Perspectivas sobre competência em informação: diálogos possíveis

  • Elisa Cristina Delfini Corrêa Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
  • Orlando Vieira de Castro Junior Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Palavras-chave: Competência em informação-aspectos epistemológicos, Modelos e padrões de competência e informação, Dimensões da competência em informação

Resumo

Este trabalho propõe estabelecer diálogos entre alguns dos principais documentos sobre o tema, identificando possíveis relações entre modelos, padrões e dimensões da competência em informação (CoInfo). São analisados os aspectos epistemológicos da CoInfo e a abordagem sociocultural baseada nos domínios específicos, de Hjørland e Albrechtsen (1995). Para tanto, realizou-se pesquisa bibliográfica nas bases de dados Web of Science, Scopus, Library and Information Science Abstracts (LISA) e no portal SciELO, em artigos publicados em português, inglês e espanhol, tendo como período de busca considerado o intervalo entre os anos 1998 a 2016. Concluiu-se que a maioria dos modelos e padrões de desenvolvimento da CoInfo possuem forte base processual, compreendidos na dimensão técnica. Assim, é necessário o desenvolvimento das demais dimensões, de caráter mais social, construídas por meio da interação e comunicação no seio de suas comunidades a partir de representações capazes de dar significado aos conhecimentos coletivamente produzidos.

Biografia do Autor

Elisa Cristina Delfini Corrêa, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Doutora em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - Florianópolis, SC - Brasil. Professora da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) - Florianópolis, SC - Brasil.
Orlando Vieira de Castro Junior, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Mestre em Controladoria pela Universidade Federal do Ceará (UFC) - Fortaleza, CE - Brasil. Mestrando em Gestão da Informação pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) - Florianópolis, SC - Brasil. Analista de Finanças e Controle da Controladoria-Geral da União no Estado de Santa Catarina (CGU) - Florianópolis, SC – Brasil.

Referências

AMERICAN LIBRARY ASSOCIATION. Digital Literacy, Libraries, and Public Policy: Report of the Office for Information Technology Policy’s Digital Literacy Task Force. Washington, DC, Jan. 2013. <http://www.districtdispatch.org/wp-content/uploads/2013/01/2012_OITP_digilitreport_1_22_13.pdf>. Acesso em: 27 fev. 2017.

ASSOCIATION OF COLLEGE AND RESEARCH LIBRARIES (ACRL)/AMERICAN LIBRARY ASSOCIATION (ALA). Framework for Information Literacy for Higher Education. Chicago: ALA, 2016. Disponível em: <http://www.ala.org/acrl/standards/ilframework>. Acesso em: 26 set. 2016.

ASSOCIATION OF COLLEGE AND RESEARCH LIBRARIES (ACRL)/AMERICAN LIBRARY ASSOCIATION (ALA). Information Literacy Competency Standards for Higher Education. Chicago: ALA, 2000. Disponível em: <http://www.ala.org/acrl/sites/ala.org.acrl/files/content/standards/standards.pdf>. Acesso em: 26 set. 2016.

BRUCE, Susan Christine. Las siete caras de la alfabetización en información en la enseñanza superior. In: Anales de Documentación, v. 6. Espanha: Universidad de Murcia, 2003. pp. 289-294. Disponível em: <http://revistas.um.es/analesdoc/article/view/3761/3661> . Acesso em: 04 mar. 2017.

BUCHANAN, Shelly; HARLAN, Mary Ann; BRUCE, Christine; EDWARDS, Sylvia. Inquiry Based Learning Models, Information Literacy, and Student Engagement: A literature review. School Libraries Worldwide. v. 22, n. 2, jun. 2016. Disponível em: <https://eprints.qut.edu.au/102823/>. Acesso em: 20 jun. 2017.

CAMPELLO, Bernadete. A escolarização da competência informacional. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação: Nova Série, São Paulo, v.2, n.2, p.63-77, dez. 2006. ISSN: 1980-6949. Disponível em: < https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/18/6>. Acesso em: 20 jun. 2017.

