Gestão do conhecimento aplicada à engenharia de requisitos de software: estudo de caso em uma operadora de telecomunicações

Andre Ronaldo Rivas, Ivanir Costa, Nilson Salvetti

Resumo


O objetivo desta pesquisa é identificar as características provenientes da gestão do conhecimento que sejam pertinentes aos processos da engenharia de requisitos dos projetos de software desenvolvidos em operadoras de telecomunicações atuantes no Brasil. Utilizou-se de pesquisa descritiva-qualitativa, operacionalizada por meio de estudo de caso com a aplicação de questionário semiestruturado junto a seis profissionais que exercem influência direta nos projetos de software de importante operadora de telecomunicações atuante no país. O conteúdo das entrevistas foi transcrito e analisado, de acordo com as categorias de análise oriundas da plataforma teórica construída. Os principais resultados indicam a possibilidade de empregar determinadas características da gestão do conhecimento nas etapas do processo de engenharia de requisitos dos projetos de software desenvolvidos pela empresa operadora de telecomunicações analisada. A principal contribuição do estudo é o mapeamento das principais características de engenharia de requisitos empregadas no desenvolvimento de projetos de software, segregadas de acordo com cada dimensão da espiral do conhecimento do modelo SECI proposto por Nonaka e Takeuchi (1997).

Palavras-chave


Gestão do conhecimento; Engenharia de requisitos; Software; Telecomunicações

Texto completo:

PDF

Referências


AMBREEN, T. et al. Empirical research in requirements engineering: trends and opportunities. Requirements Engineering, p. 1-33, 2016.

ANDERSEN, E. S.; JESSEN, S. A. Project maturity in organizations. International Journal of Project Management, v. 6, p. 457-461, 2002.

ANGELONI, M. T.; HOMMA, R. Z.; ATHAYDE FILHO, L. A. P.; COSENTINO, A. Gestão da Informação e do Conhecimento em Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento – Um Estudo de Caso. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 15, n. 1, p. 131-146, 2016.

AURUM, A.; WOHLIN; C. Requirements engineering: Setting the context. In: AURUM, A.; WOHLIN; C. Engineering and managing software requirements. Berlim: 2005, p. 1-15.

BAILEY, C.; CLARKE, M. How do managers use knowledge about knowledge management? Journal of Knowledge Management, v. 3, p. 235-243, 2000.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2002.

BROOKS, F. Mythical Man-Month. Massachusetts: Ads-Wesley, 1995.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: SENAC, 2003.

CORDEIRO, E. S. Ciclo de vida do desenvolvimento do software. São Paulo: Atlas, 2005.

DAVENPORT, T.; PRUSAK, L. Working knowledge: Cambridge: HBS, 1998.

FIGUEIREDO, R. H. C. Processo de Implementação do Modelo eTOM em Empresas de Telecomunicações. Mestrado em Sistema de Informação para a Gestão. Lisboa: Universidade Europeia - Laureate International Universities, 2016.

FILGUEIRAS, L. O neoliberalismo no Brasil: estrutura, dinâmica e ajuste do modelo econômico. Buenos Aires: CLASCO, 2006.

GIL, A. C.; Técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

GONZAGA, A. S.; BRITO, L. M. P.; AOUAR, W. A. Gestão do Conhecimento no Centro de Provimento de Soluções e Serviços de Telecomunicações em Multinacional Brasileira de Energia. Revista Gestão & Planejamento, v. 16, n. 3, p. 369-421, 2015.

International Organization for Standardization - ISO. Norma 10006. Geneva: ISO, 2003.

KERZNER, H. Gestão de projetos: as melhores práticas. Porto Alegre: Bookman, 2006.

KOTONYA, G.; SOMMERVILLE, I. Requirements engineering: processes and techniques. New York: John Wiley & Sons, 1998.

LAUDON, K. C.; LAUDON, J. P. Sistemas de informação gerenciais. 7 ed. São Paulo: Prentice Hall, 2007.

LOBO, S.; WHYTE, J. Aligning and Reconciling: Building project capabilities for digital delivery. Research Policy, v. 46, n. 1, p. 93-107, 2017.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas. 2007.

MORAIS, C. R. B. Gestão do conhecimento nas organizações: modelo conceitual centrado na cultura organizacional e nas pessoas. 183 f. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2010.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

PRESSMAN, R. S. Engenharia de software: uma abordagem profissional. Porto Alegre: Bookman, 2006.

PROBST, G. Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2002.

RIBEIRO, L. Definição de um processo ágil de gestão de riscos em ambientes de múltiplos projetos. Hífen, v. 32, n. 62, 2011.

SABBAG, P. Y. Gerir projetos requer gerir conhecimentos. Revista Mundo Project Management, v. 27, p. 5-16, 2009.

SELLTIZ, C. Métodos de pesquisa nas relações sociais. São Paulo: EPU, 1987.

SILVEIRA, F. F.A gestão da inovação tecnológica em uma empresa brasileira do setor de serviços de telecomunicações. International Journal of Innovation, v. 2, n. 1, p. 92-109, 2014.

SOMMERVILLE, I. Software Engineering. 8. ed. Londres: Addison-Wesley, 2007.

TATTO, L.; BORDIN, R. Filosofia e Gestão do Conhecimento: um estudo do conhecimento na perspectiva de Nonaka e Takeuchi. Cadernos EBAPE.BR, v. 14, n. 2, p. 340-350, 2016.

TEIXEIRA FILHO, J. Gerenciando conhecimento: como a empresa pode usar a memória organizacional e a inteligência competitiva no desenvolvimento de negócios. Rio de Janeiro: Senac, 2000.

TELEMANAGEMENT FORUM - TMF. The business processes framework for the information and communications services industry. Enhanced Telecom Operations Map (eTOM) GB921D - R6, 2005.

VARGAS, R. V. Gerenciamento de Projetos: Estabelecendo diferenciais competitivos. 8. ed. Rio de Janeiro: Brasport, 2016.

VERZUH; E. The fast forward MBA in project management. New York: John Wiley & Sons, 2005.

VON KROGH, G.; ICHIJO, K.; NONAKA, I. Facilitando a criação do conhecimento: reinventando a empresa com o poder da inovação contínua. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Andre Ronaldo Rivas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.


Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict)
SAUS - Setor de Autarquias Sul, Quadra 5, Lote 6, Bloco H
Seção de Editoração - sala 500
CEP 70070-912
Brasília-DF, Brasil

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo publicado nesta revista está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.