A PERCEPÇÃO DA POPULAÇÃO DE CASCAVEL QUANTO AOS INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE

uma análise a partir do prêmio Cidade Excelentes

Autores

  • Kamyla Taysa Teske Universidade Estadual do Oeste do Paraná https://orcid.org/0009-0004-1292-155X
  • Juliana Augusta Sales Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Zimara Mariana Sinhorin Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Geysler Rogis Flor Bertolini Universidade Estadual do Oeste do Paraná https://orcid.org/0000-0001-9424-4089
  • Jerry Adriani Johann Universidade Estadual do Oeste do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.21728/p2p.2024v10n2e-6844

Palavras-chave:

Percepção socioambiental, Sustentabilidade, População

Resumo

Este estudo examinou como os residentes de Cascavel percebem os fatores de sustentabilidade no município, que foi classificado como a segunda melhor cidade para se viver em 2020 pelo prêmio Cidades Excelentes. Para alcançar esse objetivo, foi conduzida uma pesquisa quantitativa exploratória, na qual 384 questionários foram distribuídos aos moradores através do Google Forms. A análise envolveu a criação de gráficos e tabelas de distribuição de frequência, além da análise bidimensional de relação entre duas variáveis, através do teste qui-quadrado. Através dessa análise, constatou-se que, apesar do reconhecimento do município com o prêmio em 2020, a população não observou mudanças significativas nos indicadores de sustentabilidade relacionados a áreas como meio ambiente, gestão de resíduos sólidos, recursos hídricos, energia e tecnologia. Entre esses indicadores que não foram bem avaliados se dão pela falta de conscientização da própria população e por falta de políticas públicas que incentivem a utilização consciente dos recursos ambientais. Como contribuição empírica, este estudo possibilita melhor avaliar como a população do município vem observando as mudanças nos últimos três anos em relação à sustentabilidade, colaborar para pesquisas futuras sobre a temática e contribuir para a compreensão da sustentabilidade urbana na cidade de Cascavel e em outras cidades.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Kamyla Taysa Teske , Universidade Estadual do Oeste do Paraná

    Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Estadual do Oeste do Paraná

  • Juliana Augusta Sales , Universidade Estadual do Oeste do Paraná

    Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Estadual do Oeste do Paraná

  • Zimara Mariana Sinhorin , Universidade Estadual do Oeste do Paraná

    Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Estadual do Oeste do Paraná

  • Geysler Rogis Flor Bertolini, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

    Docente do Doutorado em Desenvolvimento Rural Sustentável, do Doutorado Profissional em Administração e do Mestrado em Contabilidade da Unioeste. Doutor em Engenharia de Produção

  • Jerry Adriani Johann, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

    Doutor em Engenharia Agrícola. Docente dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola, Administração e Contabilidade e do curso de Graduação em Engenharia Agrícola da Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Referências

ABDALA, Lucas Novelino et al. Como as cidades inteligentes contribuem para o desenvolvimento de cidades sustentáveis? Uma revisão sistemática de literatura. International Journal of Knowledge Engineering and Management (IJKEM), v. 3, n. 5, p. 98-120, 2014. DOI: https://doi.org/10.47916/ijkem-vol3n5-2014-5

ALBINO, Priscilla Linhares; SOUZA, Maria Claudia da Silva Antunes. Cidades sustentáveis: limites e possibilidades conceituais e regulatórios. Revista de Direito e Sustentabilidade, v. 4, n. 1, p. 95-109, 2018. DOI: https://doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2525-9687/2018.v4i1.4388

ALMEIDA, Suise Carolina Carmelo de. Indicadores de sustentabilidade: análise da aplicabilidade da NBR ISO 37120: 2017 sob a perspectiva da Engenharia Urbana. Dissertação de Mestrado em Engenharia Urbana da Universidade Federal de São Carlos, p.119, 2019.

ALMEIDA, T.C.; EMMENDOERFER, M. L. Cidades criativas e suas práticas coprodutivas para a inovação no setor público. P2P & Inovação, v. 10, n. 1, p. 60–78, 2023. DOI: 10.21728/p2p.2023v10n1.p60-78. DOI: https://doi.org/10.21728/p2p.2023v10n1.p60-78

BENTO, Sarah Corrêa et al. As novas diretrizes e a importância do planejamento urbano para o desenvolvimento de cidades sustentáveis. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v. 7, n. 3, p. 469-488, 2018. DOI: https://doi.org/10.5585/geas.v7i3.1342

BENCKE, Luciana Regina; PEREZ, Anderson Luiz Fernandes. Análise dos principais modelos de indicadores para cidades sustentáveis e inteligentes. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, v. 6, n. 37, 2018. DOI: https://doi.org/10.17271/2318847263720181754

BOTTON, Gabriella Zanoto et al. As construções das abordagens conceituais de cidades sustentáveis e inteligentes para superar os desafios dos objetivos do desenvolvimento sustentável. Desafio Online, v. 9, n. 3, 2021. DOI: https://doi.org/10.55028/don.v9i3.13072

CAMPESTRINI, Júlia Brum; DA SILVA, Thaísa Leal; RIBEIRO, Lauro André. Indicadores urbanos de saúde e sua relação com a pandemia: uma análise da cidade de Guaporé/RS. Encontro Latino-Americano e Europeu sobre edificações e comunidades sustentáveis, p. 92-96, 2021.

