma, a comunidade acadêmica obteve acesso a fontes de informação confiáveis, contribuindo positivamente com pesquisadores que se encontram distantes de centros urbanos e carecem de fontes de informação, dadas as limitações geográficas que os mantém, por muitas vezes, distantes dos grandes centros de pesquisa. As notas obtidas nas avaliações realizadas após o lançamento dos catálogos alcançaram o conceito mais alto no item Periódicos, tornando possível compreender que a utilização das técnicas de data mining, aliadas ao conhecimento técnico do bibliotecário e as necessidades informacionais dos usuários das bibliotecas e centros de documentação, agrega valor aos produtos gerados, uma vez que a utilização dos recursos disponíveis em acesso aberto para a ampla divulgação da ciência oferece suporte à boas práticas em instituições. Muitas das informações que circulam nas instituições podem ser utilizadas como indicadores para melhorias na oferta de produtos e serviços, proporcionando a oportunidade de geração de conhecimento que pode melhorar a realidade onde o usuário se encontra. 2020-03-20T15:02:41+00:00 Copyright (c) 2020 Layde Dayelle dos Santos Queiroz, Davilla Vieira Odizio da Silva, Priscila Pessoa Simões http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4930 Dados de acesso aberto para compreensão da produção científica das mulheres no Brasil 2020-03-20T15:02:46+00:00 Monique de Oliveira Santiago moniqueosantiago@gmail.com Thiago Magela Rodrigues Dias thiagomagela@gmail.com A crescente participação das mulheres nas carreiras científica e tecnológica tem sido foco de diversos estudos que buscam traçar um perfil da sua trajetória acadêmica. Estudar a informação científica de um país é relevante para compreender a evolução da ciência e ampliar as perspectivas sobre o cenário atual. Assim, este trabalho objetivou analisar a participação do conjunto das doutoras que possuem currículos cadastrados na Plataforma Lattes e cujo gênero registrado seja do sexo feminino. A coleção de dados foi proveniente da Plataforma Lattes que contém informações curriculares disponíveis em acesso aberto. Os registros curriculares foram coletados no início do mês de março de 2019, totalizando mais de 6.126.000 currículos. Deste conjunto e ainda utilizando o arcabouço foram selecionados 307.780 currículos de indivíduos com titulação máxima concluída doutorado. Por fim, foram selecionados do conjunto dos doutores os respectivos currículos cujo gênero registrado seja feminino, totalizando ao final 149.850 registros utilizados para análises. Os dados das doutoras foram agrupados quanto a formação acadêmica, publicações, produções, orientações, grandes áreas de atuação e foi possível analisar a evolução da produção científica e tecnológica do conjunto de forma temporal. Estudar os diversos aspectos da diferença de gênero em geral e particularmente na ciência e tecnologia, além de ser relevante, pode ser fonte de inspiração para políticas e programas de governo que buscam promover mudanças, incentivar e valorizar a participação das mulheres na ciência. 2020-03-20T15:02:46+00:00 Copyright (c) 2020 Monique de Oliveira Santiago, Thiago Magela Rodrigues Dias http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4933 Concepção e desenvolvimento do website da Biblioteca do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas à luz da ciência aberta 2020-03-20T15:02:48+00:00 Mateus Rebouças Nascimento maateusreboucas@gmail.com <p>Apresenta a concepção e desenvolvimento do website da Biblioteca Desembargador Antéro Coelho de Rezende, vinculada ao Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) à luz da Ciência Aberta. Demonstra como a biblioteca acompanhou as transformações tecnológicas que emergiram na sociedade e as novas fontes de informação que propiciaram e facilitaram o acesso à informação de forma ampla para um grande público, advindas do movimento do acesso aberto, que contribuiu de forma efetiva com a disseminação de informação para todos. A partir destas transformações e a efetiva disseminação do conhecimento propiciada pelo movimento do acesso aberto, foi desenvolvido o website da Biblioteca já existente, reunindo conteúdos que estão disponíveis em acesso livre como bibliotecas digitais, repositórios, dicionários, dentre outros, visando satisfazer as necessidades informacionais de seus usuários.