INOVAÇÃO DIGITAL E INTERNACIONALIZAÇÃO DO NEGÓCIO

estudo de caso em uma empresa de cintas modeladoras Linfodreaening

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21728/p2p.2024v10n2e-6683

Palavras-chave:

Inovação Digital, Transformação Digital, Internacionalização

Resumo

Diante de um cenário global altamente competitivo e repleto de incertezas, uma das soluções para as organizações pode ser composta não só pela inovação, mas também pela internacionalização e transformação digital do negócio. Estas, quando aliadas, potencializam os trabalhos da organização, agregam valor, aumentam lucros, geram maior competitividade e diminuem a dependência da empresa do mercado interno. Diante disto, o estudo objetivou identificar as contribuições das ações de inovação digital no processo de internacionalização de uma empresa que produz e comercializa cintas modeladoras linfodreaening, localizada no Sul de Santa Catarina. Metodologicamente, caracterizou-se como uma pesquisa de abordagem qualitativa, e quanto aos fins, de caráter descritivo e explicativo, e, um estudo de caso, quanto aos meios de investigação. A coleta de dados primários ocorreu por meio de entrevista virtual com o auxílio de um roteiro semiestruturado aplicada com a proprietária da empresa. Para a análise dos resultados, optou-se pela análise de conteúdo. Os principais achados revelaram que o processo de internacionalização se iniciou no ano de 2019, meio que por acaso, quando, em função do aumento de vendas, a empreendedora encontrou uma oportunidade para exportar para Portugal. Inovações incrementais foram feitas em seus produtos para melhor aceitação no mercado internacional, assim como o emprego de novas tecnologias como ERP integrado, sistema de armazenamento de dados em nuvem, bancos digitais, e-commerce e vendas pelas redes sociais (Instagram e o Whatsapp). A inovação digital contribuiu ainda na questão de segurança, agilidade, comunicação e transparência que são repassadas ao cliente por meio de site seguro e plataformas de comunicação eficientes.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Thainara Bianco Nunes

    Acadêmica de Administração de Empresas - Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC

  • Elenice Padoin Juliani Engel

    Formada em Administração de Empresas, com Especialização em Marketing e Propaganda, Mestrado em Educação e  Doutorado em Desenvolvimento Socioeconômico - PPGDS - UNESC. Possui ampla experiência profissional nas áreas de Gestão, Marketing e Comunicação, com atuação em empresas de pequeno e grande porte. Trabalha com processos educacionais no ensino superior a 20 anos, tendo coordenado vários cursos de graduação nas modalidades Presencial e a Distância, sendo também autora de material didático. Professora de cursos de graduação e pós-graduação Lato Sensu e Membro dos Núcleos Docentes Estruturantes dos cursos de Administração, Marketing, Recursos Humanos e Processos Gerenciais. Atualmente é Gerente de Inovação e Empreendedorismo e Membro do Conselho Universitário da UNESC. Compõe também o banco de avaliadores do BASIs/INEP.

  • Júlio César Zilli, Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC

    Doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento - EGC/UFSC. Professor de graduação e pós-graduação/UNESC. Líder do Laboratório Gestão e Estratégia em Negócios Internacionais – LabGENINT/UNESC. Gerente do Programa de Qualificação para Exportação - Núcleo PEIEX Criciúma/Lages. Idealizador dos programas Prata da Casa e Programa de Imersão Empresarial – PRIME (PRIME Experience e PRIME Class). Membro do Laboratório Engenharia da Integração e Governança Multinível do Conhecimento e da Aprendizagem Organizacional – ENGIN/UFSC.

     

Referências

ALCAZAR, L. C. B. Qual o limite entre plágio e inspiração no mundo da moda? 2022. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Direito) - Faculdade Nacional de Direito, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2022.

