Leitura e leitores imersivos em uma biblioteca universitária

Carlos Henrique Tavares de Freitas, Kátia Morosov Alonso, Cristiano Maciel

Resumo


Este trabalho é um estudo qualitativo desenvolvido para investigar as características dos leitores e de suas leituras em uma biblioteca universitária, sob influência das tecnologias da informação e da comunicação (TICs). Todos os sujeitos investigados apresentaram características de leitores imersivos, embora alguns se tenham revelado também leitores meditativos; os leitores imersivos não demonstraram preferência por utilizar as tecnologias e o ambiente virtual, em substituição aos materiais impressos disponíveis na biblioteca, como os livros e as publicações periódicas. Além disso, posto que possuíssem competências tecnológicas, os sujeitos não demonstraram conhecer nem utilizar, amplamente, os serviços eletrônicos da biblioteca. Isso evidenciou que as necessidades acadêmicas tradicionais, entre elas o uso de materiais impressos, exercem ainda forte influência entre os leitores imersivos que frequentam a biblioteca universitária. Destaca-se, inclusive, a importância de a biblioteca universitária estar adaptada às manifestações da cultura digital presentes em seu contexto, uma vez que as transformações no perfil de seus leitores são evidentes.

Palavras-chave


Prática de leitura; Leitor imersivo; Biblioteca universitária; Tecnologias da informação e da comunicação

Texto completo:

PDF

Referências


CAVALLO, G.; CHARTIER, R. (Org.). História da leitura no mundo ocidental. São Paulo: Ática, 1998. v. 1. (Coleção Múltiplas Escritas).

CHARTIER, R. A aventura do livro: do leitor ao navegador: conversações com Jean Lebrun. Tradução Reginaldo Carmello Corrêa de Moraes. São Paulo: UNESP: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 1998.

______. As revoluções da leitura no ocidente. In: ABREU, Márcia (Org.). Leitura, história e história da leitura. Campinas: Mercado de Letras: Associação de Leitura no Brasil, 1999. p. 19-31. (Coleção Histórias de Leitura).

FOUCAMBERT, J. A leitura em questão. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 41. ed. São Paulo: Cortez, 2001. (Coleção Questões da Nossa Época, 13).

GARCÍA CANCLINI, N. Leitores, espectadores e internautas. São Paulo: Iluminuras, 2008. (Coleção Os livros do Observatório).

MARTINS, W. A palavra escrita: história do livro, da imprensa e da biblioteca com um capítulo referente à propriedade literária. 3. ed. São Paulo: Ática, 2002. (Série temas, 49).

MILANESI, L. Biblioteca. São Paulo: Ateliê Editorial, 2002.

PRENSKY, M. Digital natives, digital immigrants. On the horizon, [S.l.], v. 9, n. 5, out. 2001.

SANTAELLA, L. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. 2. ed. São Paulo: Paulus, 2007.

SILVA, E. T. da. Leitura na escola e na biblioteca. 10. ed. Campinas, SP: Papirus, 2005.

______. O ato de ler: fundamentos psicológicos para uma nova pedagogia da leitura. 3. ed. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1985. (Coleção Educação Contemporânea).

TOSCHI, M. S. (Org.). Leitura na tela: da mesmice à inovação. Goiânia: Ed. da PUC Goiás, 2010.

VALENTIM, M. L. P. Assumindo um novo paradigma na Biblioteconomia. Inf. & Inf., Londrina, v. 0, n. 0, p. 2-6, jul./dez. 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Carlos Henrique Tavares de Freitas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.


Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict)
SAUS - Setor de Autarquias Sul, Quadra 5, Lote 6, Bloco H
Seção de Editoração - sala 500
CEP 70070-912
Brasília-DF, Brasil

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo publicado nesta revista está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.