DIAS, Solange Thomé Gonçalves. Representações sociais de alunos acerca do que é ser estudante em uma universidade pública federal. Orientadora: Profa. Dra. Daniela Barros da Silva Freire Andrade. 2013. 309 f. Tese (doutorado). Instituto de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá.

DUDZIAK, Elizabeth Adriana. Information Literacy: princípios filosofia e prática. Ciência da Informação. Brasília, v. 32, n. 1, p. 23-35, jan./abr. 2003. Disponível em: <http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1016/1071>. Acesso em: 11 set. 2016.

FEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ASSOCIAÇÕES DE BIBLIOTECÁRIOS – FEBAB. Declaração de Maceió sobre competência em informação. In: XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação, Maceió: AL. ago. 2011. Disponível em: <http://www.cfb.org.br/UserFiles/File/Declaracao%20de%20Maceio%20sobre%20Competencia%20em%20Informacao.pdf>. Acesso em: 24 set. 2016.

FEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ASSOCIAÇÕES DE BIBLIOTECÁRIOS – FEBAB; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA – UNB. Manifesto de Florianópolis sobre competência em informação e as populações vulneráveis e minorias. In: II Seminário Competência em Informação: Cenários e Tendências, Florianópolis: SC. jul. 2013. Disponível em: <http://febab.org.br/manifesto_florianopolis_portugues.pdf>. Acesso em: 24 set. 2016.

HJØRLAND, B. Domain Analysis in Information Science. Eleven Approaches – tradicional as well as innovative. In: Journal of Documentation, v. 58, n. 4, p. 422-462, 2002. Disponível em: <http://www.emeraldinsight.com/0022-0418.htm>. Acesso em: 28 jul. 2016.

HJØRLAND, B.; ALBRECHTSEN, H. Toward a new horizon in Information Science. Journal of the American Society for Information Science, v. 46, n. 6, p.400-425, 1995. Disponível em: <https://www.academia.edu/1304539/Toward_a_new_horizon_in_information_science_domain-analysis >. Acesso em: 04 set. 2016.

HORTON JR, Forrest Woody. Overview of information literacy resources worldwide. Paris: UNESCO. 2013. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0021/002196/219667e.pdf>. Acesso em: 24 set. 2016.

INTERNACIONAL FEDERATION OF LIBRARY ASSOCIATIONS AND INSTITUTIONS - IFLA. Declaração de Alexandria sobre Competência Informacional e aprendizado ao longo da vida. 2005. Disponível em: <http://www.ifla.org/files/assets/wsis/Documents/beaconinfsoc-pt.pdf>. Acesso em: 28 ago. 2016.

JODELET, Denise. As Representações Sociais. Rio de Janeiro, RJ: EdUERJ, 2001.

KUHLTHAU, Carol C.; MANIOTES, Leslie K.; CASPARI, Ann K. Guided inquiry: learning in the 21st century school. Westport, USA: Libraries Unlimited, 2007. 189 p.

KUHLTHAU, Carol Collier. Information skills for an information society: a review of research. Monografia. Syracuse University, New York, 1987. Disponível em: <http://files.eric.ed.gov/fulltext/ED297740.pdf>. Acesso em: 6 jun. 2017.

LEMOS, Suely F. C.; COSTA, Solange G.; LIMA, Rita C. P. Representações Sociais: Aplicabilidade nos estudos sobre a educação de jovens e adultos. In: Educação, Sociedade & Culturas. Porto, Portugal: Universidade do Porto, 2013, nº 39, p. 43-61. Disponível em: <http://www.fpce.up.pt/ciie/sites/default/files/04.SuelyLemos_etal.pdf>. Acesso em: 22 dez. 2017.

LUCCA, Djuli Machado de. A dimensão política da competência informacional: um estudo a partir das necessidades informacionais de idosos. Elizete Vieira Vitorino (orientadora). Florianópolis, SC, 2015. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação. Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/158842>. Acesso em: 27 fev. 2017.

