In(formação), interculturalidade e a Covid-19 em territórios indígenas de Mato Grosso do Sul

  • Andreia Sangalli Programa de Pós-Graduação em Educação e Territorialidade, Faculdade Intercultural Indígena, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, Mato Grosso do Sul, Brasil https://orcid.org/0000-0002-2297-4282
  • Neimar Machado de Sousa Programa de Pós-Graduação em Educação e Territorialidade, Faculdade Intercultural Indígena, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, Mato Grosso do Sul, Brasil https://orcid.org/0000-0002-3574-6000
Palavras-chave: Saúde indígena, Cosmologia, Educação Escolar Indígena

Resumo

A inesperada situação de confinamento social com o intuito de diminuir o contágio entre a população pela COVID 19 impactou diretamente os povos tradicionais e seu Tekohá. Partindo do princípio que a saúde é um modo de ser e viver, que respeita as visões próprias dos povos indígenas em relação ao seu bem-estar, e considerando a precarização a que foram submetidos desde a chegada dos conquistadores europeus, principalmente devido às doenças  trazidas e que eram desconhecidas por estes povos, a COVID-19 adentra os territórios indígenas, tornando essencial ações educativas que contribuam para a divulgação de informações compreensíveis a respeito da doença.  Nesse contexto, foram elaboradas cartilhas de orientações em saúde que consideraram as cosmologias ameríndias representadas na região de Dourados (MS), pelos povos Guarani, Kaiowá e Terena e que rompem com a reprodução da lógica colonial de que os conhecimentos médicos europeus são superiores aos dos indígenas. A circulação do material impresso ampliou os debates entre a parentela indígena sobre os cuidados fundamentais no enfrentamento à Pandemia e passou a ser utilizado como material pedagógico de apoio aos professores e escolas indígenas locais.

Biografia do Autor

Andreia Sangalli, Programa de Pós-Graduação em Educação e Territorialidade, Faculdade Intercultural Indígena, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, Mato Grosso do Sul, Brasil

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2000), mestrado (2003) em Agronomia- Produção Vegetal pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e doutorado (2008) em Agronomia- Produção Vegetal pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). É professora Associada na Universidade Federal da Grande Dourados, MS. Foi Bolsista CAPES do Programa Institucional de Iniciação a Docência- PIBID Diversidade, coordenando o Sub-Projeto "Oralidade, escrita, leitura nas escolas Guarani e Kaiowá: interculturalidade e interdisciplinaridade", área de Ciências da Natureza e Matemática, no Período de 2011 a 2013. Coordenou o Curso de Graduação -Licenciatura em Educação do Campo- LEDUC, lotado na Faculdade Intercultural Indígena- FAIND, até fevereiro de 2015. Foi coordenadora de área de gestão de processos educacionais do PIBID/UFGD, de maio de 2014 a fevereiro de 2018, acompanhando os Subprojetos PIBID EaD e coordenadora do subprojeto PIBID Educação do Campo do curso de Licenciatura em Educação do Campo - área de Habilitação em Ciências da Natureza e Ciências Humanas de agosto de 2018 a janeiro de 2020. Ministra aulas na área de Ciências da Natureza e, desenvolve estudos e pesquisas na Linha de Etnociências, Etnobotânica, Saúde, Meio Ambiente e ensino de Ciências no contexto dos povos camponeses e comunidades indígenas de Mato Grosso do Sul.

Neimar Machado de Sousa, Programa de Pós-Graduação em Educação e Territorialidade, Faculdade Intercultural Indígena, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, Mato Grosso do Sul, Brasil

Neimar Machado de Sousa é licenciado em Filosofia na Universidade Católica Dom Bosco (1997), é mestre em História Regional pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2002) e doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2009). Atua na Faculdade Intercultural Indígena no ensino de graduação (Licenciatura Intercultural Indígena Teko Arandu) e pós-graduação (Mestrado em Educação e Territorialidade). Desenvolve o Serviço da Documentação e Informação sobre os Povos Indígenas e tem experiência na área de Educação Intercultural, Indigenismo e Etnohistória. Coordena o Grupo de Pesquisa Laboratório de Pesquisas em História e Educação Indígena (LABHEI), o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Drogas (GEPED), participa do Grupo de Trabalho Comitê Editorial do Cone Sul, sendo conselheiro suplente do COMAD (Conselho Municipal de Políticas Públicas sobre Drogas) de Dourados. Os termos mais frequentes em sua produção científica são: saberes indígenas, interculturalidade e educação em saúde.

Referências

ALBUQUERQUE, U. P. et al. Pequeno manual para lidar com o mundo pós-pandemia da COVID-19. Recife: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Etnobiologia, Bioprospecção e Conservação da Natureza. 2020. E-book. Disponível em: file:///C:/Users/Usuario/Downloads/Ebook_Covid-2%20(2).pdf. Acesso em: 20 maio 2020.

