Integração da piscicultura com a fruticultura fertirrigada em pequenas propriedades rurais do Vale do Jaguari, RS, Brasil

  • João Serafim Tusi da Silveira Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, URI Campus de Santo Ângelo.
  • Attus Pereira Moreira Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI)
  • Rodrigo Belmonte da Silva Instituto Federal Farroupilha (IF_Faroupilha) - São Vicente do Sul, RS - Brasil.
Palavras-chave: Integração rural produtiva, Agricultura familiar, Tecnologia social, Desenvolvimento regional integrado e sustentável

Resumo

O Vale do Jaguari, considerando a área circunscrita pelo seu Conselho Regional de Desenvolvimento – COREDE, é integrado por nove municípios que fazem parte da Mesorregião Metade Sul do Rio Grande do Sul – MESOSUL, a qual constitui um dos programas de desenvolvimento integrado e sustentável, conduzidos pelo Ministério da Integração Nacional. Um dos mais graves problemas dessa região é o esvaziamento da força de trabalho, especialmente a população adolescente (15-19 anos) que diminuiu a uma taxa de 2% a.a., desde 2000, como consequência da falta de perspectivas regionais de qualificação profissional; de oportunidades de trabalho/empreendimento; e de obtenção de salário/renda. Como resultado do processo de planejamento estratégico da sócio economia regional, sobressai a potencialidade da exploração integrada da piscicultura com a fruticultura fertirrigada, por intermédio do consorciamento de 75 agricultores familiares que sejam proprietários de suas terras e de, pelo menos, 250 jovens. Para isso, propõe-se uma inovadora Tecnologia Social, ainda sem registro no acervo brasileiro com relação ao seu efeito demonstrativo e multiplicativo; ao subsídio e assistência (empurrão inicial) aos agricultores; e à pré-incubação dos negócios. Os maiores impactos esperados traduzir-se-ão nos resultados da qualificação profissional, cujos habilitados passarão a contar com elementos objetivos para abandonar sua predisposição de emigração iminente. Os benefícios ambientais e ecológicos advirão da prática do uso múltiplo da água com mais economia e eficiência, pois a água biofertilizada substituirá em boa parte a adubação química. E, ainda, serão minimizados os prejuízos causados pelas estiagens recorrentes que assolam e empobrecem a região, há vários anos. 

Biografia do Autor

João Serafim Tusi da Silveira, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, URI Campus de Santo Ângelo.
Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil. Professor da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Santo Ângelo, RS, Brasil.
Attus Pereira Moreira, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI)
Doutor em Engenharia de Transportes pela Universidade de São Paulo (USP) - São Carlos, SP - Brasil. Professor da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) - Santo Ângelo, RS - Brasil.
Rodrigo Belmonte da Silva, Instituto Federal Farroupilha (IF_Faroupilha) - São Vicente do Sul, RS - Brasil.

Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) - Santa Maria, RS - Brasil. Professor do Instituto Federal Farroupilha (IF_Faroupilha) - São Vicente do Sul, RS - Brasil.

Publicado
20/12/2017
Como Citar
SilveiraJ. S. T. da, MoreiraA. P., & SilvaR. B. da. (2017). Integração da piscicultura com a fruticultura fertirrigada em pequenas propriedades rurais do Vale do Jaguari, RS, Brasil. Inclusão Social, 7(2). Recuperado de http://revista.ibict.br/inclusao/article/view/3883
Seção
Prêmio Nacional de Des. Reg. 2010 - Homenagem a Celso Furtado | Cat. III - Proj. Inov. para Implantação no Território