Hegemonia e engajamento em contexto de midiatização e plataformização

Autores

  • Pablo Nabarrete Bastos Departamento de Comunicação Social; Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil https://orcid.org/0000-0001-5981-9107

DOI:

https://doi.org/10.18617/liinc.v18i2.6066

Palavras-chave:

Hegemonia, Hegemonia popular, Engajamento, Midiatização, Plataformização

Resumo

A relação entre hegemonia e engajamento se engendra em diferentes níveis, tanto na teoria como na práxis. São conceitos que não se reduzem ao comunicacional, mas que possuem nesta esfera um nível fundamental para suas concretizações. O objetivo deste artigo é compreender as relações entre os conceitos de engajamento e hegemonia em contexto de midiatização e plataformização. Como objetivos específicos, buscamos demonstrar as formas como a comunicação estrutura e é estruturada pela hegemonia, os desafios para a hegemonia popular, as implicações dos processos de midiatização e de plataformização aos processos hegemônicos e às lutas contra-hegemônicas. Metodologicamente, adotamos com centralidade a teoria crítica e utilizamos o método dialético. A forma ensaio caracteriza nosso método de escrita

Referências

BASTOS, Pablo Nabarrete. Comunicação, interação e engajamento: Fronteiras epistemológicas e alcances políticos. In: 41º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Universidade da Região de Joinville, Joinville-SC, 2018. Anais Eletrônico [...]. Joinville: Universidade da Região de Joinville, 2018. Disponível em: https://portalintercom.org.br/anais/nacional2018/resumos/R13-1095-1.pdf. Acesso em: 31 jul. 2022.

BASTOS, P. N. Dialética do engajamento: uma contribuição crítica ao conceito. MATRIZes, v. 14, n. 1, p. 193-220, 7 maio 2020a.

BASTOS, P. N. Dialética da insularidade: Notas para compreensão da hegemonia popular. In: 29º Encontro Anual da Compós, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande - MS, 2020. Anais Eletrônico [...]. Campo Grande: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 2020b. Disponível em: http://www.compos.org.br/biblioteca/trabalhos_arquivo_Z6YXOGOZJCMN00ENVSVS_30_8461_21_02_2020_12_53_39.pdf. Acesso em: 23 jul. 2021.

BASTOS, Pablo Nabarrete. Marcha dialética do MST: formação e comunicação política entre campo e cidade. Rio de Janeiro: Garamond, 2021a.

BASTOS, Pablo Nabarrete. Comunicação para a cidadania e hegemonia popular: aproximações, conflitos e entrelaçamentos teóricos e políticos In: In: SILVA, Denise Teresinha da; BASTOS, Pablo Nabarrete; MIANI, Rozinaldo Antonio; SILVA, Suelen de Aguiar (orgs.). Comunicação para a cidadania: 30 anos em luta e construção coletiva.1 ed.São Paulo: Intercom e Gênio Editorial, 2021b, v.1, p. 221-248.

BASTOS, P. N. Atuação das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo no Facebook na campanha presidencial de 2018. E-Compós, [S. l.], v. 24, 2021c. DOI: 10.30962/ec.2070. Disponível em: https://www.e-compos.org.br/e-compos/article/view/2070. Acesso em: 6 set. 2021.

BASTOS, Pablo Nabarrete Bastos. ENGAJAMENTO COM O COMUM E AS DISPUTAS POR HEGEMONIA. In: ANAIS DO 31° ENCONTRO ANUAL DA COMPÓS, 2022, Imperatriz. Anais eletrônicos... Campinas, Galoá, 2022a. Disponível em: <https://proceedings.science/compos/compos-2022/papers/engajamento-com-o-comum-e-as-disputas-por-hegemonia> Acesso em: 29 jul. 2022.

BASTOS, Pablo Nabarrete. Engajamento crítico e reflexivo: o nível político da competência crítica em mídia e informação (CCMI). In: BEZERRA, Arthur Coelho; SCHNEIDER, Marco. Competência crítica em informação: teoria, consciência e práxis. Rio de Janeiro: IBICT, 2022b (Coleção PPGCI 50 anos). BOLTANSKI, L., & CHIAPELLO, È. O novo espírito do capitalismo. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2009.

BIANCHI, Alvaro. O laboratório de Gramsci: Filosofia, História e Política. Campinas: Alameda Editorial, 2008.

BOURDIEU, Pierre. O campo científico. In: Bourdieu (Coleção Grandes Cientistas Sociais). São Paulo: Ática, 1983.

COUTINHO, Carlos Nelson. Gramsci: um estudo sobre seu pensamento político. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. Comum. São Paulo: Boitempo, 2017.

DEAN, J. Communicative Capitalism: Circulation and the Foreclosure of Politics. Cultural Politics: An International Journal, 1(1), 51–74, 2005. doi:10.2752/174321905778054845.

FAUSTO NETO, A. (2008). Fragmentos de uma “analítica” da midiatização. MATRIZes, 1(2), 89-105. doi: 10.11606/issn.1982-8160.v1i2p89-105.

FINKELSTEIN, S. Google, links, and popularity versus authority. In J. Turow & L. Tsui (Eds.), The hyperlinked society: Questioning connections in the Digital Age (pp. 104-120). Ann Arbor: University of Michigan Press, 2008.

