Mediação da informação em presença

situacionalidade, transitoriedade e simetria entre implicadores e implicados

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21728/logeion.2022v9n1.p62-90

Palavras-chave:

Mediação da informação, Praxiologia informacional, Não-usuário de informação, Formação e atuação profissional, Cosmopolítica

Resumo

Objetiva apresentar a proposição de mediação da informação “em presença” numa dimensão cosmopolítica. Para tanto, aborda contextos de mediação da informação e suas implicações para pesquisa, formação e atuação profissional no campo da ciência da informação e apresenta o alcance das associações entre atores humanos e não-humanos, evidenciando a agência de implicadores e implicados. Situa docente-pesquisador e profissional de informação como implicadores, e usuário e não-usuário de informação como implicados, em modos de mediação tradicional ou contemporâneo. Problematiza essa composição inicial ao dialogar com princípios de situacionalidade, de transitoriedade e de simetria dos atores. Com isso, delineou-se quatro situações: 1. Docente-pesquisador e profissional da informação podem implicar a dimensão cultural dos usuários e dos não-usuários; 2. Usuário de informação como implicador e profissional de informação como implicado; 3. Docente-pesquisador como implicado no ensino e na pesquisa sobre mediação da informação; e 4. Docente-pesquisador e profissional de informação implicam em e são implicados por atores não-humanos. Depreendeu-se que “estar em presença” em contextos mediacionais se torna um ponto de contato entre cosmologias. A abordagem coloca em relevo a transitoriedade nas condições de implicadores e implicados.

Biografia do autor

Rodrigo Rabello, Universidade de Brasília (UnB)

Professor Adjunto na Faculdade de Ciência da informação da UnB. Docente permanente do PPGCInf da UnB. Doutor em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Realizou estágios de pós-doutorado em Ciência da Informação no Ibict e na UnB.

Referências

ALMEIDA JUNIOR, O. F. Mediação da informação: um conceito atualizado. In: BORTOLIN, S.; SILVA, R. J.; SANTOS NETO, J. A. Mediação oral da informação e da leitura. Londrina: ABECIN, 2015. p. 9-32.

ARAÚJO, C. A. Á. O que são “práticas informacionais”? Informação em Pauta, v. 2, número especial, p. 217-236, out. 2017. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/20655 Acesso em: 20 ago. 2022.

ARAÚJO, C. A. Á. A contribuição da perspectiva praxiológica para os estudos de usuários de informação. In: TANUS, G. F. S. C.; ROCHA, J. A. P.; BERTI, I. C. L. W. (Org.). Práticas informacionais em diálogo com as ciências sociais e humanas. Florianópolis, SC: Rocha Gráfica e Editora, 2021. (Selo Nyota).

BELKIN, N. J. Information concepts for information science. Journal of Documentation, v. 34, n.1, pp.55-85, Mar. 1978.

BORTOLIN, S.; SILVA, R. J.; SANTOS NETO, J. A. Mediação oral da informação e da leitura. Londrina: ABECIN, 2015.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: DIFEL, 1989.

BOURDIEU, P. O capital social – notas provisórias. In: NOGUEIRA, M. A. N.; CATANI, A. (Org.). Pierre Bourdieu: escritos em Educação. Petrópolis: Vozes, 1998. p. 65-69

CALLON, M. The sociology of an actor-network: the case of the electric vehicle. In: CALLON, M.; LAW, J.; RIP, A. (Eds.). Mapping the dynamics of science and technology. London: The Macmillan Press LTD, 1986. Parte II, Cap. 2, p. 19-34.

CAPURRO, R. Epistemología y Ciencia de la Información. Enl@ace: Revista Venezolana de Información, Tecnología y Conocimiento, Año 4, n.1, Enero-Abril, p.11-29, 2007. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=2281778 Acesso em: 20 ago. 2022.

CRUZ, R. C.; ARAÚJO, C. A. Á. Sujeito informacional, conceito em emergência: uma revisão teórico-conceitual de periódicos Ibero-Americanos. Informação & Sociedade: Estudos, v. 30, p. 1-22, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/43934/29698 Acesso em: 20 ago. 2022.

