Agentes, espaços e poderes em disputa: um olhar sobre estratégias de resistência do Jornalismo a tentativas do Executivo de driblar o direito à informação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18617/liinc.v19i2.6652

Palavras-chave:

Violência contra a imprensa, Mediação Cultural, Quarto Poder, Descredibilização, Estratégias narrativas

Resumo

Se a imprensa é considerada o "Quarto Poder" – atribuído pela sociedade e distinto daqueles de natureza constitucional – por fiscalizar os três poderes da República, com o avanço da internet o público ganha força, tem inúmeras possibilidades de compartilhamento de conteúdos e passa a monitorar o trabalho dos jornalistas, possibilitando um “Quinto Estado” (Dutton, Dubois 2015). No espaço público midiatizado, ampliado com as redes sociais digitais, há agentes em disputa por espaços e circuitos de circulação de notícias. Entre as marcas desse tensionamento, destacam-se as ações de descredibilização e questionamento do trabalho do jornalista. Tal descompasso entre avaliações do que deveria ser noticiado têm resultado em conflitos e crescentes ataques à imprensa. Como resposta do Jornalismo, esses casos passaram a ser noticiados. Em 2020, foi exposto na TV o esquema "Guardiões do Crivella" organizado para atrapalhar o trabalho da imprensa. No artigo, evidencia-se o conflito narrado em uma reportagem especial do Jornal Nacional da TV Globo, buscando compreender as estratégias utilizadas pelo telejornal na defesa da liberdade de imprensa. Observou-se os elementos utilizados na construção da narrativa por meio da Análise da Materialidade Audiovisual (Coutinho 2018) e de entrevistas realizadas com jornalistas da emissora. Por meio do conceito de Dramaturgia do Telejornalismo (Coutinho 2012), evidenciou-se que em um cenário de disputa pela informação, jornalistas tornaram-se vítimas, mas também narradores dos atentados ao Jornalismo. A análise apontou o fortalecimento da imagem dos profissionais como referência para a difusão de notícias e evidenciou o risco do cerceamento à imprensa para a democracia

Biografia do Autor

  • Gabriel Landim, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil

    Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Membro do Núcleo de Jornalismo Audiovisual (NJA), coordenado pela Dra. Iluska Coutinho. Seus estudos são voltados para a televisão, o telejornalismo e o processo de produção da notícia. Desenvolve pesquisa sobre a violência contra a imprensa como notícia na TV. Graduado em Jornalismo pelo Centro Universitário UniAcademia. Repórter na TV Integração Afiliada Globo em Minas Gerais.

  • Iluska Coutinho, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil

    Professora titular da Universidade Federal de Juiz de Fora é jornalista formada pela Universidade Federal do Espírito Santo (1993), mestre em Comunicação e Cultura pela Universidade de Brasília (1999) e doutora em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (2003), com estágio doutoral na Columbia University (NY). Pós-doutora em Comunicação (Universidade Nova de Lisboa), integra o Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFJF e coordena o grupo de pesquisa Núcleo de Jornalismo e Audiovisual (NJA). Atua como Coordenadora do curso de Graduação em Jornalismo e vice presidente do Comitê de Ética em Pesquisa em Humanos da instituição. Desenvolve pesquisas sobre Jornalismo, Audiovisual e Direitos Humanos com financiamento da Fapemig e do CNPq. Bolsista produtividade em pesquisa, PQ2. Autora do livro "Dramaturgia do telejornalismo brasileiro" (Mauad-x, 2012), e de uma série de capítulos, já atuou como coordenadora de Pós-Graduação da UFJF (2015-2016); coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFJF (2019-2022 e 2010-2012) e dos cursos de especialização em "Arte, Cultura Visual e Comunicação" (2005-2007); "Televisão, Cinema e Mídias Digitais" (2007-2012) e "Jornalismo Multiplataforma" (2013-2014). Integra o Conselho Consultivo da Telejor - Rede de Pesquisadores de Telejornalismo, que coordenou em 2018/19. Atuou ainda nas sociedades científicas da área como Diretora Científica da Intercom (2014-2017) e Diretora editorial da SBPJor (2011-2013)

Referências

BOURDIEU, Pierre, 1989. O poder simbólico. Lisboa, Portugal: Difel.