</p> 2020-03-20T15:02:48+00:00 Copyright (c) 2020 Mateus Rebouças Nascimento http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4934 Interoperabilidade de sistemas para viabilização do acesso aberto aos relatórios de iniciação científica da UFAM 2020-03-20T15:02:50+00:00 Diogo Soares Moreira diogosoaresm@ufam.edu.br Luiz Adriano Simas da Silva lsimas@ufam.edu.br Angela Emi Yanai angela_yanai@ufam.edu.br <p>A iniciação científica consiste em uma modalidade de pesquisa acadêmica no Brasil, desenvolvidas por alunos de graduação em todas as áreas do conhecimento. O avanço do acesso aberto contribuiu para o crescimento e implantação de repositórios institucionais (RI) por parte das instituições de ensino superior. Em alguns casos, há a necessidade de se adequar o fluxo de depósito de itens na implantação do RI, em relação a processos vigentes ou itens já armazenados em acesso restrito em sistemas internos da instituição. Neste contexto, aborda-se o relato de experiência sobre a integração entre o RI da Universidade Federal do Amazonas (RIU), o sistema de gestão de projetos de iniciação científica (portal Lira) e o Portal do Professor, tendo em vista a importância do conhecimento produzido neste âmbito. Para isso, criamos uma ferramenta auxiliar, chamada Lira2DSpace, feita na linguagem Java, e capaz de realizar a transferência de projetos de iniciação científica, do portal Lira para o RIU. Posteriormente, os itens poderiam ser colocados em acesso aberto pelos próprios orientadores através do portal do professor da universidade. Como resultado, foi possível automatizar este processo na universidade e reforçar o compromisso de que as pesquisas desenvolvidas e realizadas no âmbito acadêmico fossem disponibilizadas em acesso aberto a comunidade.</p> 2020-03-20T15:02:50+00:00 Copyright (c) 2020 Diogo Soares Moreira, Luiz Adriano Simas da Silva, Angela Emi Yanai http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4948 A Base de Dados Científicos da Universidade Federal do Paraná: do planejamento à implantação 2020-03-20T15:02:52+00:00 Karolayne Costa Rodrigues de Lima karolbraun@gmail.com Janete Bach Estevão janete.estevao@ufpr.br Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br Lucas Henrique Gonçalves lucas.goncalves@ufpr.br <p>A Base de Dados Científicos (BDC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) visa disponibilizar os dados científicos utilizados das pesquisas que são publicadas pela comunidade da UFPR em teses, dissertações, artigos de revistas e outros materiais bibliográficos. O objetivo desta comunicação é descrever o processo de implantação da BDC no âmbito da UFPR, desde as escolhas estratégicas até o seu efetivo uso. A implantação da BDC passou por algumas etapas como: a seleção do software, a seleção de requisitos, a seleção do padrão de metadados, o estabelecimento da metodologia para formular as diretrizes para o depósito dos dados, a especificação dos critérios para a criação do plano de gestão de dados, o registro no serviço indexador de repositórios de dados, o Re3data.org e a divulgação para a comunidade acadêmica. No decorrer do processo de planejamento e implantação da BDC, destacam-se alguns desafios : os custos com atribuição de DOI para cada <em>dataset</em>, o arranjo de características comuns para base de dados científicos que atendam aos contextos disciplinares distintos em uma única plataforma, a capacitação contínua dos usuários, a estrutura para oferta de serviços e a capacidade de suporte, além do entendimento do processo de produção e da evolução científica no contexto da ciência aberta.</p> 2020-03-20T15:02:52+00:00 Copyright (c) 2020 Karolayne Costa Rodrigues de Lima, Janete Bach Estevão, Paula Carina de Araújo, Lucas Henrique Gonçalves http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4922 Modelagem Semântica de Dados Abertos: A Viabilidade de Aplicação de Word Embeddings sobre o Currículo Lattes 2020-03-20T15:02:55+00:00 Felipe de Paula Oliveira engcomp.felipedepaula@gmail.com Thiago Magela Rodrigues Dias thiagomagela@gmail.com Adilson Luiz Pinto adilson@cin.ufsc.br Os currículos cadastrados na Plataforma Lattes do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), são importantes fontes de dados abertos que possibilitam obter informações sobre formação acadêmica, produção científica, projetos de pesquisa e atuação profissional de um conjunto de indivíduos. O que possibilita a realização de diversos tipos de análises bibliométricas, podendo ser aplicados tanto métodos ou modelos tradicionais, quanto alternativos para a avaliação da ciência. O estudo apresentado, trata de afirmar sobre a viabilidade de aplicação de PLN (Processamento de Linguagem Natural) para a avaliação de similaridade semântica sobre os dados cadastrados no currículo Lattes. Para a realização de análises utilizou-se uma amostra de curículos referentes a doutores e realizado o tratamento em um corpus textual, para a representação semântica vetorial, foi aplicada a ferramenta Word2Vec, sendo possível a realização de inferência dos termos. Como resultados foram apresentados