Rotulagem alimentar e organização do conhecimento: alegações nutricionais e de saúde em relação ao açúcar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18617/liinc.v14i2.4313

Resumo

RESUMO Os rótulos dos alimentos poderiam ser uma das principais fontes de informação e garantias de proteção da população diante das práticas de propaganda da indústria. Uma correta organização da informação e do conhecimento nos rótulos de alimentos possibilitaria à população uma maior independência em relação à nutrição e a saúde. Considerando os rótulos dos alimentos como espaços de organização do conhecimento, objetivamos analisar algumas das implicações éticas nas relações de equivalência que podem ser utilizadas nesses espaços. Mais especificamente, analisamos a listagem de açúcares e o uso de sinônimos de sacarose em barras de cereais, sendo este um dos aspectos mais controversos com relação às alegações nutricionais e de saúde. Conclui-se que os rótulos dos alimentos analisados não informam de forma adequada o conteúdo de açúcares nos alimentos enquanto utilizam recursos retóricos, subterfúgios legais e atitudes pouco éticas para apresentar os produtos de uma forma mais comercializável.

Palavras-chave: Rótulos de Alimentos; Alegações Nutricionais e de Saúde; Açúcar.

Downloads

Publicado

17/12/2018

Edição

Seção

Organização do Conhecimento: agendas sociopolíticas e seus conflitos históricos

Como Citar

Rotulagem alimentar e organização do conhecimento: alegações nutricionais e de saúde em relação ao açúcar. Liinc em Revista, [S. l.], v. 14, n. 2, 2018. DOI: 10.18617/liinc.v14i2.4313. Disponível em: https://revista.ibict.br/liinc/article/view/4313.. Acesso em: 15 jul. 2024.