FALLIS, D. What Is Disinformation? Library Trends, v. 63, n. 3, p. 401-426, 2015.

FLUSSER, V. Uma biblioteca verdadeiramente pública. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, v.9, n.2, p. 131-138, set. 1980.

FROHMANN, B. Taking information policy beyond information science: applying the actor network theory. In: ANNUAL CONFERENCE OF THE CANADIAN ASSOCIATION FOR INFORMATION SCIENCE (CAIS/ACSI), 23., 1995, Edmonton- Alberta. Anais… Edmonton-Alberta: CAIS, 1995.

FROHMANN, B. Multiplicity, materiality, and autonomous agency of documentation. In: SKLARE, R.; LUND, N. W.; VARHEIM, A. (Ed.). A Document (Re)Turn: contributions from a research field in transition. Frankfurt: Peter Lang, 2007.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Knowledge organization from a “culture of the border” towards a transcultural ethics of mediation. In: LÓPEZ-HUERTAS, M. M. (Ed.). Challenges in knowledge representation and organization for the 21st century: integration of knowledge across boundaries. Wüsburg: ERGON, 2002. p. 516-522.

GESSAT, R. 1961: julgamento de Adolf Eichmann. DW: Made for Minds, 11 abr. 2020. Disponível em: https://www.dw.com/pt-br/1961-julgamento-de-adolf-eichmann/a-785685 Acesso em: 11 ago. 2022.

GONZALEZ, L. Por um feminismo afro-latino-americano: ensaios, intervenções e diálogos. Org. Flavia Rios e Márcia Lima. Rio de Janeiro: Zahar, 2020.

GOMES, H. F. Mediação da Informação e suas dimensões dialógica, estética, formativa, ética e política: um fundamento da Ciência da Informação em favor do protagonismo social. Informação & Sociedade: Estudos, v. 30, p. 1-23, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/57047 Acesso em: 20 ago. 2022.

GONZÁLEZ de GÓMEZ, M. N. Validade científica: da epistemologia à política e à ética. Liinc em Revista, v. 11, n. 2, p. 339-359, novembro 2015. Disponível em: https://revista.ibict.br/liinc/article/view/3649 Acesso em: 20 ago. 2022.

GONZÁLEZ de GÓMEZ, M. N. Regime de informação: construção de um conceito. Informação & Sociedade: Estudos, v.22, n.3, p.43-60, set./dez. 2012. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/14376 Acesso em: 20 ago. 2022.

HJØRLAND, B. Domain analysis in information science: eleven approaches – traditional as well as innovative. Journal of Documentation, London, v. 58, n. 4, p. 422-462, 2002.

LATOUR, B. Reagregando o social: uma introdução à teoria ator-rede. Salvador: UFBA; Bauru: EDUSC, 2012.

MELVILLE, H. Batlerby, o escrivão. Trad. Irene Hirsch. São Paulo: Cosac Naify, 2005.

NASCIMENTO, M. I. G. Desvendando o véu da opacidade: a representação da mulher nos arquivos públicos brasileiros. Florianópolis, SC: Rocha Gráfica e Editora, 2021. 412 p.

PINHO, F. A.; MILANI, S. O. Ética em Organização do Conhecimento: categorização de termos fronteiriços em relação a gênero e sexualidade. Logeion: Filosofia da Informação, v. 6, n. 2, p. 84–103, 2020. Disponível em: https://revista.ibict.br/fiinf/article/view/5121 Acesso em: 20 ago. 2022.

RABELLO, R. A ciência da informação como objeto: epistemologias como lugares de encontro. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 17, n. 1, p. 2-36, 2012. Disponível em: http://eprints.rclis.org/16783/ Acesso em: 20 ago. 2022.

RABELLO, R. Noções de sujeito em modelos teóricos na Ciência da Informação: do enfoque no sistema à consideração da agência em contexto. Informação e Sociedade: Estudos, v. 23, p. 57-71, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/15144 Acesso em: 20 ago. 2022.

RABELLO, R. Informação institucionalizada e materializada como documento: caminhos e articulações conceituais. Brazilian Journal of Information Science: research trends, v. 13, n. 2, p.5-25, 2019. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/8932 Acesso em: 20 ago. 2022.