índices de similaridade calculados pelo modelo em palavras contidas em títulos de publicações 2020-03-20T15:02:55+00:00 Copyright (c) 2020 Felipe de Paula Oliveira, Thiago Magela Rodrigues Dias, Adilson Luiz Pinto http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4949 Evolução das plataformas de acesso aberto brasileiras: propriedades e perspectivas 2020-03-20T15:02:57+00:00 Raphael Figueiredo Xavier raphaelxavier79@gmail.com Com o avanço do movimento de políticas de acesso aberto em todo mundo (Baseada na declaração de Budapeste, em 2001), periódicos científicos de acesso aberto e repositórios digitais se desenvolveram de forma significativa e relevante na última década. Há 17 anos, a declaração da Iniciativa de Budapeste pelo Acesso Aberto (Budapest Open Access Initiative, ou BOAI) impactou definitivamente o movimento pelo acesso aberto à informação científica. Com isto, busca-se nesta pesquisa avaliar o desenvolvimento de plataformas para publicação científica de acesso aberto no Brasil na década de 2010, visando caracterizar a evolução prática de Acesso Aberto no país. Para isso, foram extraídos dados do OpenDoar, um diretório de repositórios acadêmicos de acesso aberto mundial e do DOAJ, uma comunidade que indexa periódicos de acesso aberto e <em>peer-reviewed</em>. O movimento de acesso aberto a comunicação científica está ligado a reação ao problema de preços e acesso ao conhecimento científico e, ao mesmo tempo, a chegada inconteste dos meios eletrônicos à comunicação científica. Através dos diretórios citados, pretende-se verificar quantidade de repositórios e revistas de acesso aberto brasileiros e suas características, como visão geral dos softwares utilizados nas plataformas e crescimento no período de 2011 a 2019. Com isso, é possível considerarmos possíveis trajetórias futuras no desenvolvimento do movimento de acesso aberto a informação e a possibilidade de infraestrutura distribuída globalmente em serviços de valor agregado, transformando os sistemas mais centrado em pesquisas, e apoiado à inovação, concomitantemente gerenciado pela comunidade acadêmica. Os dados coletados apresentados fornecem uma perspectiva importante sobre o desenvolvimento da infraestrutura das plataformas brasileiras de acesso aberto à informação no Brasil. A partir destes resultados, a percepção é de que são necessárias mais pesquisas de análise, e comparação e contextualização para monitorar tendências de desenvolvimento e avaliar a importância de fatores que os influenciam. O trabalho evidencia o fortalecimento da disseminação open-access na comunicação científica brasileira, particularmente em torno da criação, disponibilização e reutilização de recursos. 2020-03-20T15:02:57+00:00 Copyright (c) 2020 Raphael Figueiredo Xavier http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4977 Critérios para avaliação da confiabilidade de Repositórios Digitais 2020-03-20T15:02:59+00:00 Michelle Frazão Lanzellote michelle.lanzellote@hotmail.com Claudio José Silva Ribeiro claudio.ribeiro@unirio.br <p>A Fundação Oswaldo Cruz implementa o repositório institucional ARCA que tem a missão de reunir, hospedar, preservar, disponibilizar e dar visibilidade à produção intelectual da instituição. Destaca-se a preocupação com a confiabilidade desse repositório por meio de objetivo apoiado na norma mais importante da área, o Modelo Teórico de Referência Open Archival Information System (OAIS) que possibilita analisar o repositório segundo as recomendações para repositórios digitais confiáveis (RDC). A pesquisa foi de natureza aplicada, com abordagem qualitativa e estudo de caso. Os procedimentos técnicos foram: pesquisa bibliográfica e análise de conteúdo das áreas de comunicação científica, movimento do acesso aberto e repositórios digitais confiáveis. A pesquisa bibliográfica possibilitou a análise de conteúdo das normas e padrões, em especial para a extração de requisitos ligados à Infraestrutura Organizacional; Gestão de Objetos Digitais; além de Infraestrutura Tecnológica e Segurança; de forma a permitir a aferição da confiabilidade do repositório. Os requisitos foram transformados em questões que resultaram no conjunto de itens que foram aplicados para a averiguação da situação do ARCA. A análise da sua confiabilidade foi mensurada através da escala de <em>likert</em>, atribuindo um nível de grau (0 a 4) aos critérios segundo as orientações: Grau 0 – Não atende; Grau 1 – Atende a itens identificados como importantes na pergunta, mas sem documento que comprove; Grau 2 – Atende a poucos itens identificados como importantes na pergunta; Grau 3 - Atende entre 50% e 90% dos itens identificados como importantes na pergunta; Grau 4 - Atende a todos os itens identificados como importantes na pergunta. O resultado obtido permite aferir a confiabilidade de um repositório digital, além de possibilitar a implementação de melhorias nas áreas que receberam baixo grau de avaliação. O ARCA foi avaliado em suas 26 comunidades e 23 coleções. Os percentuais de avaliação foram: Infraestrutura Organizacional - 37% com grau zero e 63% com grau quatro; Gestão de Objetos Digitais – 27% com grau zero, 18% com grau um, 9% com grau dois, 18% com grau três e 27% com grau quatro; Infraestrutura Tecnológica e Segurança – com 50% com grau zero e 50% com grau quatro. Com isso o repositório atendeu com uma média de 53,7 % dos quesitos utilizados.