Trajetória e tendências do emprego formal no Brasil segundo os grandes setores da economia e as Unidades da Federação

Danilo Nolasco Cortes Marinho, Antonio Carlos Ferreira de Souza Leal, José Angelo Belloni, Claudete Ruas, Luiz Honorato da Silva Junior

Resumo


Este trabalho propõe a inclusão na Plataforma da Escola do Trabalhador de um instrumento de consulta rápida e intuitiva sobre a dinâmica do trabalho nos grandes setores da economia para cada Unidade da Federação e para o Brasil. Analisando a evolução do número de trabalhadores admitidos e desligados registrados no CAGED, no período de junho de 2017 a junho de 2018, se verifica que o estoque de emprego no Brasil vem se recuperando lentamente. No total o emprego formal cresceu 0,6% no período considerado, com um saldo positivo em torno de 290 mil novos postos de trabalho.Do ponto de vista dos setores da economia os Serviços apresentaram o melhor resultado sendo responsável pela geração de 248.606 novas vagas, enquanto a Construção Civil apresentou a maior redução no estoque de trabalhadores.

Palavras-chave


Escola do Trabalhador; Trajetória do Emprego Formal; Tendências do Emprego Formal; Setores Econômicos; CAGED

Texto completo:

PDF (atualizado)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Danilo Nolasco Cortes Marinho, Antonio Carlos Ferreira de Souza Leal, José Angelo Belloni, Claudete Ruas, Luiz Honorato da Silva Junior

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.