THESA: FERRAMENTA PARA CONSTRUÇÃO DE TESAURO SEMÂNTICO APLICADO INTEROPERÁVEL

Rene Faustino Gabriel Junior, Rita do Carmo Ferreira Laipelt

Resumo


Apresenta para a comunidade acadêmica e de profissionais da informação o software para elaboração de tesauros THESA (Tesauro Semântico Aplicado). Descreve os conceitos e a estrutura do aplicativo para o desenvolvimento de múltiplos tesauros e multiusuários bem como as facilidades para o estabelecimento de relações semânticas propiciadas pelo sistema. Sua metodologia é baseada nas normas ISO e NIZO vigentes compatibilizadas com os requisitos semânticos prementes nas novas demandas dos sistemas de organização do conhecimento. O software funciona em ambiente web, pode ser baixado gratuitamente, e por tratar-se de um open source (código aberto), pode ser modificado ou aperfeiçoado desde que sejam mantidos os créditos. Entre suas vantagens está a expansão dos tipos de relacionamentos com OWL ou simplesmente com RDF. Foi concebido para ser uma ferramenta flexível e passível de incorporações futuras de novas propriedades de relacionamento entre termos, conceitos e esquemas. Com interoperabilidade entre tesauros de outros autores ou de outros domínios, possibilitará a construção de dicionários de sinônimos e inferências de tesauros já concebidos.

Texto completo:

PDF

Referências


AUSTIN, Derek; DALE, Peter. Diretrizes para o estabelecimento e desenvolvimento de tesauros monolíngües. Trad. Bianca Amaro de Melo. Brasília: IBICT; SENAI, 1993.

CATARINO, M. E. Simple knowledge organization system: construindo sistemas de organização do conhecimento no contexto da web semântica. Informação & Tecnologia, v. 1, n. 1, p. 17-28, 2014. Disponível em: . Acesso em: 04 jan. 2017.

DAHLBERG, I. Teoria da classificação, ontem e hoje. In: CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE CLASSIFICAÇÃO BIBLIOGRAFICA, 1972, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: IBICT/ABDF, 1979. v.1, p.352-370.

DAHLBERG, I. Teoria do conceito. Ciência da Informação, v. 7, n. 2, p. 101-107, 1978.

GONZALES-AGUILAR A.; RAMÍREZ-POSADA M.; D. FERREYRA. Tematres: software para gestionar tesauros. El Profesional de la Información, v. 21, n. 3, 2012. DOI: 10.3145/epi.2012.may.14

GONZALES-AGUILAR, A. Creación y visualización de tesauros a partir de un vocabulario de técnicas de la información y de la comunicación. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 18, n. 37, 2013. DOI:10.5007/1518-2924.2013v18n37p303.

GREEN, R.; BEAN, C. A.; MYAENG, S.H. The semantic of relationships: an interdisciplinary approach. Dordrecht: Kluwer Academic, 2002.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION (ISO). ISO 25.964-1. Information and documentation – Thesauri and interoperability with other vocabularies: Part 1, 2011.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION (ISO). ISO 25.964-1. Information and documentation – Thesauri and interoperability with other vocabularies: Part 2, 2013.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION (ISO). ISO 2788:1986. Documentation – Guidelines for the Establishment and Development of Monolingual Thesauri, 1986.

ISAAC, A.; SUMMERS, E. SKOS Simple Knowledge Organization System Primer. W3C Working Group Note 18 August 2009. Disponível em: Acesso em: 2 fev. 2017.

KHOO, C.S.G.; NA, J. Semantic relations in Information Science. Annual Review of Information Science and Technology, v.40, p.157-228, 2006.

KOLLER A. SKOS Thesaurus management based on linked data with PoolParty. In: Third annual European semantic technology conference, Vienna, 2-3 December 2009. Disponível em: . Acesso em: 21 fev. 2017.

LACASTA, J. et at. ThManager: an open source tool for creating and visualizing SKOS. Information Techonology and Library, v. 26, n. 3, 2007. DOI: 10.6017/ital.v26i3.3274

LANCASTER, F.W. Vocabulary control for information retrieval. Arlington: Information Resources, 1986.

LARA, M. L. G. Documentary languages and knowledge organization systems in the context of the semantic web. Transinformação, v. 25, n. 2, 2013.

LARA, M. L. G. Propostas de tipologias de KOS: uma análise das referências de formas dominantes de organização do conhecimento. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 20, n. esp.1, 2015. DOI:10.5007/1518-2924.2015v20nesp1p89.

