INSTRUMENTO TEMÁTICO PARA AVALIAÇÕES SISTÊMICAS DOS FATORES QUE INFLUENCIAM A RETENÇÃO DE VOLUNTÁRIOS SOCIAIS NA ÁREA DA SAÚDE

Raquel Pavan Braz, Gilson Brito Alves Lima

Resumo


Os voluntários são relevantes para as organizações de voluntariado, pois sem eles a
continuidade dos serviços é afetada. Logo, este artigo propõe um instrumento gerencial
temático que especifique as informações a serem abordadas nas avaliações sistêmicas sobre as
dimensões e os fatores de influência do voluntariado na área da saúde, buscando entender as
questões influenciadoras da sua retenção. A metodologia foi composta pela revisão
sistemática da literatura e por um grupo focal. Concluíu-se pela existência de 36 fatores
temáticos, organizados em quatro dimensões de influência: individual (sociodemográficos,
saúde do voluntário, experiência anterior com a doença, experiência com o voluntariado,
aprimoramento/autoestima, valores, compreensão, proteção, carreira, expectativa, conflito);
familiar (responsabilidades, apoio/suporte, influência); social (socializar, compromisso social,
reconhecimento, apoio/suporte, pertencimento, agente de mudança social) e organizacional
(infraestrutura, serviços e atividades, carga-horária, seleção, recrutamento, capacitação,
recursos humanos, incentivos, autonomia, comunicação interna, relações interpessoais, apoio
organizacional, estressores, acompanhamento, relação com a comunidade, relações externas).


Texto completo:

PDF HTML

Referências


AFARI-ASIEDU, S.; ASANTE, K. P.; SENAH, K.; et al. Volunteering for Health Services in

the Middle Part of Ghana: In Whose interest? International Journal of Health Policy and

Management, v. 7, n. 9, p. 836-846, 2018.

ALAM, K.; TASNEEM, S.; OLIVERAS, E.. Retention of female volunteer community health

workers in Dhaka urban slums: a case-control study. Health Policy and Planning, v. 27, n. 6,

p. 477-486, 2012.

______; OLIVERAS, E. Retention of female volunteer community health workers in Dhaka

urban slums: a prospective cohort study. Human Resources for Health, v. 12, p. 29, 2014.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BECKHAUSER, S. P. R.; DOMINGUES, M. J. C. S. A profissionalização da gestão do

voluntariado: um estudo de caso do departamento de voluntários do Hospital Israelita Albert

Einstein. Saúde e Sociedade, v. 26, n. 4, p. 1026-1043, 2017.

BRAZ, R. P. Instrumento temático para avaliações sistêmicas dos fatores que influenciam a

retenção de voluntários sociais na área da saúde. Niterói, 2019. 135 f. Dissertação (Mestrado

em Sistemas de Gestão). ESCOLA DE ENGENHARIA. Universidade Federal Fluminense,

Niterói, 2019.

______; LIMA, G. B. A. Fatores temáticos e dimensões de influência do voluntariado social

na área da saúde: uma revisão sistemática. In: Congresso Nacional de Excelência em Gestão,

, 2019, Rio de Janeiro. No prelo.

BUNCHAFT, A. F.; GONDIM, S. M. G. Grupos focais na investigação qualitativa da

identidade organizacional. Exemplo de aplicação. Rev. Estudos de Psicologia, PUC –

Campinas, v. 21, n. 2, p. 63-77, mai/ago, 2004.

CAMPBELL, J.; Dunnette, M. D.; LAWLER, E. E. & WEICK, K.E. Managerial behavior,

performance and effectiveness. New York, McGraw-Hill Book Company, 1970.

CHATIO, S.; AKWEONGO, P. Retention and sustainability of community-based health

volunteers’ activities: A qualitative study in rural Northern Ghana. PLOS ONE, v. 12, n. 3,

p. 1–12, 2017. DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0174002

CLARY, E. G.; SNYDER, M.; RIDGE, R. D.; et al. Understanding and assessing the

motivations of volunteers: a functional approach. Journal of personality and social

psychology, v. 74, n. 6, p. 1516-1530, 1998.

CLAXTON-OLDFIELD, S.; CLAXTON-OLDFIELD, J. Should I Stay or Should I Go: A

Study of Hospice Palliative Care Volunteer Satisfaction and Retention. American Journal of

Hospice and Palliative Medicine®, v. 29, n. 7, p. 525-530, 2012.

CNAAN, R.; S. GOLDBERG-GLEN, R. Measuring Motivation to Volunteer in Human

Services. Journal of Applied Behavioral Science, v. 27, 3 ed., p. 269-284, 1991.

FERREIRA, M. J. R. L. Motivaçãoes e gestão do voluntariado no setor hospitalar em

portugal. Porto, 2012. 238 f. Tese (Doutoramento em Ciências Empresariais) – Faculdade de

Economia da Universidade do Porto, Porto, 2012.

FRISCH, M. B.; GERRARD, M. Natural helping systems: A survey of Red Cross volunteers.

American Journal of Community Psychology, v. 9, n. 5, p. 567-579, 1981.

GONDIM, S. M. G. Grupos focais como técnica de investigação qualitativa. Desafios

metodológicos. Paidéia v. 12, n. 24 p. 149-161, 2003. DOI: 10.1590/S0103-

X2002000300004

HERZBERG, F. One more time: how do you motivate employees? Harvard Business

Review, v. 65, p. 109+, 1987.

HOMANS, G.C. Social behavior: Its elementary forms. New York: Routledge & Kegan

Paul; 1961.

HYDE, M. K.; DUNN, J.; BAX, C.; et al. Episodic Volunteering and Retention. Nonprofit &

Voluntary Sector Quarterly, v. 45, n. 1, p. 45-63, 2016.

