DIMENSÕES DA SUSTENTABILIDADE: O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO “FAIR TRADE” EM COOPERATIVA NO MARAJÓ, PARÁ

  • Paulo Sérgio Carvalho de Souza
  • Cyntia Meireles Martins
  • Sérgio Castro Gomes
  • Antônio Cordeiro de Santana
  • Bárbara Ádria Oliveira Farias Fernandes

Resumo

Esta investigação identifica e analisa as dimensões econômicas, ambientais e sociais que podem impulsionar a certificação “Fair Trade” na Cooperativa Agroextrativista Veneza do Marajó (COPAVEM), São Sebastião da Boa Vista/PA. A metodologia adotada foi um estudo de caso, sendo utilizados dados primários obtidos a partir de questionários aplicados junto a 20 produtores, entrevista abertas com os cooperados e dados secundários, no qual se procedeu à análise documental de relatórios institucional. O estudo verificou a existência de relação entre processo de certificação Fair trade, com as dimensões da sustentabilidade. Conclui-se que quando a cooperativa adapta seus procedimentos visando atender aos requisitos para obter a certificação, promove aos cooperados o conhecimento sobre as dimensões da sustentabilidade, e estes são aplicados em suas propriedades.

Referências

ALVES; K. dos S.; MOTA, D. M. da. Organização do trabalho familiar do espaço rural paraense: Novos arranjos na organização do trabalho e na gestão das unidades de produção. R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, v.9, n.2, p.191-215, Julho a Dezembro de 2012.

BARBIERI, J. C; VASCONCELOS, I. F. G; ANDRESSI, T; VASCONCELOS, F. C. Inovação e sustentabilidade: novos modelos e proposições. RAE, v. 50, nº 2, 2010.

BOURDIEU, P. The forms of capital. In: Richardson, J.G. (Ed.). Handbook of Theory and Research for the Sociology of Education. Greenwood Press, New York, p. 241–258. 1986.

CANEPA, C. Cidades Sustentáveis: o município como lócus da sustentabilidade. São Paulo: Editora RCS, 2007.

CMMAD – Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Nosso futuro comum. 2a ed. Tradução de Our common future. 1a ed. 1988. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1991.

DINIZ, J. H.; FERRARI, G. Comércio solidário no Brasil. Faces do Brasil. 2011. Disponível em: <http://facesdobrasil.org.br/articles/0029/9383/Anexo_P8_-_Jo_o_Diniz_-_CS_no_Brasil.pdf>. Acesso em: 07 jan. 2016.

ELKINGTON, J. Cannibals with forks: Triple bottom line of 21st century business. Stoney Creek, CT: New Society Publishers. 1997.

FLO – FAIR TRADE LABELLING ORGANIZATION INTERNACIONAL. FLO Internacional Annual Repport, 2009. Disponível em: http://www.fairtrade.net>. Acesso em: 12 ago. 2015.

______. O processo de certificação da COPAVEM. Belém: SEBRAE, 2012. 98p. (Relatório de Consultoria).

______. O processo de certificação da COPAVEM. Belém: SEBRAE, 2015. 98p. (Relatório de Consultoria).

GOMES. C. C. M. P. Alternativa encontrada para superação das principais dificuldades no processo de certificação Fair trade: Um estudo multicaso de organizações de pequenos produtores no Brasil. 2010. 110f. Dissertação (Mestrado em Administração de Organizações) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.

GONDIM, S. M. G. Grupos Focais como técnica de investigação qualitativa: Desafios Metodológicos. Universidade Federal da Bahia. Revista Paidéia, 2003,12(24); p. 149-161.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Estatísticas populacionais. Disponível em: . Acesso em: mar. 2015.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO ECÔNOMICO, SOCIAL E AMBIENTAL DO PARÁ. Perfil socioeconômico do município de São Sebastião da Boa Vista. Disponível em: . Acesso em: ago. 2014.

JACOB, P. Meio ambiente e sustentabilidade. In: O município no século XXI: cenários e perspectivas. Fundação PFL-CEPAM. Ed. Especial. São Paulo, p. 175-183, 1999.

LISBOA, A. de M. Fair trade 30 anos: um sonho desfeito? P2P & inov. Rio de Janeiro, RJ, v. 3, n. 1, p. 64-90. set./mar. 2017.

NASCIMENTO, E. P. Trajetória da sustentabilidade: do ambiental ao social, do social ao econômico. Revista Estudos Avançados. v. 26, n. 74, p. 51-64. 2012.

TURINI, E. T. Açaí (Fruto). In: Proposta de preços mínimo: Produtos da biodiversidade, Safra 2013/2014. Brasília: CONAB, 2013.

VASCONCELOS, M. A.; GARCIA, M. E. Fundamentos de economia. São Paulo: Saraiva, 1998.

VASCONCELOS, M. A.; FARIAS NETO, J. T; SILVA, F. C. F. Cultivo, processamento, padronização e comercialização do açaí na Amazônia. Fortaleza: Instituto Frutal, 2010.

VEIGA, J. E. da. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. 3ª ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

Publicado
26/03/2017
Como Citar
Carvalho de SouzaP. S.; MartinsC. M.; GomesS. C.; de SantanaA. C.; FernandesB. Ádria O. F. DIMENSÕES DA SUSTENTABILIDADE: O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO “FAIR TRADE” EM COOPERATIVA NO MARAJÓ, PARÁ. P2P E INOVAÇÃO, v. 3, n. 2, p. 177-196, 26 mar. 2017.
Seção
Artigos