Infodemia, desinformação e vacinas: a circulação de conteúdos em redes sociais antes e depois da COVID-19

Autores

  • Luisa Medeiros Massarani Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil https://orcid.org/0000-0002-5710-7242
  • Tatiane Leal Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil https://orcid.org/0000-0002-0410-809X
  • Igor Waltz Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil; Programa de Pós-graduação em Ensino em Biociências e Saúde, Instituto Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil https://orcid.org/0000-0003-1903-6153
  • Amanda Medeiros Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil https://orcid.org/0000-0003-4491-4245

DOI:

https://doi.org/10.18617/liinc.v17i1.5689

Palavras-chave:

Infodemia, Vacina, Desinformação, Redes Sociais, COVID-19

Resumo

A pandemia da COVID-19 está sendo acompanhada pela circulação de um grande volume de informações, em parte enganosas ou falsas, fenômeno conhecido como “infodemia”. A superabundância informativa dificulta a identificação de fontes confiáveis e pode afetar a adesão a medidas de contenção, como as vacinas. Neste artigo, investigamos os cem links sobre “vacina” que geraram mais engajamento nas redes sociais em 2020 e os comparamos com os de mais engajamento em 2018-2019, antes da pandemia. O objetivo é compreender os modos como a infodemia afeta o debate público sobre vacinação, como a desinformação aparece nessas conversações e quais são os posicionamentos, emissores e temas privilegiados. Identificamos que o engajamento médio aumentou 8,6 vezes e que a predominância de informações verificadas se manteve antes e durante a pandemia. Contudo, o engajamento da desinformação cresceu de maneira expressiva e seu perfil mudou: se em 2018-2019 predominavam os conteúdos totalmente falsos e emitidos por veículos não profissionais, em 2020 se destacam as informações distorcidas por manchetes sensacionalistas emitidas por veículos profissionais. Além disso, a instrumentalização política do debate sobre vacinação, presente nos dois contextos, chama a atenção para a relação entre desinformação e disputas narrativas. Esses resultados apontam a complexificação da infodemia e a necessidade de estratégias de combate à desinformação que levem em consideração os contextos econômicos e sociopolíticos da circulação de informações nas redes

Biografias dos autores

Luisa Medeiros Massarani, Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Coordenadora do Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia; Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil

Tatiane Leal, Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Afiliação: Pesquisadora de pós-doutorado no Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia; Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil. Doutora em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Igor Waltz, Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil; Programa de Pós-graduação em Ensino em Biociências e Saúde, Instituto Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Pesquisador de pós-doutorado no Programa de Pós-graduação em Ensino em Biociências e Saúde, Instituto Oswaldo Cruz; e pesquisador no Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia; Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil. Doutor em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Amanda Medeiros, Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Pesquisadora de pós-doutorado no Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia; Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil. Doutora em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Referências

ALLCOTT, Hunt; GENTZKOW, Matthew. Social media and fake news in the 2016 election. Journal of Economic Perspectives, v. 31, n. 2, p. 211-236, 2017. https://doi.org/10.1257/jep.31.2.211.

ALLCOTT, Hunt, GENTZKOW, Matthew; YU, Chuan. Trends in the diffusion of misinformation on social media. Research & Politics, v. 6, n. 2, p. 1–8, 2019. https://doi.org/10.1177/2053168019848554.

ALSYOUF, Muhannad, STOKES, Phillip, HUR, Dan, AMASYALI, Akin, RUCKLE, Herbert; HU, Brian. ‘Fake News’ in urology: evaluating the accuracy of articles shared on social media in genitourinary malignancies. BJU International, v. 124, n. 4, p. 701–706, 2019. https://doi.org/10.1111/bju.14787.

ARAUJO, Ronaldo Ferreira; OLIVEIRA, Thaiane Moreira de. Desinformação e mensagens sobre a hidroxicloroquina no Twitter: da pressão política à disputa científica. AtoZ, v. 9, n. 2, p. 196-205, 2020. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/atoz/article/view/75929/42144. Acesso em 24 mar. 2021.

