Plano de gestão de dados fair: uma proposta para a Fiocruz

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18617/liinc.v15i2.5030

Resumo

RESUMO Este artigo trás para discussão o papel dos planos de gestão de dados como instrumento facilitador da gestão dos dados durante todo o ciclo de vida da pesquisa. A abertura de dados de pesquisa é pauta prioritária nas agendas científicas, por ampliar tanto a visibilidade e transparência das investigações, como a capacidade de reprodutibilidade e reuso dos dados em novas pesquisas. Nesse contexto, os princípios FAIR, um acrônimo para ‘Findable’, ‘Accessible’, ‘Interoperable’ e ‘Reusable’ é fundamental por estabelecerem orientações basilares e norteadoras na gestão, curadoria e preservação dos dados de pesquisa direcionados para o compartilhamento e o reuso. O presente trabalho tem por objetivo apresentar uma proposta de template de Plano de Gestão de Dados, alinhado aos princípios FAIR, para a Fundação Oswaldo Cruz. A metodologia utilizada é de natureza bibliográfica e de análise documental de diversos planos de gestão de dados europeus. Concluímos que a adoção de um plano de gestão nas práticas cientificas de universidades e instituições de pesquisa é fundamental. No entanto, para tirar maior proveito dessa atividade é necessário contar com a participação de todos os atores envolvidos no processo, além disso, esse plano de gestão deve ser machine-actionable, ou seja, acionável por máquina.

Palavras-chave: Plano de Gestão de Dados; Dado de Pesquisa; Princípios FAIR; PGD Acionável por Máquina; Ciência Aberta.

Downloads

Publicado

11/12/2019

Edição

Seção

Dados de Pesquisa

Como Citar

Plano de gestão de dados fair: uma proposta para a Fiocruz. Liinc em Revista, [S. l.], v. 15, n. 2, 2019. DOI: 10.18617/liinc.v15i2.5030. Disponível em: https://revista.ibict.br/liinc/article/view/5030.. Acesso em: 19 jul. 2024.