Sociedade de Plataformas e os desafios para a Comunicação Pública: o caso OBCOMP

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18617/liinc.v17i1.5653

Palavras-chave:

Comunicação pública, Sociedade de plataformas, Redes de comunicação, OBCOMP, Facebook

Resumo

Este artigo propõe a reflexão sobre os desafios para a “Rede de Comunicação Científico-Educacional” (Weber 2017), no exercício de divulgação científica e da crítica à realidade, diante do processo de plataformização das sociedades contemporâneas. Além disso, reconhece a noção de infodemia, enquanto fenômeno associado aos processos de produção estratégica de informações maléficas ao debate público e tensionais à concretização da Comunicação Pública. Através da articulação de duas noções teóricas principais, Redes de Comunicação Pública (Weber 2007; 2011; 2017) e Sociedade de Plataformas (Van Dijck; Poell; De Wall, 2018; Van Dijck, 2019), problematiza aspectos ligados aos limites e às oportunidades do contexto comunicacional contemporâneo e, especificamente, às lógicas de captura, processamento e organização de informações das plataformas online, no âmbito da Rede de Comunicação Científico-Educacional. Como proposta de observação empírica, apresenta o Observatório da Comunicação Pública (OBCOMP), projeto sediado no Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGCOM/UFRGS), a partir da sua comunicação na plataforma Facebook. A partir de testagem de publicações patrocinadas, constatou-se que a aderência à lógica comercial de funcionamento das plataformas, principalmente à compra de anúncios, é fundamental para o alcance comunicacional nas Redes, reforçando a ideia que a gratuidade do serviço não é suficiente para obter a visibilidade necessária à comunicação pública

Referências

BOBBIO, N. Estado, Governo, Sociedade: para uma Teoria Geral da Política. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

DOURADO, Tatiana; GOMES, Wilson. O que são, afinal, fake news, enquanto fenômeno de comunicação política? In: Congresso da Associação Brasileira de Pesquisadores em Comunicação E Política, 8., 2019, Brasília, DF. Anais […]. Brasília, DF: UnB, 2019. p. 1-25.

DUNKER, C. Subjetividade em tempos de pós-verdade. In: DUNKER, C. (et. al.). Ética e pós-verdade. Porto Alegre: Dublinense, 2017.

GOMES, W. Da discussão à visibilidade. In: GOMES, W; MAIA, R.C.M. Comunicação e democracia: Problemas & Perspectiva. São Paulo: Paulus, 2008.

HABERMAS, J. Mudança estrutural na Esfera Pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. Jürgen Habermas: tradução de Flavio R. Kothe. 2. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.

NOELLE-NEUMANN, Elisabeth. The spiral of silence: public opinion, our social skin. 2. ed., Chicago: University of Chicago Press, 1993.

OPAS, Organização Pan-Americana da Saúde. Entenda a infodemia e a desinformação na luta contra a covid-19. OPAS, 2020. [Acesso em 03 de março de 2021] Disponível em https://iris.paho.org/bitstream/handle/10665.2/52054/Factsheet-Infodemic_por.pdf?sequence=14

PROVOST, F.; FAWCETT, T. Data Science para negócios. Rio de Janeiro, RJ: Alta Books, 2016.

SAAD, Elizabeth. A plataformização das relações sociais: reflexões sobre a ressignificação da atividade comunicativa. In: FARIAS, L.; LEMOS, E.; REBECHI, C. Opinião pública, comunicação e organizações: convergências e perspectivas contemporâneas. São Paulo: Abrapcorp, 2020, p. 152-163.

VAN DIJCK, J. A Sociedade da Plataforma: entrevista com José van Dijck. DigiLabour, 2019. [Acesso em 06 de maio de 2020] Disponível em https://digilabour.com.br/2019/03/06/a-sociedade-da-plataforma-entrevista-com-jose-van-dijck/.

VAN DIJCK, J.; POELL, T.; DE WALL, M. The Platform Society: public values in a connective world. Oxford: Oxford University Press, 2018. DOI: https://doi.org/10.1093/oso/9780190889760.001.0001

WEBER, Maria Helena; LUZ, Ana Javes. Observatório da Comunicação Pública: pesquisa, crítica e cidadania. Comunicação & Inovação (online), v. 18, p. 01-17, 2017. DOI: https://doi.org/10.13037/ci.vol18n37.4507

WEBER, Maria Helena. Na Comunicação Pública, a captura do voto. LOGOS 27, Mídia e Democracia, Rio de Janeiro, ano 14, 2º semestre de 2007. (p. 21-42)

WEBER, Maria Helena. Estratégias da comunicação de Estado e a disputa por visibilidade e opinião. In: Comunicação Pública, sociedade e cidadania. São Caetano do Sul, SP: Difusão, 2011.

WEBER, Maria Helena. Nas Redes de Comunicação Pública, as disputas possíveis de poder e visibilidade. In: Weber, Maria Helena; Coelho, Marja Pfeifer; Locatelli, Carlos (Org.). Comunicação Pública e política – pesquisa e práticas. Florianópolis: Insular, 2017.

ZAROCOSTAS, J. How to fight an infodemic. The Lancet, 395(10225), 676, 2020. [Acesso em 03 de março de 2021] Disponível em https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2820%2930461-X DOI: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(20)30461-X

Downloads

Publicado

07/06/2021

Como citar

Kegler, B., Luz, A. J. A. da, & Pozobon, R. de O. (2021). Sociedade de Plataformas e os desafios para a Comunicação Pública: o caso OBCOMP. Liinc Em Revista, 17(1), e5653. https://doi.org/10.18617/liinc.v17i1.5653

Edição

Seção

Infodemia e o Nosso Futuro