Guerras culturais, hacking e as vulnerabilidades do jornalismo à desinformação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18617/liinc.v19i2.6625

Palavras-chave:

Fake news, Hacker, Deontologia, Bolsonaro, Notícias falsas

Resumo

O artigo busca identificar vulnerabilidades do jornalismo que vêm sendo exploradas por grupos de interesse capazes de “hackear” as rotinas produtivas das redações para difundir desinformação. A partir da análise de acontecimentos da política brasileira entre 2018 e 2022, apontou-se para a) casos nos quais a valorização das fontes de alta hierarquia permitiu a difusão de alegações falsas e gerou matéria-prima para propaganda em favor do ex-presidente; b) nos quais o princípio da objetividade resultou em jornalismo declaratório ou falsas equivalências; e c) nos quais a relevância conferida às polêmicas em redes sociais como acontecimentos jornalísticos redundou na amplificação de ideias da extrema direita no noticiário. Conclui-se pela necessidade de uma revisão dos princípios, valores e práticas profissionais do jornalismo, de modo que seus aspectos vulneráveis à exploração por agentes de desinformação sejam atualizados

Referências

ABRAJI, 2020. Veículos de imprensa suspendem cobertura presidencial na porta do Alvorada. Abraji. 26 maio 2020. [Acesso em 16 março 2023]. Disponível em: https://www.abraji.org.br/noticias/veiculos-de-imprensa-suspendem-cobertura-presidencial-na-porta-do-alvorada

AJZENMAN, N., CAVALCANTI, T. e DA MATA, D., 2023. More than words: leaders’ speech and risky behavior during a pandemic. American Economic Journal: Economic Policy. 2023. vol. 15, no. 3, p. 351–371. DOI: https://doi.org/10.1257/pol.20210284

AOS FATOS, 2022. Em 1.459 dias como presidente, Bolsonaro deu 6.685 declarações falsas ou distorcidas. Aos Fatos, 30 dez. 2022. [Acesso em 2 março 2023]. Disponível em: https://www.aosfatos.org/todas-as-declara%C3%A7%C3%B5es-de-bolsonaro

AUDI, M., 2023. “Monark abandonou o sonho da vida dele para que as pessoas não fossem prejudicadas. Quem sou eu pra largar o barco agora?”. Draft, 23 fevereiro 2023. [Acesso em 18 março 2023]. Disponível em: https://www.projetodraft.com/monark-abandonou-o-sonho-da-vida-dele-para-que-as-pessoas-nao-fossem-prejudicadas-quem-sou-eu-pra-largar-o-barco-agora

BENKLER, Y., 2018. Network propaganda: manipulation, disinformation, and radicalization in American politics. Nova York: Oxford. DOI: https://doi.org/10.1093/oso/9780190923624.001.0001

CABRAL, R. e SALHANI, J., 2017. Jornalismo para a paz: conceitos e reflexões. E-Compós, vol. 20, no. 3. DOI: https://doi.org/10.30962/ec.1371

CASSOL, J. V. G., 2022. O paradoxo da tolerância e o tratamento contra a amnésia. Observatório da Imprensa. 22 fevereiro 2022. [Acesso em 18 março 2023]. Disponível em: https://www.observatoriodaimprensa.com.br/objethos/o-paradoxo-da-tolerancia-e-o-tratamento-contra-a-amnesia

CHARRON, J. e DE BONVILLE, J., 2016. Natureza e transformação do jornalismo. Florianópolis: Insular.

CRAFT, S., 2017. Distinguishing Features: Reconsidering the Link Between Journalism’s Professional Status and Ethics. Journalism & Communication Monographs, vol. 19, no. 4, p. 260–301. DOI: https://doi.org/10.1177/1522637917734213

DE LIMA, P. D., 2020. Mídia brasileira caiu no conto dos cientistas e médicos que assinaram carta defendendo a imunidade de rebanho para conter o coronavírus. Observatório da Imprensa. 13 outubro 2020. [Acesso em 15 março 2023]. Disponível em: https://www.observatoriodaimprensa.com.br/coronavirus-covid-19/midia-brasileira-caiu-no-conto-dos-cientistas-e-medicos-que-assinaram-carta-defendendo-a-imunidade-de-rebanho-para-conter-o-coronavirus

DE VUYST, S., 2020. Hacking gender and technology in journalism. Nova York: Routledge. DOI: https://doi.org/10.4324/9780429262029

DOS SANTOS, Y. T., ZINATO, M. L., GOMES, A. F. e SILVEIRA, R. V., 2021. O imaginário social sobre as mídias noticiosas: impactos do negacionismo de Jair Bolsonaro e do jornalismo declaratório na opinião pública. Anagrama, v. 15, n. 2, p. 1–23. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.1982-1689.anagrama.2021.188272