</p> 2020-03-20T15:02:59+00:00 Copyright (c) 2020 Michelle Frazão Lanzellote, Claudio José Silva Ribeiro http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4962 Sondagens quantitativas da produção de conhecimento do Inmetro na Web of Science: período 2000-2019 2020-03-20T15:03:02+00:00 Beatriz Pinheiro da Guia bpguia@inmetro.gov.br Décio Ruivo Martins decio@uc.pt Luiz Fernando Rust da Costa Carmo lfrust@inmetro.gov.br Buscou a produção de conhecimento científico e acadêmico externalizada por técnicos, pesquisadores, estudantes e bolsistas do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnonologia (Inmetro) de 2000 a 2019 na Web of Science (WOS), observando quais as principais áreas de pesquisa do Instituto, produtoras de trabalhos no período e considerando a metrologia científica, a metrologia aplicada às ciências da vida e a metrologia legal, como tripé de grande produção intelectual na Instituição. Tal produção é oriunda das pesquisas em seus laboratórios, cursos técnicos, de mestrado e doutorado, assim como de documentos com resultados das exigências legais, técnicas e administrativas referentes às unidades de medida, aos métodos e instrumentos de medição. 2020-03-20T15:03:02+00:00 Copyright (c) 2020 Beatriz Pinheiro da Guia, Décio Ruivo Martins, Luiz Fernando Rust da Costa Carmo http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4971 Encontrabilidade da informação e os princípios FAIR: meios alternativos de gestão de dados abertos 2020-03-20T15:03:04+00:00 Diego Leonardo de Souza Fonseca diego.fonseca@ifam.edu.br Edvaldo Wellington Monteiro edvaldo.wellington@hotmail.com <p>No cenário hodierno, com suas múltiplas formas de acesso, ambientes informacionais digitais e plataformas multicomunicacionais, surgem demandas que visam abranger as questões que esses assuntos trazem. Dentre estas demandas tem-se os dados abertos e o movimento open access, os quais contribuem para a disseminação de produções intelectuais de modo aberto. Este estudo visou buscar a compreensão acerca de como se utilizar, acessar e compartilhar esses dados, e, também, os conceitos da Encontrabilidade da Informação e os Princípios FAIR aqui analisados com o intuito de saber o que são? E como podem ser proveitosos para a gestão de dados abertos, em especial em ambientes informacionais digitais, além é claro de serem usados em Repositórios Digitais. Na pesquisa foi visto que a Encontrabilidade da Informação, a qual tem relação com localização da informação, vem contribuindo para a comunicação entre os usuários e o ambiente informacional digital, além de permitir o acesso, compartilhamento e uso da mesma, bem como conceitos sobre o assunto a que vieram reforçar a pesquisa e relaciona-lo com os dados abertos e movimento open access. Ademais, foram vistos os Princípios FAIR, os quais são um acrônimo de <em>Findable, Accessible, Interoperable e Reusable</em>, que surgiram com a finalidade de agregar qualidade aos dados de pesquisa (assim como dos metadados) facilitando as descobertas de recursos, reutilização de dados e uma boa gestão dos mesmos. Foi explorado no estudo cada um dos conceitos e aplicações para o desenvolvimento e melhoramento de dados abertos. Logo, percebeu-se que os Princípios FAIR e a Encontrabilidade contribuem para um aumento na qualidade e valor agregado aos dados (e metadados) disponíveis para a sociedade, além de proporcionarem o desenvolvimento de padrões de metadados que trazem uma maior cobertura para os dados abertos de instituições por meio dos seus repositórios digitais, de forma mais interativa e dinâmica.