A desconstrução do conceito de "qualidade da informação"

Rosa Maria Quadros Nehmy, Isis Paim

Resumo


Tomando como principal referencial as categorias analíticas de Gaston de Bachelard - estádios de um conceito e obstáculo epistemológico -, a leitura da noção "qualidade da informação", tal como é abordada na literatura, revela que se trata de uma noção vaga, imprecisa, situando-se muito próxima ao entendimento do senso comum. As definições geralmente baseiam-se na adscrição de atributos passíveis de mensuração. A tendência dominante é a de se imprimir um julgamento de valor positivo à informação, relegando-se a um plano secundário seu lado negativo. Com essas características, a noção pode ser enquadrada na categoria bachelardiana do realismo ingênuo, que funciona como obstáculo epistemológico ao conhecimento. A análise de outras noções correlatas conduz à constatação de que prevalecem condições semelhantes às assinaladas para a qualidade. A desconstrução das noções relativas à avaliação da informação constitui-se, pois, em um passo necessário para propiciar o redirecionamento da construção conceitual, de modo a sintonizar-se com as exigências do novo momento tecnológico e social.

Palavras-chave


Qualidade da informação; Epistemologia e ciência da informação; Obstáculo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18225/ci.inf..v27i1.817

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 1969 Rosa Maria Quadros Nehmy, Isis Paim

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.


Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict)
SAUS - Setor de Autarquias Sul, Quadra 5, Lote 6, Bloco H
Seção de Editoração - sala 500
CEP 70070-912
Brasília-DF, Brasil