ARAÚJO, V. Tuberculose deixa índios mais vulneráveis a Covid-19 em Dourados. O Progresso Digital, Dourados, 24 abr. 2020. Disponível em: https://www.progresso.com.br/cotidiano/tuberculose-deixa-indios-mais-vulneraveis-a-covid-19-em-dourados/371988/. Acesso em: 20 maio 2020.

BARATA, R. de C. B. Epidemias. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 3, n. 1, p. 9-15, 1987. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v3n1/v3n1a02.pdf. Acesso em: 15 maio 2020.

BARRETO, M. L. Desigualdades em Saúde: uma perspectiva global. Ciências & Saúde Coletiva, v. 22, n. 7, p. 2097-2108, jul. 2017. DOI: 10.1590/1413-81232017227.02742017. Disponível em: file:///F:/Material%20CORONA%20VIRUS/BARRETO%202017.pdf. Acesso em: 18 jul. 2020].

BARRY, J. M. A grande gripe: a história da gripe espanhola, a pandemia mais mortal de todos os tempos. 1. ed. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2020.

BENITES, E. Tekoha Ñeropu’ã: aldeia que se levanta. Revista NERA, v. 23, n. 52, p. 19-38. Dossiê. Presidente Prudente, mar. 2020. Disponível em: file:///C:/Users/Usuario/Downloads/7187-26157-1-PB.pdf. Acesso em: 20 jun. 2020.

BOLETIM DSEI/MS. Boletim Coronavírus: casos COVID-19: Mato Grosso do Sul. Disponível em: https://www.saude.ms.gov.br/wp-content/uploads/2020/08/BOLETIM-DSEI-MS-12.08.2020.pdf. Acesso em: 13 ago. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria N.º 1163/GM, de 14 de setembro de 1999. Disponível em: http://www.funasa.gov.br/site/wp-content/files_mf/Pm_1163_1999.pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Protocolo de manejo clínico do Coronavírus (COVID-19) na atenção primária à saúde. 2020. Versão 8, BRASÍLIA: 2020. Disponível em: file:///F:/Material%20CORONA%20VIRUS/Pandemia/20200422_ProtocoloManejo_ver08.pdf. Acesso em: 25 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Protocolo de Tratamento do Novo Coronavírus (2019-nCoV). 2020. 31p. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2020/fevereiro/05/Protocolo-de-manejo-clinico-para-o-novo-coronavirus-2019-ncov.pdf. Acesso em: 18 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Especial de Saúde Indígena. Protocolo de acesso à Casa de Saúde do Índio do Distrito Federal. 2017. Brasília: Ministério da Saúde, 2017. Disponível em: http://www.saude.gov.br/images/pdf/2017/fevereiro/08/Protocolo-de-acesso-CASAI-DF.pdf. Acesso em: 25 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Sistema Universidade Aberta do SUS. Atenção integral à saúde das populações do campo, da floresta e das águas. Fundação Oswaldo Cruz & Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 2018. Disponível em: http://production.latec.ufms.br/modulos/pcfa201802/u1_2.html. Acesso em: 20 jun. 2020.

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO DO SUL. Dispõe sobre a educação escolar indígena na educação básica do Sistema Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul. 2015. Disponível em: http://www.cee.ms.gov.br/wp-content/uploads/2015/08/indica%C3%A7%C3%A3o-n.-83-2015.pdf. Acesso em: 24 maio 2020.

CONSELHO INDIGENISTA MISSIONÁRIO. Nota do CIMI Regional Mato Grosso do Sul sobre a pandemia de covid-19 entre os Kaiowá e Guarani. 18 de maio 2020. Disponível em: https://cimi.org.br/2020/05/nota-do-cimi-ms-sobre-pandemia-covid-19-entre-kaiowa-guarani/. Acesso em: 20 maio 2020.

DSEI/MATO GROSSO DO SUL. Caracterização do DSEI. 2017. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/dezembro/08/Anexo-1659355-dsei-ms.pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE. Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas. 2. ed. Brasília: Fundação Nacional de Saúde, 2002. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_saude_indigena.pdf. Acesso em: 20 jun. 2020.

HAVERROTH, M. Experiências de pesquisa de campo em etnobiologia: relatos e reflexões. In: ARAÚJO, Thiago Antônio de Souza; ALBUQUERQUE, Ulysses Paulino de. Encontros e desencontros na pesquisa etnobiológica e etnoecológica: os desafios do trabalho em campo. Recife: NUPPEA, 2009. p.183-202.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Os indígenas no Censo Demográfico 2010 primeiras considerações com base no quesito cor ou raça. Rio de Janeiro: IBGE, 2102. Disponível em: https://indigenas.ibge.gov.br/images/indigenas/estudos/indigena_censo2010.pdf. Acesso em: 18 jul. 2020.

