CRITÉRIOS PARA A CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS NA REGULAMENTAÇÃO DO INMETRO

Roberta Chamusca, Danielle Assafin, Cristiane Sampaio, Raphael Machado

Resumo


O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) utiliza, sistematicamente, a avaliação da conformidade em sua regulamentação. Na certificação de produtos, processos e serviços, há sete tipos de esquemas possíveis. No entanto, na inexistência de regras explícitas, observa-se, nos programas instituídos pelo Inmetro, a preferência pelo tipo 1b, ou certificação de lote, e pelo tipo 5, o mais completo dos esquemas, no que se refere às atividades de avaliação empregadas. A partir da revisão bibliográfica, este trabalho investigou como selecionar o esquema adequado na certificação. Foi elaborada uma sistemática de apoio à decisão, baseando-se nas variáveis relacionadas ao produto, processo produtivo, setor produtivo, mercado e canal de distribuição. A sistemática potencialmente promove a melhoria da qualidade regulatória do Inmetro e o aumento da transparência, além de constituir-se ferramenta útil para outros atores, do setor público ou privado, que sejam proprietários de esquemas de certificação.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR ISO/IEC 17067: Avaliação da conformidade – Fundamentos para certificação de produtos e diretrizes de esquemas para certificação de produtos. Rio de Janeiro: 2015.

______. NBR ISO/IEC 17065: Avaliação da conformidade – Requisitos para organismos de certificação de produtos, processos e serviços. Rio de Janeiro: 2013.

______. ISO/IEC GUIA 67: Avaliação de conformidade – Fundamentos de certificação de produtos. Rio de Janeiro: 2005a.

______. NBR ISO/IEC 17000: Avaliação da conformidade – Vocabulário e princípios gerais. Rio de Janeiro: 2005b.

ASIA-PACIFIC ECONOMIC COOPERATION (APEC). Good regulatory practices for conformity assessment in APEC member economies. 2013. Disponível em: . Acesso em: 06 out. 2015.

______. Good practice guide on regulatory reform. 2010. Disponível em: . Acesso em: 23 set. 2015.

BARBULIO FILHO, Arnaldo. Aplicação da ISO 17067: Workshop. 2012.

BRASIL. Lei no 12.545, de 14 de dezembro de 2011. Dispõe sobre o fundo de financiamento à exportação (FFEX), altera o art. 1o da lei no 12.096, de 24 de novembro de 2009, e as leis nos 10.683, de 28 de maio de 2003, 11.529, de 22 de outubro de 2007, 5.966, de 11 de dezembro de 1973, e 9.933, de 20 de dezembro de 1999; e dá outras providências. 2011. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2015.

______. Lei no 9.933, de 20 de dezembro de 1999. Dispõe sobre as competências do Conmetro e do Inmetro, institui a taxa de serviços metrológicos, e dá outras providências. 1999. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2015.

CHAMUSCA, Roberta F.; SAMPAIO, Cristiane M. S.; SILVA, Danielle A. V. S. Certificação como apoio à regulamentação de produtos, processos e serviços: o caso do Inmetro. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE REGULAÇÃO, 9., 2015, Brasília.

COMISSÃO EUROPEIA (CE). [201-]. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2015.

______. Guia azul relativo à aplicação da legislação da UE em matéria de produtos. Ed. 1.1. 2015. Disponível em: < http://ec.europa.eu/DocsRoom/documents/11502>. Acesso em: 18 set. 2015.

COMITÊ EUROPEU DE NORMALIZAÇÃO (CEN). CEN/BT WG 185 Project team final report for approval: European accessibility requirements for public procurement of products and services in the ICT domain (European Commission Mandate M 376, Phase 1. 2008. Disponível em: . Acesso em: 29 jan. 2016.

CONSELHO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL (CONMETRO). Guia de boas práticas de regulamentação. 2007. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2015.

DCMAS. Building corresponding technical infrastructures to support sustainable development and trade in developing countries and countries in transition: Background paper. 2010. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2015.

FOSSA, Alberto J. Contribuições para a modelagem do sistema de avaliação da conformidade na construção da infraestrutura predial para distribuição e uso residencial de gases combustíveis. 2012. 275 f. Tese (Doutorado em Energia)-Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

GIL, Antonio C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA (INMETRO). Avaliação da conformidade. 6. ed. Rio de Janeiro: 2015a. Disponível em: < http://www.inmetro.gov.br/inovacao/publicacoes/acpq.pdf>. Acesso em: 29 jan. 2016.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION (ISO). Using ISO/CASCO standards in regulations. [201-]. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2015.

______. Certification and related activities: assessment and verification of conformity to standards and technical specifications. Switzerland: ISO, 1992.

______. Certificación: princípios y práctica. Madrid: IRANOR, 1982.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION (ISO); UNITED NATIONS INDUSTRIAL DEVELOPMENT ORGANIZATION (UNIDO). Building trust: the conformity assessment toolbox. 2010. Disponível em: . Acesso em: 17 maio 2014.

LODGE, Martin; WEGRICH, Kai. O enraizamento da regulação de qualidade: fazer as perguntas difíceis é a resposta. In: PROENÇA, Jadir P.; COSTA, Patrícia V.; MONTAGNER, Paula (Org.). Desafios da regulação no Brasil. Brasília: ENAP, 2009.

p. 17-37. Disponível em: . Acesso em: 26 set. 2015.

RUSSO, Giuseppe M.; MACEDO-SOARES, T. Diana L. A.; VILLAS, Marcos V. Importância da hierarquização das revistas científicas: resultados de uma investigação empírica no Brasil e proposta de um método de pesquisa bibliográfica. In: ENCONTRO DA

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 30., 2006, Salvador. Disponível em: < http://www.anpad.org.br/enanpad/2006/dwn/enanpad2006-adid-0069.pdf>. Acesso em: 10 fev. 2015.

UNIÃO EUROPEIA (UE). Decisão no 768/2008/CE, de 9 de julho de 2008, relativa a um quadro comum para a comercialização de produtos. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2015.

UNITED NATIONS ECONOMIC COMMISSION FOR EUROPE (UNECE). Risk management in regulatory frameworks: towards a better management of risks. United Nations: New York and Geneva, 2012. Disponível em: < http://www.unece.org/trade/wp6/welcome.html>. Acesso em: 21 jan. 2015.




DOI: https://doi.org/10.21721/p2p.2019v6n1.p49-69

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

 
 
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (cc BY 4.0)
 
 P2P & INOVAÇÃO - e-ISSN 2358-7814, IBICT.