A biblioteca escolar

ato pedagógico por meio de uma vivência empática em uma perspectiva antropológica e fenomenológica

Autores

  • Gleice Pereira Universidade Federal do Espírito Santo
  • Wallace Bertoli Moreira Prefeitura Municipal de VIla Velha-Espírito Santo https://orcid.org/0009-0003-1510-0493

DOI:

https://doi.org/10.21728/logeion.2024v10n2e-6962

Palavras-chave:

biblioteca escolar; empatia; educação; Fenomenologia; Antropologia Filosófica.

Resumo

Este estudo tem como tema a biblioteca escolar, vista como um espaço pedagógico que promove a vivência empática, analisado em uma perspectiva antropológica e fenomenológica. A justificativa se baseia na dimensão pedagógica e antropológica da biblioteca escolar, que tem a pessoa humana como centro de seus processos e possibilita a reflexão sobre a experiência no mundo social e cultural, bem como a manifestação da intersubjetividade humana. O objetivo geral foi compreender a empatia como ato pedagógico vivenciado na biblioteca escolar, a partir de um viés fenomenológico, e considerando a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a Antropologia Filosófica. A pesquisa foi de natureza teórica, bibliográfica, exploratória e descritiva e se delimitou no conceito de empatia na Antropologia Filosófica e na BNCC, com a finalidade de problematizar e investigar se a vivência empática pode contribuir para o ato pedagógico na práxis cotidiana da biblioteca escolar. Os resultados apontaram que a biblioteca escolar, ao aplicar a vivência empática em sua dimensão pedagógica mediadora, revela a sua concepção antropológica e se constitui como um lugar privilegiado para o ato educativo empático, a pedagogia humanizadora, o diálogo, a reflexão sobre o outro, a promoção do respeito e dos direitos, a formação cidadã, o acolhimento à diversidade social e cultural, a abertura para a subjetividade e as relações intersubjetivas humanas.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

03/05/2024

Como Citar

A biblioteca escolar: ato pedagógico por meio de uma vivência empática em uma perspectiva antropológica e fenomenológica. Logeion: Filosofia da Informação, Rio de Janeiro, RJ, v. 10, n. 2, p. e-6962, 2024. DOI: 10.21728/logeion.2024v10n2e-6962. Disponível em: https://revista.ibict.br/fiinf/article/view/6962.. Acesso em: 24 maio. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)