JARDIM, C. Pandemias: o que são e como os países se comportam? [em linha]. 23 de abril 2020. Disponível em: https://www.politize.com.br/pandemias/. Acesso em: 24 maio 2020.

KRENAK, A. O amanhã não está à venda. São Paulo: Editora Schwarcz S. A. 2020. E-book. Disponível em: https://www.amazon.com.br/amanh%C3%A3-n%C3%A3o-est%C3%A1-%C3%A0-venda-ebook/dp/B0876HG28P. Acesso em: 24 maio 2020.

MACHADO, I. R. Coronavirus: Índia denuncia falta de água e comida em Dourados na ONU Mulheres (entrevista). O Progresso Digital, Dourados, abr. 2020a. Disponível em: https://www.progresso.com.br/cotidiano/coronavirus-india-denuncia-falta-de-agua-e-comida-em-dourados-na-onu/371673/. Acesso em: jul. 2020.

MACHADO, I. R. Para conter coronavírus, lideranças indígenas fecham acesso às aldeias (entrevista): Midiamax, Dourados, 23 de mar. 2020b. Disponível em: https://www.radiojotafm.com.br/noticias/para-conter-coronavirus-liderancas-indigenas-fecham-acesso-as-aldeias/13664/. Acesso em: 25 jul. 2020.

MOURA, A. S. Endemias e epidemias: dengue, leishmaniose, febre amarela, influenza, febre maculosa e leptospirose. Belo Horizonte: Nescon/UFMG, 2012. E-book. Disponível em: https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/3285.pdf. Acesso em: 8 maio 2020.

PAGLIARO, H.; AZEVEDO, M. M.; SANTOS, R. V. (Org.). Demografia dos Povos Indígenas no Brasil: um panorama crítico. In: Demografia dos povos indígenas no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz: Associação Brasileira de Estudos Populacionais/Abep, 2005. p.11-32. E-book. Disponível em: http://books.scielo.org/id/qdgqt/pdf/pagliaro-9788575412541.pdf. Acesso em: 20 jun. 2020.

PEREIRA, L. M. A Reserva indígena de Dourados: a atuação do Estado brasileiro e o surgimento de figurações indígenas multiétnicas. In: CHAMORRO, G.; COMBÈS, I. Povos indígenas em Mato Grosso do Sul: história, cultura e transformações sociais. Dourados, MS: Ed. UFGD, p.781-794. E-book. Disponível em: http://files.ufgd.edu.br/arquivos/arquivos/78/EDITORA/catalogo/povos_indigenas_em_mato_grosso_do_sul.pdf. Acesso em: 8 maio 2020.

PERFIL TERRITORIAL. Caderno territorial 035 Com Sul. Maio 2015. Disponível em: http://sit.mda.gov.br/download/caderno/caderno_territorial_035_Cone%20Sul%20-%20MS.pdf. Acesso em: 12 abr. 2020.

SANTOS, B. de S. A cruel pedagogia do vírus. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal, 2020. E-book. Disponível em: https://www.cpalsocial.org/documentos/927.pdf. Acesso em: 20 jun. 2020.

SCHATZMAYR, H. G.; CABRAL, M. C. A virologia no Estado do Rio de Janeiro: uma visão global. 2. ed. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2012. E-book. Disponível em: http://www.fiocruz.br/ioc/media/Livro_Virologia_nova_edicao.pdf. Acesso em: 20 jun. 2020.

SOUSA, N. M. O novo Coronavírus e os povos indígenas. 2020. Disponível em: https://www.academia.edu/42882335/O_NOVO_CORONA_V%C3%8DRUS_E_OS_POVOS_IND%C3%8DGENAS. Acesso em: 28 jun. 2020.

TERENA, D. Falta de água afeta 30 famílias na Aldeia Bananal, em Aquidauana, há 30 dias. Gazeta Trabalhista, Dourados, 28 abr. 2020. Disponível em: https://gazetatrabalhista.com.br/falta-de-agua-afeta-30-familias-na-aldeia-bananal-em-aquidauana/. Acesso em: 28 jun. 2020.

Publicado
17/12/2020
Como Citar
SangalliA., & SousaN. M. de. (2020). In(formação), interculturalidade e a Covid-19 em territórios indígenas de Mato Grosso do Sul. Liinc Em Revista, 16(2), e5384. https://doi.org/10.18617/liinc.v16i2.5384
Seção
Perspectivas e desafios informacionais em tempos da pandemia da Covid-19