BAZACO, Ángela, REDONDO, Marta e SÁNCHEZ-GARCÍA, Pilar. Clickbait as a strategy of viral journalism: conceptualisation and methods. Revista Latina de Comunicación Social, v. 74, p. 94-115, 2019. Disponível em http://www.revistalatinacs.org/074paper/1323/06en.html. Acesso em 24 mar. 2021.

CANAVILHAS, João. El nuevo ecosistema mediático. index.Comunicación, v. 1, n. 1, p. 13–24, 2011. Disponível em: https://journals.sfu.ca/indexcomunicacion/index.php/indexcomunicacion/article/view/4. Acesso em 10 jun. 2021.

CASTELFRANCHI, Yurij. Notícias falsas na ciência. Ciência Hoje, 2019. Disponível em https://cienciahoje.org.br/artigo/noticias-falsas-na-ciencia. Acesso em 15 mar. 2021.

CHEN, Yimin; CONROY, Niall J.; RUBIN, Victoria L. Misleading online content: recognizing clickbait as “false news”. Em: WMDD '15: Proceedings of the 2015 ACM on Workshop on Multimodal Deception Detection, 2015. http://dx.doi.org/10.1145/2823465.2823467.

CINELLI, Mateo; QUATTROCIOCCHI, Walter; GALEAZZI, Alessandro; VALENSISE, Carlo Michele; BRUGNOLI, Emanuele; SCHMIDT, Ana Lucia; ZOLA, Paola; ZOLLO, Fabiana; SCALA, Antonio. The COVID-19 social media infodemic. Scientific Reports, v. 10, n. 1, e16598, 2020. https://doi.org/10.1038/s41598-020-73510-5.

GALHARDI, Cláudia Pereira; FREIRE, Neyson Pinheiro; MINAYO, Maria Cecília de Souza; FAGUNDES, Maria Clara Marques. Fato ou Fake? Uma análise da desinformação frente à pandemia da Covid-19 no Brasil. Ciênc. saúde coletiva, v. 25, supl. 2, p. 4201-4210, 2020. https://doi.org/10.1590/1413-812320202510.2.28922020.

KATTA, Anna. Anti-vaccine activists, web 2.0, and the postmodern paradigm – an overview of tactics and tropes used online by the anti-vaccination movement. Vaccine, v. 30, n. 25, p. 3778-3789, 2012. https://doi.org/10.1016/j.vaccine.2011.11.112.

KENNEDY, Jonathan. Vaccine hesitancy: a growing concern. Pediatric drugs, v. 22, n. 2, p.105-111, 2020. Disponível em https://link.springer.com/article/10.1007/s40272-020-00385-4. Acesso em 24 mar. 2021.

KISCHINHEVSKY, Marcelo; FRAGA, Renata. O jornalismo refém do algoritmo do Facebook: desafios regulatórios para a circulação de notícias numa sociedade de plataformas. Fronteiras, v. 22, n. 2, 2020. https://doi.org/10.4013/fem.2020.222.11.

MACHADO, Caio C. Vieira; SANTOS, João Guilherme; SANTOS, Nina; BANDEIRA, Luiza. Political (self) isolation: international trends in misinformation and the departure from the scientific debate. São Paulo: LAUT, 2020. Disponível em https://laut.org.br/wp-content/uploads/2020/11/Political-Self-Isolation-vF.pdf. Acesso em 24 mar. 2021.

MASSARANI, Luisa; LEAL, Tatiane; WALTZ, Igor. O debate sobre vacinas em redes sociais: uma análise exploratória dos links com maior engajamento’. Cadernos de Saúde Pública, v. 36, supl. 2, p.1-13, 2020a. https://doi.org/10.1590/0102-311x00148319.

