Acesso aberto na área de Artes: uma análise do Qualis periódicos (2010-2012) e (2013-2016)

Leandro da Conceição Borges, Paulo Melgaço da Silva Junior, Andressa Gonçalves Castro, Barbara Christian Vitiello

Resumo


O presente trabalho apresenta os resultados da pesquisa sobre a composição do cenário dos periódicos de acesso aberto na área de Artes em dois períodos de avaliação da Capes: trienal (2010-2012) e quadrienal (2013-2016). Na etapa metodológica, realizou-se a exportação de duas planilhas por meio da Plataforma Sucupira, com dados dos periódicos nos respectivos períodos de avaliação. Na análise dos dados, separaram-se os periódicos de acesso aberto dos periódicos de acesso restrito e filtraram-se os periódicos de acesso aberto que estão inseridos nas estratificações mais altas (A1, A2 e B1). Em conseguinte, foram realizadas categorizações divididas em nacionalidade do periódico; ligação ou não com universidades; região do país (no caso do periódico nacional) em que são editados e se, de um período a outro de avaliação da Capes, o periódico de acesso aberto era novo, caiu, aumentou ou se manteve nas estratificações analisadas. Com os resultados, concluiu-se que o Comitê da área de Artes está alinhado com a prática, uso e disseminação do acesso aberto, apresentando, nos estratos mais altos, uma grande gama de periódicos que adotam a filosofia aberta. No entanto, acredita-se que é necessário realizar mais práticas de advocacy junto aos seus pares para vislumbrar maior amplitude da discussão da temática dentro da área.


Palavras-chave


Acesso aberto; Artes; Área do conhecimento; Qualis; Periódico científico

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, F. Sociedade da informação: a evolução do livre acesso à informação científica. França Flash, São Paulo, n. 40, p. 12-13, out./dez. 2004.

ARTES E MÚSICA. Relatório Qualis periódicos. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2016. Disponível em: http://capes.gov.br/images/documentos/Qualis_periodicos_2016/relatorio_Qualis_Periodicos_%C3%81rea_de_Artes_2016_1.pdf. Acesso em: 10 jan. 2019.

BARATA, R.de C. B. Dez coisas que você deveria saber sobre o Qualis. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, DF, v. 13, n. 30, p. 13-40, jan./abr. 2016. Disponível em: https://pos.letras.ufg.br/up/26/o/artigo_10_coisas.pdf. Acesso em: 12 fev. 2019.

BARBOSA, A. M. Arte-educação pós-colonialista no Brasil: aprendizagem triangular. Revista Comunicação e Educação, São Paulo, n. 2, p. 59-64, 1995. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/36136/38856. Acesso em: 10 fev. 2019.

BARBOSA, A. M. T. B. Teoria e prática da educação artística. São Paulo: Cultrix, 1990.

BORGES, L. da C. Acesso aberto e os critérios para a avaliação dos programas de pós-graduação no Brasil. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: http://ridi.ibict.br/bitstream/123456789/1003/1/DISSERTACAO_TEXTO_FINAL_POS_REVISAO.pdf. Acesso em: 15 maio 2019.

BOURDIEU, P. Para uma sociologia da ciência. Lisboa: Edições 70, 2004.

BRANDÃO, C. A. L. Arte e ciência: o ser poético e o ser vivo. In: BRANDÃO, C. A. L. (org.). A república dos saberes: arte, ciência, universidade e outras fronteiras. Belo Horizonte: UFMG, 2008. p. 93-105.

CAIXETA, V. F. A institucionalização do fomento à pesquisa artes no CNPq: o programa básico de artes. 2007. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável) – Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2007. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/4905/1/2007_VivianeFerreiraCaixeta.pdf. Acesso em: 15 mar. 2019.

COSTA, M. P. da; LEITE, F. C. L. Open access in the world and Latin America: a review since the Budapest open access initiative. Transinformação, Campinas, v.28, n. 1, p. 33-45, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tinf/v28n1/0103-3786-tinf-28-01-00033.pdf. Acesso em: 15 jan. 2019.

CRUZ, M. X. As artes no campo científico brasileiro: o processo de inserção da área junto ao CNPq, no sistema de pós-graduação (Capes) e a construção da ANPAP. In: SEMINÁRIO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUL, 9., 2012, Caxias do Sul. Anais eletrônicos [...]. Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2012. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/2391/767. Acesso em: 13 fev. 2019.

FERREIRA, C. G. Percepções dos docentes avaliados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES): um estudo sobre o produtivismo acadêmico. 2015. Dissertação (Mestrado em Administração) - Faculdade de Administração e Ciências Contábeis, Universidade Federal Fluminense, Niterói. Disponível em: https://app.uff.br/riuff/bitstream/1/2415/1/CarlaGuimaraes.pdf. Acesso em: 20 mar. 2019.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUANAES, P. C. V.; GUIMARÃES, M. C. S. Acesso aberto: uma nova crise no horizonte?. Comciência, Campinas, n. 39, 2012.

JACON, M. do C. M. Base Qualis: uso e qualidade dos periódicos científicos do programa de pós-graduação em psicologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1997-2002). 2006. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas. Disponível em: http://tede.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br:8080/jspui/bitstream/tede/763/1/Maria%20do%20Carmo.pdf. Acesso em: 10 jan. 2019.

KELLNER, A. W. A. O sistema qualis: a perspectiva de um periódico multidisciplinar. SciELO em Perspectiva, [S. l.], 6 fev. 2018. Disponível em: https://blog.scielo.org/blog/2018/02/06/o-sistema-qualis-a-perspectiva-de-um-periodico-multidisciplinar-publicado-originalmente-no-editorial-do-vol-89-no-3-nos-anais-da-academia-brasileira-de-ciencias/#.XXasfy5KgdU . Acesso em: 15 abr. 2019.

