TRANSIÇÕES NA IMAGEM DO BRASIL EM PORTUGAL VEICULADA PELA IMPRENSA: UM ESTUDO SOBRE AS MATÉRIAS PUBLICADAS NAS REVISTAS ILUSTRADAS PORTUGUESAS (1834-1922)

  • Ana Suely Lopes IBICT - Colaboradora Cariniana
  • Jorge Pedro Sousa Universidade Fernando Pessoa - UFP / Porto Portugal

Resumo

O objetivo deste texto é analisar a transição na imagem do Brasil veiculada pela imprensa fundamentada no estudo das matérias produzidas pelas revistas ilustradas portuguesas (1834-1922). Para realizar a análise são separados os títulos das matérias que dizem respeito ao Brasil, que enfatizam os temas relevantes para o estudo no âmbito da história do Brasil do período referente e categorizados de acordo com a intensidade e a frequência com que surgem nas matérias. Como referencial teórico utiliza-se a linha de comunicação, imagem, identidade cultural e o estudo da narrativa jornalística. Situa-se como um estudo exploratório descritivo. Diante das matérias analisadas acredita-se, atingir o objetivo desejado uma vez que o estudo permite identificar os pontos relevantes que chamam a atenção sobre o Brasil naquela época e a importância que foi dada a cada um deles, considerando o nível de relevância por tema abordado a considerar a avaliação por décadas no período abordado.

 

Biografia do Autor

Ana Suely Lopes, IBICT - Colaboradora Cariniana
Doutoranda em Ciência da Informação - Comunicação e Estudos mediáticos. Mestre em Patrimônio Cultural. Bibliotecária e Arquivista.  Colaboradora  da Rede Cariniana do IBICT. Pesquisadora em Mídias Digitais e em Preservação digital.
Jorge Pedro Sousa, Universidade Fernando Pessoa - UFP / Porto Portugal
Professor catedrático da Universidade Fernando Pessoa

Referências

BALDISSERA, R. Imagem-conceito, a indomável orgia dos significados. In: Anais do XXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. São Paulo: Intercom, 2003. CD-ROM.

DURAND, G. Estruturas antropológicas do imaginário. 3.ª edição. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. 7.ª edição. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

JOLY, M. Introdução à análise da imagem. Campinas, Papirus,1996.

MEDITSCH, E. O jornalismo como uma forma de conhecimento? Uma abordagem qualitativa. In: Sousa, J. P. (org.). Jornalismo: História, Teoria e Metodologia da Pesquisa. Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa, 2008, pp. 7-12.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Narratologia - teoria e análise da narrativa jornalística. Brasília, Casa das Musas, 2005.

MOTTA, L. G. Análise crítica da narrativa, Editora UnB, Brasília, 2012.

SILVERSTONE, R. Por que estudar a mídia? São Paulo: Loyola, 2002.

SOUSA, J. P. A imprensa portuguesa durante a Monarquia: das origens a 1910. In: SOUSA, J. P.; LIMA, H.; HOHLFELDT, A. e BARBOSA, M., orgs. Uma História da Imprensa Lusófona. Portugal. Porto, Media XXI, 2017a, pp. 13-210.

SOUSA, J. P. Elementos de Teoria e Pesquisa da Comunicação e dos Media. Porto, Edições Universidade Fernando Pessoa, 2006.

TENGARRINHA, J. Nova História da Imprensa Portuguesa Das Origens a 1865. Lisboa, Círculo de Leitores, 2013.

WIMMER, R. D. e DOMINICK, J. R. La Investigación Científica de los Medios de Comunicación. Una Introducción a Sus Métodos. Barcelona: Bosch, 1996.

Publicado
01/10/2019
Como Citar
LopesA. S.; SousaJ. P. TRANSIÇÕES NA IMAGEM DO BRASIL EM PORTUGAL VEICULADA PELA IMPRENSA: UM ESTUDO SOBRE AS MATÉRIAS PUBLICADAS NAS REVISTAS ILUSTRADAS PORTUGUESAS (1834-1922). P2P E INOVAÇÃO, v. 6, n. 1, p. 257-269, 1 out. 2019.
Seção
Artigos