A organização do conhecimento no domínio das ciências sociais e humanidades na perspectiva de Douglas John Foskett e Derek Wilton Langridge

uma abordagem aos Estudos Culturais e inovações disruptivas

Autores

  • Marcos Luiz Cavalcanti de Miranda Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Centro de Ciências Humanas e Sociais, Escola de Biblioteconomia. https://orcid.org/0000-0003-0888-9468
  • Maria Luiza de Almeida Campos Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.21721/p2p.2022v8n2.p160-177

Palavras-chave:

Organização do Conhecimento., Sistemas de Organização do Conhecimento., Ciências Sociais., Humanidades., Douglas John Foskett., Derek Wilton Langridge., Estudos Culturais., Inovações Disruptivas.

Resumo

Apresenta as contribuições de Derek Wilton Langridge e Douglas John Foskett para inovações disruptivas no âmbito da Organização do Conhecimento, com foco nos sistemas de organização do conhecimento nas Ciências Humanas e Sociais. A inovação disruptiva no domínio da Organização do Conhecimento provoca a quebra de paradigmas e modelos de organização e representação do conhecimento por meio de instrumentos inovadores para satisfazer as necessidades de usuários na recuperação de informação. Este trabalho tem como objetivo apresentar as contribuições de Derek Wilton Langridge e Douglas John Foskett para inovações disruptivas nos aspectos culturais da Organização do Conhecimento e sua influência nos Sistemas de Organização do Conhecimento por meio da análise de domínio e da análise de conteúdo. A abordagem metodológica utilizada nos permitiu evidenciar que Foskett e Langridge com suas obras seminais contribuíram para a teoria, a prática, o ensino e o desenvolvimento da Organização do Conhecimento enquanto um domínio de conhecimento bem como para a construção de esquemas de classificação especializados nas Ciências Humanas e Sociais que são a base dos Estudos Culturais.

Biografia do autor

Marcos Luiz Cavalcanti de Miranda, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Centro de Ciências Humanas e Sociais, Escola de Biblioteconomia.

Bacharel em Biblioteconomia e Documentação pela UFF (1989), Mestre (1997) e Doutor (2005) em Ciência da Informação pelo Convênio CNPq/IBICT-UFRJ/ECO. Professor Associado da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) atuando nos Cursos de Bacharelado em Biblioteconomia nas modalidades presencial e a distância, Licenciatura em Biblioteconomia e no Programa de Pós-Graduação em Biblioteconomia - PPGB/ Mestrado Profissional em Biblioteconomia - MPB da UNIRIO. Tem experiência na área de Biblioteconomia, Ciência da Informação e Organização e Gestão do Conhecimento, trabalhando principalmente nos seguintes temas: organização do conhecimento, ambientes Web, gestão do conhecimento, acessibilidade, patrimônio imaterial, ensino e formação de profissionais da informação. Realiza Estágio Pós-Doutoral em Ciência da Informação pelo Programa Nacional de Pós-Graduação (PNPD) da Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (CAPES) no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) da Universidade Federal Fluminense (UFF). Líder do Grupo de Pesquisa Organização do Conhecimento para Recuperação da Informação (UNIRIO) e Membro dos Grupos de Pesquisa Organização do Conhecimento (IBICT); Excelência, Sustentabilidade e Inovação Social: Engenharia das Organizações Criativas e Soluções Tecnológicas Educacionais (UNIRIO); Estudos Ônticos e Ontológicos em Contextos Informacionais: representação, recuperação e métricas (UFF). É Membro do Conselho Editorial das revistas Informação e Informação (1981-8920), BIBLOS - Revista do Instituto de Ciências Humanas e da Informação (0102-4388) eSENAC.DOC: Revista de Informação e Conhecimento (2527-1407). Integrante do Banco Nacional de Avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior. Membro da International Society of Knowledge Organization - ISKO/Brasil, da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação e Biblioteconomia - ANCIB e da Associação Brasileira de Educação em Ciência da Informação - ABECIN. Presidente do Conselho Federal de Biblioteconomia - CFB - 18ª Gestão (2019-2021).

