Grau de pertencimento como insumo para classificação automática de textos: uma abordagem sintática

Autores

  • André Fabiano Dyck
  • Rogério de Aquino Silva
  • Moisés Lima Dutra
  • Gustavo Medeiros de Araújo

Palavras-chave:

Grau de Pertencimento. Classificação textual. Bag-of-Words. N-Gramas. Ciência da Informação

Resumo

Agrupar documentos em categorias é uma das soluções adotadas para agilizar o processo de recuperação de informação, cada vez mais relevante devido à grande de oferta de informação existente nos dias atuais. A localização manual de documentos de determinada temática, disponíveis em repositórios digitais, passa pela leitura de título, resumo e palavras-chave, além de posterior avaliação mais detalhada com o intuito de se identificar se a publicação pertence ao eixo temático desejado. Considerando o número de publicações existentes num repositório digital, a localização manual de todos os textos desejados de uma determinada temática pode ser trabalhosa e demorada. Esta pesquisa propõe uma técnica para classificação automática de textos que se baseia em questões sintáticas, ou seja, empreende uma comparação de n-gramas, que são combinações de n-uplas de palavras identificadas ao longo do texto. Realizou-se uma pesquisa aplicada, de cunho exploratório, que aplicou um tipo de aprendizagem supervisionada, baseada fundamentalmente no modelo de representação dos documentos chamado saco de palavras (bag-of-words - BoW). Seu objetivo-macro foi o de classificar textos de maneira geral, de acordo com categorias pré-definidas, por meio da geração e comparação de graus de pertencimento entre os textos, como um dos critérios-chave. Os resultados destas comparações, a partir da utilização de n-grama = 3, demonstram que, na utilização de classificações por n-gramas, quanto maior o número de gramas, e com a retirada das stop words, obtém-se um grau de pertencimento reduzido, demonstrando um rigor maior para identificar a combinação (match) durante a classificação. Para termos maior confiança nos resultados, é necessário um corpus de treinamento maior, para ampliar o número de palavras que caracterizem as categorias pré-definidas, a serem utilizadas na classificação dos textos.

Biografias dos autores

André Fabiano Dyck

Doutorando em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - Florianópolis, SC - Brasil. Mestre em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC ) - Brasil. Analista de Tecnologia da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - Brasil.

Rogério de Aquino Silva

Mestrando em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - Florianópolis, SC - Brasil. Especialização em Business Intelligence pela Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada (IBTA) - Brasil. Cientista de dados do Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina (IPREV) - Florianópolis, SC - Brasil.

Moisés Lima Dutra

Doutor em Ciências da Computação pela Université Claude Bernarde Lyon 1 (LYON I) - França, com período co-tutela em Universidade Nova de Lisboa (UNL) – Portugal. Professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - Florianópolis, SC - Brasil.

Gustavo Medeiros de Araújo

Doutor em Engenharia de Automação e Sistemas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - Florianópolis, SC – Brasil, com período sanduíche em Otto-von-Guericke-Universität Magdeburg – Alemanha. Professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - Florianópolis, SC - Brasil.

Downloads

Publicado

25/11/2020

Como citar

Dyck, A. F., de Aquino Silva, R. ., Lima Dutra, M. ., & Medeiros de Araújo, G. . (2020). Grau de pertencimento como insumo para classificação automática de textos: uma abordagem sintática. Ciência Da Informação, 49(3). Recuperado de http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/5445