DIMENSÕES DA SUSTENTABILIDADE: O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO “FAIR TRADE” EM COOPERATIVA NO MARAJÓ, PARÁ

Paulo Sérgio Carvalho de Souza, Cyntia Meireles Martins, Sérgio Castro Gomes, Antônio Cordeiro de Santana, Bárbara Ádria Oliveira Farias Fernandes

Resumo


Esta investigação identifica e analisa as dimensões econômicas, ambientais e sociais que podem impulsionar a certificação “Fair Trade” na Cooperativa Agroextrativista Veneza do Marajó (COPAVEM), São Sebastião da Boa Vista/PA. A metodologia adotada foi um estudo de caso, sendo utilizados dados primários obtidos a partir de questionários aplicados junto a 20 produtores, entrevista abertas com os cooperados e dados secundários, no qual se procedeu à análise documental de relatórios institucional. O estudo verificou a existência de relação entre processo de certificação Fair trade, com as dimensões da sustentabilidade. Conclui-se que quando a cooperativa adapta seus procedimentos visando atender aos requisitos para obter a certificação, promove aos cooperados o conhecimento sobre as dimensões da sustentabilidade, e estes são aplicados em suas propriedades.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES; K. dos S.; MOTA, D. M. da. Organização do trabalho familiar do espaço rural paraense: Novos arranjos na organização do trabalho e na gestão das unidades de produção. R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, v.9, n.2, p.191-215, Julho a Dezembro de 2012.

BARBIERI, J. C; VASCONCELOS, I. F. G; ANDRESSI, T; VASCONCELOS, F. C. Inovação e sustentabilidade: novos modelos e proposições. RAE, v. 50, nº 2, 2010.

BOURDIEU, P. The forms of capital. In: Richardson, J.G. (Ed.). Handbook of Theory and Research for the Sociology of Education. Greenwood Press, New York, p. 241–258. 1986.

CANEPA, C. Cidades Sustentáveis: o município como lócus da sustentabilidade. São Paulo: Editora RCS, 2007.

CMMAD – Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Nosso futuro comum. 2a ed. Tradução de Our common future. 1a ed. 1988. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1991.

DINIZ, J. H.; FERRARI, G. Comércio solidário no Brasil. Faces do Brasil. 2011. Disponível em: . Acesso em: 07 jan. 2016.

ELKINGTON, J. Cannibals with forks: Triple bottom line of 21st century business. Stoney Creek, CT: New Society Publishers. 1997.

FLO – FAIR TRADE LABELLING ORGANIZATION INTERNACIONAL. FLO Internacional Annual Repport, 2009. Disponível em: http://www.fairtrade.net>. Acesso em: 12 ago. 2015.

______. O processo de certificação da COPAVEM. Belém: SEBRAE, 2012. 98p. (Relatório de Consultoria).

______. O processo de certificação da COPAVEM. Belém: SEBRAE, 2015. 98p. (Relatório de Consultoria).

GOMES. C. C. M. P. Alternativa encontrada para superação das principais dificuldades no processo de certificação Fair trade: Um estudo multicaso de organizações de pequenos produtores no Brasil. 2010. 110f. Dissertação (Mestrado em Administração de Organizações) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.

GONDIM, S. M. G. Grupos Focais como técnica de investigação qualitativa: Desafios Metodológicos. Universidade Federal da Bahia. Revista Paidéia, 2003,12(24); p. 149-161.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Estatísticas populacionais. Disponível em: . Acesso em: mar. 2015.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO ECÔNOMICO, SOCIAL E AMBIENTAL DO PARÁ. Perfil socioeconômico do município de São Sebastião da Boa Vista. Disponível em: . Acesso em: ago. 2014.

JACOB, P. Meio ambiente e sustentabilidade. In: O município no século XXI: cenários e perspectivas. Fundação PFL-CEPAM. Ed. Especial. São Paulo, p. 175-183, 1999.

LISBOA, A. de M. Fair trade 30 anos: um sonho desfeito? P2P & inov. Rio de Janeiro, RJ, v. 3, n. 1, p. 64-90. set./mar. 2017.

NASCIMENTO, E. P. Trajetória da sustentabilidade: do ambiental ao social, do social ao econômico. Revista Estudos Avançados. v. 26, n. 74, p. 51-64. 2012.

TURINI, E. T. Açaí (Fruto). In: Proposta de preços mínimo: Produtos da biodiversidade, Safra 2013/2014. Brasília: CONAB, 2013.

VASCONCELOS, M. A.; GARCIA, M. E. Fundamentos de economia. São Paulo: Saraiva, 1998.

VASCONCELOS, M. A.; FARIAS NETO, J. T; SILVA, F. C. F. Cultivo, processamento, padronização e comercialização do açaí na Amazônia. Fortaleza: Instituto Frutal, 2010.

VEIGA, J. E. da. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. 3ª ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.




DOI: https://doi.org/10.21721/p2p.2017v3n2.p177-196

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 
 
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons (Attribution 4.0 International)
 
 P2P & INOVAÇÃO - e-ISSN 2358-7814, IBICT.