BRASIL, 1988. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 [em linha]. Constituição de 5 out. 1988 [Acesso em 7 novembro 2023]. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

BUCCI, Eugênio, 2008. Direito de livre expressão e direito social à informação na era digital. Revista do Programa de pós-graduação da Faculdade Cásper Líbero [em linha]. dez. 2008. no. 22, p. 101-108. [Acesso em 7 novembro 2023]. ISSN 15173283. Disponível em: http://seer.casperlibero.edu.br/index.php/libero/article/view/568/540

CORREIA, Ben-Hur. Entrevista concedida a Gabriel Landim de Souza. Juiz de Fora, 26 jan. 2023.

COUTINHO, Iluska, 2012. Dramaturgia do Telejornalismo: a narrativa da informação em rede e nas emissoras de televisão de Juiz de Fora-MG. Rio de Janeiro: Mauad X.

COUTINHO, Iluska, 2018. Compreender a estrutura e experimentar o audiovisual - da dramaturgia do telejornalismo à análise da materialidade. Em: Cárlida EMERIM, Iluska COUTINHO e Cristiane FINGER (orgs.). Epistemologias do telejornalismo brasileiro. Coleção Jornalismo Audiovisual. V. 7. Florianópolis: Insular, p. 175-194. ISBN 9788552400967

COUTINHO, Iluska, MATA, Jhonatan, e PEREIRA, Gustavo, 2019. The media between the fourth and fifth power/state: analysis of the second round of the 2018 presidential elections in Brazil. Sphera Publica [em linha]. 2019. vol. 1, no. 19, p. 72-90. [Acesso em 4 abril 2022]. ISSN 1576-4192. Disponível em: https://sphera.ucam.edu/index.php/sphera-01/article/view/369/14141439

COUTINHO, Iluska, MATA, Jhonatan, e PEREIRA, Gustavo, 2020. Democracia e qualidade no jornalismo audiovisual: diálogos TV-internet e o quinto poder. Revista Estudos em Jornalismo e Mídia [em linha]. 2020. vol. 17, no. 1, p. 20-31. [Acesso em 4 abril 2022]. DOI 10.5007/1984-6924.2020v17n1p20. Disponível em: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2020v17n1p20 DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2020v17n1p20

DUTTON, William H. e DUBOIS, Elizabeth, 2015. The Fifth Estate: a rising force of pluralistic accountability. Em: Stephen COLEMAN e Deen FREELON, eds. Handbook of Digital Politics. Cheltenham: Edward Elgar Publishing, p. 51-66. DOI 10.4337/9781782548768. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=p-t-BR&lr=&id=eN4WCQAAQBAJ&oi=fnd&pg=PA51&dq=fifth+estate&ots=R2jZ-vr5G5b&sig=iT_GXkmKkhWlzRIaTFt8Js9OjBc#v=onepage&q=fifth%20estate&-f=false

DUTTON, William H., 2009. Through the Network (of Networks) – the Fifth Estate. Journal Prometheus - Critical Studies in Innovation [em linha]. 2009. vol. 27, no. 1. [Acesso em 4 abril 2022]. Disponível em: https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=1134502 DOI: https://doi.org/10.1080/08109020802657453

FENAJ – Federação Nacional dos Jornalistas, 2021. Violência contra jornalistas e liberdade de imprensa no Brasil: relatório 2020 [em linha]. Brasília, 2021 [Acesso em 1 abril 2022]. Disponível em: https://fenaj.org.br/wp-content/uploads/2021/01/relatorio_fenaj_2020.pdf

FENAJ – Federação Nacional dos Jornalistas, 2022. Violência contra jornalistas e liberdade de imprensa no Brasil: relatório 2021 [em linha]. Brasília, 2022 [Acesso em 1 abril 2022]. Disponível em: https://fenaj.org.br/wp-content/uploads/2022/01/FENAJ-Relat%C3%B3rio-da-Viol%C3%AAncia-Contra-Jornalistas-e-Liberdade-de-Imprensa-2021-v2.pdf