ALDRICH, H. The democratization of entrepreneurship? Hackers, makerspaces, and crowdfunding. Presentation for Academy of Management Annual Meeting, Philadelphia, pa. 2014. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/268520673_The_Democratization_of_Entrepreneurship_Hackers_Makerspaces_and_Crowdfunding. Acesso em: 26 abr. 2023 DOI: https://doi.org/10.5465/ambpp.2014.10622symposium

ANDERSEN, K. V.; HENRIKSEN, H. Z. e-Government maturity models: Extension of the Layne and Lee model. Government Information Quarterly, 2006. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/222658012_e-Government_Maturity_Models_Extension_of_the_Layne_and_Lee_Model. Acesso em: 24 abr. 2023. DOI: https://doi.org/10.1016/j.giq.2005.11.008

ARBIX, G.; SALERNO, M.; DE NEGRI, J. Inovação via internacionalização, faz bem para as exportações brasileiras. Brasília: IPEA, 2004.

ASCENSÃO, C. P. O que é E-Commerce? Gestor de Conteúdos. 2015. Disponível em: http://www.gestordeconteudos.com/tabid/3850/Default.aspx. Acesso em: 26 abr. 2023.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BATISTA, C. L. V. A internacionalização da economia brasileira. Revista científica semana acadêmica, v. 1, p. 1-17, 2018.

BIOSETA. Inteligência artificial. COMEX: quais os principais empecilhos para exportação? 2021. Disponível em: https://www.bioseta.com.br/comex-quais-os-principais-empecilhos-para-exportacao/. Acesso em: 01 dez. 2022.

BOEHE, D. M.; LARENTIS, F.; TONI, D.; MATTIA, A. Papel das relações interorganizacionais e da capacidade de inovação na propensão para exportação. Ler. Revista Eletrônica de Administração, v. 17, n. 1, p. 86-116, 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-23112011000100004

BONNET, D.; FERRARIS, P.; WESTERMAN, G.; MCAFEE, A. Talking ’bout a Revolution. Digital Transformation Review, v. 2, n. 1, p. 17-33, 2012.

BÔTO, F. P. A.; GOMES, F. F.; MOTA, M. de O.; FREITAS, A. A. F. de. Curtiu, comentou, comprou. A mídia social digital Instagram e o consumo. Revista Ciências Administrativas, v. 22, n. 1, p. 130-161, 2016. DOI: https://doi.org/10.5020/2318-0722.2016.v22n1p130

BRASIL. Enap - Enap - Escola Nacional de Administração Pública. Desafios do comércio exterior. 2020. Disponível em: chrome-extension://efaidnbmnnnibpcajpcglclefindmkaj/https://repositorio.enap.gov.br/bitstream/1/7212/2/Briefing%20-%20Desafios%20COMEX%20-%20v4.pdf. Acesso em: 01 dez. 2022.

CHEN, H., MAO, S., & LIU, Y. Big Data: A survey. Springer Science Business, New York. 2014. Disponível em: https://www.scirp.org/(S(351jmbntvnsjt1aadkozje))/reference/referencespapers.aspx?referenceid=2019784. Acesso em: 02 dez. 2022.

COMPUTERWORLD. Transformação digital avança e desafia os CIOs. Perspectiva. São Paulo, dezembro 2017. p. 4-6. Disponível em: https://pt.linkedin.com/pulse/o-que-%C3%A9-transforma%C3%A7%C3%A3o-digital-l%C3%ADndice-thiengo. Acesso em: 01 dez. 2022.

COSTA, F. L. G.; ANEZ, M. E. M.; MOL, A. L. R.; DAMASCENO, T. S. A. Escolas teóricas do processo de internacionalização: uma visão epistemológica. Cadernos ebape.br (FGV), v. 15, n. 1, p. 960-973, 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/1679-395154072

DE BRUIN, T.; FREEZE, R.; KAULKARNI, U.; ROSEMANN, M. Understanding the Main Phases of Developing a Maturity Assessment Model. In: CAMPBELL, B.; UNDERWOOD, J.; BUNKER, D. (Eds.). Australasian Conference on Information Systems (ACIS). Nov./Dec. 2005, Australia, New South Wales, Sydney. Disponível em: http://eprints.qut.edu.au/25152/. Acesso em: 01 dez. 2022.

