OS SENTIDOS DA DIMENSÃO TÉCNICA: ABORDAGEM SOBRE A COMPETÊNCIA EM INFORMAÇÃO NO ÂMBITO DA FILOSOFIA E DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

  • Alexandre Pedro de Oliveira UFSC
  • Elizete Vieira Vitorino UFSC

Resumo

Investiga a temática competência em informação sob a ótica da Filosofia e da Ciência da Informação. Tem como diretriz a seguinte indagação: como é possível abordar a competência em informação no âmbito da dimensão técnica por meio de um diálogo integrado entre a Filosofia e a Ciência da Informação? As respostas a esta pergunta norteadora, bem como as reflexões resultantes destas, baseiam-se numa investigação de natureza exploratória e bibliográfica, conduzida em artigos e livros nestas áreas do conhecimento. Trata sobre a dimensão técnica, teoricamente constituída por conceitos sobre a “técnica” (Filosofia) e sobre a competência em informação (Ciência da Informação). Resgata conceitos de Aristóteles de Hannah Arendt e de outros filósofos contemporâneos, relacionando-os aos conceitos de competência em informação. A inter-relação conceitual revela que a dimensão técnica da competência em informação abrange habilidades sustentadas por julgamentos e decisões durante as etapas de busca, avaliação e uso da informação.

 

Abstract


The aim of this article is to investigate the issue of Information Literacy under the light of Philosophy and Information Science. The article’s basis lies in the following inquiry: how is it possible to approach Information Literacy in the technical dimension through a dialogue between Philosophy and Information Science? The answers to this guiding question, as well as the deliberations that arise as an outcome, are based on a research that is both exploratory and bibliographical, carried out through the reading of articles and books in the field of study. This study addresses the technical dimension, supported by theoretical concepts dealing with Technique (Philosophy) and Information Literacy (Information Science). This research goes back to notions proposed by Aristotle, Hannah Arendt and other contemporary philosophers, relating these concepts to Information Literacy. The conceptual interrelation reveals that the technical dimension of Information Literacy tackles skills grounded on judgments and decisions made during the steps of location, evaluation and use of information.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. 5. ed. rev. e ampl. São Paulo: Martins Fontes, 2007. 1210 p.

AMERICAN LIBRAY ASSOCIATION (ALA). Center for the Future of Libraries. Libray of the future: trends. 2015. Disponível em: <http://www.ala.org/transforminglibraries

/future/trends>. Acesso em: 11 maio 2015.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Tradução Roberto Raposo. Revisão Técnica Adriano Correia. 11. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010. 407 p.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco: Aristóteles : texto integral. Tradução Pietro Nassetti. São Paulo: Martin Claret, 2003. 240 p.

BERCIANO V., Modesto. La técnica moderna. Refleciones ontológicas. Universidad de Oviedo. Servicio de Publicaciones, Espanha, [1991]. 133 p.

BRAND-GRUWEL, Saskia; WOPEREIS, Iwan; VERMETTEN, Yvonne. Information problem solving by experts and novices: analysis of a complex cognitive skill. Computers in Human Behavior , v. 21, n. 3, p. 487–508, May 2005. Disponível em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0747563204001591>. Acesso em: 07 ago. 2013.

BRUCE, Christine. Workplace experiences of information literacy. International Journal of Information Management, v. 19, n. 1, p. 33–47, Feb. 1999. Disponível em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0268401298000450>. Acesso em: 18 set. 2013.

CHAUI, Marilena de Souza. Introdução à história da filosofia: dos pré-socráticos a Aristóteles. 2. ed. rev. e aum. São Paulo: Companhia das Letras, 2002. 539 p.

DUDZIAK, Elisabeth Adriana. Information Literacy: princípios, filosofia e prática. Ciência da Informação, Brasília, v.32, n.1, p. 23-35, jan./abr. 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-196520030001

&lang=pt>. Acesso em: 29 out. 2013.

DUDZIAK, Elisabeth Adriana. O bibliotecário como agente de transformação em uma sociedade complexa: integração entre ciência, tecnologia, desenvolvimento e inclusão social. PontodeAcesso, Salvador, v.1, n.1, p. 88-98, jun. 2007. Disponível em:

portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/1396/878>. Acesso em: 29 out. 2013.

EISENBERG, Michael B. Information Literacy: essential skills for the Information Age. DESIDOC Journal of Library & Information Technology, v. 28, n.2, p. 39-47, Mar. 2008. Disponível em: <http://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&dB=lih&AN=

&lang=pt-br&site=ehost-live>. Acesso em: 22 out. 2013.

GARCÍA BACCA, Juan David. Elogio de la técnica. Barcelona: Anthropos, 1987. 152 p.

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias. Arcabouço conceitual do letramento informacional. Ciência da Informação, Brasília, v. 39, n. 3, p. 83-92, set./dez. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ci/v39n3/v39n3a07.pdf>. Acesso em: 31 out. 2013.

GIACOIA JUNIOR, Oswaldo. Pequeno dicionário de filosofia contemporâneo. São Paulo: Publifolha, 2006. 183 p.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008. 200 p.