KURAMOTO, H. Acesso livre: uma solução adotada em todo o globo; porém, no Brasil parece existir uma indefinição. Revista Eletrônica de Comunicação Informação e Inovação em Saúde, Rio de Janeiro, v.8, n. 2, p. 166-179, 2014. Disponível em: https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/630/1270. Acesso em: 25 fev. 2019.

KURAMOTO, H. Informação científica: proposta de um novo modelo para o Brasil. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 35, n. 2, p. 91-102, maio/ ago. 2006. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/_repositorio/2010/02/pdf_3dbb2fb854_0008036.pdf. Acesso em: 13 maio 2019.

MATTEDI, M. A.; SPIESS, M. R. A avaliação da produtividade científica. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 24, n. 3, p. 623-643, jul./ set. 2017. Disponível em: http://www.SciELO.br/pdf/hcsm/v24n3/0104-5970-hcsm-24-03-0623.pdf. Acesso em: 15 fev. 2019.

MEADOWS, A. J. A comunicação científica. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 1999.

MUELLER, S. P. M. A comunicação científica e o movimento de acesso livre ao conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 35, n. 2, p. 27-38, 2006. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1138. Acesso em: 10 fev. 2019.

OLIVEIRA, B. J. de. Em defesa da divergência entre arte e ciência. In: BRANDÃO, C. A. L. (org.). A república dos saberes: arte, ciência, universidade e outras fronteiras. Belo Horizonte: UFMG, 2008. p. 167-176.

PACKER, A. L.; COP, N.; SANTOS, S. M. A rede SciELO em perspectiva. In: PACKER, A. L. (org.). SciELO - 15 anos de acesso aberto: um estudo analítico sobre acesso aberto e comunicação científica. Paris: UNESCO, 2014. p. 41-66. Disponível em: http://old.scielo.org/local/File/livro.pdf. Acesso em: 11 fev. 2019.

PLATAFORMA SUCUPIRA. 2019. Disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/. Acesso em: 15 ago. 2019.

PLAZA, J. Arte/ciência: uma consciência. ARS, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 37-47, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ars/v1n1/04.pdf. Acesso em: 10 jun. 2019.

PRADO, G. Breve relato da pós-graduação em Artes Visuais da ECA-SP. ARS, São Paulo, v. 7, n. 13, p. 88-101, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ars/v7n13/arsv7n13a6.pdf. Acesso em: 15 abr. 2019.

SANTOS JUNIOR, E. R. dos. Repositórios institucionais de acesso livre no Brasil: estudo delfos. 2010. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília, Brasília, DF.

SANTOS, P. X. dos. et al. Política de acesso aberto ao conhecimento: análise da experiência da Fundação Oswaldo Cruz/Fiocruz. Revista Eletrônica de Comunicação Informação e Inovação em Saúde, Rio de Janeiro, v. 8, n. 2, p. 210-226, jun. 2014. Disponível em: https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/633. Acesso em: 13 maio 2019.

SANTOS, R. R. dos. Legitimação da arte como campo científico: estudos de caso com grupos de pesquisa do CNPq. 2014. Dissertação (Mestrado em Ciência, Tecnologia e Sociedade) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/1129/5979.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 14 jul. 2019.

SARMENTO, F. et al. Algumas considerações sobre as principais declarações que suportam o movimento de acesso livre. In: CONGRESSO MUNDIAL DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE E BIBLIOTECAS, 9., 2005, Salvador. Anais [...]. Salvador: BIREME, 2005.

SOUZA, R. F. de. Áreas do conhecimento. DatagramaZero, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, 2004. Disponível em: http://ridi.ibict.br/bitstream/123456789/109/1/RosaliDatagramazero2004.pdf. Acesso em: 15 maio 2019.

TERRA, C. G. Implantação do bacharelado em história da arte na Escola de Belas Artes/UFRJ em 2009. In: COLÓQUIO DO COMITÊ BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA ARTE, 29., Vitória. Anais eletrônicos [...]. Vitória: UFES, 2009. p. 50-58. Disponível em: http://www.cbha.art.br/pdfs/cbha_2009_terra_carlos_art.pdf. Acesso em: 15 jun. 2019.

TRISKA, R.; CAFÉ, L. Arquivos abertos: subprojeto da biblioteca digital brasileira. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 30, n. 3 p. 92-96, 2001. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/917/954. Acesso em: 20 jan. 2019.

VOGEL, M. J. M.; KOBASHI, N. Y. Avaliação da pós-graduação no Brasil: seus critérios. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 16., 2015, João Pessoa. Anais eletrônicos [...]. João Pessoa: UFPE, 2015. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/43981. Acesso em: 16 mar. 2019.

VOGEL, M.J.M. Avaliação da pós-graduação brasileira: análise dos quesitos utilizados pela Capes e das críticas da comunidade acadêmica. 2015. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo.

WEITZEL, S. da R. Os repositórios de e-prints como nova forma de organização da produção científica: o caso da área das ciências da comunicação do Brasil. 2006. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Leandro da Conceição Borges, Paulo Melgaço da Silva Junior, Andressa Gonçalves Castro, Barbara Christian Vitiello

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.


Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict)
SAUS - Setor de Autarquias Sul, Quadra 5, Lote 6, Bloco H
Seção de Editoração - sala 500
CEP 70070-912
Brasília-DF, Brasil

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo publicado nesta revista está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.