GIBSON, James J., 1977. The theory of affordance. Em: Robert SHAW e John BRANSFORD, eds. Perceiving, acting, and knowing: toward an Ecological psychology. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, p. 67-82. ISBN 9781138205055

HJARVARD, Stig, 2012. Midiatização: teorizando a mídia como agente de mudança social e cultural. MATRIZes [em linha]. jan./jun. 2012. vol. 5, no. 3, p. 53-91. [Acesso em 4 abril 2022]. DOI: 10.11606/issn.1982-8160.v5i2p53-91. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/matrizes/article/view/38327

HJARVARD, Stig, 2015. Da mediação à midiatização: a institucionalização das novas mídias. Parágrafo [em linha]. jun./dez. 2015. vol. 3, no. 2, p. 51-62. [Acesso em 4 abril 2022]. ISSN 2317- 4919. Disponível em: https://revistaseletronicas.fiamfaam.br/index.php/recicofi/article/view/331/339

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2021. PNAD Contínua - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua: acesso à internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal 2019 [em linha]. Rio de Janeiro, 2021. [Acesso em 16 março 2022]. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101794_informativo.pdf

JORNAL NACIONAL, 2020 e 2021. Globoplay. [Acesso em 11 julho 2023]. Disponível em: https://globoplay.globo.com/jornal-nacional/t/MyCrVrr6gW/

KOVACH, Bill e ROSENSTIEL, Tom, 2003. Os Elementos do Jornalismo. Tradução de Wladir Dupont. São Paulo: Geração Editorial. ISBN 9788575090732

MINTZ, André, 2019. Midiatização e plataformização: aproximações. Novos Olhares [em linha]. vol. 8, pp. 98-109. [Acesso em 17 março 2022]. DOI 10.11606/issn.2238-7714.no.2019.150347. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2238-7714.no.2019.150347 DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2238-7714.no.2019.150347

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU), 1948. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Disponível em: https://www.ohchr.org/en/human-rights/universal-declaration/translations/portuguese?LangID=por

PEREIRA, Gustavo e COUTINHO, Iluska, 2020. Circulation of News and Digital Media: The Conflicts Between Fourth and Fifth Estate in the Second Round of the Brazilian Presidential Elections of 2018. Em: Marc-François BERNIER e Pascal GUENEE, orgs. 5th World Journalism Education Congress Proceedings. 1th ed. Vol. 5, p. 106-117. Paris: World Journalism Education Congress. ISBN 9782957178605. Disponível em: https://www.wjec.paris/wp-content/uploads/2020/05/WJEC_proceedings_V2_Final.pdf

SEIXAS, Rodrigo, 2019. A retórica da pós-verdade: o problema das convicções. Em: EID&A – Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação [em linha]. abr. 2019. no. 18, pp. 122-138. [Acesso em 17 março 2022]. DOI 10.17648/eidea-18-2197. Disponível em: http://periodicos.uesc.br/index.php/eidea/article/view/2197/1747 DOI: https://doi.org/10.17648/eidea-18-2197

SOARES, Paulo Renato Soares, 7 fev. 2023. Entrevista concedida a Gabriel Landim de Souza. Juiz de Fora.

TESICH, Steve, 1992. A government of lies (political ethics). The Nation [em linha]. no. 254, p. 12-13.

TRAQUINA, Nelson, 2005. Teorias do jornalismo: a tribo jornalística - uma comunidade interpretativa transnacional. Florianópolis: Insular.

Downloads

Publicado

01/12/2023

Edição

Seção

Guerras Culturais: Informação, Política e Disputas Simbólicas

Como Citar

Agentes, espaços e poderes em disputa: um olhar sobre estratégias de resistência do Jornalismo a tentativas do Executivo de driblar o direito à informação. Liinc em Revista, [S. l.], v. 19, n. 2, p. e6652, 2023. DOI: 10.18617/liinc.v19i2.6652. Disponível em: https://revista.ibict.br/liinc/article/view/6652.. Acesso em: 16 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

11-20 de 203

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.