Maria Luiza de Almeida Campos, Universidade Federal Fluminense

Graduada em Biblioteconomia e Documentação. Doutora em Ciência da Informação pelo Instituto Brasileiro em Informação Científica e Tecnológica - IBICT/UFRJ. No ano de 2008 obteve Pós-Doutorado no Laboratório de Biologia Molecular de Tripanosamatídeos e Flebotomídeos do Instituto Oswaldo Cruz ? FIOCRUZ na área de Ontologias genômicas,e no ano de 2014 obteve seu segundo Pós Doutorado na USP no Programa de Pós-Doutorado do Departamento de Biblioteconomia e Documentação da USP na área de Teorias de Representação/Ontologia de Fundamentação.Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal Fluminense e da Universidade Federal da Bahia. Desenvolve a pesquisa ?Compartilhamento de dados em ambientes de pesquisa: a interoperabilidade semântica em ambientes heterogêneos", como bolsista em produtividade pelo CNPq. Líder do grupo de pesquisa EOOCI ?Estudos Ônticos e Ontológicos em Contextos Informacionais: representação, recuperação e métricas?. Possui atividades de ensino e pesquisa na área de Organização e Recuperação da Informação, com especialidades nas seguintes temáticas: Teorias de Representação, Modelagem de Domínio, Construção de Tesauros e Taxonomias; Teoria da Classificação; Terminologia; Ontologia e Gestão de Conteúdos. Vêm atuando em diversas Instituições como consultora em atividades de elaboração de linguagens documentárias, taxonomias e de política de indexação.

Referências

BAPTISTA, M. M. Estudos culturais: o quê e o como da investigação. Carnets [Online], Première Série - 1 Numéro Spécial | 2009. Disponível em: http://journals.openedition.org/carnets/4382. Acesso em: 18.12.2019

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BROUGHTON, V. Brian Vickery and the Classification Research Group: the legacy of faceted classification. In: GILCHRIST, A. (Ed.) Proceedings of the Second National ISKO UK Conference 2011, 2011.

BROUGHTON, V. CRG. Mensagem recebida por: em 02.02.2022.

CHRISTENSEN, C. M. The innovator’s dilemma: When New Technologies Cause Great Firms to Fail. Boston: Harvard Business School Press, 1997.

DAHLBERG, I. The Information Coding Classification (ICC): a modern, theory-based fully-faceted, universal system of knowledge fields. Axiomathes, v. 18, p. 161-176, 2008. DOI: 10.1007/s10516-007-9026-8.

DAHLBERG, I. Knowledge organization: its scopes and possibilities. Knowledge Organization, Frankfurt, n. 20, p. 211-222, 1993.

FOSKETT, D. J. Classification and integrative levels. London: Butterworths, 1960.

FOSKETT, D. J. Classification and Indexing in Social Sciences. London: Butterworths, 1963.

FOSKETT, D. J. Science, humanism and libraries. London: Butterworths, 1964.

FOSKETT, D. J. The Classification Research Group 1952-1968. In: KENT, A.; LANCOUR, H. (Ed.). Encyclopedia of Library and Information Science. 5. New York: Marcel Dekker, 1971. p. 141-145.

FOSKETT, D. J. The Classification Research Group: 1952-1962. Libri, v. 12, n. 2, p. 127-138, 1962.

GEERTZ, C. The interpretation of cultures. New York: Basic Books, 1973.

GRÁCIO, M. C. C. Acoplamento bibliográfico e análise de cocitação: revisão teórico-conceitual. Encontros Bibli, Florianópolis, v. 21, n. 47, p. 82-99, 2016.

HJØRLAND, B. Theories of Knowledge Organization: theories of knowledge. Knowledge Organization, v. 40, n. 3, p. 169-181, 2013.

HJØRLAND, B.; ALBRECHTSEN, H. Toward a new horizon in Information Science: domain analysis. Journal of the American Society for Information Science, New Jersey, v. 46, n. 6, 1995.

HJØRLAND, B.; HARTEL, J. Afterword: ontological, epistemological and sociological dimensions of domains. Knowledge Organization, Frankfurt, v. 30, p. 239-245, 2003.

HOFSTEDE, G. H. Cultures and organization: software of the mind. London: Harper Collins, 1994.

HOGGART, R. As utilizações da cultura: aspectos da vida da classe trabalhadora, com especiais referências a publicações e divertimentos. Lisboa: Editorial Presença, 1973 [1957].

INTERNATIONAL Study Conference on Classification for Information Retrieval, Dorking, 1957. Proceedings… London, Aslib, 1958.

JORENTE, M. J. V.; NAKANO, N. Inovação, tecnologias de informação e comunicação e processos disruptivos. Informação & Informação, Londrina, v. 17, n. 2, p. 37-54, 2012. Acesso em: 19 nov. 2020.

LANGRIDGE, D . W. Approach to classification: for students of librarianship. London: Clive Bingley, 1973.

LANGRIDGE, D. W. (Ed.). The Universe of knowledge: essays by members of the Special Seminar held during the fall semester, 1967. Assisted by Esther Herman. University of Maryland. School of Library and Information Services, 1969.

LANGRIDGE, D. W. Classification and indexing in the Humanities. London: Butterworths, 1976.

LEE, W. C. Culture and Classification: an introduction to thinking about ethical issues of adopting global classification standards to local environments. Knowledge Organization, Frankfurt, v. 42, n 5, p. 302-307, 2015.

LÓPEZ-HUERTAS, M. J. Cultural impact on Knowledge Representation and Organization in a subject domain. In: Culture and Identity in Knowledge Organization: Proceedings of the Tenth International ISKO Conference 5-8 August 2008 Montréal, Canada, edited by Clément Arsenault and Joseph T. Tennis. Advances in Knowledge Organization, 11. Würzburg: Ergon Verlag, 2008. p. 340-346.

LÓPEZ-HUERTAS, M. J. Transcultural categorization in contextualized domains. Information Research, v. 18, n. 3, paper C16, 2013.

MCILLWAINE, I. C.; Broughton, V. The Classification Research Group then and now. Knowledge Organization, Frankfurt, Borás, v. 27, n. 4, p. 195-199, 2000.

MARTINS, M. de L. O Cultural Studies no Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho. Caminhos nas ciências sociais: memória, mudança social e razão. Repositório UMinho, 2010. Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt /bitstream/1822/25339/1/os_cultural_studies.pdf. Acesso em: 30/01/2020.

OLSON, H. A. Difference, culture and change: the untapped potential of LCSH. Cataloging & Classification Quarterly, London, v. 29, n. 1/2, p. 53-71, 2000.

RANGANATHAN, S. R. Colon Classification. 3rd ed. Madras: Madras Library Association, 1950.

RANGANATHAN, S. R. Elements of library classification. Poona: N.K. Publishing House, 1945.

RANGANATHAN, S. R. Philosophy of library classification. Copenhagen, 1951.

RANGANATHAN, S. R. Prolegomena to library classification. Bombay: Asia Publ. House, 1967.

RICHMOND, P. A. Precedent-setting contributions to modern classification. Journal of Documentation, London, v. 44, n. 3, p. 242-244, 1988

SCHUMPETER, J. A. Ciclos económicos: análisis teórico, histórico y estadístico del proceso capitalista. Zaragoza: Prensas de la Universidad de Zaragoza, 1939.

STEINWACHS, K. Information and Culture: the impact of national culture on information processes. Journal of Information Studies, Los Angeles, v. 25, p. 193-204, 1999.

SWALES, J. M. The concept of discourse community. In: SWALES, J. M. Genre analysis: English in Academic and Research Settings. Cambridge: Cambridge University Press, 1990. p. 21–27.

VICKERY, B. C. Classification and indexing in science. London: Butterworths, 1958.

VICKERY, B. C. The Royal Society Scientific Information Conference of 1948. Journal of Documentation, London, vol. 54, no. 3, p. 281-283, 1998.

WILLIAMS, Raymond. Culture and Society 1780-1950. Harmondsworth: Penguin Books, 1958.

WORLD Encyclopedia of Library and Information Services. 3rd. ed. Chicago: American Library Association, 1993. D. J. FOSKETT. p. 299-300.

Downloads

Publicado

29/03/2022

Como citar

MIRANDA, M. L. C. de; DE ALMEIDA CAMPOS, M. L. A organização do conhecimento no domínio das ciências sociais e humanidades na perspectiva de Douglas John Foskett e Derek Wilton Langridge: uma abordagem aos Estudos Culturais e inovações disruptivas. P2P E INOVAÇÃO, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 160–177, 2022. DOI: 10.21721/p2p.2022v8n2.p160-177. Disponível em: https://revista.ibict.br/p2p/article/view/5923. Acesso em: 29 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)