Pandemia e desigualdade social

Centro de Referência da Assistência Social e o enfrentamento à Covid-19 em Arapiraca/Alagoas

  • Liliana Vanessa Pininga Torres Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
  • Jose Rodolfo Tenorio Lima Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
  • Roselene de Lima Breda Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
Palavras-chave: Centro de Referência da Assisteência Social - CRAS, Desigualdade social, Benefícios sociais, Pandemia, Coronavírus, COVID-19

Resumo

A pandemia causada pelo novo coronavírus se constitui na maior emergência de Saúde Pública enfrentada pela comunidade internacional em décadas. No Brasil, às preocupações relacionadas à saúde se somam apreensões ligadas à questão da desigualdade social, que aumentou durante o período pandêmico. Este trabalho discute e analisa a atuação do Centro de Referência da Assistência Social – CRAS, em Arapiraca/AL, no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. O trabalho está baseado em pesquisa bibliográfica, documental e observação participante, realizada entre março e julho de 2020. Os resultados apontam um aumento significativo na procura, através do CRAS, por serviços/auxílios sociais já existentes e outros que passaram a ser disponibilizados durante a pandemia na esfera da Assistência Social. A extensão de benefícios sociais a um contingente maior de pessoas se constituiu numa estratégia de contenção do aumento da vulnerabilidade social decorrente da pandemia.

Biografia do Autor

Liliana Vanessa Pininga Torres, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Graduanda em Administração Pública na Universidade Federal de Alagoas.

Jose Rodolfo Tenorio Lima, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Doutorando em Sociologia pela Universidade Federal de São Carlos e Professor na Universidade Federal de Alagoas.

Roselene de Lima Breda, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Doutoranda em Sociologia pela Universidade Federal de São Carlos

Referências

ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS. O impacto da pandemia da Covid-19 na saúde mental. 2020. Disponível em: http://www.abc.org.br/2020/06/15/o-impacto-da-pandemia-na-saude-mental/. Acesso em: 14 jul. 2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado, 1988.

BRASIL. Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Secretaria Especial do Desenvolvimento Social, Brasília, 22 jun. 2015. Disponível em: http://mds.gov.br/assistencia-social-suas/servicos-e-programas/servicos-de-convivencia-e-fortalecimento-de-vinculos. Acesso em: 30 ago. 2020.

BRASIL. Lei Orgânica da Assistência Social. Lei Federal nº 8.742. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 1993.

BRASIL. Ministério da Saúde. Coronavírus (Covid-19). Brasília, DF, 2020.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas Centro de Referência de Assistência Social – CRAS. Brasília, 2009, p.11. Disponível em: http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_Cras.pdf. Acesso em: 25 ago. 2020.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Política Nacional de Assistência Social e NOB/SUAS. Brasília: Conselho Nacional de Assistência Social, 2005.

BREDA, R. L. Efeitos da vulnerabilidade social: notas sobre o cotidiano de trabalho em um CRAS na cidade de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Universidade Federal de São Carlos. Programa de Pós-Graduação em Sociologia, São Carlos, 2016.

BREDA, R. L. Entre recursos e escolhas: limites e possibilidades em torno das rotinas de atendimento de um CRAS. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Sociais) – Departamento de Sociologia, UFSCar, São Carlos, 2012.

CARVALHO, C. P. Os impactos da epidemia na economia alagoana: notas sobre a conjuntura econômica nos meses de março e junho de 2020. Maceió: EDUFAL, 2020.

CARVALHO, J. M. Cidadania no Brasil: longo caminho. 6ª Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

FAGNANI, E. Política Social no Brasil (1964 – 2002): entre a cidadania e a caridade. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Economia, Campinas, 2005.

FIALHO, J. Assistência social x assistencialismo. Disponível em: <https://www.gesuas.com.br/blog/assistencia-social-x-assistencialismo/>. Acesso em 08 de agosto de 2020.

IAMAMOTO, M. V. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. São Paulo: Cortez, 1999.

IBGE. O IBGE apoiando o combate à Covid19. Rio de Janeiro, 2020b. Disponível em: https://covid19.ibge.gov.br/pulso-empresa/. Acesso em: 20 ago. 2020.

IBGE. PNAD Contínua 2018: 10% da população concentram 43,1% da massa de rendimentos do país. 2019. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/25700-pnad-continua-2018-10-da-populacao-concentram-43-1-da-massa-de-rendimentos-do-pais. Acesso em: 5 ago. 2020.

IBGE. Aglomerados subnormais 2019: classificação preliminar e informações de saúde para o enfrentamento à covid-19. Rio de Janeiro: IBGE, 2020a. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101717_apresentacao.pdf. Acesso em: 20 ago. 2020.

IPEA. A nova plataforma da vulnerabilidade social: primeiros resultados do índice de vulnerabilidade social para a série histórica da PNAD (2011-2015) e desagregações por sexo, cor e situação de domicílios. Rio de Janeiro, p. 17, 2018. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/9477/1/A_nova_plataforma_da_vulnerabilidade_social.pdf. Acesso em: 15 ago. 2020.

JACCOUD, L. Proteção social no Brasil: debates e desafios. In: Concepção e gestão da Proteção social no Brasil – Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, UNESCO, 2009.

MESTRINER, M. L. O Estado entre a filantropia e a assistência social. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

OLIVEIRA, F. “Prefácio”. In: RAICHELIS, R. Esfera pública e Conselhos de Assistência Social: caminhos da construção democrática. São Paulo, Cortez, 1998.

PAZ, R. D. O. Organizações não-governamentais: um debate sobre a identidade política das associadas a ABONG. Cadernos ABONG, n. 33, jul./2005.

RAICHELIS, R. Esfera pública e Conselhos de Assistência Social: caminhos da construção democrática. São Paulo, Cortez, 1998.

SIQUEIRA, A. O. Programa Bolsa Família: autonomia ou legitimação da pobreza? O Sistema de Proteção Social Brasileiro e a Assistência Social. 2008. p. 107. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC RIO), Rio de Janeiro.

TELLES V. S. A "nova questão social" brasileira: ou como as figuras de nosso atraso viraram símbolo de nossa modernidade. Caderno CRH, n. 30/31, p. 85-110, 1999.

UNICEF. UNICEF alerta para o risco de aumento do trabalho infantil durante e após a pandemia. Brasília, 12 jun. 2020. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/comunicados-de-imprensa/unicef-alerta-para-o-risco-de-aumento-do-trabalho-infantil-durante-e-apos. Acesso em: 30 ago. 2020.

YASBEK, M. C. Questão social: desigualdade, pobreza e vulnerabilidade social. São Paulo, 2008.

Publicado
26/09/2020
Como Citar
TorresL. V. P.; LimaJ. R. T.; BredaR. de L. Pandemia e desigualdade social: Centro de Referência da Assistência Social e o enfrentamento à Covid-19 em Arapiraca/Alagoas. P2P E INOVAÇÃO, v. 7, n. 1, p. 161-183, 26 set. 2020.