Mapeamento de processos no Dspace: uma análise no Repositório Institucional da Ufra.

  • Nilzete Ferreira Gomes Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
  • Franciele Marques Redigolo Universidade Federal do Pará (UFPA)
  • Robson Augusto Lobato Meirelles
Palavras-chave: Fluxo de processos, Gestão de Processos, Mapeamento de atividades, Software

Resumo

O trabalho trata da gestão de processos no Dspace do Repositório Institucional da UFRA (RIUFRA), apresentando alguns fluxos de processos mapeados, relacionados ao “conteúdo” e “controle de acesso” dos usuários e grupos. Tal proposição se delineou a partir das dificuldades encontradas pela equipe na configuração das comunidades, coleções e grupos do RIUFRA para disponibilização aos usuários, por isto a pesquisa visou mapear as atividades essenciais na utilização do RI, ao nível de administrador. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica e também o mapeamento detalhado dos processos diretamente do Dspace com o login de administrador do sistema. Mapeou-se os processos dos seguintes itens: comunidades (criação), subcomunidades (criação), coleções (criação e migração) e controle de acesso (usuários e grupos (edição e exclusão)). Observou-se que a partir do mapeamento do fluxo de processos, houve melhoria na qualidade na execução das atividades, pois diminuiu o retrabalho, padronizou e uniformizou tarefas reduzindo o tempo e permitiu a visualização das tarefas de forma clara. Com isto minimizou-se a possibilidade de erros no sistema.

Referências

REFERÊNCIAS

ARAÚJO, L. C. G. Organização, sistemas e métodos e as tecnologias de gestão organizacional: arquitetura organizacional, benchmarking, empowerment, gestão pela qualidade total, reengenharia. 5. ed. rev. atual. São Paulo: Atlas, 2011. v. 1.

COSTA, M. P.; LEITE, F. C. L. Repositórios institucionais da América Latina e o acesso aberto à informação científica. Brasília: IBICT, 2017.

DSPACE. Disponível em: http://wiki.ibict.br/index.php/DSpace. Acesso em: 15 mar. 2019.

LEITE, F. C. L. Como gerenciar e ampliar a visibilidade da informação científica brasileira: repositórios institucionais de acesso aberto. Brasília, DF: IBICT, 2009.

PAULA, M. A.; VALLS, V. M. Mapeamento de processos em bibliotecas: revisão de literatura e apresentação de metodologias. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 12, n. 3, p. 136-156, set./dez. 2014.

PAVÃO et al. Implementações no DSpace para a otimização do acesso aos recursos educacionais no Lume. In: CONFERENCIA INTERNACIONAL SOBRE BIBLIOTECAS Y REPOSITORIOS DIGITALES DE AMÉRICA LATINA, 5., 2015, Barranquilha. Anais [...]. Barranquilha: Universidad del Norte, 2015.

REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UFRA (RIUFRA). Disponível em: http://repositorio.ufra.edu.br/jspui/. Acesso em: 15 mar. 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA). Conselho Universitário. Resolução n. 154, de 06 de abril de 2018. Belém: 2018. Disponível em: http://repositorio.ufra.edu.br/jspui/Resolucao154_%20CriacaoRepositorioInstitucional.pdf. Acesso em: 10 abr. 2019.

SANTOS, A. C. G.; BRASIL, H. S.; GOMES, N. F. Implantação do repositório institucional na Universidade Federal Rural da Amazônia: relato de experiência. Bibliocanto, Natal, v. 3, n.1, p. 68 – 89, 2017.

SHINTAKU, M.; MEIRELLES, R. Manual do Dspace: administração de repositórios. Salvador, BA: EDUFBA, 2010.

SOBRE O DSPACE. http://wiki.ibict.br/index.php/Perguntas_frequentes. Acesso em: 15 mar. 2019.

Publicado
20/03/2020