Uso da ferramenta virtual Uptodate como prática de aprendizagem de um curso de medicina

Siderly do Carmo Dahle de Almeida, Vania Hernandes Vianna

Resumo


Os sistemas informatizados são fundamentais na área da saúde e estão associados ao ensino e à prática médica. Na pesquisa acadêmica, as ferramentas tecnológicas suplantam paradigmas convencionais relacionados ao uso do livro em papel e se fazem presentes nas metodologias de ensino e de aprendizagem. Este estudo teve por objetivo analisar o uso da ferramenta on-line UpToDate enquanto prática pedagógica no curso de medicina da Universidade Federal do Paraná. A pesquisa foi efetuada a partir de dados de registro e de acesso à ferramenta UpToDate, entre os anos de 2010 a 2017. Os resultados indicaram aumento significativo (80%) no número de acessos no período. Os acadêmicos foram os que mais utilizaram a ferramenta, correspondendo a 46,68% de acessos, seguido pelos médicos -29,42% e residentes, em que o resultado corresponde a 16,15%. O uso do UpToDate na UFPR por residentes foi maior nas especialidades: clínica médica, medicina da família e pediatria, que são as preconizadas nas normativas do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Ministério de Educação (MEC), com vistas a melhorar a saúde da população. A facilidade e rapidez de acesso, confiabilidade e profundidade de cobertura são vantagens inerentes à ferramenta, tornando mais objetiva a prática da medicina baseada em evidência. Adicionalmente, o UpToDate contribui para a melhoria da gestão e organização hospitalar, proporcionando maior qualidade de atendimento aos pacientes, diminuindo custos, tempo de tratamento, taxa de mortalidade, erros de diagnóstico ambulatorial e a necessidade de exames complementares.

Palavras-chave


Tecnologias educacionais; Sistemas de informação em saúde; UpToDate; Medicina baseada em evidências

Texto completo:

PDF

Referências


ADDISON J, WHITCOMBE J, GLOVER SW. How doctors make use of online, point-of-care clinical decision support systems: a case study of UpToDate. Health Information & Libraries Journal, v. 30, p. 13–22, 2012.

AHMADI et al. A comparison of answer retrieval through four evidence-based textbooks (ACP PIER, Essential Evidence Plus, First Consult, and UpToDate): A randomized controlled trial. Tehran University of Medical Sciences, Iran Med Teach, v.33, n.9, p. 724-30, 2011.

ATALLAH, A. N. Medicina baseada em evidências. Diagn Tratamento, v. 23, n. 2, p. 43-4, 2018.

ATALLAH, A. N.; CASTRO, A. A. Fundamentos da pesquisa clínica. São Paulo: Lemos Editorial, 1998.

AZZI, S. Trabalho docente: autonomia didática e construção do saber pedagógico. In: PIMENTA, S. G. Saberes pedagógicos e atividade docente. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2004.

BLACKMAN, D., CIFU, A., LEVINSON, W. Can an electronic database help busy physicians answer clinical questions? J Gen Intern med, v.17, Suppl1, p. 220, 2002.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES nº 116/2014 de 20 de junho de 2014. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Medicina. Diário Oficial da União. Brasília, 6 jun. 2014; Seção 1, p.17.

CAMPBELL, R.; ASH, J. An evaluation of five bedside information products using a user-centered, task-oriented approach. J Med Libr Assoc, v. 94, n.4, p.435-41, e206-7, 2006.

CARLINI, Alda Luisa; SCARPATO, Marta. Ensino Superior: questões sobre a formação do professor. São Paulo: Avercamp, 2008.

CHAVES, S. M. Avaliação da Aprendizagem no Ensino Superior: Realidade, Complexidade e Possibilidades. GT: Didática / n. 04, 2004. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/27/gt04/t0412.pdf. Acesso feito em jun. 2018.

COOK, D.A, et al. Internet-based learning in the health professions. JAMA, v. 300, n.10, p.1181–1196, 2008.