MASSARANI, Luisa; WALTZ, Igor, LEAL, Tatiane. COVID-19 in Brazil: an analysis about the consumption of information on social networks. Journal of Science Communication, v. 19, n. 7, p. 1-21, 2020b. https://doi.org/10.22323/2.19070207.

MENDONÇA, Ana Paula Bernardo; PEREIRA NETO, André. Critérios de avaliação da qualidade da informação em sites de saúde: uma proposta. Reciis, v.9, n.1, pp. 1-15, 2015. https://doi.org/10.29397/reciis.v9i1.930.

MONARI, Ana Carolina Pontalti, SANTOS, Allan e SACRAMENTO, Igor. COVID-19 and (hydroxy)chloroquine: a dispute over scientific truth during Bolsonaro’s weekly Facebook live streams’. JCOM, v. 19, n. 7, A03, 2020. https://doi.org/10.22323/2.19070203.

NGUYEN, An. O julgamento das notícias na cultura “caça-clique”: o impacto das métricas sobre o jornalismo e sobre os jornalistas. Parágrafo, v.4, n.2, 2016. Disponível em http://revistaseletronicas.fiamfaam.br/index.php/recicofi/article/view/483. Acesso em 24 mar. 2021.

OLIVEIRA, Thaiane; MARTINS, Rodrigo Quinan Ribeiro; TOTH, Janderson Pereira. Antivacina, fosfoetanolamina e Mineral Miracle Solution (MMS): mapeamento de fake sciences ligadas à saúde no Facebook. Reciis, v. 14, n. 1, p. 90-111, 2020. https://doi.org/10.29397/reciis.v14i1.1988.

OLIVEIRA, Thaiane. Como enfrentar a desinformação científica? Desafios sociais, políticos e jurídicos intensificados no contexto da pandemia. Liinc em Revista, v. 16, n. 2, e5374, 2020. https://doi.org/10.18617/liinc.v16i2.5374.

OMS. Managing epidemics: key facts about major deadly diseases. Organização Mundial da Saúde, 2018. Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/managing-epidemics-interactive.pdf. Acesso em: 15 março 2021.

OMS. Managing yellow fever epidemics. Organização Mundial da Saúde, 2019. Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/managing-epidemics-interactive.pdf. Acesso em: 15 março 2021.

PARISER, Eli. O filtro invisível: o que a internet está escondendo de você. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

PAULA, Julia Ester; CAMILO, Lucas Perrone; SIQUEIRA, Ester Wagner. A corrida pela vacinação contra a Covid-19 no Brasil: como as fake news e o descaso do governo podem influenciar na imunização? Disponível em https://cjt.ufmg.br/2021/02/03/a-corrida-pela-vacinacao-contra-a-covid-19-no-brasil-como-as-fake-news-e-o-descaso-do-governo-podem-influenciar-na-imunizacao/. Acesso em 24 mar. 2021.

HERNÁNDEZ, Jonathan. Desinformación y crisis sanitaria: alcances y oportunidades para las bibliotecas. Biblioteca Universitaria, v. 23, n. 1, pp. 110-118, 2020. https://doi.org/10.22201/dgb.0187750xp.0.0.991. Acesso em 9 jun. 2021.

POELL, Thomas; NIEBORG, David; VAN DIJCK, José. Plataformização. Fronteiras, v. 22, n. 1, p. 2-10, 2020. https://doi.org/10.4013/fem.2020.221.01.

RECUERO, Raquel; SOARES Felipe Bonow. O discurso desinformativo sobre a cura do COVID-19 no Twitter: estudo de caso. E-compós, 2021. https://doi.org/10.30962/ec.2127.

RECUERO, Raquel; SOARES, Felipe; ZAGO, Gabriela. Polarization, hyperpartisanship and echo chambers: how the disinformation about Covid-19 circulates on Twitter. SciELO Preprints, 2020. https://doi.org/10.1590/SciELOPreprints.1154.

