A sociedade do conhecimento e o humanismo | The knowledge society and humanism

Mauro Lúcio Leitão Condé

Resumo


RESUMO Este artigo aborda aspectos epistemológicos das relações entre ciência, tecnologia e humanismo na era da informação, aqui chamada de “sociedade do conhecimento”. Seu pressuposto fundamental é de que existe um desenvolvimento simultâneo entre conhecimento científico e tecnológico, por um lado, e humanismo, por outro. Contudo, essa relação não é paralela. O humanismo opera de modo transversal à ciência e à tecnologia. Na medida em que a ciência e a tecnologia não têm um valor em si, mas nos seus usos, elas podem tanto ser instrumentos que impeçam a autonomia humana quanto, ao contrário, facilitadoras dessa autonomia. Na sociedade do conhecimento, o desenvolvimento científico e tecnológico é “condição necessária” para a emergência do humanismo – ou pelo menos do tipo de humanismo aí engendrado –, mas não é “condição suficiente”. Este artigo procura, assim, mostrar que a simultaneidade e a transversalidade entre conhecimento e humanismo, nesse modelo de sociedade, sugerem que essa relação comporte necessariamente uma perspectiva epistemológica, isto é, existe uma pressuposição epistemológica na própria condição ética humana. Somos seres éticos porque conhecemos, ainda que o ato de conhecer não nos torne, necessariamente, seres éticos.

Palavras-chave: Humanismo; Sociedade do Conhecimento; Epistemologia.

ABSTRACT The paper discusses epistemological aspects of the relationship among science, technology and humanism in the era of information, here called society of knowledge. The fundamental assumption is that there is a simultaneous development of scientific and technological knowledge, on the one hand, and humanism, on the other. However, this relationship is not parallel. Humanism operates transversely to science and technology. To the extent that science and technology do not have a value in themselves, but in their uses, so can they be instruments to avoid human autonomy as, on the contrary, facilitate this autonomy. In the society of knowledge, scientific and technological developments are “necessary conditions” for the emergence of humanism – or at least the kind of humanism engendered within it – , but they are not “sufficient conditions”. The paper attempts to show that the simultaneity and the transversality intersections between knowledge and humanism in this model of society suggest that this relationship necessarily includes an epistemological perspective, that is, there is an epistemological assumption in the human ethics condition itself. We are ethical beings because we know, although the act of knowing does not make us necessarily ethical beings.

Keywords: Humanism; Society of Knowledge; Epistemology.


Palavras-chave


Humanismo; Sociedade do Conhecimento; Epistemologia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18617/liinc.v11i2.839

Apontamentos

  • Não há apontamentos.