GROSS, Melissa; ARMSTRONG, Bonnie; LATHAM, Don. The Analyze, Search, Evaluate (ASE) Process Model: three steps toward information literacy. Community & Junior College Libraries, v.18, p.103–118, 2012. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1080/

2012.780488>. Acesso em: 07 nov. 2013.

KUHLTHAU, Carol Collier. O papel da biblioteca escolar no processo de aprendizagem. In: VIANNA, Márcia Milton; CAMPELLO, Bernadete; MOURA, Victor Hugo Vieira. Biblioteca escolar: espaço de ação pedagógica. Belo Horizonte: EB/UFMG, 1999. p. 9-14. Disponível em: <http://gebe.eci.ufmg.br/downloads/103.pdf>. Acesso em: 05 nov. 2013.

LIZ, Manuel. Conocer y actuar a través de la tecnologia. In: BRONCANO, Fernando (ed.). Nuevas meditaciones sobre la técnica. Madrid: Editorial Trotta, 1995. p. 23-51.

LLOYD, Annemaree. Information literacy: different contexts, different concepts, different truths? Journal of Librarianship and Information Science, v. 37, n.2, p. 82-88, June 2005. Disponível em: <http://lis.sagepub.com/content/37/2/82.full.pdf+html>. Acesso em: 15 out. 2013.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2012. 277 p.

MIRANDA, Silvânia. Como as necessidades de informação podem se relacionar com as competências informacionais. Ciência da Informação, Brasília, v. 35, n. 3, p. 99-114, set./dez. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ci/v35n3/v35n3a10.pdf>. Acesso em: 27 ago. 2013.

MORAES, Eduardo Jardim de Moraes. Hannah Arendt: filosofia e política. In: ______; BIGNOTTO, Newton (Org.). Hannah Arendt: diálogos, reflexões, memórias. Belo Horizonte: UFMG, 2001. p. 35-47.

NEDEL, José. Reflexões sobre arte e técnica. Cultura e fé, v. 30, n.117, p. 60-96, 2007.

NODARI, Paulo César. A ética aristotélica: felicidade como o bem supremo em Aristóteles. In: ______. Sobre ética: Aristóteles, Kant e Levinas. Caxias do Sul: Educs, 2010. p. 13-47.

OLIVEIRA, Alexandre Pedro de; VITORINO, Elizete Vieira. A dimensão técnica da Competência Informacional: visão dos bibliotecários de referência das bibliotecas universitárias da Grande Florianópolis, SC. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (ENANCIB), 15., 2014, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: ECI/UFMG, 2014. p. 2703-2722. Disponível em: < http://enancib2014.eci.

ufmg.br/documentos/anais/anais-gt6>. Acesso em: 22 fev. 2016.

PERRIN, Jacques. Por uma cultura técnica. In: SCHEPS, Ruth (Org.). O império das técnicas. Campinas: Papirus, 1996. p. 103-110.

RIOS, Terezinha Azerêdo. Compreender e ensinar: por uma docência de melhor qualidade. 6 ed. São Paulo: Cortez, 2006.

SCHIO, Sônia Maria. Hannah Arendt: história e liberdade: da ação à reflexão. 2. ed. Porto Alegre: Clarinete, 2012. 263 p.

SHAPIRO, Jeremy J.; HUGHES, Shelley K. Information Literacy as a liberal art: enlightenment proposals for a new curriculum. Educom Review, v. 31, n. 2, mar./abr. 1996. Sem paginação. Disponível em: <http://net.educause.edu/apps/er/review/reviewArticles/

html>. Acesso em: 14 set. 2013.

TELES, Edson Luis de Almeida. Práxis e poiesis: uma leitura arendtiana do agir político. Cadernos de Ética e Filosofia Política, n. 6, p. 123-140, 2005. Disponível em: <http://www.fflch.usp.br/df/cefp/Cefp6/teles.pdf>. Acesso em: jul. 2013.

VITORINO, Elizete Vieira; PIANTOLA, Daniela. Dimensões da competência informacional. Ciência da Informação, Brasília, v.40, n.1, p.99-110, jan./abr. 2011. Disponível em: <http://revista.ibict.br/ciinf/index.php/ciinf/article/view/1918/1397>. Acesso em: 14 maio 2012.

WOLF, Ursula. A Ética a Nicômaco de Aristóteles. Tradução Enio Paulo Giachini. São Paulo: Edições Loyola, 2010. 286 p.

ZINGANO, Marco. Aristóteles: tratado da virtude moral : Ethica Nicomachea I 13 – III 8. São Paulo: Odysseus Editora, 2008. 223 p.

Publicado
06/04/2016
Como Citar
OliveiraA. P. de; VitorinoE. V. OS SENTIDOS DA DIMENSÃO TÉCNICA: ABORDAGEM SOBRE A COMPETÊNCIA EM INFORMAÇÃO NO ÂMBITO DA FILOSOFIA E DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO. Logeion: Filosofia da Informação, v. 2, n. 2, p. 40-65, 6 abr. 2016.
Seção
Artigos