RABELLO, R. Apontamentos sobre a dimensão social e disciplinar do processo de organização do conhecimento. In: ALBUQUERQUE, A. C.; ARAKAKI, A. C. S. Questões teórico-epistemológicas para a Ciência da Informação: possibilidades e contribuições. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 2020.

RABELLO, R. Práticas informacionais, usuário e ralé estrutural como não-público: praxiologias restritiva ou receptiva. In: TANUS, G. F. S. C.; ROCHA, J. A. P.; BERTI, I. C. L. W. (Org.). Práticas informacionais em diálogo com as ciências sociais e humanas. Florianópolis, SC: Rocha Gráfica e Editora, 2021. (Selo Nyota).

RABELLO, R.; ALMEIDA JUNIOR, O. F. Usuário de informação e ralé estrutural como não-público: reflexões sobre desigualdade e invisibilidade social em unidades de informação. Informação & Sociedade: Estudos, v. 30, p. 1, 2020.

RASCHE, F. Questões éticas para bibliotecários. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, n. 19, p. 21-33, 2005. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2005v10n19p21 Acesso em: 20 ago. 2022.

REIS, V. J. S. A invisibilidade do feminismo negro nos instrumentos de representação do conhecimento: uma abordagem de representatividade social. 2019. 195 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Instituto de Ciência da Informação, Universidade Federal da Bahia, 2019.

RENDÓN-ROJAS, M. Á. Bases teóricas y filosóficas de la Bibliotecología. México: UNAM, 2005.

RENDÓN-ROJAS, M. Á.; GARCÍA CERVANTES, A. L. El sujeto informacional en el contexto contemporâneo: un análisis desde la epistemología de la identidad comunitariainformacional. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, v. 17, n. 33, p. 30-45, jan./abr. 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17n33p30 Acesso em: 20 ago. 2022.

SANTOS, B. de S. Um discurso sobre as ciências. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

SANTOS, B. de S. (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente: “Um discurso sobre as ciências” revisitado. 2.ed. São Paulo: Cortez Editora, 2006.

SALGADO, T. B. P. Fundamentos pragmáticos da teoria ator-rede para análise de ações comunicacionais em redes sociais. 2018. 292 f. Tese (Doutorado em Comunicação Social) – Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, 2018.

SAVOLAINEN, R. Information behavior and information practice: reviewing the “umbrella concepts” of information-seeking studies. Library Quarterly, v.77, n.2, p.109-132, 2007.

SAVOLAINEN, R. Everyday information practices: a social phenomenological perspective. Lanham: Scarecrow Press, 2008.

SILVA, C. C. O.; BERNARDINO, M. C. R. Percepções sobre biblioteca inclusiva. Revista Folha de Rosto, v. 1, n. 1, p. 30-43, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufca.edu.br/ojs/index.php/folhaderosto/article/view/5 Acesso em: 20 ago. 2022.

SOUZA, J. A ralé brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2011.

STENGERS, I. A proposição cosmopolítica. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 69, p. 442-464, abr. 2018. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rieb/article/view/145663 Acesso em: 20 ago. 2022.

TANUS, G. F. S. C.; ROCHA, J. A. P.; BERTI, I. C. L. W. (Org.). Práticas informacionais em diálogo com as ciências sociais e humanas. Florianópolis, SC: Rocha Gráfica e Ed., 2021.

THE BEHAVIOUR/PRACTICE DEBATE: a discussion prompted by Tom Wilson’s review of Reijo Savolainen’s Everyday Information Practices: a social phenomenological perspective. Lanham, MD: Scarecrow Press, 2008. Information Research, v.14, n.2, paper 403, 2009.

Downloads

Publicado

13/09/2022

Como citar

RABELLO, R. Mediação da informação em presença: situacionalidade, transitoriedade e simetria entre implicadores e implicados. Logeion: Filosofia da Informação, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 62–90, 2022. DOI: 10.21728/logeion.2022v9n1.p62-90. Disponível em: https://revista.ibict.br/fiinf/article/view/6090. Acesso em: 5 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos