O princípio da garantia semântica revisitado à luz dos estudos da linguagem

Autores

  • Roger De Miranda Guedes Fundação João Pinheiro (FJP)

DOI:

https://doi.org/10.18617/liinc.v14i2.4311

Resumo

RESUMO A garantia semântica é considerada o princípio aplicado à construção, desenvolvimento e avaliação de sistemas de organização do conhecimento (SOCs) para justificar e validar significados. Objetiva-se neste artigo apresentar “esboços de paisagens” que contribuam para a pavimentação do estrado epistemológico representado pelo princípio da garantia semântica na organização do conhecimento (OC). Para isso, recorre-se ao pensamento de dois filósofos da linguagem – Ludwig Wittgenstein e Mikhail Bakhtin – para conduzir as reflexões. Demonstra-se que a promoção de significado útil e adequado às linguagens documentárias requer condições de reconhecimento de autoridades cognitivas que equilibrem a sensibilidade necessária para provocar o desvelamento de significados úteis em SOCs, sendo este o papel do princípio da garantia semântica.

Palavras-chave: Garantia Semântica; Sistemas de Organização do Conhecimento; Estudos da Linguagem; Significação; Conceitos Sensibilizantes.

Biografia do autor

Roger De Miranda Guedes, Fundação João Pinheiro (FJP)

Doutor e mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais, bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente é gestor em ciência e tecnologia contratado pela instituição de pesquisa Fundação João Pinheiro (Belo Horizonte/MG).

Downloads

Publicado

17/12/2018

Como citar

De Miranda Guedes, R. (2018). O princípio da garantia semântica revisitado à luz dos estudos da linguagem. Liinc Em Revista, 14(2). https://doi.org/10.18617/liinc.v14i2.4311

Edição

Seção

Organização do Conhecimento: agendas sociopolíticas e seus conflitos históricos