Terminologia e ontologia: discussões sobre a criação de definições em vocabulários biomédicos

Maurício Barcellos Almeida, Elisângela Cristina Aganette

Resumo


A representação da informação e do conhecimento descreve entidades do mundo e aquelas estudadas pela ciência. Em biomedicina, as entidades que precisam ser representadas envolvem tanto as ciências naturais, no caso da descrição dos organismos vivos; quanto as ciências sociais, no caso de estudos sobre como os profissionais de saúde tomam decisões. Para a atividade de representar existem teorias já consagradas, como a Teoria da Terminologia, amplamente adotada em normas internacionais; e teorias mais recentes, como a Teoria da Ontologia Aplicada, a qual tem buscado formas efetivas de representação no contexto digital. O presente artigo descreve um estudo de caso que compara aspectos dessas duas teorias, enfatizando o processo de criação de definições para termos de vocabulários biomédicos. Para tal, utilizam-se exemplos reais de definição de termos no contexto de um projeto no domínio da biomedicina. Apresentam-se ainda discussões que evidenciam a complementaridade entre as teorias em questão, mesmo que existam diferenças na maneira de criar definições em cada uma dessas teorias. Espera-se assim, contribuir para melhor entendimento sobre a criação das definições, bem como auxiliar ao profissional da informação em suas necessidades práticas.

Palavras-chave


Ontologia aplicada; Terminologia; Definições

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18225/ci.inf..v44i3.1876

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Maurício Barcellos Almeida, Elisângela Cristina Aganette

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.


Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict)
SAUS - Setor de Autarquias Sul, Quadra 5, Lote 6, Bloco H
Seção de Editoração - sala 500
CEP 70070-912
Brasília-DF, Brasil