COOPER, A.L., ELNICKI, D. M. Resource utilization patterns of third-year medical students. Clin Teach, v.8, n.1, p. 43-7, 2011.

COVELL, D. G., UMAN, G. C., MANNING, P. R. Information Needs in Office Practice: Are They Being Met? Ann Intern Med, v. 103, n. 4, p.596-9, 1985.

COZINHE, D. A. et al. Simulação aprimorada por tecnologia para educação de profissionais de saúde: uma revisão sistemática e meta-análise. JAMA, v. 306, n.9, p. 978-88, 2011.

DEL FIOL, G.; WORKMAN, T. E.; GORMAN, P. N. Systematic review: the relationship between clinical experience and quality of health care. JAMA Intern Med, v.174, n. 5, p. 710-8, 2014.

EGLE, J. P. et al. The Internet School of Medicine: use of electronic resources by medical trainees and the reliability of those resources. J Surg Educ, v. 72, n. 2, p. 316-20, 2015.

ELY, J. W. Answering physicians' clinical questions: obstacles and potential solutions. J Am Med Inform Assoc, v. 12, n. 2, p. 217-24, 2005.

EVIDENCE-BASED WORKING GROUP. Evidence-based medicine. A new approach to teaching the practice of medicine. JAMA, v. 268, p.2420-5, 1992.

FARRELL, A. An Evaluation of the Five Most Used Evidence Based Bedside Information Tools in Canadian Health Libraries. Evidence Based Library and Information Practice, v. 3, p. 2, 2008.

FOX, G. N; MOAWAD, N. UpToDate: a comprehensive clinical database. J Fam Pract., v. 52, n.9; p.706–710, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 37ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2009.

GADOTTI, Moacir. Perspectivas atuais da educação. São Paulo em Perspectiva, v. 14, n. 2, p. 3-11, 2000.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, A. C. Metodologia do Ensino Superior. 5. ed. São Paulo: Atlas; 2006.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GOMEZ, M. V.; VIEIRA, J. E., SCALABRINI NETO, A. S. Análise do perfil de professores da área da saúde que usam a simulação como estratégia didática. . Rev. bras. educ., v. 35, n. 2, p.157-162, 2011.

GORMAN, P. N., HELFAND, M. Information seeking in primary care: how physicians choose which clinical questions to pursue and which to leave unanswered. Med Decis Making, v. 15, n. 2, p. 113-9, 1995.

GREEN, M. L., CIAMPI, M. A, ELLIS, P. J. Residents' medical information needs in clinic: are they being met? Am J Med, v. 109, n. 3, p. 218-23, 2000.

HANNA SOBRINHO, M. I. A. O curso de formação médica: evolução do curso de medicina da UFPR. Revista Médica da UFPR; v. 1, n. 3, p. 88-91, 2014.

HAY, M., CANNY, B. Effective use of information and communications technology in distributed medical assessment. MedEduc [online], v. 45, n. 11, p. 1154-1155, 2014.

ISAAC, T., ZHENG, J., JHA, A. Use of UpToDate and outcomes in US hospitals. J Hosp Med.2012;7(2):85-90.

KRONENFELD, M. R.; BAY, C. COOMBS, W. Survey of user preferences from a comparative trial of UpToDate and ClinicalKey. J Med Libr Assoc, v. 101, n. 2, p. 151–154, 2013.

LEFF, B., HARPER, G. M. The reading habits of medicine clerks at one medical school: frequency, usefulness, and difficulties. Acad Med., v. 81, n.5, p. 489-94, 2006.

LÓPEZ, R.A.et al.Concepciones sobre la docencia universitaria de calidad.Docencia Universitaria, Volumen 9, pags 31 - 55, diciembre de 2008

LOTT, J. P., ROY, B., VENKATESH, A. K. Temporal trends in accessing online medical information. J. Hosp. Med., v. 9. p. 525–526, 2014.