LOBOS, J. Teorias Sobre a Motivação no Trabalho. RAE-Revista de Administração de

Empresas, v. 15, n. 2, mar-abr, 1975.

LUDWICK, T.; BRENNER, J. L.; KYOMUHANGI, T.; et al. Poor retention does not have to

be the rule: retention of volunteer community health workers in Uganda. Health Policy and

Planning, v. 29, n. 3, p. 388-395, 2014.

MASLOW, A. H. A theory of human motivation. Psychological Review, v. 50, p. 370-396,

Disponível em: . Acesso em:

ago. 2019.

MAYS, D. C.; O’NEIL JR, E. J.; MWOROZI, E. A.; et al. Supporting and retaining Village

Health Teams: an assessment of a community health worker program in two Ugandan

districts. International Journal for Equity in Health, v. 16, p. 1–10, 2017.

MEYER JUNIOR, V.; PASCUCCI, L.; MURPHY, P. Volunteers in Brazilian hospitals: good

citizens or strategic agents? Voluntas, New York, v. 24, n. 2, p. 293-310, 2012.

MOGHADDAM, H. R.; ALLAHVERDIPOUR, H.; MATLABI, H.. Successful recruitment

and retention strategies for women health volunteers: viewpoints of the volunteers’

supervisors and relevant researchers. Journal of Multidisciplinary Healthcare, v. 11, p. 621-

, 2018.

MOHER D., LIBERATI A., TETZLAFF J., ALTMAN D. G. Principais itens para relatar

Revisões sistemáticas e Meta-análises: A recomendação PRISMA. Tradução: Taís Freire

Galvão e Thais de Souza Andrade Pansani; retro-traduzido por: David Harrad. Epidemiol.

Serv. Saúde, Brasília, v. 24, n. 2, p. 335-342, June 2015. Disponível em:

. Acesso em 06 out.

DOI: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742015000200017. Título original: Preferred

Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses: The PRISMA Statement.

Disponível em: www.prisma-statement.org.

OMOTO, A. M., & SNYDER, M. Sustained helping without obligation: Motivation,

longevity of service, and perceived attitude change among AIDS volunteers. Journal of

Personality and Social Psychology, v. 68, n. 4, p. 671-686, 1995. Doi:

http://dx.doi.org/10.1037/0022-3514.68.4.671

PÉREZ-RAMOS, Juan. Motivação no trabalho: abordagens teóricas. Psicologia USP, v. 1,

n. 2, p. 127-140, 1990.

RODRIGUES, K. M.; MEYER JUNIOR, V.; CRUZ, J. A. W. Trabalho voluntário e seu

gerenciamento: desafios para um hospital comunitário. Revista de Administração

Hospitalar e Inovação em Saúde, Belo Horizonte, v. 11, n. 4, p. 306-323, 2014.

SANOU, A. K.; JEGEDE, A. S.; NSUNGWA-SABIITI, J.; et al. Motivation of Community

Health Workers in Diagnosing, Treating, and Referring Sick Young Children in a

Multicountry Study. Clinical infectious diseases : an official publication of the Infectious

Diseases Society of America, v. 63, n. 5, p. 270-275, 2016.

SARTI, A. J; SUTHERLAND, S.; LANDRIAULT, A.; et al. Exploring the components of

physician volunteer engagement: a qualitative investigation of a national Canadian

simulation-based training programme. BMJ Open, v. 7, n. 6, 2017. Disponível em:

.

SILVA, C. P. R., CONCEIÇÃO, A. P. da, CHAGAS, A. P. dos Santos. Clown - o palhaço

como intervenção e humanização em saúde. J. Health Biol Sci. V. 5, n. 4, p. 352-359, 2017.

SINGH, D.; CUMMING, R.; MOHAJER, N.; et al. Motivation of Community Health

Volunteers in rural Uganda: the interconnectedness of knowledge, relationship and action.

Public Health, v. 136, p. 166–171, 2016.

SNYDER, M.; OMOTO, A. M. Volunteerism: Social Issues Perspectives and Social Policy

Implications. Social Issues and Policy Review, v. 2, n. 1, p. 1–36, 2008.

STRACHAN, Daniel L; KÄLLANDER, Karin; TEN ASBROEK, Augustinus H A; et al.

Interventions to improve motivation and retention of community health workers delivering

integrated community case management (iCCM): stakeholder perceptions and priorities. The

American journal of tropical medicine and hygiene, v. 87, n. 5 Suppl, p. 111–119, 2012.

TAMAYO, A.; PASCHOAL, T. A relação da motivação para o trabalho com as metas do

trabalhador. Revista de Administração Contemporânea, v. 7, n. 4, p. 33–54, 2003.

TOPP, S. M.; PRICE, J. E.; NANYANGWE-MOYO, T.; et al. Motivations for entering and

remaining in volunteer service: findings from a mixed-method survey among HIV caregivers

in Zambia. Human Resources for Health, v. 13, n. 1, p. 72, 2015.

VERGARA, S. C. Métodos de pesquisa em administração. 6. ed. São Paulo: Atlas S.A.,

______. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 16. ed. São Paulo: Atlas,

WIDJAJA, E. Motivation Behind Volunteerism. Claremont McKenna College Senior

Theses. Paper 4., 2010. Disponível em: .

Acesso em: 12 out. 2018.

WILSON, J. Volunteering. Annual Review of Sociology. v. 26. p. 215-240, 2000. DOI:

"https://doi.org/10.1146/annurev.soc.26.1.215" https://doi.org/10.1146/annurev.soc.26.1.215




DOI: https://doi.org/10.21721/p2p.2019v6n1.p244-266

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

 
 
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (cc BY 4.0)
 
 P2P & INOVAÇÃO - e-ISSN 2358-7814, IBICT.