Educação superior a distância no Brasil: uma construção consorciada e em rede

Autores

  • Luiz Roberto Rodrigues Martins MEC

DOI:

https://doi.org/10.18617/liinc.v2i1.205

Resumo


Este artigo descreve a experiência de implantação da política de fomento aos cursos de Graduação a Distância (EAD) no Brasil adotada pela Secretaria de Educação a Distância do Ministério da Educação (SEED/MEC) a partir de 2004. Essa política prioriza a criação de cursos de licenciatura e a distância. Analisaremos essa experiência pioneira e ainda não consolidada, buscando interpretar os fatores que dificultam a institucionalização da EAD no ensino superior. Nesse trabalho analisaremos algumas alternativas de institucionalização apresentadas pelos oito consórcios participantes da Chamada Pública 001/2004 SEED/MEC na reunião de trabalho realizada em abril de 2005. As proposições dos consórcios, encaminhadas ao MEC pela UniRede, pretendem assegurar a continuidade da política pública de fomento à EAD no ensino superior público, garantindo a continuidade dos cursos oferecidos e a ampliação de vagas nos próximos anos.

Palavras-chave: Políticas públicas, educação a distância, institucionalização da EAD.

Biografia do Autor

  • Luiz Roberto Rodrigues Martins, MEC
    Mestrando em Educação pela Universidade de Brasília, atua na Secretaria de Educação a Distância do Ministério da Educação.

Downloads

Publicado

19/03/2006

Edição

Seção

Transformações da Aprendizagem na Sociedade da Informação

Como Citar

Educação superior a distância no Brasil: uma construção consorciada e em rede. Liinc em Revista, [S. l.], v. 2, n. 1, 2006. DOI: 10.18617/liinc.v2i1.205. Disponível em: https://revista.ibict.br/liinc/article/view/3101.. Acesso em: 18 maio. 2024.