</p> 2020-03-20T15:03:04+00:00 Copyright (c) 2020 Diego Leonardo de Souza Fonseca, Edvaldo Wellington Monteiro http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4989 Representatividade da produção científica brasileira por região: fontes coletadas pelo Portal oasisbr 2020-03-20T15:03:08+00:00 Fhillipe de Freitas Campos fhillipecampos@ibict.br Raphael Faria Vilas Boas raphaelboas@ibict.br Juliana Araujo Gomes de Sousa julianasousa@ibict.br <p>A pesquisa tem como objetivo analisar a proporção existente entre a população de cada região versus a origem geográfica das fontes coletadas pelo Portal brasileiro de publicações científicas em acesso aberto (Portal oasisbr). Para a coleta dos dados, utilizou-se de uma metodologia quantitativa-descritiva. A fonte utilizada para tal foram os dados disponibilizados pelo Portal oasisbr, que traz a lista completa com todas as fontes coletadas. e os dados do censo IBGE. De posse dos dados, as informações foram tabeladas separadamente, por fonte de coleta e região. Uma visão global do estudo mostra que a região Sudeste é a região que possui maior representatividade no portal oasisbr para as três fontes coletadas. Na outra ponta, a região Nordeste se mostra subrepresentada no Portal para as três fontes de coleta. </p> 2020-03-20T15:03:08+00:00 Copyright (c) 2020 Fhillipe de Freitas Campos, Raphael Faria Vilas Boas, Juliana Araujo Gomes de Sousa http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4987 Implementação do autoarquivamento na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade Federal do Amazonas 2020-03-20T15:03:09+00:00 Geyse Maria Almeida Costa de Carvalho geyseccarvalho@hotmail.com Márcia Andréia Albuquerque de Morais marcialbuquerq@yahoo.com.br Marcos Roberto de Souza Gomes mrobertosg@gmail.com Leonardo Gomes Remigio leonardogremigio@gmail.com Apresenta o processo de implementação do autoarquivamento da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade Federal do Amazonas (BDTD/UFAM). Considera o crescimento de depósitos após a implementação do autoarquivamento, em um comparativo com o mesmo período do ano anterior. Aborda as vantagens e desafios deste novo processo. O projeto piloto foi lançado em outubro de 2018 em parceira com o dois programas de pós-graduação (PPG), com a realização de discussões, treinamento e habilitação dos PPGs para o autoarquivamento. O projeto, bem sucedido, foi expandido, gradualmente, nos meses subsequentes aos demais PPGs da Universidade. Atualmente, a BDTD/UFAM dispõe do fluxo de autoarquivamento em três etapas, a saber: 1) autor deposita; 2) PPG valida; e, 3) Biblioteca aprova o depósito. Com a implantação do autoarquivamento foram identificados os seguintes resultados: a) o autor é protagonista no processo de divulgação científica; b) viabilização de constantes melhorias no processo, por meio dos <em>feedbacks</em> enviados pelos depositantes; c) boa aceitação, medida pelo instrumento de <em>feedback</em>; d) celeridade na disponibilização de teses e dissertações, apontando, inclusive, um aumento de 92,13% de depósitos em janeiro/fevereiro de 2019 em comparação ao mesmo período do ano anterior; e, e) sustentabilidade no processo de depósito de teses e dissertações, ao dispensar a entrega de teses e dissertações impressas. O autoarquivamento trouxe ao SISTEBIB/UFAM novos desafios, dentre os quais se destacam: a) capacitação contínua dos atores do processo - autores, PPG e Biblioteca; b) capacitação dos bibliotecários para orientar os depositantes; e, c) a necessidade de trabalho incessante para impressão de melhorias ao processo, por meio de constante atualização quanto a tendências em repositórios digitais, bem como aos modelos de comunicação científica. 2020-03-20T15:03:09+00:00 Copyright (c) 2020 Geyse Maria Almeida Costa de Carvalho, Márcia Andréia Albuquerque de Morais, Marcos Roberto de Souza Gomes, Leonardo Gomes Remigio http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4990 Repositórios institucionais brasileiros e a transição para a próxima geração. 2020-03-20T15:03:11+00:00 Juliana Araujo Gomes de Sousa julianag.unb@gmail.com <p class="western">Esta pesquisa objetivou compreender a dinâmica e a visão de futuro que as equipes gestoras dos Repositórios Institucionais brasileiros têm sobre os avanços nesta temática e traçar um paralelo sobre a realidade versus os desafios na adoção das tecnologias, padrões e protocolos indicados pelo grupo de trabalho da Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR) para a Next Generation of Repositories (NGR). Para cumprir o objetivo, adotou-se um método quantitativo utilizado como principal ferramenta de coleta um questionário que foi enviado para 54 gestores de repositórios institucionais brasileiros. Dos 54 questionários enviados aos gestores, retornaram 26 respondidos, o que corresponde a 48%. Observou-se que a maioria dos gestores tem dificuldades em atender as demandas de suas instituições relacionadas ao repositório institucional, tal fator se deve principalmente à quantidade reduzida de profissionais na equipe. O grupo de trabalho definiu 11 tecnologias a serem adotadas pelos repositórios para serem considerados um “repositório NGR”.