GILLESPIE, Tarleton. A relevância dos algoritmos. Parágrafo. São Paulo, Brasil, v. 6, n. 1, p. 95-121, jan./abr. 2018.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere, volume 1: Introdução ao estudo da filosofia. A filosofia de Benedetto Croce. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere, volume 2. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere, volume 3. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007a.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere, volume 4. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007b.

GRUPPI, Luciano. Conceito de hegemonia em Gramsci. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1978.

HARVEY, David. The Future of the Commons. Radical History Review. Issue 109 (Winter 2011).

HORKHEIMER, Max. Teoria Tradicional e Teoria Crítica. In: BENJAMIN, Walter, HORKHEIMER, Max, ADORNO, Theodor W., HABERMAS, Jürgen. Textos escolhidos. (Col. Os Pensadores, Vo. XLVIII). São Paulo, Abril Cultural, 1983.

IANNI, Octávio. O príncipe eletrônico. Perspectivas, São Paulo, 22: 11-19, 1999.

Jansson, A. Mediatization and mobile lives: a critical approach. London: Routledge, 2017.

JIN, Dal Yong. The Construction of Platform Imperialism in the Globalization Era. tripleC 11(1): 145-172, 2013.

JURNO, Amanda Chevtchouk; DALBEN, Sílvia. Questões e apontamentos para o estudo de algoritmos. Parágrafo. São Paulo, Brasil, v. 6, n. 1, p. 17-29, jan./abr. 2018.

KOSIK, K. Dialética do concreto. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 1976.

LELO, Thales Vilela. A midiatização em perspectiva crítica. Galáxia (São Paulo, online), ISSN: 1982-2553. Publicação Contínua. http://dx.doi.org/10.1590/1982-2553202148797. Nº 46, 2021, pp. 1-16.

LÊNIN, V.I. Que fazer? Editora Hucitec: São Paulo, 1978a.

LENIN, V. I. WORKING-CLASS AND BOURGEOIS DEMOCRACY. In: COLLECTED WORKS. Volume 8. January-July 1905. Digital Reprints, 2009.

LIGUORI, Guido. Roteiros para Gramsci. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2007.

LIGUORI, Guido. Aparelho hegemônico. In: LIGUORI, Guido; VOZA, Pasquale (orgs.). Dicionário gramsciano. São Paulo: Boitempo, 2014.

LUKÁKS, G. História e consciência de classe. Porto/Portugal: Publicações Escorpião, 1974.

MAGER, A. Algorithmic ideology: How capitalist society shapes search engines. Information, Communication & Society, 15(5), 769-787, 2012.

MARX, Karl. Teses sobre Feuerbach. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1990.

MARX, Karl. Miséria da filosofia: Resposta à filosofia da miséria, do Sr. Proudhon. São Paulo, SP: Expressão Popular, 2009.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Ideologia Alemã. São Paulo: Martin Claret, 2012.

MORAES, Dênis. A hegemonia das corporações de mídia no capitalismo global, 2000. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/moraes-denis-hegemonia.html. Acesso em: 31 jul. 2022.

MORAES, Dênis. Crítica da mídia & hegemonia cultural. Rio de Janeiro: Mauad X: Faperj, 2016.

MURDOCK, G. (2017). Mediatisation and the Transformation of Capitalism: the elephant in the room. Javnost, 24, 119-135.

PETROVIC, Gajo. Práxis. In: BOTTOMORE, Tom (editor). Dicionário do pensamento marxista. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

PLEKHANOV, Georgi. Essays on the History of Materialism. In: PLEKHANOV, Georgi. Selected Philosophical Works, Vol.II, Moscow 1976, pp.31-182.

POELL, Thomas; NIEBORG, David; VAN DIJCK, José. Plataformização. Revista Fronteiras – estudos midiáticos. 22(1):2-10 janeiro/abril 2020.

RÜDIGER, F. Os estudos de mídia e a problemática epistemológica da teoria da midiatização – uma nova escolástica?. Intexto, Porto Alegre, n. 34, p. 745–769, 2015. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/intexto/article/view/58197. Acesso em: 17 jul. 2022.

SODRÉ, M. Antropológica do espelho: Uma teoria da comunicação linear e em rede. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

SODRÉ, M. A ciência do comum: Notas para o método comunicacional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e literatura. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

WILLIAMS, Raymond. Base e superestrutura na teoria cultural marxista. Revista USP, São Paulo, n. 65, p. 210-224, mar.-maio 2005.

WILLIAMS, Raymond. Meios de comunicação como meios de produção. In: WILLIAMS, Raymond. Cultura e materialismo. São Paulo: Editora Unesp, 2011.

Downloads

Publicado

30/11/2022

Edição

Seção

O papel dos algoritmos e das plataformas digitais em contextos sociopolíticos

Como Citar

Hegemonia e engajamento em contexto de midiatização e plataformização. Liinc em Revista, [S. l.], v. 18, n. 2, p. e6066, 2022. DOI: 10.18617/liinc.v18i2.6066. Disponível em: https://revista.ibict.br/liinc/article/view/6066.. Acesso em: 18 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1-10 de 35

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)