DOURADO, T., 2023. Who Posts Fake News? Authentic and Inauthentic Spreaders of Fabricated News on Facebook and Twitter. Journalism Practice. DOI: 10.1080/17512786.2023.2176352. DOI: https://doi.org/10.1080/17512786.2023.2176352

EDELSON, C., 2012. Lies, Damned Lies, and Journalism: Why Journalists are Failing to Vindicate First Amendment Values and How a New Definition of “The Press” Can Help. SSRN Electronic Journal. DOI: 10.2139/SSRN.2106096. DOI: https://doi.org/10.2139/ssrn.2106096

ESTADÃO, 2018. Uma escolha muito difícil. Editorial. O Estado de S. Paulo. 8 outubro 2018. [Acesso em 15 outubro 2021]. Disponível em: https://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,uma-escolha-muito-dificil,70002538118

FERRARI, B., 2016. Bel Pesce rebate as críticas que questionavam seu currículo. Época. 3 setembro 2016. [Acesso em 15 março 2023]. Disponível em: https://epoca.oglobo.globo.com/vida/experiencias-digitais/noticia/2016/09/bel-pesce-rebate-criticas-que-questionavam-o-curriculo.html

GALVANI, G., 2020. Bolsonaro usa ator para distribuir bananas a jornalistas na saída do Alvorada. Carta Capital. 4 março 2020. [Acesso em 16 março 2023]. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/politica/bolsonaro-usa-ator-para-distribuir-bananas-a-jornalistas-na-saida-do-alvorada

GEHRKE, M. e BENETTI, M., 2021. A desinformação no Brasil durante a pandemia de Covid-19: temas, plataformas e atores. Fronteiras. vol. 23, no. 2. DOI: https://doi.org/10.4013/fem.2021.232.02

GEHRKE, M. e TRÄSEL, M., 2023. All the President’s Lies: How Brazilian News Media Addressed False and Inaccurate Claims in Their Titles. Journalism Practice. DOI: 10.1080/17512786.2023.2174579. DOI: https://doi.org/10.1080/17512786.2023.2174579

GUESS, A. M., NYHAN, B., REIFLER, J., 2020. Exposure to untrustworthy websites in the 2016 US election. Nature Human Behaviour. vol. 4, no. 5, p. 472–480. DOI: https://doi.org/10.1038/s41562-020-0833-x

GUNARATNE, S. A., PEARSON, M., SENARATH, S., 2015. Mindful journalism and news ethics in the digital era. Nova York: Routledge. DOI: https://doi.org/10.4324/9781315723341

HENRIQUES, R. P., 2020. O jornalismo declaratório e a objetividade jornalística. Anais do 18º encontro da SBPJor. Brasília: SBPJor.

KAKUTANI, M., 2018. A morte da verdade: notas sobre a mentira na era Trump. Rio de Janeiro: Intrínseca.

KIRBY, E. J., 2016. The city getting rich from fake news. BBC News. 5 dezembro 2016. [Acesso em 16 março 2023]. Disponível em: https://www.bbc.com/news/magazine-38168281

LEMOS, A., 2002. Cibercultura. Porto Alegre: Sulina.

MANCINI, P., 2011. Hackear el periodismo. Buenos Aires: La Crujía.

MARSH, E. e YANG, B., 2018. Believing things that are not true: a cognitive science perspective on misinformation. Em: Misinformation and mass audiences. Austin: University of Texas Press. DOI: https://doi.org/10.7560/314555-003

MARTINUZZO, J. A. e DARRIBA, V. A., 2023. Terrorismo, ciberterritórios, fake news e o fenômeno das massas “instrumentárias”. Liinc em Revista. vol. 19, no. 1. DOI: https://doi.org/10.18617/liinc.v19i1.6238

MELLO, P. C., 2020. A máquina do ódio. São Paulo: Companhia das Letras.

MITNICK, K. e SIMON, W., 2003. A arte de enganar. São Paulo: Pearson Education.

MORAES, F., 2022. A pauta é uma arma de combate. Porto Alegre: Arquipélago.