</p> 2020-03-20T15:03:11+00:00 Copyright (c) 2020 Juliana Araujo Gomes de Sousa http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4993 Web Archiving como ferramenta de preservação digital : colaboração da Library of Congress, Rio Office no projeto dos Jogos Olímpicos de 2016. 2020-03-20T15:03:13+00:00 Igor Ferreira Fazano igorferr@yahoo.com.br Vivian Luiz Fonseca vivian.fonseca@fgv.br Este trabalho é parte de uma pesquisa em andamento, no curso de Mestrado Profissional em Bens Culturais e Projetos Sociais, da Fundação Getúlio Vargas. O conceito de arquivamento de <em>sites </em>da web (Web Archiving<em>), </em>vem ganhando força principalmente em países desenvolvidos, onde a tecnologia já garante maior ferramental para que esse tipo de projeto seja viabilizado e apresente resultados concretos a comunidade. Trata sobre o conceito de arquivamento de páginas da Web como recurso de preservação digital, exemplificando através de um dos projetos realizados pelo escritório da Library of Congress no Rio de Janeiro. Relata o processo de levantamento de <em>websites </em>de países sob a responsabilidade (institucional) do escritório como colaboração para o projeto de preservação desenvolvido pelo International Internet Preservation Consortium, por ocasião dos Jogos Olímpicos de 2016. Tal consórcio, possui membros nos mais diversos países do mundo, porém sem representatividade no Brasil e tendo a Biblioteca Nacional do Chile como único membro na América do Sul. Busca destacar a vulnerabilidade que o conteúdo disponibilizado na Internet está exposto seja por fatores técnicos e operacionais, seja por decisões institucionais e de cunho político. O conteúdo <em>online </em>por sua facilidade de acesso e um relativo baixo custo passa a ser muitas das vezes a principal forma de divulgação e disponibilização de informações com maior alcance e maior rapidez, porém muitas das vezes, sem garantia de que esse conteúdo estará disponível para consulta no futuro, perdendo-se, portanto, esse material rico e frequentemente único. Pretende ainda destacar a importância de discussões nessa seara no Brasil como forma de preservar o que se é produzido hoje em sítios da internet no país para que seja garantido o acesso às futuras gerações. 2020-03-20T15:03:13+00:00 Copyright (c) 2020 Igor Ferreira Fazano, Vivian Luiz Fonseca http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4997 Dados de pesquisa em acesso aberto: uma coleção de dados do conjunto de doutores cadastrados na Plataforma Lattes 2020-03-20T15:03:15+00:00 Thiago Magela Rodrigues Dias thiagomagela@gmail.com Patrícia Mascarenhas Dias patriciamdias@gmail.com <p>Os estudos sobre dados científicos têm atraído o interesse de pesquisadores de diversas áreas do conhecimento, tendo em vista seu potencial para melhor compreender como as pesquisas em uma determinada área têm sido realizadas, ou como grupos de pesquisadores têm colaborado no desenvolvimento de seus trabalhos. Assim, este trabalho descreve um conjunto de dados estratificados contendo informação sobre os indivíduos com currículos cadastrados na Plataforma Lattes e que possuam doutorado concluído. O trabalho também apresenta uma descrição quantitativa sobre os dados coletados, bem como uma descrição geral dos conjuntos de dados disponibilizados. Cada um dos estratos apresentam uma quantidade significativa de dados que podem ser utilizados para diversos tipos de análises, como por exemplo o estrato de Formação Acadêmica, que sumariza a formação acadêmica de cada um dos doutores. Nesse estrato são apresentados os dados de cada doutor referentes aos cursos de graduação, especialização, mestrado e doutorado concluídos, bem como dos programas de pós-doutorado realizados, incluindo o ano de início, ano de conclusão e local de realização. Considerando o grande interesse de diversos trabalhos recentes que visam analisar dados de publicações científicas, os conjuntos de dados disponibilizados neste trabalho caracterizam-se como importante fonte de informação para diversos novos estudos em diferentes áreas.