DIAS, R. R. de F. Internet das coisas sem mistérios: uma nova inteligência para os negócios. São Paulo: Netpress Books, 2016.

DIEHL, A. A.; TATIM, D. C. Pesquisa em ciências sociais aplicadas: métodos e técnicas. São Paulo: Prentice Hall, 2004.

DONDOSSOLA, A.; ZILLI, J. C.; BLAUTH, W.; COLOMBO, T. Estratégias para a Internacionalização de uma Empresa Exportadora de Arroz do Sul de Santa Catarina. In: XVI Mostra de Iniciação Científica – Pós-graduação, pesquisa e extensão. Anais eletrônicos [...] Caxias do Sul, RS: UCS, 2016. Disponível em: https://silo.tips/download/estrategias-para-a-internacionalizaao-de-uma-empresa-exportadora-de-arroz-do-sul. Acesso em: 01 dez. 2022. DOI: https://doi.org/10.18226/610001/MOSTRAXVI.2016.27

DRUCKER, P. F. Inovação e espírito empreendedor: Prática e Princípios. São Paulo: Pioneira Thomson, 2003.

FELD, M.; SCHREIBER, D. Análise reflexiva do processo de internacionalização das empresas de negócios digitais. Revista Gestão e Desenvolvimento, [S. l.], v. 13, n. 2, p. 17–36, 2016.

FGV IBRE. Indicador de Comércio Exterior (ICOMEX). Desacelera o crescimento do comércio mundial em 2023 e cresce o volume exportado pelo Brasil. 2023. Disponível em: https://portalibre.fgv.br/system/files/2023-06/ICOMEX_FGV_Press%20release_Junho2023.pdf. Acesso em: 01 jul. 2023.

FIA BUSINESS SCHOOL. B2B: o que é, benefícios e desafios desse modelo de negócio. 2022. Disponível em: https://fia.com.br/blog/b2b-o-que-e-beneficios-e-desafios-desse-modelo-de-negocio/. Acesso em: 01 dez. 2022.

FILIPESCU, D. A. Innovation and internationalization: a focus on exporting firms. ResearchGate.net, 2006. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Diana_Filipescu/publication/228548557_ INNOVATION_AND_INTERNATIONALIZATION. A_FOCUS_ON_ EXPORTING_FIRMS/links/54529b5d0cf26d5090a3777f.pdf. Acesso em: 22 out. 2022.

FREEMAN, C. Technology policy and economic performance. Londres: Pinter Publishers London and New York, 1987.

GARCEZ, R. M.; FERREIRA, E. M. S.; SILVA, E. de M. S. da; LIMA, C. A. C. A. Era da inovação e modelos de negócios digitais no capitalismo contemporâneo: o fenômeno inovativo da uberização. Brazilian Journal of Development, [S. l.], v. 6, n. 11, p. 88408–88417, 2020. DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-312

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GLOBAL INNOVATION INDEX. 2022. The GII reveals the most innovative economies in the world, ranking the innovation performance of 132 economies. Disponível em: https://www.wipo.int/edocs/pubdocs/en/wipo-pub-2000-2022-section3-en-gii-2022-results-global-innovation-index-2022-15th-edition.pdf. Acesso: 17 set. 2023.

GODOY, A. S. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 4, p. 65-71. 1995. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-75901995000400008

GONÇALVES, F. Relações Públicas e as novas tecnologias: solução ou dilema? In: FREITAS, R.; LUCAS, L. (org.) Desafios contemporâneos em Comunicação. São Paulo: Summus, 2002.

GOODE, W. J.; HATT, P. K. Métodos em pesquisa social. São Paulo: Nacional, 1975.

GOULART, L., ARRUDA, C. A., BRASIL, H. V. A evolução da dinâmica de internacionalização. Revista Brasileira de Comércio Exterior, n. 41, p.31-41, 1994.

HENRIETTE, E.; FEKI, M.; BOUGHZALA, I. A forma da transformação digital: uma revisão sistemática da literatura. 2015.

