O ensino de recuperação da informação na pós-graduação sul-americana: análise comparativa curricular

  • Keitty Rodrigues Vieira Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação
  • Cezar Karpinski Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Departamento de Ciência da Informação
Palavras-chave: Recuperação da Informação, Pós-graduação em ciência da informação, Ensino de ciência da informação

Resumo

Aborda a disciplina de Recuperação da Informação (RI) na pós-graduação em ciência da informação (CI) a partir de análise curricular de cursos vigentes no Brasil e em alguns países da América do Sul. Busca conhecer quais as temáticas abordadas em RI no Brasil e como se relacionam com o ensino desta temática na América do Sul. O artigo advém de pesquisa quanti-qualitativa, exploratória, bibliográfica e documental, a partir da análise curricular de cursos brasileiros e de outros países da América do Sul. Conclui-se que os principais temas da disciplina são: o ambiente da Web; apresentação de modelos de RI; indexação automática; processamento de linguagem natural e artificial; avaliação de relevância, taxonomias e ontologias. Estas temáticas são desenvolvidas em disciplinas de cursos vigentes no Brasil, Argentina, Chile, Uruguai e Venezuela. A partir da análise comparativa, considera-se que o ensino de RI nos programas de pós-graduação brasileiros está em consonância com as novas ferramentas e tecnologias que auxiliam os atuais sistemas de RI.

Biografia do Autor

Keitty Rodrigues Vieira, Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação
Mestranda em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - Florianópolis, SC - Brasil. Graduação em Biblioteconomia pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) - SC - Brasil.
Cezar Karpinski, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Departamento de Ciência da Informação
Doutor em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - Florianópolis, SC - Brasil. Professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - Brasil.

Referências

ALLAN, Jame et al. (Eds.). Frontiers, Challenges, and Opportunities for Information Retrieval. Report from SWIRL 2012 : The Second Strategic Workshop on Information Retrieval in Lorne February 2012.

ALVARES, Lillian; ARAUJO JUNIOR, Rogério Henrique de. Marcos históricos da ciência da informação: breve cronologia dos pioneiros, das obras clássicas e dos eventos fundamentais. Transinformação, Campinas , v. 22, n. 3, p. 195-205, dez. 2010 . Disponível em <http://www.scielo.br/ scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-37862010000300001&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 12 mar. 2018.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila Fundamentos da ciência da informação: correntes teóricas e o conceito de informação. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 4, n. 1, p. 57-79, 2014. Disponível em: <http://www.brapci.ufpr.br/brapci/v/a/15117>. Acesso em: 12 mar. 2018.

BAEZA-YATES, Ricardo; RIBEIRO-NETO, Berthier. Recuperação de Informação: conceitos e tecnologia das máquinas de busca. 2nd. ed. Porto Alegre: Bookman, 2013. Cap.1, pp. 1-14.

BARRETO, Aldo de Albuquerque. Olhar sobre os 20 anos da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação (ANCIB). Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v. 2, n. 1, p.3-28, jan./dez. 2009. Disponível em: <http://repositorio.ibict.br/bitstream/123456789/160/1/Barreto 3.pdf>. Acesso em: 12 mar. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Qual a diferença entre pós-graduação lato sensu e stricto sensu?. 2016. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/ component/content/article?id=13072:qual-a-diferenca-entre-pos-graduacao-lato-sensu-e-stricto-sensu> . Acesso em: 05 mar. 2018.

CARVALHO, A. O. Pós-graduação em biblioteconomia e ciência da informação: reflexões, sugestões, experiências. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, v. 7, n. 2, p. 289-309, 1978. Disponível em: <http://www.brapci.ufpr.br/brapci/v/a/1994>. Acesso em: 12 mar. 2018.

COORDENAÇÃO de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plataforma Sucupira. Brasília: 2017. Cursos recomendados e reconhecidos por área de conhecimento. Disponível em: < https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/ consultas/coleta/programa/quantitativos/quantitativoIes.xhtml?areaAvaliacao=31&areaConhecimento=60700009>. Acesso em 14 mar. 2018.

CUNHA, Murilo Bastos da; CAVALCANTI, Cordélia Robalinho de Oliveira. Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia. Brasília: Briquet de Lemos/Livros, 2008. 451p.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, Maria Nélida. Escopo e abrangência da Ciência da Informação e a Pós-Graduação na área: anotações para uma reflexão. Transinformação, Campinas , v. 15, n. 1, p. 31-43, abr. 2003 . Disponível em: <http://www.scielo.br/ scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-37862003000100002&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 12 mar. 2018.

SARACEVIC, Tefko. Ciência da informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação. Belo Horizonte, v. 1, n.1, p. 41-62, jan./jul. 1996. Disponível em: < http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/ index.php/pci/article/view/235/22 >. Acesso em: 12 mar. 2018.

SOUZA, Francisco das Chagas de. O ensino da biblioteconomia no contexto brasileiro: século XX. 2. ed. rev. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2009. 189p.

WERSIG, Gernot; NEVELING, Ulrich. The phenomena of interesting to information science. Information Scientist, v.9, n.4, p. 127-140, dez. 1975. Disponível em: < http://sigir.org/files/museum/pub-13/18.pdf>. Acesso em: 12 mar. 2018.

Publicado
26/09/2018
Como Citar
VieiraK. R., & KarpinskiC. (2018). O ensino de recuperação da informação na pós-graduação sul-americana: análise comparativa curricular. Ciência Da Informação, 47(2). Recuperado de http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4238
Seção
Artigos