</p> 2020-03-20T15:03:15+00:00 Copyright (c) 2020 Thiago Magela Rodrigues Dias, Patrícia Mascarenhas Dias http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4998 Evolução da Produção Científica em Periódicos de Acesso Aberto no Brasil: Uma Análise Temporal 2020-03-20T15:03:17+00:00 Patrícia Mascarenhas Dias patriciamdias@gmail.com Thiago Magela Rodrigues Dias thiagomagela@gmail.com Gray Farias Moita gray@dppg.cefetmg.br <p>No ambiente científico, um dos principais objetivos é a divulgação dos resultados alcançados pelos pesquisadores em suas pesquisas. Assim, a comunicação científica se caracteriza como um importante mecanismo para a divulgação de resultados de pesquisas nas diversas áreas do conhecimento. Nesse contexto, os artigos científicos se caracterizam como os principais elementos para a descrição dos estudos realizados e, consequentemente, dos resultados obtidos. identificar como os resultados de investigações científicas estão sendo publicados permite compreender como a comunicação científica tem sido utilizada para a divulgação dos estudos realizados. Nesse cenário, a publicação de artigos em acesso aberto surge como um interessante mecanismo para a divulgação de pesquisas científicas, já que facilita e viabiliza o acesso a elas, tendo em vista que não existem barreiras, em especial financeiras, para acessar os conteúdos desse tipo de publicação. Diante disso, este trabalho visa analisar de forma temporal como a publicação de artigos em periódicos de acesso aberto no Brasil tem evoluído ao longo dos últimos anos.</p> 2020-03-20T15:03:17+00:00 Copyright (c) 2020 Patrícia Mascarenhas Dias, Thiago Magela Rodrigues Dias, Gray Farias Moita http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/5000 Publicações em Acesso Aberto no Brasil: Uma Caracterização do Conjunto de Autores 2020-03-20T15:03:19+00:00 Patrícia Mascarenhas Dias patriciamdias@gmail.com Thiago Magela Rodrigues Dias thiagomagela@gmail.com Gray Farias Moita gray@dppg.cefetmg.br <p>Os estudos sobre dados científicos têm atraído o interesse de pesquisadores de diversas áreas do conhecimento, tendo em vista seu potencial para melhor compreender como as pesquisas em uma determinada área têm sido realizadas, ou como grupos de pesquisadores têm colaborado no desenvolvimento de seus trabalhos. Diante disso, identificar como os resultados de investigações científicas estão sendo publicados permite compreender como a comunicação científica tem sido utilizada para a divulgação dos estudos realizados. Nesse cenário, a publicação de artigos em acesso aberto surge como um interessante mecanismo para a divulgação de pesquisas científicas, já que facilita e viabiliza o acesso a elas, tendo em vista que não existem barreiras, em especial financeiras, para acessar os conteúdos desse tipo de publicação. Assim, este trabalho visa apresentar uma caracterização do conjunto de pesquisadores brasileiros que têm publicado artigos em periódicos de acesso aberto. Para tanto, é utilizada a base curricular da Plataforma Lattes como fonte de dados para inicialmente, identificar os pesquisadores com publicações em periódicos de acesso aberto e, posteriormente, traçar um retrato do perfil destes pesquisadores, como áreas de atuação, níveis de formação e distribuição geográfica.</p> 2020-03-20T15:03:19+00:00 Copyright (c) 2020 Patrícia Mascarenhas Dias, Thiago Magela Rodrigues Dias, Gray Farias Moita http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4928 Visibilidade da produção periódica institucional em acesso aberto: recomendações para criação e gestão dos portais 2020-03-20T15:03:20+00:00 Jorge Santa Anna jorjao20@yahoo.com.br <p class="western" lang="en-US" align="justify"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;">O propósito deste estudo é descrever recomendações gerais acerca da institucionalização e gestão dos portais de periódicos em universidades federais brasileiras. Por meio de revisão de literatura e pesquisa documental aos websites de portais, contatou-se que esses portais precisam ser elaborados a partir de aspectos que contemplem a gestão, a arquitetura informacional, o conteúdo e os serviços prestados na plataforma. </span></span></span></p><p class="western" lang="en-US" align="justify"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;">Palavras-chave: Periódicos científicos. Portais de periódicos. Visibilidade de periódicos. Planejamento e gestão.</span></span></span></p> 2020-03-20T15:03:20+00:00 Copyright (c) 2020 Jorge Santa Anna http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4929 Serviços oferecidos em Portais de Periódicos Científicos: para além do acesso, rumo à democratização 2020-03-20T15:03:22+00:00 Jorge Santa Anna jorjao20@yahoo.com.br <p class="western" lang="en-US" align="justify"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;">O presente texto versa sobre os portais de periódicos científicos e os serviços por eles oferecidos, cujo objetivo é identificar a disponibilização desses serviços em portais de universidades federais e reforçar o potencial dessa oferta para a consolidação da ciência aberta. Utiliza revisão de literatura, pesquisa documental, com abordagem qualitativa. Os resultados revelaram que os portais podem oferecer diferentes serviços, tais como canais para contato, fóruns de discussão, mecanismos de busca, e treinamentos, embora nem todos esses serviços </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-PT">foram indetificados nos portais analisados. Conclui-se que a ausência desses serviços tende a desqualificar os portais, impactando na visibilidade e prestígio dos periódicos e das instituições mantenedoras, o que requer a adoção de medidas interventivas para qualificação desses ambientes.