Protestos na era da informação: panóptico, visibilidade sinóptica e outras formas de ver e ser visto | Protests in the information age: panopticon, synopticon, and other ways of seeing and being seen

Lucas Melgaço

Resumo


RESUMO Ao mesmo tempo que as tecnologias da informação e comunicação têm impulsionado a ocorrência de grandes manifestações públicas no atual período técnico-científico e informacional, elas têm também sido utilizadas para o monitoramento de ativistas e, por vezes, para verdadeiramente coibir a ação de alguns cidadãos. Esse cenário de intensa vigilância tem sido muitas vezes representado a partir de metáforas como big brother e panóptico. Todavia, esses dois termos não são suficientes para explicar a atual sociedade da vigilância. Enquanto o modelo panóptico representa uma situação em que “um” monitora “vários”, o momento atual é marcado também por situações em que, inversamente, “vários” vigiam “um”, ou ainda, “vários” vigiam “vários”. Por sua vez, a concepção orwelliana estaria incompleta por concentrar o poder de vigilância em um único agente: o Estado. Apesar da importância ainda crucial do Estado, outros agentes passam a ter semelhante relevância no controle da informação no período atual, como as empresas e os próprios indivíduos. Os recentes protestos no Brasil têm trazido vários exemplos em que a vigilância promovida por agentes hegemônicos tem sido contraposta não apenas por atos de contravigilância, mas de uma crescente visibilidade sinóptica.

Palavras-chave: Protestos; Vigilância; Panóptico; Sinóptico; Período Técnico-Científico e Informacional.

ABSTRACT Information and communication technologies have fostered the existence of large public demonstrations in the current techno-scientific and informational period, while at the same time they have often served to monitor activists’ activities and to curtail the actions of certain citizens. Such scenario of intensive surveillance has been represented by metaphors like big brother and the panopticon. However, these metaphors on their own cannot explain the complexities of the current surveillance society. While the panopticon model represents the surveillance of “the many” by “one”, today there are many situations where “the many” watch “one”, or even, “the many” watch “the many”. The Orwellian model is incomplete as it centres the surveillance focus in the hands of the state, whereas other actors like companies and individuals play crucial roles in the current surveillance realm. Recent protests in Brazil show several examples in which the surveillance promoted by hegemonic agents is being countered not only by counter-surveillance practices but also by a growing synoptic visibility.

Keywords: Protests; Surveillance; Panopticon; Synopticon; Techno-Scientific and Informational Period. 

 


Palavras-chave


Protestos; Vigilância; Panóptico; Sinóptico; Período Técnico-Científico e Informacional.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18617/liinc.v12i2.922

Apontamentos

  • Não há apontamentos.