MEYER, Jan H. F., LAND, Ray. Threshold concepts and troublesome knowledge (2): Epistemological considerations and a conceptual framework for teaching and learning. In: Higher Education, v. 49, n.º 3, p. 373-388, abr. 2005. Disponível em: <http://link.springer.com/article/10.1007/s10734-004-6779-5>. Acesso em: 27 set. 2016.

MOSCOVICI, Serge. Representações Sociais: Investigações em psicologia social. 11ª ed. Petrópolis, RJ: Ed. Vozes, 2015.

RIOS, Terezinha A. Compreender e ensinar: por uma docência de melhor qualidade. 6.ed. São Paulo: Cortez, 2006.

SALDANHA, Gustavo Silva. Tradições epistemológicas nos estudos de organização dos saberes: uma leitura histórico-epistêmica a partir da filosofia da linguagem. Liinc em Revista, Rio de Janeiro. v. 6, n. 2, 2010. Disponível em: <http://liinc.revista.ibict.br/index.php/liinc/article/view/372/254>. Acesso em: 30 jul. 2016.

SCONUL. The SCONUL Seven Pillars of Information Literacy: Core Model for Higher Education. 2011. Disponível em: <http://www.sconul.ac.uk/sites/default/files/documents/coremodel.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2014.

UNESCO. The Prague Declaration: Towards an information literate society. Praga: República Tcheca, set. 2012. Disponível em: <http://www.unesco.org/new/fileadmin/MULTIMEDIA/HQ/CI/CI/pdf/PragueDeclaration.pdf>. Acesso em: 24 set. 2016.

UNESP/UNB/IBICT. Carta de Marília sobre competência em informação e as populações vulneráveis e minorias. III Seminário Competência em Informação: Cenários e Tendências, Marília: SP. set. 2014. Disponível em: <http://www.ofaj.com.br/textos_conteudo.php?cod=546>. Acesso em: 24 set. 2016.

VITORINO, Elizete Vieira; PIANTOLA, Daniela; Competência informacional – bases históricas e conceituais: construindo significados. Ciência da Informação, Brasília, v. 38, n. 3, p. 130-141, set./dez., 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ci/v38n3/v38n3a09.pdf>. Acesso em: 13 jul. 2017.

VITORINO, Elizete Vieira; PIANTOLA, Daniela; Dimensões da Competência Informacional. Ciência da Informação, Brasília, v. 40, n. 1, p. 99-110, jan./abr., 2011. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/ci/v40n1/a08v40n1.pdf>. Acesso em: 27 ago. 2016.

VIVAS, Gloria Patricia Marciales; CHACÓN, Jorge Winston Barbosa; PEÑA, Harold Castañeda. Desarrollo de competencias informacionales en contextos universitarios: enfoques, modelos y estrategias de intervención. Investigación Bibliotecológica: Archivonomía, Bibliotecológica e Información. México, v. 29, n. 65, jan-abr. 2015, p.39-72. Disponível em: <http://www.revistas.unam.mx/index.php/ibi/article/view/54449/48436>. Acesso em: 2 abr. 2017.

WANG, Li; BRUCE, Christine; HUGHES, Hilary. Sociocultural theories and their application in information literacy research and education. In: Australian Academic & Research Libraries. Australia, v. 42, n. 4, 2011, p. 296-308. Disponível em: <https://eprints.qut.edu.au/48976/>. Acesso em: 22 dez. 2017.

ZURKOWSKY, P. G. The Information Service Environment, Relationship and Priorities. Related Paper n.º 5. National Commission on Libraries and Information Science, Washington. 1974. Disponível em: <http://files.eric.ed.gov/fulltext/ED100391.pdf>. Acesso em: 28 ago. 2016.

Publicado
26/09/2018
Como Citar
CorrêaE. C. D., & Castro JuniorO. V. de. (2018). Perspectivas sobre competência em informação: diálogos possíveis. Ciência Da Informação, 47(2). Recuperado de http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4156
Seção
Artigos