Políticas Públicas e o Desenvolvimento de Arranjos Produtivos Locais em Regiões Periféricas

Eduardo José Monteiro da Costa

Resumo


Nos últimos anos, os arranjos produtivos locais (APLs) vêm se constituindo como importante instrumento de política econômica. Em que pese isto, grande parte da ação pública que objetiva o apoio ao desenvolvimento desses aglomerados carece de uma agenda que dê direção e coerência para a intervenção, potencializando e otimizando a ação do Estado. Este trabalho, portanto, com foco nesta problemática, procura levantar os limites e as possibilidades de intervenção do setor público nas aglomerações produtivas industriais brasileiras, estabelecendo uma agenda de intervenção para o desenvolvimento de APLs consolidados. A conclusão do trabalho é que de forma dialética os arranjos produtivos estabelecem-se, por um lado, como efetivo instrumento de desenvolvimento em regiões periféricas e, por outro, como o resultado de políticas adequadas, articuladas e pactuadas de desenvolvimento regional.

Palavras-chave


Políticas públicas; Aglomerações de empresas; Desenvolvimento regional

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Eduardo José Monteiro da Costa

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.