SCHEUFELE, Dietram A.; KRAUSE, Nicole M. Science audiences, misinformation, and fake news. PNAS, v. 116, n. 16, p. 7662–7669, 2019. https://www.pnas.org/content/116/16/7662. Acesso em 20 jan. 2020.

SILVA, Leila M.; LUCE, Bruno; SILVA FILHO, Rubens da Costa. Avaliação de critérios para fontes de informações na área da saúde no contexto da pós-verdade. Em: IV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência e Gestão da Informação. Porto Alegre, RS: UFRGS, 2017. Disponível em https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/157720/001021282.pdf. Acesso em 15 mar. 2021.

SOMMARIVA, Silvia; VAMOS, Cheryl; MANTZARLIS, Alexios; ÐÀO, Lillie Uyên-Loan; TYSON, Dinorah Martinez. Spreading the (fake) news: exploring health messages on social media and the implications for health professionals using a case study. American Journal of Health Education, v. 49, n. 4, p. 246–255, 2018. https://doi.org/10.1080/19325037.2018.1473178.

TANDOC Jr, Edson; LIM, Zheng; LING, Rich. Defining ‘Fake News’: A typology of scholarly definitions. Digital Journalism, v.1, n.17, p. 137-153, 2017. https://doi.org/10.1080/21670811.2017.1360143.

VIEIRA, Livia; CHRISTOFOLETTI, Rogério. Métricas, ética e ‘cultura do clique’ no jornalismo online brasileiro: o caso de resistência do não fo.de. Dispositiva, v. 1, n.3; Estudos de Jornalismo, v. 1, n.5, 2015. https://doi.org/10.5752/P.2237-9967.2015v4n1p74-87.

VOSOUGHI, Soroush; ROY, Deb; ARAL, Sinan. The spread of true and false news online. Science, v. 359, n. 6380, p. 1146-1151, 2018. https://doi.org/10.1126/science.aap9559.

WALTZ, Igor. Startups Jornalísticas: Inovações e continuidades no jornalismo brasileiro do século XXI. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura). Rio de Janeiro, RJ: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: http://www.pos.eco.ufrj.br/site/teses_dissertacoes_interna.php?tease=20.

WARDLE, Claire, DERAKHSHAN, Hossein. Information disorder: toward an interdisciplinary framework for research and policymaking. Estrasburgo: Conselho da Europa, 2017. https://rm.coe.int/information-disorder-toward-an-interdisciplinary-framework-for-researc/ 168076277c. Acesso em 1 dez. 2018.

WASZAK, Przemyslaw M., KASPRZYCKA-WASZAK, Wioleta; KUBANEK, Alicja. The spread of medical fake news in social media — the pilot quantitative study. Health Policy and Technology, v. 7, n. 2, p. 115–118, 2018. https://doi.org/10.1016/j.hlpt.2018.03.002.

ZAGO, Gabriela da Silva; SILVA, Ana Lúcia Migowski da. Sites de rede social e economia da atenção: circulação e consumo de informações no Facebook e no Twitter. Vozes e Diálogo, v. 13, n. 1, 2014. Disponível em: https://www6.univali.br/seer/index.php/vd/article/view/530. Acesso em 24 março 2021.

ZORZETTO, Ricardo. As razões da queda na vacinação: ao menos nove fatores contribuem para a redução na imunização infantil e aumentam o risco de doenças graves ressurgirem. Pesquisa Fapesp, ed. 270, 2018. Disponível em https://revistapesquisa.fapesp.br/as-razoes-da-queda-na-vacinacao/. Acesso em 24 mar. 2021.

Downloads

Publicado

18/06/2021

Como citar

Massarani, L. M. ., Leal, T. ., Waltz, I., & Medeiros, A. . (2021). Infodemia, desinformação e vacinas: a circulação de conteúdos em redes sociais antes e depois da COVID-19. Liinc Em Revista, 17(1), e5689. https://doi.org/10.18617/liinc.v17i1.5689

Edição

Seção

Infodemia e o Nosso Futuro