HIGGINS, M. Innovate or evaporate – Teste e melhore o QI de sua organização, seu quociente de inovação. Nova York: New Management Publiszillihing Company, 1995.

IBGE. Pesquisa de inovação 2014. Rio de Janeiro, IBGE. 2016. Disponível em: https://ww2. Ibge.gov.br/home/estatistica/economia/industria/pintec/2014/default.shtm. Acesso em: 10 set. 2022.

KLINE, S. J.; ROSENBERG, N. An overview of innovation. Revista Brasileira de

Inovação, Campinas, v. 14, p. 9-48, 2015.

LOBO, Z. A. et al. A importância das habilidades na digitalização de negócios para a estratégia de internacionalização – evidência para empresas portuguesas. Anais da Conferência INTED2020 de 2 a 4 de março de 2020, Valência, Espanha, 2020.

MARCONI, M. De A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2007.

MILLER, D. The correlates of entrepreneurship in three types of firms. Management Science. v. 29, n. 7, p.770-791, 1983. DOI: https://doi.org/10.1287/mnsc.29.7.770

BRASIL. Ministério da Economia. Estatísticas do comércio exterior brasileiro: 2008-2017. Brasília, 2018. Disponível em: http://www.mdic.gov.br/sistemas_web/renai/public/arquivo/arq1273166252.pdf. Acesso em: 30 mar. 2023

MORAES, S. G.; STREHLAU, V. I.; TUROLLA, F. A. produção acadêmica de autores brasileiros sobre internacionalização: balanço das publicações no Brasil no séc. XXI. Revista Eletrônica de Negócios Internacionais da ESPM. São Paulo, v. 10, n. 2, p. 82-96, 2015. DOI: https://doi.org/10.18568/1980-4865.10282-96

MORGAN, B. 7 Examples of how digital transformation impacted business performance. Forbes. 2019. Disponível em: https://www.forbes.com/sites/blakemorgan/2019/07/21/7-examples-of-how-digitaltransformation-impacted-business-performance/. Acesso em: 22 out. 2022.

NASCIMENTO, Leandro da Silva do. A transformação da empresa através da computação em nuvem: estudo de caso real da empresa Mr. Jack, 2016. Trabalho de conclusão de curso (Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas) - Faculdade de Tecnologia de Americana, Americana, 2016.

OCDE. Manual de Oslo: diretrizes para a coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3. ed. Rio de Janeiro: FINEP, 2007.

OCDE. Manual de Oslo. Paris: Elson, 2005.

PINHEIRO, J. M. S. Da iniciação científica ao TCC: uma abordagem para os cursos de tecnologia. Rio de Janeiro: Ciência moderna, 2010

PORTER, M. E. A vantagem competitiva das nações. 7. ed. Rio de Janeiro: Campus Ltda, 1989.

ROCHA, L. M. A influência do Instagram no processo de decisão de compra do consumidor de moda no setor vestuário. Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Executivo - UFC, Fortaleza, 2016.

ROESCH, S. M. Projetos de estágio do curso de administração. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

ROGERS, D. Transformação Digital – Repensando o seu negócio para a era digital. Tradução: Afonso Celso da Cunha Serra. São Paulo: Autêntica Business, 2017.

SARACENI, A. V.; ANDRADE JUNIOR, P. P.; MATOS, S. N. Computação em nuvem como ferramenta de gestão para pequenas e médias empresas brasileiras. Disponível em: <http://pg.utfpr.edu.br/expout/2011/artigos/15.pdf> Acesso em 26 abr. 2023.

SCHUMPTER, J. A. A teoria do desenvolvimento econômico. São Paulo: Nova Cultura, 1998.

SCHWAB, K. A quarta revolução industrial. São Paulo: Edipro, 2016

SEBRAE. Os desafios do comércio exterior para as pequenas empresas, Sebrae, 2018. Disponível em: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/os-desafios-docomercio-exterior-para-as-pequenasempresas,f95a634e2ca62410VgnVCM100000b272010aRCRD Acesso em: 22 mai. 2023.