LUCAS, B. P.et al. The impact of evidence on physicians' inpatient treatment decisions. J Gen Intern Med. v. 19, n. 5 Pt 1, p.402-9, 2004.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. Fundamentos e metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MARQUETE, M. T.; SÁ, R. A. de. A Identidade Docente e o uso das Tecnologias e Mídias Digitais na Escola à luz do pensar complexo. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 17, n. 51, p. 167-183, jan./mar. 2017.

MARSHALL, J. G. et al. The value of library and information services in patient care: Results of a multi-site study. Journal of the Medical Library Association, v. 101, n. 1, p. 39-46, 2013.

MARSHALL, J. G. et al. Using clinician's search query data to monitor influenza epidemics. Clin Infect Dis., v. 59 , n. 10. p. 1446-1450, 2014.

MAVIGLIA, S. M. et al. Usage of UpToDate at an academic medical center. J Gen Inter Med, v. 17, Suppl1, p. 2014.

MORAN, José Manuel; MASETTO, Marcos T.; BEHRENS, Marilda A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 12. ed. Campinas: Papirus; 2000.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 21. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

NORMAN, G. Effectiveness, efficiency, and e-learning. Adv Health SciEduc [online].2008. v. 13, n. p. 249-251, 2008.

O’LEARY FM, JANSON P. Can e-learning improve medical students knowledge and competence in pediatric cardiopulmonar resuscitation? A prospective before and after study. Emerg Med [online].v. 22, n. 4, p. 324–329, 2010.

PATRÍCIO, Z. M. et al. Sistematização de estratégias de ensinar-aprender pesquisa na graduação. Interface - Comunic, Saude, Educ., v. 15, n. 39, p. 1159-1172, out./dez. 2011.

PETERSON, M. W. et al. Medical students' use of information resources: is the digital age dawning? Acad Med., v. 79, n.1, p. 89-95, 2004.

PHUA, J, LIM, TK. Como médicos residentes e internos utilizam e compreendem o assistente digital pessoal e o UpToDate. BMC Medical Education, v.8, n. 39, p. 6920-39, 2008.

PIMENTA, S. G. Saberes pedagógicos e atividade docente. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

REGGIANI, Claudete. Cem anos da Faculdade de Medicina da UFPR, 1914-2014. Revista Médica da UFPR, v. 1, n. 3, p. 86-7, 2014.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

THIELE, R. H., et al. Speed, accuracy, and confidence in Google, Ovid, PubMed, and UpToDate: results of a randomised trial. Postgrad Med J, v. 86, p. 459-465, 2010.

SACKETT, D. L et al. Evidence based Medicine: what it is and what it isn’t. BMJ, v.312, n.7023, p.71, 1996.

SAYYAH ENSAN, et al. To Compare PubMed clinical queries and UpToDate in teaching information mastery to clinical residents: A Crossover Randomized Controlled Trial. PLoS One, v. 6, n. 8, p. 23487, 2011.

SCHÖN, D. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

SHARIFF, S. Z., et al. Searching for medical information online: a survey of Canadian nephrologists. J Nephrol. Feb 23, 2011.

SHIMIZU T., NEMOTO T., TOKUDA Y. Effectiveness of a clinical knowledge support system for reducing diagnostic errors in outpatient care in Japan: A retrospective study. International Journal of Medical Informatics, v.109, p. 1-4, 2018.

TOROUS J. et al. Residents’ use of educational websites: a pilot survey study. Acad Psychiatry, 2015.

UFPR - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Histórico. Disponível em: http://www.ufpr.br/portalufpr/historico-2/ Acesso em 18 de junho de 2018.

VELAN, G.M. et al. A web--based module onlymphoma for senior medical students: benefits for learning. JIAMSE [online], v. 20, n.1, 2010.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Siderly do Carmo Dahle de Almeida, Vania Hernandes Vianna

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.


Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict)
SAUS - Setor de Autarquias Sul, Quadra 5, Lote 6, Bloco H
Seção de Editoração - sala 500
CEP 70070-912
Brasília-DF, Brasil

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo publicado nesta revista está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.