</span></span></span></span></p><h2 class="western" align="left"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-BR"><strong>Palavras-chave</strong></span></span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"><span lang="pt-BR">: Ciência aberta. Portais de periódicos. Serviços prestados em portais de periódicos.</span></span></span></span></h2> 2020-03-20T15:03:22+00:00 Copyright (c) 2020 Jorge Santa Anna http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4931 Portais de Periódicos Científicos e o acesso livre ao conhecimento: uma investigação com base no conteúdo dos portais 2020-03-20T15:03:24+00:00 Jorge Santa Anna jorjao20@yahoo.com.br <p class="western" lang="en-US" align="justify"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: small;"><span lang="pt-BR">Este artigo apresenta o conteúdo dos portais de periódicos e as relações desse conteúdo com o desenvolvimento institucional e científico, especificamente no que tange ao movimento de acesso livre ao conhecimento. Metodologicamente, a pesquisa é descritiva, de abordagem mista, recorrendo à revisão de literatura (realizada em artigos sobre o assunto) e à pesquisa documental (consulta aos websites dos periódicos das universidades federais de Minas Gerais). Os resultados indicaram disparidade entre os portais, alguns contemplando número pequeno de periódicos, e outros com número mais elevado. Além disso, inferiu-se que esses ambientes de informação são adeptos do movimento ao acesso aberto, uma vez que os periódicos inseridos possibilitam o acesso ao texto integral dos trabalhos publicados, sem quaisquer tipos de </span></span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: small;"><span lang="pt-BR"><span>restrição. </span></span></span></span></span></p><h2 class="western"><strong><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: small;">Palavras-chave</span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: small;">: </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: small;"><span lang="pt-BR">Portais de periódicos. Acesso livre ao conhecimento. Conteúdo dos portais de periódicos.</span></span></span></span></strong></h2><p class="western"> </p> 2020-03-20T15:03:24+00:00 Copyright (c) 2020 Jorge Santa Anna http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4932 Acesso aberto e educação a distância: novas configurações para a democratização do conhecimento 2020-03-20T15:03:27+00:00 Maria Elizabeth de Oiveira da Costa mabethcosta@gmail.com Jorge Santa Anna jorjao20@yahoo.com.br <p align="justify"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: small;">O presente texto apresenta reflexões sobre acesso aberto, educação a distância e democratização do conhecimento, cujo objetivo do estudo é analisar os serviços informacionais disponibilizados pelas bibliotecas universitárias aos alunos da educação a distância, apontando as contribuições do acesso aberto, nesse contexto. Como metodologia, adota pesquisa bibliográfica, documental e estudo de caso, o qual foi conduzido pela aplicação de questionário a graduandos do ensino a distância. Por meio dos resultados, observou-se que o acervo, bases de dados, a Biblioteca Digital de Teses e Dissertações, catálogo on-line, serviço de comutação bibliográfica e o Portal de Periódicos da Capes são os elementos disponibilizados pelas bibliotecas. Dentre esses, o acesso a algumas bases de dados e ao Portal de Periódicos da Capes, embora haja cobrança de taxas, essas são custeadas pela instituição, o que reforça o interesse da instituição pela qualidade do ensino oferecido ao alunado. Esse fato demonstra o potencial do acesso aberto, visto que eliminaria esse tipo de obstáculo para as instituições, fortalecendo a democratização do conhecimento e da educação.</span></span></span></span></p><h2 class="western" align="left"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: small;"><span lang="pt-BR"><strong>Palavras-chav</strong></span></span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: small;"><span lang="pt-BR">e: Acesso aberto. Educação a Distância. Produtos e serviços bibliotecários.</span></span></span></span></h2> 2020-03-20T15:03:27+00:00 Copyright (c) 2020 Jorge Santa Anna http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/5187 Expediente 2020-04-15T17:19:50+00:00 Ramón Martins Sodoma da Fonseca ramon@ibict.br 2020-03-20T15:03:29+00:00 Copyright (c) 2020 Ramón Martins Sodoma da Fonseca