MUJIB, M. I. et al., 2020. NewsTweet: a dataset of social media embedding in online journalism. arXiv. 6 agosto 2020. [Acesso em 18 março 2023]. Disponível em: http://arxiv.org/abs/2008.02870

NICKEL, B., 2021. O cuidado como prática e como valor: uma proposta de ética jornalística feminista. Tese (Doutorado em Comunicação Social). Porto Alegre. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

O’CONNOR, C. e WEATHERALL, J., 2019. The misinformation age. New Haven: Yale University Press. DOI: https://doi.org/10.2307/j.ctv8jp0hk

ORESKES, N. e CONWAY, E., 2010. The merchants of doubt. Londres: Bloomsbury. DOI: https://doi.org/10.1038/465686a

PHILLIPS, W., 2019. It Wasn’t Just the Trolls: Early Internet Culture, “Fun,” and the Fires of Exclusionary Laughter. Social Media + Society. vol. 5, no. 3. DOI: https://doi.org/10.1177/2056305119849493

PIRES, B., 2020. Os laços do clã Bolsonaro com Steve Bannon. El País. 20 agosto 2020. [Acesso em 16 outubro 2021]. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2020-08-20/os-lacos-do-cla-bolsonaro-com-steve-bannon.html

PITHAN, L. H., KALSING, J. e EICHLER, V. A., 2020. Percepção de jornalistas a respeito do trabalho sob a influência de métricas de audiência. Estudos em Jornalismo e Mídia. vol. 17, no. 1, p. 75–85. DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2020v17n1p75

RAJÃO, R. et al., 2022. The risk of fake controversies for Brazilian environmental policies. Biological Conservation. vol. 266. DOI: https://doi.org/10.1016/j.biocon.2021.109447

RECUERO, R., SOARES, F. e VINHAS, O., 2020. Discursive strategies for disinformation on WhatsApp and Twitter during the 2018 Brazilian presidential election. First Monday, vol. 26, no. 1. DOI: https://doi.org/10.5210/fm.v26i1.10551

RECUERO, R. e SOARES, F. B., 2020. Desinformação e Meio Ambiente: O caso das Queimadas no Pantanal Brasileiro. Journal of Digital Media & Interaction. vol. 3, no. 8, p. 64-80.

ROCHA, J. C. d. C., 2023. Bolsonarismo da guerra cultural ao terrorismo doméstico. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

SANTOS, B. R. O., 2021. A emergência do jornalismo de entretenimento com base nas celebridades contemporâneas nos meios digitais. Dissertação (mestrado em Ciências da Comunicação). Lisboa: Universidade Católica Portuguesa.

SCHULZ, A., WIRTH, W. e MÜLLER, P., 2020. We are the people and you are fake news: a social identity approach to populist citizens’ false consensus and hostile media perceptions. Communication Research. vol. 47, no. 2. DOI: https://doi.org/10.1177/0093650218794854

SEIBT, T. e DANNENBERG, M., 2021. Pandemia, desinformação e discurso autoritário: os sentidos das declarações de Jair Bolsonaro no Twitter a partir de checagens do Aos Fatos. Liinc Em Revista. vol. 17, no. 1. DOI: https://doi.org/10.18617/liinc.v17i1.5687

SILVA, D. R., 2017. Relações públicas, ciência e opinião: lógicas de influência na produção de (in)certezas. Tese (doutorado em Comunicação Social). Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais.

SILVERMAN, C., 2018. Eu ajudei a popularizar o termo "fake news", mas hoje sinto calafrios ao ouvi-lo. BuzzFeed News. 12 janeiro 2018. [Acesso em 16 outubro 2021] Disponível em: https://www.buzzfeed.com/craigsilverman/historia-fake-news

SWIRE, B. e ECKER, U., 2018. Misinformation and its correction: mechanisms and recommendations for mass communication. Em: Misinformation and mass audiences. Austin: University of Texas Press. DOI: https://doi.org/10.7560/314555-013

TANDOC, E. C., LIM, Z. W. e LING, R., 2018. Defining “fake news”. Digital Journalism. vol.6, no.2, p.137-153. DOI: https://doi.org/10.1080/21670811.2017.1360143

TUCHMAN, G., 1993. A objetividade como ritual estratégico: uma análise das noções de objetividade dos jornalistas. Em: Jornalismo: questões, teoria e estórias. Lisboa: Vega.

WARDLE, C. e DERAKHSHAN, H., 2017. Information disorder. Estrasburgo: Conselho Europeu.

WOLF, M., 2003. Teorias das comunicações de massa. São Paulo: Martins Fontes.

Downloads

Publicado

30/11/2023

Edição

Seção

Guerras Culturais: Informação, Política e Disputas Simbólicas

Como Citar

Guerras culturais, hacking e as vulnerabilidades do jornalismo à desinformação. Liinc em Revista, [S. l.], v. 19, n. 2, p. e6625, 2023. DOI: 10.18617/liinc.v19i2.6625. Disponível em: https://revista.ibict.br/liinc/article/view/6625.. Acesso em: 18 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1-10 de 50

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.