CARCARÁ, Maria do Socorro Monteiro; SILVA, Elaine Aparecida da; MOITA, José Machado. Saneamento básico como dignidade humana: entre o mínimo existencial e a reserva do possível. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 24, p. 493-500, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/s1413-41522019183905

CIDADES EXCELETES. Cidades excelentes 2022. Disponível em: <https://cidadesexcelentes.com.br/> Acesso em: 24 de junho de 2023

CHAVES, Gisele de Lorena Diniz; SIMAN, Renato Ribeiro; SENA, Larissa Gomes. Ferramenta de avaliação dos planos municipais de gestão integrada de resíduos sólidos: parte 1. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 25, p. 167-179, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/s1413-4152202020180120a

COSTA NETO NETO, P. L. O. Estatística. São Paulo: Edgar Blücher. 2a ed., 2002.

KNIESS, Cláudia Terezinha et al. Inovação urbana e recursos humanos para gestão de cidades sustentáveis. Estudos Avançados, v. 33, p. 119-136, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/s0103-4014.2019.3397.007

LOPES, Anaísa Filmiano Andrade et al. O programa cidade sustentável, seus indicadores e metas: instrumentos metodológicos para a avaliação da sustentabilidade no município de Prata/MG. 2016.

MALHOTRA, Naresh K. Pesquisa de Marketing-: uma orientação aplicada. Bookman Editora, 2019.

DE OLIVEIRA, Vinicius Almeida; DE CASSIA FERONI, Rita. Avaliação de indicadores de mobilidade urbana sustentável para a cidade de São Mateus, ES. Brazilian Journal of Production Engineering, v. 8, n. 3, p. 136-148, 2022. DOI: https://doi.org/10.47456/bjpe.v8i3.38208

PINHEIRO, José Cesar Vieira; CARVALHO, Rosemeiry Melo. Gestão dos recursos hídricos no sistema agroindustrial nordestino: uma abordagem teórica. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 6, n. 1, 2010.

REZENDE, Denis Silva. Análise dos indicadores do ranking connected smart cities apresentados pelo urban systems: estudo do município de Barra do Garças, Mato Grosso, Brasil. Revista Panorâmica online, v. 35, 2022.

SILVA, Elisane Gabriel do Nascimento et al. Análise de indicadores sustentáveis urbano em uma mesorregião amazônica, Brasil. 2022.

SILVA-MARTINS, José Vinícius; GONZALES-TACO, Pastor Willy. Mobilidade urbana no contexto de cidades inteligentes: uma análise bibliométrica e de conteúdo. Procesos Urbanos, v. 7, n. 2, p. e497-e497, 2020. DOI: https://doi.org/10.21892/2422085X.497

SOBRINHO, Alexandre Carlos Guimarães; BORDALO, Carlos Alexandre Leão; SOARES, Daniel Araújo Sombra. Cidades sustentáveis para a água: as políticas públicas de retificação e saneamento do canal da Providência, em Belém (Pará-Brasil). Research, Society and Development, v. 11, n. 12, p. e45111234294-e45111234294, 2022. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v11i12.34294

STEFANI, Sílvio Roberto; CORREA, Kamilla Fernandes; PROCIDÔNIO, Ana Lívia Bobato. Cidades sustentáveis: uma análise bibliométrica nacional e internacional. Revista Competitividade e Sustentabilidade, pág. 41-59, 2022. DOI: https://doi.org/10.48075/comsus.v9i2.29446

SUGAHARA, Cibele Roberta; GUEDES, Walef Pena; FERREIRA, Denise Helena Lombardo. Indicadores e saneamento básico no município de Campinas. Revista Grifos, v. 32, n. 58, p. 01-23, 2023. DOI: https://doi.org/10.22295/grifos.v32i58.6839

TRIGO, Aline Guimarães Monteiro et al. A política nacional de resíduos sólidos e a redução de impactos ambientais negativos: viabilizando cidades e comunidades sustentáveis: enabling sustainable cities and communities. Revista Gestão e Desenvolvimento, v. 20, n. 1, p. 130-149, 2023. DOI: https://doi.org/10.25112/rgd.v20i1.2910

VIANTE, M.F. Cidades Sustentáveis: um estudo sobre a cidade de Guarapuava- PR. Dissertação de Mestrado em Administração pelo Programa de Pós- Graduação em Administração -PPGADM- Guarapuava- Unicentro, p.1-139, 2022.

VICENTE, Afonso Ricardo Paloma; BERTOLINI, Geysler Rogis Flor; RIBEIRO, Ivano. Percepção da população quanto aos indicadores de sustentabilidade de Curitiba, a cidade sustentável do planeta. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, v. 4, n. 2, p. 254-272, 2015. DOI: https://doi.org/10.19177/rgsa.v4e22015254-272

YIN, Robert K. Estudo de Caso: Planejamento e métodos. Bookman editora, 2015.

Downloads

Publicado

03/01/2024

Edição

Seção

Sustentabilidade

Como Citar

TESKE , Kamyla Taysa; SALES , Juliana Augusta; SINHORIN , Zimara Mariana; BERTOLINI, Geysler Rogis Flor; JOHANN, Jerry Adriani. A PERCEPÇÃO DA POPULAÇÃO DE CASCAVEL QUANTO AOS INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE: uma análise a partir do prêmio Cidade Excelentes. P2P E INOVAÇÃO, Rio de Janeiro, RJ, v. 10, n. 2, p. e-6844, 2024. DOI: 10.21728/p2p.2024v10n2e-6844. Disponível em: https://revista.ibict.br/p2p/article/view/6844.. Acesso em: 18 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

11-20 de 103

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.