Tecnologias sociais utilizadas na produção de sementes de malva no Estado do Pará

Aldenor da Silva Ferreira, Arlindo de Oliveira Leão, Karine da Silva Araújo

Resumo


Este texto relata a experiência de mecanização da produção de sementes de malva realizadas no nordeste paraense. O método utilizado foi o da pesquisa de campo com observação participante. A experiência teve por objetivo mudar o processo de beneficiamento das sementes feito no pilão de madeira. O sistema foi desenvolvido pelo Instituto de Fomento à Produção de Fibras Vegetais da Amazônia (Ifibram). A primeira máquina adaptada é um modelo B-609 Vencedora Maqtron, acoplada a um motor Honda GX160 a gasolina. Para se chegar a essa adaptação, foram realizadas vários testes com peneiras de diversos diâmetros, e também adaptações na acoplagem dessas peneiras. A partir disso, obtiveram-se resultados significativos que indicaram a possibilidade de mecanização da fase de separação do carrapicho. Longe de ser uma tecnologia sofisticada, tanto a adaptação da primeira, quanto a construção da segunda máquina, que realiza a ventilação e retira as impurezas finais das sementes, foram desenvolvidas com baixo custo de produção. A capacidade de beneficiamento pelo sistema mecânico é de 400 kg/dia. A mecanização foi importante, pois sem a produção de sementes de malva no Estado do Pará, não há produção de fibras no Estado Amazonas, pois este estado não possui campos de produção de sementes.

Palavras-chave


Produção mecanizada de sementes de malva; Ifibram; Tecnologia social

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Aldenor da Silva Ferreira, Arlindo de Oliveira Leão, Karine da Silva Araújo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.