COMPETÊNCIA COMUNICATIVA PARA PROBLEMATIZAÇÃO E APRENDIZAGEM EM ORGANIZAÇÕES

  • Clóvis Ricardo Montenegro de Lima Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e tecnologia (IBICT)
  • José Rodolfo Tenório Lima Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
  • Helen Fischer Günther Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).

Resumo

Este artigo objetiva discutir a competência comunicativa na relação entre discurso e aprendizagem. Utiliza como referencial o agir comunicativo para caracterização da competência comunicativa, o Discurso de Habermas e a relação deste com a aprendizagem construtivista (Freire) e cognitivista (Piaget) e a reconstrução racional a partir da problematização. Explicita-se a convergência entre Habermas, Freire e Piaget, em que o agir comunicativo proporciona aprendizagem do sujeito cognoscente como uma permanente construção. Com este estudo pensamos a competência comunicativa como uma aptidão que, além de linguística, é definida pela aprendizagem que, racionalmente, critica e constrói. Conclui-se que a aprendizagem, considerada como uma reconstrução racional, pressupõe interação entre os sujeitos, suas subjetividades e intersubjetividades, que leva ao entendimento acerca do melhor argumento.

Biografia do Autor

Clóvis Ricardo Montenegro de Lima, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e tecnologia (IBICT)

Doutor em Administração e Doutor em Ciência da Informação

José Rodolfo Tenório Lima, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Doutorando em Sociologia pela Universidade
Federal de São Carlos (UFSCar)

Helen Fischer Günther, Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).

Doutorado em Engenharia e Gestão do
Conhecimento. 

Publicado
08/03/2019
Como Citar
LimaC. R. M. de; LimaJ. R. T.; GüntherH. F. COMPETÊNCIA COMUNICATIVA PARA PROBLEMATIZAÇÃO E APRENDIZAGEM EM ORGANIZAÇÕES. P2P E INOVAÇÃO, v. 5, n. 2, p. 200-219, 8 mar. 2019.
Seção
Artigos