Em busca de categorias de mansplaining: pesquisadoras compartilhando informações sobre violências sofridas

Autores

  • Rodrigo Silva Caxias de Sousa Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Francine Conde Cabral UFRGS
  • Jéssica Paola Macedo Müller UFRGS
  • Helena da Silva Anselmo UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.18617/liinc.v15i1.4603

Resumo

RESUMO Estudo que analisa manifestações de sexismo compartilhadas através das postagens do blog Academic Men Explain Things to Me. Descreve o blog e apresenta o conceito de compartilhamento de informação como um tipo específico de prática informacional realizado em plataformas digitais. Correlaciona os conceitos de epistemologias do Sul à concepção de humanidades digitais, compartilhamento de informações, tendo como referência interpretativa as contribuições epistemológicas advindas do Sul. Foram descritas e analisadas as postagens com maior quantidade de interações, sendo propostas as seguintes categorias de mansplaining: Incapacidade intelectual (II), Xenofobia (XE), Racismo (RA), Manifestação de agressividade (MA), Constrangimento (CO), Estigmatização (ES), Constrangimento institucional (CI) e Apropriação de discurso (AD). Conceitua tais categorias e as identifica quanti-qualitativamente através da apresentação dos resultados das análises das 176 últimas postagens. Identifica a predominância da categoria “Incapacidade intelectual” nas postagens. Conclui que as violências simbólicas identificadas nas postagens do blog são produto de manifestações sexistas de diferentes naturezas.

Palavras-chave: Mansplaining; Sexismo; Compartilhamento de Informações; Humanidades Digitais; Epistemologias do Sul.

Biografia do Autor

  • Rodrigo Silva Caxias de Sousa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
    Rodrigo Silva Caxias de Sousa é Professor Adjunto do Departamento de Ciências da Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Biblioteconomia pela UFRGS (2000), Mestre em Educação pela Universidade de Passo Fundo (2003) e Doutor em Comunicação e Informação pela UFRGS (2007-2011).
  • Francine Conde Cabral, UFRGS

    Graduanda do curso de Bacharelado em Biblioteconomia (UFRGS) e Técnica em Biblioteconomia (IFRS). Compõe o grupo de pesquisa Informação, Ciência e Sociedade (UFRGS), que estuda as relações entre gênero, etnia e informação. Desenvolve o Programa de Letramento Científico (UFRGS), projeto que visa à popularização da ciência em meio digital. Atua na Biblioteca Comunitária Marginal Ilha do Saber com atividades de incentivo à leitura, democratização da informação e emancipação social. Desde 2012 atua em bibliotecas especializadas e escolares. Interessa-se pelos seguintes temas: bibliotecas comunitárias, gênero e ciência, direitos humanos e informação.

  • Jéssica Paola Macedo Müller, UFRGS
    Graduanda do curso de Bacharelado em Biblioteconomia (UFRGS). Compõe o grupo autônomo de pesquisa Informação, Ciência e Sociedade (UFRGS), que estuda as relações entre gênero, etnia e informação. Desenvolve o Programa de Letramento Científico (UFRGS), projeto que visa à popularização da ciência em meio digital. Participa da Liga Bibliotecária, movimento independente que propõe a discussão de pautas progressistas e críticas em relação à atuação bibliotecária e seus desdobramentos na sociedade. Integra o GT de Combate às Fake News e o GT Representatividade e Diversidade, ambos da Liga. É membro da Revista 028ponto (USP) de iniciativa discente, atuando como colaboradora fixa. Durante o período em que trabalhou como auxiliar e estagiária em bibliotecas, elaborou projetos de incentivo à leitura, desempenhando funções de coordenação de projeto e mediação de ações culturais. Possui, também, experiência com arte educação, englobando ensino e intervenções artísticas na biblioteca.
  • Helena da Silva Anselmo, UFRGS
    Graduanda do curso de Bacharelado em Biblioteconomia (UFRGS).

Downloads

Publicado

29/07/2019

Como Citar

Em busca de categorias de mansplaining: pesquisadoras compartilhando informações sobre violências sofridas. Liinc em Revista, [S. l.], v. 15, n. 1, 2019. DOI: 10.18617/liinc.v15i1.4603. Disponível em: https://revista.ibict.br/liinc/article/view/4603.. Acesso em: 19 jul. 2024.