Informação, memória e sociedade

os Beat Generation in Cariri na década de 70, sob o prisma da Ciência da Informação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21728/logeion.2024v10n2e-6947

Palavras-chave:

informação cultural, registro de memória, contracultura no Cariri nos anos 1970, Ciência da Infomação, Memória

Resumo

O resumo apresenta o movimento de contracultura no Cariri na década de 70 e delimita as produções artístico-culturais desenvolvidas pelos jovens modernos marginais. Identifica que tais produções se configuram enquanto artefatos culturais dotados de informação, bem como compreendidas na dimensão de registros de memória para região do Cariri. Utiliza o conceito de informação pela acepção da cultura e a memória pelo viés dos registros de memória, sob o prisma da Ciência da Informação, entendendo memória no sentido coletivo. A metodologia se constitui como bibliográfica, assim como exploratória, e faz uso do Regime de Informação como instrumento analítico dos quadros contextuais e das produções artísticas dos jovens da década de 70 na cidade de Crato, no Cariri cearense. Considera que os artefatos culturais desenvolvidos por esses jovens provêm da ordem da cultura, dotado de informação e memória, registrados nas mais diversas formas tipológicas artístico-culturais.

Palavras-chave: informação cultural; registro de memória; contracultura no Cariri nos anos 1970.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Ermeson Nathan Pereira Alves

    Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

  • Edivanio Duarte de Souza, Universidade Federal de Alagoas

    Doutor em Ciências da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2011), Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (2004), Graduado em Direito pela Faculdade Estácio de Alagoas (2014) e em Biblioteconomia pela Universidade Federal da Paraíba (1999). Professor Adjunto do Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Alagoas (CBI/UFAL). Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba (PPGCI/UFPB), na linha de pesquisa "Ética, Gestão e Políticas de Informação", onde leciona/lecionou as disciplinas "Epistemologia da Ciência da Informação" e "Fundamentos Teóricos da Ciência da Informação". Conciliador da Justiça Federal em Alagoas (JFAL). Líder do Grupo de Pesquisa "Observatório de Estudos Interdisciplinares da Informação" registrado no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Fundador e Editor do periódico científico qualis "Ciência da Informação em Revista". Consultor Ad Hoc da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (FAPEAL). Atua nos campos de Biblioteconomia, Ciência da Informação e Direito, com ênfase em Epistemologia Interdisciplinar, Fundamentos Teóricos da Biblioteconomia e da Ciência da Informação, Gestão da Informação e do Conhecimento, e Direitos Fundamentais, Informação e Cidadania.

     

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? Chapecó: Argos, 2009. 92 p.

ALBUQUERQUE JÚNIOR., Durval Muniz de. A invenção do Nordeste e outras artes. Recife: FJN: Massangana, 1999. 340 p.

ALBUQUERQUE JÚNIOR., Durval Muniz de. Fragmentos do discurso cultural: por uma análise crítica do discurso sobre a cultura no Brasil. In: GISELE MARCHIORI. Teorias e políticas da cultura: visões multidisciplinares. Salvador: EDUFBA, 2007. p. 13-23.

ALVES, Ermeson Nathan Pereira. Abidoral Jamacaru: a poesia como elemento de memória na região do Cariri cearense. Orientador: Anna Elizabeth Galvão Coutinho Correia. 2018. 93 f. Dissertação (Mestre) - Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Artes e Comunicação, Recife, 2018.

ALVES, Ermeson Nathan Pereira. Memória e poesia: uma análise dos escritos poéticos de Abidoral Jamacaru. 2015. 64 f. Monografia - Curso de Biblioteconomia, Universidade Federal do Cariri, Juazeiro do Norte, 2015.

BAUMAN, Zygmunt. Tempos líquidos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007. 116 p.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998. 395 p.

BOURDIEU, Pierre. O campo científico. In: ORTIZ, Renato. Pierre Bourdieu. São Paulo: Ática, 1983. p. 122-155.

BUCKLAND, Michael K. Informação como coisa. Tradução livre de Luciane Artêncio. Pós-Graduação em Ciência da Informação e Documentação – ECA/USP, São Paulo, p. 1-13, 1991.

BRASILEIRO, Fellipe Sá; FREIRE, Gustavo Henrique de Araújo. O processo de mediação da informação nas organizações a partir do contexto do regime de informação. Anales de Documentación, v. 16, n. 1, p. 1-18, 2013. Disponível em: https://revistas.um.es/analesdoc/article/view/analesdoc.16.1.163711/146501. Acesso em: 27 jun. 2020.

CAPURRO, Rafael; HJØRLAND, Birger. O Conceito de Informação. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 12, n. 1, p. 148-207, jan./abr. 2007.

DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. [S.l]: [s.n.], 2003. 169 p.

DELEUZE, Gille; GUATTARI, Féliz. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia, vol. 1. Rio de Janeiro: Editora 34, 2000. 94 p.