SEBRAE, Coronavírus: como a pandemia impactou as vendas on-line, Sebrae, 2022. Disponível em: https://sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/coronavirus-o-impacto-nas-vendas-online,ed84f8e520f71710VgnVCM1000004c00210aRCRD. Acesso em: 22 mai. 2023.

SILVA, L. F. dos S. A transformação digital e a sua relação com a reestruturação dos processos de negócio no SEBRAE/RN. 2019. 110 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Administração) - Departamento de Ciências Administrativas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.

SPEZAMIGLIO, B. S.; GALINA, S. V. R.; CALIA, R. C. Competitividade, inovação e sustentabilidade: uma inter-relação por meio da sistematização da literatura. REAd. Rev. eletrôn. adm. (Porto Alegre), Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 363-393, 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-2311.009162016.62887

TIDD, J.; BESSANT, J. R.; PAVITT, K. Gestão da inovação. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.

TORRES, C. A Bíblia do marketing digital: tudo o que você queria saber sobre marketing e publicidade na internet e não tinha a quem perguntar. São Paulo, 2009.

TORRES, C. Guia prático de marketing na internet para pequenas empresas: dicas

para posicionar o seu negócio e conquistar novos clientes na Internet. Disponível em: https://www.faneesp.edu.br/site/documentos/Marketing_Internet.pdf. Acesso em: 29 maio 2023.

UNCTAD. United nations conference on trade and development. World investment report 2016. New York; Geneva: United Nations, 2016.

WESTERMAN, G., BONNET, D., & MCAFEE, A. 2014. The nine elements of digital transformation. MIT Sloan Management Review. Disponível em: http://www.capgemini.com/resources/digital. Acesso em: 11 out. 2022.

ZAHRA, S. A. e COVIN, J. G. Contextual influences on the corporate entrepreneurship – performance relationship: a longitudinal analysis. Journal of Business Venturing, v. 10, p.43-58, 1995. DOI: https://doi.org/10.1016/0883-9026(94)00004-E

ZILLI, J. C.; BORBA, J.; MACHADO, F. L. Resultados da aplicação da inovação na internacionalização de empresas exportadoras. In: X Congresso Internacional de Conhecimento e Inovação – CIKI. Anais eletrônicos [...], Cuidad del Saber, Panamá, 2020. DOI: https://doi.org/10.48090/ciki.v1i1.988

Disponível em: https://proceeding.ciki.ufsc.br/index.php/ciki/article/view/988. Acesso em: 30 mar. 2023.

ZILLI, J. C.; FREIRE, P. S. The innovation in the ceramic tile exporting industries in Santa Catarina, Brazil. International Journal of Development Research, v. 10, p. 34832-34837, 2020.

ZILLI, J. C.; HEINZEN, M.; VIEIRA, A. C. P. Estratégias e grau de internacionalização de empresas transformadoras de polímeros. Revista de Administração de Roraima – RARR. Boa Vista, v. 5, n. 1, p. 23-41, 2015. DOI: https://doi.org/10.18227/2237-8057rarr.v1i1.2543

ZILLI, J. C.; LOCKS, A. S.; ; FREIRE, P. S.; ENGEL, E. P. J. Innovation in the Brazilian exporting companies. International Journal of Development Research, v. 6, p. 30909-30914, 2019.

Downloads

Publicado

01/02/2024

Como Citar

BIANCO NUNES, Thainara; PADOIN JULIANI ENGEL, Elenice; ZILLI, Júlio César. INOVAÇÃO DIGITAL E INTERNACIONALIZAÇÃO DO NEGÓCIO: estudo de caso em uma empresa de cintas modeladoras Linfodreaening. P2P E INOVAÇÃO, Rio de Janeiro, RJ, v. 10, n. 2, p. e-6683, 2024. DOI: 10.21728/p2p.2024v10n2e-6683. Disponível em: https://revista.ibict.br/p2p/article/view/6683.. Acesso em: 22 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1-10 de 156

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)