MARRONI, G. N. B. Identificação e delimitação de relações associativas em tesauros: um estudo de caso na área de direito do trabalho. 2006. 142 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

MARTÍNEZ-GONZÁLEZ, M.M.; ALVITE-DÍEZ, M.-L. On the evaluation of Thesaurus tools compatible with the Semantic Web. Journal of Information Science, v. 40, n. 6, 12, dez. 2014, p. 711-722.

MILES A.; BECHHOFER S. SKOS Simple Knowledge Organization System reference. W3C Recommendation 18 August 2009. Disponível em: < https://www.w3.org/2004/02/skos/specs >. Acesso em: 19 fev. 2017.

MILES, A.; BRICKLEY, D. SKOS Core Guide. W3C: 2005a. Disponível em:. Acesso em: 2 fev. 2017.

MOYA-MARTÍNEZ, G; GIL LEIVA, I. Evaluación de software de gestión de tesauros. Ciencias de la Información, v.3, n. 32, 2001.

MULTITES. Thesaurus Authoring and Publishing Solutions . Disponível em: . Acesso em 19 fev. 2017.

NATIONAL INFORMATION STANDARDS ORGANIZATION (NISO). ANSI/NISO Z39.19-2005 (R2010) - Guidelines for the construction, formar, and management of monolingual controlled vocabularies. 2010.

OLSON, H. A. Classification and universality: Application and construction. Semiótica. n. 139, p. 377–391, 2002. DOI:10.1515/semi.2002.031

OLSON, H. A. How we construct subjects: A feminist analysis. Library Trends, v. 56, n. 2, 2007, 509–541.

ORBST. The need for ontologies: Bridging the barriers of terminology and data structure. Special Paper of the Geological Society of America, n. 482, p.99-123, September 2011. DOI: 10.1130/2011.2482(10)

PASTOR SANCHEZ, J.A.; MARTINEZ MENDEZ, F.J.; RODRIGUEZ MUÑOZ, J.V. Aplicación de SKOS para la interoperabilidad de vocabularios contorlados en el entorno de linked open data. El Profesional de la Información, v.21, n.3, p.245-253, 2012.

PINHEIRO, L. V. R.; FERREZ, H. D. Tesauro Brasileiro de Ciência da Informação. Rio de Janeiro; Brasília: Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), 2014.

POOLPARTY. Semantic Web Company. Disponível em: . Acesso em: 19 fev. 2017.

PRÓTÉGÉ. Skos Editor. Disponível em: . Acesso em: 19 de fev. 2017.

RAMALHO, R. R. A. S. Análise do modelo de dados SKOS: sistema de organização do conhecimento simples para a web. Informação & Tecnologia, v. 2, n. 1, p. 66-79, 2015.

SZOSTAK, R.; GNOLI, C.; LÓPEZ-HUERTAS, M. Interdisciplinary Knowledge Organization. Base: Springer, 2016.

TERMTREE. Business Classification Scheme and Thesaurus Management Software. Disponível em: . Acesso em 19 fev. 2017.

THINKMAP. Disponível em: < http://www.thinkmap.com/>. Acesso em 3 fev. 2017.

WEISS, L. C.; BRÄSCHER, M. Relações semânticas em tesauros: contribuições da abordagem pragmática. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 7, n. 2, 201610.11606/issn.2178-2075.v7i2p136-155. DOI:10.11606/issn.2178-2075.v7i2p136-155.

ZAPICO, M.; VIVAS, J. La sinonimia como caso particular de distância semântica. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 19, n. 40, 2014, p. 253-266. DOI:10.5007/1518-2924.2014v19n40p253.

ZENG, M. L. Knowledge organization systems (KOS). Knowledge Organization: international journal devoted to concept theory, classification, indexing, and knowledge representation, Frankfurt, v. 35, n. 2-3, p. 160-182, 2008.

ZOGHLAMI, K.; KERHERVÉ, B.; GERBÉ, O. Using a SKOS engine to create, share and transfer terminology data sets. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON SIGNAL IMAGE TECHNOLOGY & INTERNET-BASED SYSTEMS, 7th, 2011, Dijon, France. Proceedings… Los Alamitos, California: IEEE Computing Society, 2011. p.46-53.




DOI: http://dx.doi.org/10.21721/p2p.2017v3n2.p124-145

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0