DIAS, Carlos Rafael. Da flor da terra aos guerreiros cariris: representações e identidades do Cariri cearense (1855-1980). 2014. 169 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em História, Universidade Federal de Campina Grande. Campina Grande, 2014.

EAGLETON, Terry. A ideia de cultura. São Paulo: Unesp, 2005.

FREIRE, Isa Maria. Sobre o Regime de Informação no Laboratório de Tecnologias Intelectuais – LTi.. InCID: R. Ci. Inf. e Doc. , Ribeirão Preto, v. 4, n. 1, jan./jun. 2013.

GEERTZ, Clifford. Estar lá, escrever aqui. Diálogo, v. 22, n. 3, p. 58-63, 1985.

GINSBERG, Allen. Uivo, Kaddish e outros poemas. Porto Alegre: L&PM Editores, 1984. 213 p.

GONZÁLEZ DE GOMEZ, Maria Nélida. Regime de informação: construção de um conceito. Informação & Sociedade: Est., João Pessoa, v.22, n.3, p. 43-60, set./dez. 2012.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: revista dos tribunais LTDA, 1990.

INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ (IPECE). PERFIL DAS REGIÕES DE PLANEJAMENTOCARIRI - 2017. Fortaleza: [s. n.], 2017. 33 p. Disponível em: http://www2.ipece.ce.gov.br/estatistica/perfil_regional/2017/pr_cariri_2017.pdf. Acesso em: 23 jun. 2020.

KILOMBA, Grada. Memórias da Plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019. 213 p.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: SP Editora da Unicamp, 2006.

MARQUES, Roberto. Contracultura, tradição e oralidade: (Re) inventando o Sertão Nordestino na década de 70. São Paulo: Annablume, 2004.

MARQUES, Roberto. Contracultura, tradição e oralidade: (Re) inventando o Sertão Nordestino em tempos velozes. Trajetos, n. 6, p. 201-216, 2005.

MARQUES, Roberto. Seja moderno, seja marginal: engenhos e artimanhas da contracultura no Cariri. Sociedade e Cultura, v.11, n.2, p. 191-198, 2008.

MARTELETO, Regina Maria. Cultura informacional: construindo o objeto informação pelo emprego dos conceitos de imaginário, instituição e campo social. Ciência da informação, v. 24, n. 1, 1995.

MARTELETO, Regina Maria (Org.). O lugar da cultura no campo de estudos da informação: cenários prospectivos. In: LARA, Maria Lopes Ginzes de; NORONHA, Daisy Pires. Informação e Contemporaneidade: perspectivas. Recife: Néctar, p. 1-318, 2007.

MENESES, Sônia; CORDEIRO, Pryscylla. Narradores do Cariri: olhares contemporâneos e as reinvenções de um lugar incomum. Caderno de Cultura e Ciência, Crato, v. 13, n. 1, p.77-84, jul. 2014.

NETTO, Carlos Xavier de Azevedo. Informação e Memória: as relações na pesquisa. Revista História em Reflexão, Dourados, v. 1, n. 2, p. 1-20, 2007. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/historiaemreflexao/issue/view/26. Acesso em: 26 jun. 2023.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. In: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Projeto História: Revista do programa de estudos pós-graduação em história e do departamento de história da PUC-SP. São Paulo: [S.n], 1993. p. 7-28.

OLIVEIRA, Eliane Braga; RODRIGUES, Georgete Medleg. Concepções de memória na ciência da informação no Brasil: estudo preliminar sobre a ocorrência do tema na produção científica. Ponto de Acesso, Salvador, v. 3, n. 3, p. 216-239, 2009. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/viewFile/3613/2745. Acesso em: 26 jun. 2020.

OLIVEIRA, Eliane Braga; RODRIGUES, Georgete Medleg. O conceito de memória na Ciência da Informação: análise das teses e dissertações dos programas de pós-graduação no Brasil. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 311-328, 2011. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/repositorio/2011/04/pdf_9e7d8c4235_0015690.pdf. Acesso em: 26 jun. 2020.

PEREIRA, Carlos Alberto M. O que é contracultura? São Paulo: Brasiliense, 1986. 340 p.

SEMEÃO, Jane. Os intelectuais do instituto cultural do cariri e sua atuação na (re) invenção do cariri cearense (195 3 - 1970). In: encontro estadual de história, 2014, São Leopoldo. p. 1 - 15.

Downloads

Publicado

24/05/2024

Como Citar

Informação, memória e sociedade: os Beat Generation in Cariri na década de 70, sob o prisma da Ciência da Informação. Logeion: Filosofia da Informação, Rio de Janeiro, RJ, v. 10, n. 2, p. e-6947, 2024. DOI: 10.21728/logeion.2024v10n2e-6947. Disponível em: https://revista.ibict.br/fiinf/article/view/6947.. Acesso em: 22 jun. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)